Concurseiros pedem adiamento de provas do TCDF por risco de aglomeração

Publicado em Deixe um comentárioCarreira fiscal, Concursos, Coronavírus, Distrito Federal, GDF

Petição de candidatos usa o cenário, registrado em vídeos, durante aplicação de provas do Cebraspe para o TCE/RJ como exemplo que pode pôr em risco saúde dos inscritos

 

Candidatos do concurso público para auditor de controle externo do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) abriram uma petição online para tentar adiar a aplicação da prova da seleção, marcada para 21 de fevereiro, devido à pandemia e às novas cepas do novo coronavírus. Segundo eles, as provas estão mantidas porque a banca organizadora do certame, o Cebraspe, sempre alega garantir a utilização de protocolos de segurança. Estão em disputa 10 vagas e salário de R$ 16.673,35.

Contudo, aconteceram aglomerações registradas por candidatos de outro concurso também sob a responsabilidade da examinadora, o concurso do Tribunal de Contas do Rio de Janeiros (TCE RJ), aplicado neste último fim de semana. Vídeos que circulam na internet mostram grande concentração de candidatos antes da abertura dos portões e a revolta deles em permanecer naquela situação; após a entrada na escola, além do não distanciamento continuar entre os presentes, também foi registrado corre-corre nos corredores.

Antes, no chamamento para a realização das provas, o próprio TCE RJ publicou: “A aplicação das provas obedecerá a rigoroso protocolo de proteção para evitar a transmissão do novo coronavírus. Entre as medidas a serem adotadas estão a aferição de temperatura, o distanciamento mínimo, a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção individual e acesso aos locais de provas em horários específicos para grupos de candidatos, a fim de evitar aglomeração”.  Foram registradas 12.669 inscrições para o preenchimento de 40 vagas de analista de controle externo. O salário é de R$ 13.708,81.

 

 

O blog Papo de Concurseiro entrou em contato com todas as instituições envolvidas. Veja abaixo a íntegra das respostas:

 

TCDF

“Por meio do processo 00001-00002293/2021-74-e, o Tribunal de Contas do Distrito Federal analisou algumas solicitações de candidatos que realizarão a prova do Concurso Público de Auditor deste Tribunal requisitando a possibilidade de adiamento das provas.

Ao analisar o ofício, o Corpo Técnico do Tribunal destacou que, de acordo com o disposto no art. 13 da Lei Distrital nº 4.949/2012, com redação dada pela Lei nº 6.805/2021, por força do qual, a suspensão de concurso ou de qualquer de suas fases deve ser fundamentada, sob pena de nulidade do ato. Não havendo, nesta ocasião, decreto distrital ou decisão judicial que vede a realização das provas, não haveria fundamentação apta a sustentar medida que vise a promover unilateralmente a alteração do cronograma de provas dos certames.

Além disso, em ofício encaminhado ao TCDF, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos – Cebraspe evidenciou que tem adotado todos os protocolos de segurança para que as avaliações possam ser realizadas com segurança para os candidatos, os colaboradores e os fornecedores de materiais e serviços. O Cebraspe afirmou, ainda, que estabeleceu, por meio de editais, as normas a serem observadas na retomada dos certames.

No mesmo sentido, o Procurador-Geral do Ministério Público junto ao TCDF afirmou que a Comissão do concurso para o cargo de Procurador do MPjTCDF fez visitas aos locais das provas e concordou com a aplicação da avaliação neste domingo, dia 07 de fevereiro. A comissão acompanhou a realização do certame no fim de semana, verificando o atendimento dos protocolos de prevenção da COVID-19.

As demais comissões responsáveis pelos concursos de Auditor (Conselheiro-Substituto) e Auditor de Controle Externo deste Tribunal também vão monitorar a realização das respectivas provas e acompanhar as medidas sanitárias pactuadas.”

 

TCE RJ

“Para a organização e realização do V Concurso Público para o Provimento de Cargos de Analista de Controle Externo do quadro de pessoal do TCE-RJ, o órgão contratou o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção de Promoção de Eventos (Cebraspe/UnB), conforme o Termo de Contrato Nº 47/2019, assinado no dia 8 de janeiro de 2020 e publicado no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro no dia 10 de janeiro. Referência nesta área, a instituição parceira é a responsável pela prestação de todos os serviços técnico-especializados.

Com relação às questões sanitárias que cercaram a realização das provas, o Tribunal reconhece as dificuldades impostas pela pandemia do novo coronavírus e esteve atento para que o concurso ocorresse com as condições máximas de segurança para os candidatos. Qualquer questão ou esclarecimento relativo à aplicação das provas deve ser obtido junto ao Cebraspe.” 

 

Cebraspe

“O Cebraspe esclarece que o certame do TCE/RJ registrou 12.669 candidatos inscritos para o cargo de Analista de Controle Externo. As imagens veiculadas são de apenas um colégio, em Bonsucesso, onde houve um pequeno atraso (cerca de 20 minutos) para a abertura dos portões, em razão de ajustes na sinalização das salas. Após a abertura dos portões, os candidatos ingressaram no local e a prova teve início, sem nenhum prejuízo ao certame.
Este Centro vem trabalhando diuturnamente e incansavelmente no intuito de adaptar a aplicação das provas para o cenário de pandemia, de encontrar espaços físicos adequados, de estabelecer protocolos sanitários que protejam candidatos e equipes de aplicação, de promover capacitações qualificadas on-line e presenciais para colaboradores e de sensibilizar os participantes das provas para a necessidade de que sejam cumpridas e respeitadas as medidas estabelecidas de distanciamento e uso de máscaras. Lembra-se que, para uma aplicação de provas segura no contexto atual, é necessária a colaboração de todos e de todas. A segurança coletiva é um dever comum.”

Divulgada comissão organizadora de concurso DPE/RO; banca já foi definida

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Defensoria Pública

Karolini Bandeira*- O concurso público para área administrativa da Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE/RO) em breve será lançado! Foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta quarta-feira (27/1), uma portaria com os nomes dos servidores responsáveis pela tramitação do certame. A equipe é composta por cinco membros, veja!

 

 

A banca organizadora do certame também já foi definida! De acordo com o contrato divulgado em novembro de 2020 pela Defensoria, o Cebraspe ficará responsável pelo concurso público. Veja! 

O cargo será para diversas especialidades. De acordo com o Portal da Transparência do órgão, os cargos de nível superior têm como remuneração inicial R$ 4.260,66. Os profissionais de nível médio da Defensoria recebem, inicialmente, R$ 2.245,48. Com o decorrer do tempo na carreira, os vencimentos podem chegar a R$ 8.719,05 e R$ 4.595,17, respectivamente. Os profissionais também têm direito a benefícios como auxílio-alimentação, auxílio-transporte e auxílio-saúde.

 

Último concurso

Realizado em 2015 pela banca Fundação Getúlio Vargas (FGV), o último concurso público da DPE/RO para cargos administrativos ofertou oportunidades de nível médio e nível superior. O certame contou com prova objetiva composta por 70 questões para nível médio e 80 questões para superior. As perguntas foram distribuídas entre língua portuguesa e conhecimentos específicos da área. Leia o edital!

 

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco

PF poderá convocar mais candidatos do que o número previsto em edital

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Governo federal, Polícia Federal

Karolini Bandeira*- Que coisa boa! A Polícia Federal (PF) confirmou, nesta sexta-feira (22/1), ao Papo de Concurseiro, que o concurso público do órgão com 1.500 vagas imediatas poderá convocar mais policiais até o final do prazo de validade! De acordo com a corporação, tudo depende de autorização do Ministério da Economia.

“Se, durante o período de validade do concurso público, o Ministério de Estado da Economia autorizar a nomeação de candidatos aprovados e não convocados, que ultrapassem o quantitativo original de vagas previsto no edital, poderão ser realizados outros Cursos de Formação Profissional, em período a ser divulgado oportunamente, se for o caso”, informou a PF. O órgão lembrou, também, que a convocação de candidatos acima da quantidade prevista é uma possibilidade citada no edital de abertura.

 

Veja dois trechos do edital em que o tema é formalizado: 

 

18.6.1 Se, durante o período de validade do concurso público, o Ministério de Estado da Economia autorizar a nomeação de candidatos aprovados e não convocados, que ultrapassem o quantitativo original de vagas previsto neste edital, participará da segunda etapa do concurso público o candidato classificado dentro do número exato de vagas autorizado pelo referido Ministério.

20.5.2.2 Se, durante o período de validade do concurso público, o Ministério de Estado da Economia autorizar a nomeação de candidatos aprovados e não convocados, que ultrapassem o quantitativo original de vagas previsto neste edital, pode(rão) ser realizado(s) outro(s) Curso(s) de Formação profissional, em período a ser divulgado oportunamente, se for o caso.

 

Inscrições abertas

As inscrições do concurso estão (finalmente) abertas e seguem até 9 de janeiro, com taxa de R$ 180 a R$ 250. Haverá isenção total do valor da taxa de inscrição somente para os candidatos amparados pelo Decreto nº 6.593, de 2 de outubro de 2008, e pelo Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007, ou pela Lei nº 13.656, de 30 de abril de 2018.

São 1.500 vagas para escrivão, agente, delegado e papiloscopista. Vale ressaltar que o concurso reserva 5% das vagas a candidatos com deficiência e 20% a candidatos autodeclarados negros e somente será admitida uma inscrição por cargo.

A primeira etapa do concurso público destina-se à admissão à matrícula no Curso de Formação Profissional e abrangerá as seguintes fases, de responsabilidade do Cebraspe:

a) prova objetiva, para todos os cargos, de caráter eliminatório e classificatório;

b) prova discursiva, para todos os cargos, de caráter eliminatório e classificatório;

c) exame de aptidão física, para todos os cargos, de caráter eliminatório;

d) avaliação médica, para todos os cargos, de caráter eliminatório;

e) prova oral, somente para o cargo de Delegado de Polícia Federal, de caráter eliminatório e classificatório;

f) prova prática de digitação, somente para o cargo de Escrivão de Polícia Federal, de caráter eliminatório;

g) avaliação de títulos, somente para o cargo de Delegado de Polícia Federal, de caráter classificatório; e

h) primeiro momento da avaliação psicológica, para todos os cargos, sem caráter eliminatório.

A segunda etapa do concurso público consistirá de curso de formação profissional, de caráter eliminatório, de responsabilidade da Academia Nacional de Polícia, a ser realizado no Distrito Federal, podendo ser desenvolvidas atividades, a critério da Administração, em qualquer unidade da Federação.

 

Saiba tudo sobre o concurso:

Polícia Federal lança edital de concurso público com 1.500 vagas

Vai fazer o concurso da PF? Especialista explica porque sua resposta deve ser sim

PF ou PRF, qual escolher? Especialistas dão dicas e pontuam diferenças

 

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Solicitação de concurso para área administrativa será renovada, confirma PF

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Governo federal, Polícia Federal, segurança

Karolini Bandeira*- O concurso público da Polícia Federal (PF) com 1.500 já está com inscrições abertas! A área administrativa, contudo, não foi contemplada na seleção, que conta com oportunidade para delegados, agentes, escrivães e papiloscopistas. Mas não desanime! Em resposta ao Papo de Concurseiro, a corporação informou que a solicitação de um novo concurso para a administração da corporação será renovada e encaminhada ao Ministério da Economia.

A PF pretende renovar o pedido este ano e, inclusive, acrescentar os cargos que ficaram vagos devido a aposentadorias e exonerações de lá até aqui. “A PF informa que pretende renovar a solicitação nos próximos meses de 2021, inclusive com o acréscimo de vagas que tenham vindo a surgir para os cargos da área administrativa”, assegurou a instituição.

A solicitação passada havia sido feita em maio de 2020, com 508 vagas para as funções de administrador, economista, arquivista, assistente social, bibliotecário, contador, enfermeiro, engenheiro, estatístico, farmacêutico, médico, nutricionista, odontólogo, psicólogo, técnico em assuntos educacionais, técnico em comunicação social e agente administrativo.

 

Último concurso para a área

O último concurso público para a área administrativa da PF foi realizado em 2013, pelo Cebraspe. O edital contou com 566 oportunidades de níveis médio e superior. Do número, 534 vagas foram para a função de agente administrativo. Os candidatos passaram por prova objetiva obrigatória para todos os cargos com 120 questões, sendo 50 acerca de conhecimentos básicos (português, informática, raciocínio lógico, atualidades, direito administrativo e constitucional) e 70 de conhecimentos específicos. O salário de um profissional da área pode ultrapassar R$ 5 mil. Saiba mais sobre a seleção!

 

 

Leia mais: Polícia Federal lança edital de concurso público com 1.500 vagas! 

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco

 

TCE RJ: concurso para analista tem data de provas confirmadas

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Coronavírus, Tribunal de contas

Os candidatos também deverão seguir as medidas de proteção impostas para evitar a transmissão da covid-19

 

Karolini Bandeira*- O concurso público do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, suspenso em 2020 devido à pandemia de coronavírus, foi retomado! Publicado no site da banca organizadora Cebraspe, nesta terça-feira (19/1), o edital n°8 define o horário e a data da aplicação das provas objetivas e da prova discursiva, que, de acordo com o documento, serão realizadas em fevereiro.

Segundo o edital, as provas objetivas terão a duração de 5 horas e serão aplicadas no dia 6 fevereiro, com início às 13h. Já a prova discursiva terá a duração de 4 horas e será aplicada no dia 7 fevereiro, às 8 h. O documento também informa que o candidato deverá acessar a página de acompanhamento no site da banca a partir de 25 de janeiro, para verificar o local de realização das provas designado.

Os candidatos também deverão seguir as medidas de proteção impostas para evitar a transmissão da covid-19. São elas:

a) comparecer ao local de aplicação usando máscara e portando máscaras reservas, se necessário, de modo a possibilitar a troca de sua máscara a cada duas horas;

b) armazenar as máscaras usadas em saco plástico transparente, que deverá ser trazido pelo candidato;

c) permanecer de máscara durante todo o tempo em que estiver nas dependências dos locais de aplicação de provas;

d) submeter-se à verificação da temperatura corporal para acesso ao local de aplicação;

e) observar o distanciamento adequado, conforme demarcação do piso com fita adesiva em frente ao portão de acesso ao local de aplicação, na entrada das salas de provas e dos banheiros;

f) observar o distanciamento mínimo exigido na legislação aplicável entre os candidatos e entre membros da equipe de aplicação nas salas de aplicação das provas;

g) verificar o seu horário de acesso ao local de provas, conforme informado na consulta individual, em link específico, em que serão disponibilizadas as informações relativas a seu grupo e a seu horário de entrada;

h) submeter-se a pré-identificação realizada pela equipe de campo na chegada dos candidatos ao local de aplicação, sem contato físico e sem o manuseio de documentos ou de qualquer outro objeto dos candidatos, podendo ser solicitado, que o candidato abaixe a sua máscara, de modo a permitir a visualização do seu rosto — concedendo-se somente ao candidato a manipulação de sua máscara —, mantendo-se o distanciamento mínimo exigido na legislação aplicável de qualquer outro candidato ou membro da equipe de aplicação;

i) permanecer de máscara ao se retirar de sala para uso dos banheiros e observar os procedimentos de higienização das mãos nesses ambientes;

j) manter os cabelos arrumados de forma que não caiam sobre sua face enquanto estiver dentro dos locais de aplicação; e

k) submeter-se ao controle de saída dos candidatos ao término das provas para evitar aglomeração.

 

Vale ressaltar que o  candidato só poderá fazer as provas se estiver usando máscara. As máscaras poderão ser descartáveis, de tecido ou de qualquer outro material, desde que não contenham partes de metal. Os participantes que não seguirem as normas de biossegurança poderão ser desclassificados.

 

São 40 vagas para analistas

O concurso, suspenso por tempo indeterminado em março de 2020, oferta 40 vagas para analistas e remuneração de R$ 13.708,81. As chances são para as áreas de controle externo, ciências contábeis, direito e tecnologia da informação. As inscrições já se encerraram.

Os candidatos serão avaliados por provas objetivas, prova discursiva e avaliação de títulos. A primeira prova objetiva contará com disciplinas de conhecimentos básicos (língua portuguesa, administração pública, análise de dados e informações, auditoria governamental, controle externo, direito administrativo e direito constitucional). A segunda prova contará com disciplinas de conhecimentos específicos de cada especialidade.

Após aprovados, os candidatos exercerão jornadas de trabalho de 40 horas semanais. Todas as fases serão realizadas no Rio de Janeiro/RJ.

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco

Vai fazer o concurso da PF? Especialista explica porque sua resposta deve ser sim

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Segundo ele, muitos concorrentes serão inscritos para a PCDF e também de olho na PRF. Abaixo uma luz para escolhas inteligentes:

 

O edital de abertura do novo concurso público da Polícia Federal está aí. Atraente, cheio de vaga, com salários altos e conteúdo extenso. Difícil, mas não impossível! Para compartilhar sua primeira impressão do certame e esclarecer pontos principais, conversamos com o professor de direito processual penal do IMP Concursos, Thiago Medeiros. Segundo o especialista, o conteúdo programático já era esperado, mas duas disciplinas poderão tirar o sono dos candidatos: estatística e contabilidade. Elas foram incluídas no regulamento publicado nesta sexta-feira (15/1) e vão exigir um esforço a mais para conquistar uma das 1.500 oportunidades abertas distribuídas para os cargos de agente, escrivão, papiloscopista e delegado.

Para Medeiros, nos últimos dois anos, em concursos da área policial principalmente, o governo federal tem buscado um perfil de candidato um pouco diferente, e vemos isso nos editais, como, por exemplo, a não priorização de conteúdo jurídico e de direito (exceto para delegados) e a maior valorização do TAF, psicotécnico, conteúdos de informática, raciocínio lógico, entre outros mais práticos.

Ele também pontua que grande parte da concorrência da PF será formada de candidatos que já estão concorrendo aos postos de agente e escrivão da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), cujos concursos estão suspensos, mas muitos ainda estão na dúvida se fazem a prova da PF ou não. “Nas minhas aulas costumo usar a expressão ‘quem atira para todo lado acaba atirando no próprio pé’, porém, nesse caso, em que o tempo para a prova da PF está mais curto (67 dias) e as disciplinas são semelhantes, quem já vem estudando para a PCDF vai levar uma vantagem na PF. O medo é de perder o foco da PCDF, mas acho que isso não vai acontecer, dificilmente vamos encontrar alguém que estava estudando só pra PF, é muito raro, como o prazo para o exame é muito pequeno o candidato PCDF vai levar essa vantagem, minha indicação é de que é possível conciliar”.

Pessoalmente, o especialista ainda firma: “Se fosse eu, não perderia essa oportunidade, eu continuaria estudando somente para a PCDF e fazia minha inscrição na PF, sem a pressão de finalizar o conteúdo programático. É muita vaga, arriscaria com o meu conhecimento que já concluí da PCDF, só aí já tenho 80% do edital da PF.”

Sobre a conciliação também dos estudos com a prova iminente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), já que são da mesma carreira policial e com a mesma banca, o professor diz que, se o aluno tiver uma boa estratégia, é possível sim, mas cada caso é um caso. “Se o concurseiro conseguiu concluir os estudos de estatística e contabilidade, deve fazer a PF; se ele não conseguiu isso, tem dificuldade com conteúdo, aí o caminho é a PRF, o que vai ter de novo é legislação de trânsito, que, apesar de extensa, é muito fácil de estudar.”

Com relação a sua especialidade, Medeiros diz que o conteúdo de processual penal veio muito enxuto e, inclusive, junto com a matéria de direito penal. “Isso nos mostra que, provavelmente, além do conteúdo vir reduzido, a banca vai dividir questões entre as duas disciplinas, que se baseiam em inquérito, prisões e provas.”

O professor aconselha ainda que os estudos a partir de agora devam ser baseados na resolução de exercícios, pois não há tempo para aprender teoria – a menos que haja dificuldade de aprendizado em algum tema.

 

Direitos humanos e prova discursiva

Também professor da disciplina de direitos humanos, Medeiros lamentou que a Polícia Federal não tem cobrado esse conteúdo. “Infelizmente a PF não tem cobrado esse conteúdo, não tem sido hábito das bancas nas matérias especiais, toda prova de militar e civil trazem direitos humanos, a única que não tem é a PF, é uma pena, pensando no profissional no atendimento ao público. Vejo com pesar, apesar que com certeza dentro do curso de formação será uma das disciplinas principais.

Medeiros ainda aposta que o tema da prova discursiva deverá ser relacionado a direitos humanos.  “Alguns temas são sempre bons que o aluno fique acompanhando, como violência doméstica contra mulher, racismo, violência policial (tem vários relatórios internacionais criticando o Brasil nos últimos anos sobre isso) e a questão ambiental que também é humanitária. Além disso, o tema crimes virtuais é uma aposta forte, já que com a pandemia aumentaram bastante”.

 

Quer saber o que vai cair na prova do concurso da Polícia Federal 2021? Clique aqui e fique por dentro do mais importante do edital! 

Diretor-executivo da PRF tira dúvidas sobre próximo concurso público

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Governo federal, PRF, segurança

“Para ser vitorioso no concurso só tem um jeito: muita ralação. É tempo de estudo e preparação”, enfatiza José Hott

Karolini Bandeira*- Durante ‘papo com café’ feito em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta segunda-feira (4/01), o diretor-executivo da Polícia Rodoviária Federal (PRF), José Hott, tirou algumas dúvidas de internautas sobre o próximo concurso do órgão, com 1.500 vagas imediatas para policiais em 2021. Na live, Hott esclareceu questões sobre cronograma e etapas do certame.

Edital na segunda quinzena de janeiro

Ao ser perguntado sobre a conclusão do edital, o diretor informou que o documento já está em fases finais. “Edital bastante avançado, estamos trabalhando nele. O edital será publicado na segunda quinzena de janeiro”, disse. E completou: “Até lá estamos revisando, olhando detalhes, fazendo ajustes e tratando com a organizadora. Hoje a gente já segue com uma reunião com a organizadora para tratar de todos esses detalhes.”

Etapas

José Hott enfatizou que, assim como no último certame, a fase de Teste de Aptidão Física (TAF), antes do Curso de Formação Profissional (CFP), terá caráter apenas eliminatório. Os TAFs realizados durante o curso também contarão para a classificação do candidato: “O TAF na primeira etapa do concurso, logo após a prova objetiva e discursiva, é eliminatório. Após o CFP, terão dois TAFs, um no início e um no final do curso. Esses TAFs do CFP são eliminatórios e classificatórios.”

CFP

Durante a transmissão, foi relembrado que o CFP será iniciado no segundo semestre de 2021, com 1.500 participantes. Ainda segundo o diretor, as chances de não haver turma excedente em 2022 é baixa. “O presidente já anunciou a turma de excedentes para 2022, então nós contamos como certa. Inclusive, já trabalhamos com o cronograma do CFP de 2022 no primeiro semestre”, assegurou José Hott. Sobre a posse dos excedentes, o diretor informou que “a nomeação será em junho de 2022”.

Sem previsões de seleção para agentes administrativos

Apesar de especulações, a PRF não tem previsão sobre um próximo concurso para a carreira de agente administrativo. De acordo com o diretor-executivo, a solicitação de seleção para o cargo foi barrado pelo Ministério da Economia: “Não tem previsão. A PRF pediu esse concurso e a posição do Ministério da Economia é de que neste momento não é possível. Na área administrativa, o que nós estamos fazendo é uma grande redistribuição de servidores”. Hott acentuou aos concurseiros que “não tem previsão para concurso de carreira administrativa da PRF nem para 2021, nem para 2022”.

“É tempo de estudo e preparação”, diz o diretor

A transmissão não foi apenas para tirar dúvidas dos interessados. José Hott aproveitou para relembrar aos concurseiros que não há segredo e nem fórmula mágica para obter sucesso no concurso. “Para ser vitorioso no concurso só tem um jeito: muita ralação. É tempo de estudo e preparação”, enfatizou. O diretor-executivo aconselhou os estudiosos a ler os editais anteriores e se prepararem em cima dos antigos concursos: “O primeiro passo para participar de um concurso é ler o edital e montar a sua estratégia.”

Cronograma oficial e detalhes serão divulgados em evento ao vivo

José Hott tornou a falar sobre coletiva de imprensa que acontecerá na próxima quarta-feira (6/01). O evento, que terá a divulgação do cronograma detalhado e informações sobre o concurso começará às 10h e será transmitido em todas as redes sociais oficiais da PRF. “Depois de amanhã vamos expor o cronograma, que terá, inclusive, a data de convocação do CPF 2021”, relembrou.

A coletiva terá a presença do diretor-geral, Eduardo Aggio; do diretor-executivo, José Lopes Hott; e da diretora de Gestão de Pessoas, Silvia Regina Borges. Além de divulgarem o cronograma do concurso, os representantes vão atender veículos especializados na área e cursos preparatórios.

Concurso será organizado pelo Cebraspe

Como esperado, o Cebraspe foi escolhido e contratado oficialmente como a banca organizadora do concurso público da PRF dia 31 de dezembro de 2020. O contrato foi publicado no último Diário Oficial da União do ano, na página 141. O anúncio também foi divulgado nas redes sociais da PRF e de seus diretores.

 

*Estagiária sob a supervisão de Humberto Rezende

 

Polícia Federal prevê aplicação de provas do concurso em março

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Carreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Governo federal, Ministério da Economia, Polícia Federal, segurança

Karolini Bandeira*- A Polícia Federal (PF) divulgou mais uma novidade sobre o concurso público que será aberto em 2021. Segundo publicação no Twitter oficial da instituição, as provas podem ocorrer em março! A solicitação para redução do prazo para aplicação das etapas foi enviada ao Ministério da Economia e agora depende de aprovação.

 

Veja a publicação:

 

Cebraspe é a banca

O Cebraspe foi definido como banca organizadora do concurso público da PF em um extrato da dispensa de licitação publicado no Diário Oficial da União da última terça-feira (29/12). Com banca definida, a PF segue para divulgar o edital do certame, que teve a autorização confirmada no início desse mês. São 1.500 vagas confirmadas para quatro cargos: delegado (123), escrivão (400), papiloscopista (84) e agente (893).

O cargo de delegado exige ensino superior completo em Direito, enquanto as outras profissões têm como pré-requisito ensino superior completo em qualquer área. De acordo com o Portal da Transparência, as remunerações iniciais variam entre R$ 12.522,50 e R$ 23.692,74, podendo chegar a até R$ 30.936,91 com o passar do tempo.

O último concurso público da PF, em 2018, também foi organizado pelo Cebraspe e ofertou 500 vagas. Na ocasião, os candidatos tiveram que passar por prova objetiva, prova discursiva, exame de aptidão física, prova oral, avaliação médica, avaliação psicológica e, por fim, o curso de formação profissional. Alguns cargos também contavam com as etapas de avaliação de títulos e prova prática de digitação.

*Estagiária sob a supervisão de Victória Olimpo

Agência Nacional de Mineração define banca organizadora do próximo concurso

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Governo federal

Karolini Bandeira*– Previsto para o início de 2021, o próximo concurso público da Agência Nacional de Mineração (ANM), terá o Cebraspe como banca organizadora. O contrato foi assinado e publicado em uma dispensa de publicação nesta quarta-feira (23/12). De acordo com a autorização, divulgada em novembro, a banca tem até seis meses para publicar o edital de abertura — ou seja, até maio de 2021.

 

O concurso ofertará 40 vagas temporárias para o cargo de técnico em segurança de barragens de mineração. A função exige ensino superior em uma das seguintes áreas: geologia, engenharia geológica, engenharia de minas, engenharia civil, engenharia ambiental e engenharia florestal. Os candidatos passarão por uma prova objetiva e uma prova de títulos.

 

Os profissionais contratados receberão remuneração no valor de R$ 8.300, por um contrato com duração de quatro anos. A contratação poderá ser prorrogada, ainda, por mais um ano. Os contratados serão lotados em Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso, Bahia, Pará e Santa Catarina.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco

Concurso PF: cinco bancas são cotadas; saiba quais estão no páreo

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Governo federal, Polícia Federal, segurança

Vale ressaltar que o último concurso da PF, realizado em 2018, teve o Cebraspe como banca organizadora

 

Karolini Bandeira*- Após a aguardadíssima autorização, o concurso público da Polícia Federal (PF), que oferecerá 1.500 vagas imediatas em 2021 e mais 500 excedentes em 2022, está em fase de definição de banca organizadora. Cinco instituições enviaram proposta e estão na disputa pela contratação!

De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), o Instituto AOCP, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), o Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) são as empresas que enviaram proposta e podem ser escolhidas.

Vale ressaltar que o último concurso da PF, realizado em 2018, teve o Cebraspe como banca organizadora, o que aumenta as chances da empresa ser escolhida novamente.

 

A publicação do edital de abertura foi confirmada pela corporação para janeiro de 2021. As 1.500 vagas imediatas serão distribuídas entre a seguinte divisão:

  • 123 – Delegado de Polícia Federal
  • 400 – Escrivão de Polícia Federal
  • 84 – Papiloscopista de Polícia Federal
  • 893 – Agente de Polícia Federal

 

Saiba mais sobre o concurso da PF, cargos e salários aqui! 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco