Presidente do Tribunal de Contas do Amazonas fala sobre abertura de novos concursos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de contas

Karolini Bandeira*- O novo presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Conselheiro Érico Desterro, falou, em entrevista a um jornal local, sobre a abertura de novos concursos do órgão e o chamamento de excedentes do último concurso para auditores.

“Se for possível, farei. Porque o concurso público é a porta de entrada constitucionalmente para o serviço público. Se houver necessidade e possibilidade orçamentária-financeira, o Tribunal fará”, enfatizou Desterro.

Segundo o representante, os profissionais aprovados no certame de 2021 serão chamados conforme a necessidade do Tribunal.

“Meu compromisso é dar posse na medida que for surgindo vagas aos aprovados do concurso público feito pelo conselheiro Mário de Mello. Isso pode ficar absolutamente certo de que havendo vagas durante o prazo de validade do concurso e sendo necessário o Tribunal convocará os aprovados.”

Concurso para auditores

O certame, realizado em 2021, foi para 40 vagas no cargo de auditor técnico de controle externo, nas especialidades de auditoria governamental, auditoria de obras públicas, auditoria de tecnologia da informação e no Ministério Público de Contas. A taxa de participação foi de R$ 185 para todas as funções.

Os salários são de R$ 8.328,77, para 30 horas de trabalho semanal. Com o adicional de qualificação, a remuneração é elevada para R$9.994,52.

Os candidatos foram avaliados por meio de prova escrita objetiva, de caráter eliminatório e classificatório. A avaliação foi composta por 80 questões, sendo 50 de conhecimentos específicos e 30 de conhecimentos básicos.

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

TCE-RJ oficializa banca de concurso público para efetivos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de contas

Karolini Bandeira*- O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) oficializou o Cebraspe como banca organizadora do próximo concurso para servidores efetivos. A contratação havia sido aprovada durante sessão do Conselho do órgão no último dia 8 e a contratação foi assinada e publicada no Diário Oficial do Estado na sexta-feira (17/12).

A expectativa é de que o concurso seja publicado ainda em 2021. Serão abertas 20 vagas imediatas, sendo dez para analista de Tecnologia de Informação (TI) e dez para técnico de controle externo. Os candidatos passarão por provas objetivas e provas discursivas.

O concurso foi autorizado pelo presidente do TCE-RJ, Rodrigo Nascimento, em junho. O cargo de técnico exige ensino médio completo, enquanto a função de analista de TI exige nível superior na área. De acordo com o Portal da Transparência do Tribunal, as remunerações iniciais dos servidores efetivos variam de R$ 4.400 e R$ 10.300.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

TCE-RJ vai abrir novo concurso para efetivos e banca é escolhida

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de contas

Karolini Bandeira*- E vem novo edital  por aí! O Cebraspe foi escolhido como banca organizadora do concurso público previsto para servidores efetivos do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE RJ). A contratação foi aprovada durante sessão do Conselho do órgão nesta quarta-feira (8/12).

Agora, a contratação seguirá para análise da Secretaria Geral de Administração do Tribunal e, após o processo, as assinaturas poderão ser oficializadas.

A expectativa é de que o concurso seja publicado ainda em 2021. Serão abertas 20 vagas imediatas, sendo dez para analista de Tecnologia de Informação (TI) e dez para técnico de controle externo. Em regulamento publicado no Diário Oficial do Estado em novembro, foram confirmadas as etapas de provas objetivas e provas discursivas.

O concurso foi autorizado pelo presidente do TCE-RJ, Rodrigo Nascimento, em junho. Durante a sessão na quarta, Nascimento reafirmou a importância de se ter constância na realização de concursos. “Ressalto a importância para que sejam realizados concursos regulares no âmbito deste tribunal. É importante essa oxigenação. Esses concursos públicos devem ser realizados periodicamente para reposição de cargos vagos.”

O cargo de técnico exige ensino médio completo, enquanto a função de analista de TI exige nível superior na área. De acordo com o Portal da Transparência do Tribunal, as remunerações iniciais dos servidores efetivos variam de R$ 4.400 e R$ 10.300.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

TCU oficializa banca organizadora para concurso de vagas efetivas e de reserva

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Governo federal, Tribunal de contas

Edital irá abrir 20 vagas e está mais próximo do que nunca

Karolini Baneira*- A última etapa precedente à abertura do próximo concurso do Tribunal de Contas da União (TCU) foi finalizada! O órgão oficializou o contrato com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (27/10) e a empresa deve publicar o edital em breve. A contratação da banca foi divulgada no Diário Oficial da União por meio de extrato de dispensa de licitação. Serão 20 vagas para provimento imediato e formação de cadastro reserva para a carreira de auditor fiscal de controle externo.

Vagas para auditores

O concurso foi autorizado em maio. Segundo o aval, o certame irá ofertar oportunidades para o cargo de auditor, que exige ensino superior completo.

As áreas de formação contempladas no concurso ainda não foram confirmadas. Os profissionais serão lotados em Brasília, com ganhos mensais de R$ 17.371,38. Além da remuneração base, os servidores têm direito a auxílio pré-escolar, assistência médica e exames médicos.

De acordo com o Portal de Transparência do órgão, atualmente o cargo de auditor sofre com déficit de 193 servidores. Também há vacância nas áreas de enfermagem, medicina e tecnologia da informação. O então presidente do TCU, ministro José Mucio Monteiro, havia anunciado a realização de um concurso com 30 vagas para auditores em 2020 — o certame, entretanto, não foi aberto.

Mais de cinco anos sem certame

O último concurso para o cargo foi lançado em 2015, com 66 vagas. Para concorrer foi exigido nível superior em qualquer área de formação. O posto foi dividido entre as especialidades de auditoria governamental (36 vagas, sendo 29 para Brasília) e auditoria de tecnologia da informação (30 vagas, todas com lotação em Brasília). A remuneração inicial era de R$ 14.078,66, para 40 horas de trabalho.

O Cebraspe foi a banca contratada para organizar a seleção, que contabilizou 9.417 inscritos (concorrência medis de cerca de 142 candidatos por chance). Eles foram submetidos a 200 questões objetivas, além de três questões discursivas e uma peça de natureza técnica. Além de Brasília, os exames foram aplicados em Rio Branco/AC, Macapá/AP, Manaus/AM, Cuiabá/MT, Belém/PA e Boa Vista/RR. 5% das chances foram para pessoas com deficiência.

TCU investiga vazamento de informações sobre concurso

Na primeira quinzena de outubro, o TCU acionou a Polícia Federal (PF) para investigação de vazamento de informações internas do concurso para auditores. O projeto básico, documento que dá detalhes sobre a seleção antes da publicação do edital, foi publicado em diversos portais e redes. O TCU encontrou “fortes indicações” de que se tratava de documento oficial declarado sigiloso em setembro.

No último dia 15, o Tribunal publicou ata de sessão que, entre os assuntos, debatia sobre abertura de sindicância para verificar em que momento ocorreu o vazamento da minuta do documento. Foi solicitada a instauração de inquérito pela Polícia Federal, uma vez que o referido vazamento pode ter ocorrido de fonte externa ao tribunal.

*Estagiária sob supervisão de Vinicius Nader

TCU oficializa investigação sobre vazamento de informações do próximo concurso

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, DOU, Tribunal de contas

Informações sobre o projeto básico do concurso circulam nas redes sociais desde o início de setembro. 

O Tribunal de Contas da União (TCU) publicou nesta sexta-feira (15/10), por meio do Diário Oficial da União, a ata da sessão telepresencial do plenário realizada em 6 de outubro. Na ocasião, um dos assuntos abordados pelos ministros foi a abertura de sindicância para verificar em que momento ocorreu o vazamento da minuta do projeto básico para contratação da instituição que realizará o próximo concurso do órgão.

De acordo com os registros na ata, foi solicitada a instauração de inquérito pela Polícia Federal, uma vez que o referido vazamento pode ter ocorrido de fonte externa ao tribunal. 

Relembre o caso

O Tribunal  investiga o vazamento de informações sobre o próximo concurso do órgão para auditor. Em 10 de setembro, o Direção Concursos, que oferece cursinhos preparatórios, publicou uma notícia e promoveu uma live nas redes sociais em que falava sobre o projeto básico do certame, com informações, segundo a empresa, obtidas “com exclusividade”.

Após a análise dos prints inseridos na notícia e na cópia de um documento exibido na programação ao vivo, o TCU encontrou “fortes indicações” de que se tratava de documento oficial declarado sigiloso em setembro. Foram identificados o timbre com o símbolo do Tribunal e os nomes de núcleos do órgão que foram responsáveis pela elaboração do documento. Na preparação de um concurso público, o projeto básico é uma etapa anterior à confecção do edital.

O tribunal já tomou providências a respeito do vazamento, considerado grave para a lisura do processo seletivo. Em despacho, a instituição determinou a abertura de uma sindicância para verificar em que momento poderia ter ocorrido, no âmbito do TCU, a divulgação indevida de informações concernentes ao concurso. O TCU também acionou a Polícia Federal para abertura de inquérito, pois há a possibilidade de o vazamento ter ocorrido de fonte externa ao tribunal.

“A Polícia Federal provavelmente ouvirá as quatro empresas que receberam o projeto e, como alguns professores falaram em lives que tiveram acesso ao documento, é provável que a PF os escute também”, afirma o ministro corregedor Bruno Dantas. O corregedor acrescenta que, como se trata do projeto básico, as informações divulgadas são de caráter genérico, e não constituem vantagem a qualquer interessado em participar do certame do TCU.

Com as medidas adotadas, o tribunal pretende reafirmar a seriedade do certame. E que os procedimentos indicam, aos responsáveis, não é possível cometer uma infração desse tipo e não sofrer as consequências.

Informações preliminares

O documento vazado trata-se de uma espécie de briefing, no qual o órgão disponibiliza as informações para o evento que quer realizar — neste caso, o certame — para que as empresas que participem da licitação estejam cientes e avaliem se podem realizar um evento desse porte. Constam no projeto básico informações como prováveis data de realização, número de vagas, cidades das provas e etapas do certame. Não há, entretanto, informações como o perfil do candidato a ser selecionado, por exemplo.

Banca contratada

O Tribunal de Contas da União (TCU) publicou nesta sexta-feira (15/10) o extrato de contrato com a banca Fundação Getúlio Vargas (FGV). A FGV será responsável por organizar o próximo concurso para Auditor Fiscal de Controle Externo (AUFC). O contrato tem validade de 60 meses. Com essa publicação no Diário Oficial da União (DOU), o edital fica cada vez mais próximo.

Leia mais:

TCU aciona PF para investigar vazamento de informações de concurso do órgão

TCU define banca organizadora para próximo concurso público

TCU define banca organizadora para próximo concurso público

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de contas

Com banca definida, edital fica cada vez mais perto

O Tribunal de Contas da União (TCU)publicou nesta sexta-feira (15/10) o extrato de contrato com a banca Fundação Getúlio Vargas (FGV). A FGV será responsável por organizar o próximo concurso para Auditor Fiscal de Controle Externo (AUFC). O contrato tem validade de 60 meses. Com essa publicação no Diário Oficial da União (DOU), o edital fica cada vez mais próximo.

Em setembro, circulou nas redes e sites especializados de concurso um suposto projeto básico detalhando as etapas e outros pontos do certame com 20 vagas imediatas e formação de cadastro de reserva para o cargo de auditor federal de controle externo. O Tribunal de Contas da União (TCU) investiga o vazamento de informações.

Cinco anos sem concurso

O último concurso para o cargo aconteceu em 2015 e ofertou 66 vagas. Para concorrer, foi exigido nível superior em qualquer área de formação. O posto foi dividido entre as especialidades de auditoria governamental (36 vagas, sendo 29 para Brasília) e auditoria de tecnologia da informação (30 vagas, todas com lotação em Brasília). A remuneração inicial era de R$ 14.078,66, para 40 horas de trabalho.

O Cebraspe foi a banca contratada para organizar a seleção, que contabilizou 9.417 inscritos. Eles foram submetidos a 200 questões objetivas, além de três questões discursivas e uma peça de natureza técnica. Além de Brasília, os exames foram aplicados em Rio Branco/AC, Macapá/AP, Manaus/AM, Cuiabá/MT, Belém/PA e Boa Vista/RR. 5% das chances foram para pessoas com deficiência.

 

Cebraspe e Neoenergia confirmam falta de energia elétrica durante prova do TCDF

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, Tribunal de contas

A prova foi realizada no domingo para cargo com remuneração de R$ 33.689,10

Candidatos ao cargo de Auditor Conselheiro-Substituto do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) ficaram, aproximadamente, duas horas sem energia elétrica durante a realização da prova objetiva no último domingo (10/10). A queda de energia aconteceu no Centro de Ensino Médio Paulo Freire no período vespertino.

O servidor público Gregson Chervenski fez a prova no local e alega que foi prejudicado. De acordo com o candidato, durante o tempo de interrupção do fornecimento de energia, os candidatos foram orientados pelos fiscais a fechar as provas e esperar o retorno da energia, sem comunicação entre os candidatos. “Após perceber que não havia previsão alguma do horário de retorno (já estando a mais de uma hora e meia parados), a tensão foi aumentando e alguns candidatos passaram a questionar o procedimento adotado”, conta Gregson. Para ele, faltou planejamento ao contratar uma escola sem gerador e isso causou uma quebra de isonomia entre os candidatos, pois havia outro local de prova.  Além disso, o candidato acredita que houve desconsideração ao princípio da razoabilidade, ao obrigar alunos a esperarem por mais de duas horas sem a menor noção do tempo que ainda seria necessário para o retorno da energia.

Em resposta ao Papo de concurseiro, a Neoenergia Brasília informou que, em função das chuvas de maior intensidade, associadas a rajadas de ventos e descargas atmosféricas, que caíram no Plano Piloto na tarde deste domingo (10), a Central de Operações Integradas identificou, às 14h29, a falta de energia em localidades na Asa Norte. A empresa informou que, às 16h57, as equipes identificaram o trecho afetado por descarga atmosférica e restabeleceram a energia.

Após o retorno da energia, o tempo perdido durante a queda foi compensado para a realização da prova.  No final da tarde, o Cebraspe enviou lanches para os candidatos e a equipe de aplicação.

 

Cebraspe

Em nota enviada ao Papo de Concurseiro, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) confirmou que o Colégio Paulo Freire foi um dos espaços que ficou sem energia elétrica na cidade. De acordo com a banca organizadora, foram tomadas providências necessárias para garantir a isonomia do certame.

Confira a nota completa:

 

Na data de ontem (10/10/2021), houve um temporal em Brasília e diversas regiões da cidade ficaram alagadas e sem energia elétrica, como pode ser comprovado por registros da própria imprensa. O Colégio Paulo Freire, localizado na Asa Norte e um dos locais de prova do certame para Auditor Conselheiro-Substituto do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), foi um dos espaços que ficou sem energia elétrica na cidade.

Ao tomar conhecimento do fato, o Cebraspe, de imediato:

-Enviou coordenadores do Centro para o local, a fim de preservar a segurança e a ordem.

-Abriu chamados para o restabelecimento da energia junto à Neoenergia Distribuição Brasília.

-Realizou contato direto com a Direção da Neoenergia para garantir o restabelecimento da energia em tempo viável, a fim de assegurar a regular aplicação do certame.

-Reportou prontamente aos candidatos as previsões de restabelecimento da energia fornecidas pela Neoenergia.

-Enviou lâmpadas de emergência para o local.

-Enviou lanches para candidatos e equipes de aplicação.

-Compensou o tempo de interrupção de energia no final da prova.

Todas as ações realizadas pelo Centro visaram preservar os candidatos, os colaboradores a segurança e a isonomia do certame. A conclusão da aplicação do concurso público foi realizada com sucesso e garantido o direito coletivo de todos os candidatos que optaram por realizar as provas.

 

O concurso

Com remuneração de R$ 33.689,10, o certame registrou 628 inscritos concorrendo por uma vaga.  O gabarito preliminar foi publicado na noite desta segunda-feira (11/10).

 

Saiba mais: TCDF retoma concurso para auditor e divulga novo cronograma

Despesas com concursos devem obedecer ao teto de gastos públicos, enfatiza TCU

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Governo federal, Tribunal de contas

O Tribunal de Contas da União (TCU) enfatizou, em resposta a uma consulta, que todas as despesas com a realização de concursos devem ser consideradas e computadas na base de cálculo do teto de gastos públicos. A consulta, encaminhada em 2018 pelo então ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, questionava a possibilidade de todos os gastos dos certames serem custeados pelas taxas de inscrições pagas pelos candidatos.

Para o TCU, as metas fiscais previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as definidas anualmente nas Leis de Diretrizes Orçamentárias se dirigem aos resultados e alcançam as despesas. O TCU também ressalta o cumprimento da Emenda Constitucional 95/2016, que institui o teto de gastos. Segundo o TCU, o teto de gastos “positivou uma regra que focaliza estritamente a despesa pública como agregado orçamentário a controlar”.

De acordo com a Constituição Federal, as despesas devem ser excetuadas do controle do teto de gastos “em função da sua natureza e propósito”, mas não devido à fonte de financiamento. Essa medida impõe, aos órgãos públicos, a tarefa de decidir para qual atividade o orçamento será encaminhado.

Por fim, o TCU ressaltou que “todas as despesas com a realização de concursos públicos devem ser consideradas integralmente na base de cálculo do teto de gastos e computadas para a aferição do seu cumprimento. Isso porque elas são despesas primárias e não estão excepcionadas pelo exaustivo rol de exclusões estabelecido no § 6º do art. 107 da Constituição Federal (ADCT)”.

 

 

 

 

TCE/SC retoma tratativas com banca para publicação de concurso

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, suspensão, Tribunal de contas

Karolini Bandeira*- O concurso público para auditores do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE/SC), que teve preparativos interrompidos em 2020 devido ao aumento de casos de covid-19, pode ser retomado em breve! Ao Papo de Concurseiro, a instituição informou que recomeçou as tratativas com a banca organizadora Cebraspe para dar continuidade ao planejamento e publicar o edital de abertura.

“Retomamos as tratativas com o Cebraspe para as providências necessárias à realização do concurso. Estamos emprenhados na organização do mesmo, visando com que ele se realize de forma segura para todos os candidatos”, informou o TCE/SC.

Em dezembro de 2019, o presidente do TCE SC, conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, divulgou que serão 40 vagas imediatas para o cargo de auditor fiscal de controle externo, além de 120 vagas por formação de cadastro reserva. A comissão organizadora, definida também em 2019, apontou a necessidade do preenchimento de vagas no cargo de auditor fiscal de controle externo para as habilitações em administração, ciências da computação, ciências contábeis, ciências econômicas, direito e engenharia.

A carreira de auditor fiscal tem como pré-requisito nível superior em áreas designadas. A remuneração inicial é de R$ 14.502,56. Saiba mais!

 

Último concurso foi há seis anos

Realizado em 2015, o último concurso ofertou 50 vagas para o cargo de auditor fiscal de controle externo. Os candidatos puderam optar entre as áreas de administração, contabilidade, direito, economia, engenharia civil e informática. O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) foi a banca organizadora. A seleção foi realizada por provas objetivas e avaliação de títulos, tendo sido realizadas em Florianópolis/SC.

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Mariana Fernandes

TCE de Roraima pretende abrir concurso público até o final de 2022

Publicado em Deixe um comentárioCarreira fiscal, Concursos, Concursos Públicos, Tribunal de contas

Karolini Bandeira*- O Tribunal de Contas do Estado de Roraima (TCERR) pretende abrir um novo concurso público com ao menos 18 vagas para provimento imediato até o final da atual gestão — ou seja, até o final de 2022. Em resposta ao Papo de Concurseiro, o órgão informou que o cargo de auditor é o mais demandando, “no entanto, outras carreiras da área de apoio, como técnicos e analistas administrativos, poderão ser incluídas no edital”.

Ainda segundo o Tribunal, está previsto e aprovado pela Assembleia Legislativa, para o próximo ano, o Programa de Incentivo à Aposentadoria (PIA) dos servidores do órgão, que visa estimular a aposentadoria imediata de servidores efetivos que cumprem os pré-requisitos.

“A intenção é antecipar a renovação do quadro de pessoal e otimizar os serviços prestados pelo TCERR. A adesão ao PIA proporcionará ao tribunal uma redução visível com gastos de pessoal logo nos primeiros meses do próximo exercício, com repercussão visível ao longo de 2022, possibilitando ao TCERR obter amparo na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para a realização de concurso público”, explicou o TCE.

15 anos sem concurso

O último certame para efetivos da TCERR foi realizado em 2006. Foram preenchidas 65 vagas distribuídas entre as funções de auditor fiscal, analista administrativo, técnicos e oficiais de mandado. Os profissionais passaram por prova objetiva. De acordo com o Portal de Transparência, atualmente, os servidores do órgão têm ganhos iniciais de R$ 3.122,88 a R$ 8.383.

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes