Concurso Polícia Penal: especialista dá dicas para reta final de estudos e analisa o edital

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, Sem categoria

“A última prova da Polícia penal DF cobrou um nível de dificuldade até surpreendente dos candidatos e a prova deste ano, certamente, também será difícil”, analisa Rafael Vale

As provas objetivas da seleção do concurso da Polícia Penal do Distrito Federal serão aplicadas no próximo mês, mais especificamente em 3 de julho, em Brasília e em outras Regiões Administrativas do Distrito Federal. O edital deste concurso público foi publicado em março deste ano com a oferta de 1779 vagas.

Para ajudar os estudantes durante a preparação para esta reta final, o Papo de Concurseiro conversou com o coordenador da área policial do Direção Concursos, Rafael Vale. Ele orienta a focar os estudos naquilo que está errando e não acha viável nesta reta final a produção de resumos. “Principalmente um mês antes da prova. É melhor você utilizar outras técnicas como por exemplo a produção de um caderno de erros onde você coloque toda questão que você pode errar, por exemplo, em um simulado. Assim você verifica de fato o motivo do seu erro e anota para que você revise dias depois”, aconselha.

Para os últimos dias de preparação, Vale incentiva a participação em aulões de véspera e aconselha poucas horas de estudos nos dias que antecedem a prova. Ele ressalta também que o tempo dedicado deve ser focado na revisão dos conteúdos de forma mais descontraída para que não se eleve muito o nível de ansiedade. ” Se você estudar muito um dia antes da prova, pode ser que você nem consiga ter uma boa noite de sono pelo pelo nível de stress que você pode ficar”.

Leia mais : Concurso PPDF: Seape e Sindpol tratam sobre concurso para policiais penais

Concurso Polícia Penal do DF: provas são remarcadas para julho

 Justiça suspende exigência de “exames invasivos” para mulheres em concursos em São Paulo

Defensoria Pública de SP cria cotas para pessoas trans em concursos

INSS deve definir banca organizadora de novo concurso em até 60 dias

Anvisa solicita novo concurso público com mais de 100 vagas de técnicos e analistas

Sobre a prova

As provas objetivas serão no modelo ERRADO ou CERTO, sendo atribuído o valor de 1 (um) ponto para cada marcação em acordo com o gabarito oficial. Rafael destaca as mais recorrentes matérias que envolvam direitos constitucionais: Direito Penal, Direito Administrativo, Direito Processual Penal e Direitos Humanos.

Ele ressalta a priorização das disciplinas Direito Penitenciário, Criminologia e Língua Portuguesa neste exame. “Juntas somam praticamente um pouco menos de 50% da prova. E, dessa maneira, recomenda-se que o candidato foque realmente muito o seu estudo em letra da Lei, principalmente relacionado a matéria de direito penitenciário para que some o maior número de pontos nessa prova”.

Leia mais dicas: Especialistas dão dicas para o concurso público da Polícia Penal do DF

“A respeito de dicas para otimizar o tempo de realização do exame recomenda-se o candidato comece a prova dele pelas matérias que ele tem maior facilidade. Ele não necessariamente precisa seguir a ordem do caderno de perguntas que está sendo disposto para ele, mas sim a ordem daquelas matérias que ele tem a maior probabilidade de acertar. Desta forma ele vai garantir aqueles pontos que vão acabar elevando um número de questões quando ele está com nível de atenção mais alto”, afirma Rafael.

Ele também aconselha não ler o texto completo nas questões de Língua Portuguesa. “Ele pode simplesmente dar uma olhada primeiro nos itens e verificar se necessariamente tem que ler o texto ou se seria somente itens de gramática”.

Vale frisar que esta seleção além da prova objetiva, também é composta pelas seguintes fases:

  • Teste de aptidão física;
  • Prova de aptidão psicológica;
  • Sindicância de vida pregressa;
  • Curso de formação profissional.

Concurso

O edital do concurso público para o provimento de cargos de Policial Penal do DF e formação de cadastro reserva foi publicado em março desse ano, com a oferta de 1779 vagas.

Desse total, 200 vagas para ampla concorrência; 80 vagas para portadores de deficência, 80 vagas para candidatos negros; 40 para hipossuficientes; e 779 para cadastro reserva. Os aprovados e nomeados vão cumprir jornada de trabalho de 40 horas semanais. A remuneração inicial de um Polícial Penal do DF é R$ 5.445,00.

O concurso público destina-se ao provimento de vagas existentes, sob regime estatutário, no quadro de servidores da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária e exige nível superior. Os candidatos aprovados vão ingressar na carreira da Polícia Penal (antigo agente penitenciário). Os nomeados e empossados, durante o estágio probatório, serão lotados nas seguintes unidades prisionais:

I – Centro de Detenção Provisória;

II – Centro de Detenção Provisória II;

III – Penitenciária I do Distrito Federal;

IV – Penitenciária II do Distrito Federal;

V – Centro de Internamento e Reeducação;

VI – Penitenciária Feminina do Distrito Federal (apenas servidores do sexo feminino).

Fases

Os candidatos à carreira de Policial Penal do DF serão avaliados em várias etapas. São elas:

I – Prova objetiva;

II – Teste de aptidão física;

III – Prova de aptidão psicológica;

IV – sindicância de vida pregressa;

V – Curso de formação profissional.

Todas as fases são de caráter classificatório e eliminatório.

As provas objetivas serão no modelo ERRADO ou CERTO, sendo atribuído o valor de 1 (um) ponto para cada marcação em acordo com o gabarito oficial. Os exames serão aplicados na cidade de Brasília ou outras Regiões Administrativas do Distrito Federal e estão marcadas para 3 de julho de 2022. O horário e o local serão confirmados posteriormente.

O edital tem prazo de validade de 2 (dois) anos a contar da data de homologação do certame, podendo ser prorrogado por igual período a critério da Secretaria de Estado de Economia do Distrito Federal.

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes.

Defensoria Pública de SP cria cotas para pessoas trans em concursos

Publicado em Deixe um comentárioautorização, cadastro reserva, comissionado, Concursos, Concursos Públicos, cotas raciais, Dicas de estudo

Além disso, decisão publicada reserva vagas de seleções para mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

A Defensoria Pública do Estado de São Paulo informou, por meio de publicação no Diário Oficial, que vai reservar vagas de concurso público para pessoas transexuais. De acordo com a decisão publicada, haverá reserva de 2% do total de destinada a pessoas transexuais em concursos

O documento informa que prevê reserva de vagas para ações afirmativas nos concursos e seleções públicas promovidos pela Defensoria Pública para ingresso nas carreiras de defensor e servidores da seguinte forma:

  • 30% das vagas para pessoas negras ou indígenas
  • 5% das vagas para pessoas com deficiência
  • 2% das vagas para pessoas trans.

Ainda de acordo com o documento, se na apuração do número de vagas reservadas resultar número decimal igual ou maior que 0,5 será considerado o número inteiro imediatamente superior; se menor do que 0,5 será considerado o número inteiro imediatamente inferior.

Além disso, mesmo que o percentual não atinja o decimal de 0,5, quando o concurso indicar existência de cinco a dez vagas, uma delas deverá ser preenchida obrigatoriamente por pessoa com deficiência.

E, neste caso, quando o concurso indicar a existência de 11 a 24 vagas, uma delas deverá ser preenchida obrigatoriamente por pessoa trans.

A deliberação também indica que ficam instituídas as mesmas medidas para processos de seleções públicas de estágio, da seguinte forma:

  • 30% das vagas para pessoas negras ou indígenas
  • 5% das vagas para pessoas com deficiência
  • 2% das vagas para pessoas trans
  • 12,5% para mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

“As reservas de vagas para pessoas negras, indígenas, trans e para mulheres em situação de violência doméstica e familiar valerão pelo período inicial de dez anos, devendo ser renovadas sucessivamente pelo mesmo prazo se constatado objetivamente que as desigualdades que ensejaram sua implementação ainda persistirem”, diz a publicação.

Para participarem de concurso público por meio das cotas, os transexuais, negros e indígenas deverão apresentar autodeclaração e, posteriormente, passarão por avaliação de uma banca examinadora. Já os deficientes, deverão apresentar laudo médico e biopsicosocial.

A norma também prevê que as medidas afirmativas sejam estendidas, “na medida do possível”, a cargos comissionados e a contratos de prestação de serviços.

Leia também: Justiça suspende exigência de “exames invasivos” para mulheres em concursos em São Paulo

 

Especialista dá dicas de como se preparar na reta final para o concurso do TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, Sem categoria

As provas do concurso do TJDF se aproximam, será no próximo dia 29/5. Saiba como se preparar

Os 132.463 inscritos no concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios estão diante a reta final dos estudos, visto que os exames de seleção serão aplicados no dia 29 de maio. Elas serão aplicadas em Goiânia e Valparaíso de Goiás — além do Distrito Federal.

O edital de abertura assegura ao todo 112 vagas para contratação imediata (24 para aos cargos de nível médio e médio/técnico e 88 para nível superior). Em relação ao salários, ele varia entre R$ 7.591,36 de R$ 12.455,30, respectivamente.
Papo de Concurseiro conversou  com o professor de Carreiras Jurídicas do Gran Cursos Online, Anderson Ferreira, no qual deu dicas para se preparar para o certame nesses últimos dias. Segundo ele os estudos devem está direcionado nas matérias que há mais dificuldade, além das que possuem uma quantidade maior de questões. Confira as orientações:
Como não deixar a ansiedade atrapalhar nesta reta final?

É difícil a gente tocar nesse ponto de ansiedade, porque os nos últimos tempos tem sido de muita preocupação, ansiedade com tudo. Cada vez mais você vê a população de uma forma muito ansiosa. Mas sem entrar nesse ponto da mente humana, uma boa dica para evitar a questão da ansiedade, é saber que você chegou até aquele momento, deu o seu máximo e não se preocupar com questão de vagas/concorrência, isso já é um grande passo aí pra você não ficar tão ansioso.

Em relação a intensidade dos estudos, como deve ser?

Hoje em dia acho que é muito mais uma questão de um estudo de qualidade do que uma quantidade de horas estudadas. Mas agora nessa reta final, quem tiver possibilidade/oportunidade de estudar mais, acho que deve aproveitar preenchendo o tempo de estudo com mais revisão daqueles pontos que devem dar uma atenção maior por agora.

O que o candidato pode fazer no dia anterior à prova? E no dia?

No dia anterior é importante fazer uma boa revisão, focando nas dicas dadas pelos professores, para quem fez um curso preparatório, principalmente no que é de uma incidência maior e no tipo de concurso perfil da banca que, no caso, a FGV.

E quais dicas podem ser dadas a fim de facilitar a administração do tempo da prova?

Não acho interessante dicas do tipo,começar com a disciplina que eu mais gosto e deixar a que eu menos gosto pro final, porque fazendo isso você acaba se perdendo, e consequentemente fazendo uma má distribuição do tempo, podendo deixar disciplinas sem conseguir responder. Então, oriento fazer a prova pela ordem em que é apresentada, eu acho que é melhor, pois o tempo é curto e a quantidade de questões é grande.

Outras dicas que foram dadas:

  • Resolver questões dos exames já aplicados;
  • Rever artigos que são mais corriqueiros nas provas;
  • Dar um enfoque maior na lei seca e cobrança de súmulas, visto que é cobrado com recorrência pela FGV.

A prova objetiva será composta por 60 questões de múltipla escolha, no qual irá abranger conteúdos de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos.  Sendo 20 e 60 respectivamente.

As questões de Conhecimentos Gerais terão as seguintes disciplinas: Língua Portuguesa: dez questões; Ética no Serviço Público, Regimento Interno, Lei de Organização Judiciária, Provimento Geral da Corregedoria e Provimento Judicial Aplicado ao Processo Judicial Eletrônico: 10 questões.

Já as de Conhecimentos Específicos abrangem: noções de Administração de Recursos Humanos e Gestão Pública, noções de Direito Administrativo, noções de Direito Constitucional, noções de Direito Penal, noções de Direito Processual Penal, noções de Direito Civil e noções de Direito Processual Civil.

Na prova discursiva, será uma redação dissertativa, cujo tema será conhecido somente no dia do exame. Já as provas para analistas, será composta por duas questões discursivas relacionadas aos Conhecimentos Específicos do respectivo cargo.

Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes.

Concurso INSS: especialista da dicas para se preparar para a prova antes mesmo do edital

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Governo federal, INSS, Sem categoria

Especialista aponta suas expectativas para o possível concurso do INSS. Solicitação do certame foi enviada ao Ministério da Economia.

Por Raphaela Peixoto*-  O professor de direito previdenciário do Gran Cursos Online, Fernando Maciel, afirma que o possível concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)  pode “representar o maior concurso do nosso país” dada “a remuneração bastante expressiva aliado ao quantitativo de vagas que nós temos”, justifica Maciel.

A expectativa do presidente do INSS, José Carlos Oliveira, também é alta. Em que resposta ao requerimento de informação, de autoria da deputada Chris Tonietto (PSL RJ) afirma, “a expectativa é que o desempenho desse ano seja ainda melhor do que o do ano anterior, mesmo sabendo que a força de trabalho disponível diminuirá …”.

Fernando também destacou como novidade, “a cobrança de regime próprio de previdência, ou seja, o regime de previdência dos servidores públicos, pois após a reforma da previdência, cada ente federativo vai ter um único órgão gestor do regime próprio dos servidores. E no âmbito federal o INSS foi designado como sendo esse órgão gestor”.

É válido ressaltar que a solicitação para a realização do certame ainda está aguardando resposta do Ministério da Economia. Foram solicitadas 7.575 vagas, sendo divididas nas seguinte áreas:

Técnico do seguro social – nível médio – R$5.447,78

  • áreas: Análise Reconhecimento de Direito RGPS (2.938 vagas), Combate à Fraude (734), Serviço de Apoio ao Reconhecimento de Direito (216), Serviço de Atendimento de Demandas Judiciais (40), Serviço de Cobrança Administrativa (34), Análise Reconhecimento de Direito RPPS (46) e Recomposição do Quadro de Aposentados até 2023 (1.996).

analista do seguro social – nível superior – R$8.357,07

  • áreas: Serviço Social (463 vagas), Reabilitação Profissional (702) e Recomposição do Quadro de Aposentados até 2023 (406).

Confira algumas dicas

O que é recorrente nos editais para concurso do INSS?

Conhecimentos básicos como por exemplo português, raciocínio lógico e informática. Além de matérias jurídicas como por exemplo, direito constitucional e administrativo; especialmente a parte de legislação previdenciária, no qual é cobrado com maior intensidade e que demanda um estudo mais aprofundado, porque afinal o servidor vai atuar diretamente com a temática da seguridade social tanto de benefícios previdenciários como assistenciais.

Quais são as dicas relevantes a serem dadas para os interessados em concorrer nesse certame?

Intensificar desde já os estudos, focando nas normativas pós dois mil e dezenove, pois nós tivemos muitas mudanças (no plano constitucional com a emenda  nº 103,  no plano legal com a nº lei 13846/2019  e no âmbito infralegal com o novo regulamento da previdência social o decreto nº 10410/2020). Estudar também o regime próprio de previdência.

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes.

 

 

“Não será um concurso fácil”, afirma especialista sobre seleção autorizada do CBMDF

Publicado em Deixe um comentárioautorização, carreira militar, CBM, Concursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo

Com edital autorizado, interessados no concurso público do Corpo de Bombeiros do DF já devem começar a estudar. Confira as dicas!

O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, está com concurso público autorizado. O aval é para 356 vagas, que serão divididas para oficiais e praças abrangendo diversos quadros e qualificações. Para o professor de informática do Gran Cursos Online e policial militar, Jefferson Bogo, os estudos já devem começar.

Bogo também ressalta a dificuldade deste certame. “Ele é um concurso que tem matérias atípicas em relação a outros certames, física por exemplo. Então não é um concurso para esperar uma prova muito tranquila, exigindo um maior preparo do candidato”.

Dicas de estudo do especialista:

O professor destaca a necessidade de embasar os estudos em editais anteriores, sobretudo neste momento em que não há edital lançado. Dentre as matérias mais recorrentes estão língua portuguesa, matemática, química, física e noções de informática, podendo variar de acordo com o cargo. Além dessas ele destaca:

  • “Defina qual cargo que tem a pretensão (lendo o edital, dá para ter uma noção do que é esperado naquele cargo,  entre outras);
  •  Sugiro como parâmetro olhar as provas anteriores;
  • Resolver questões antes mesmo da definição da banca;
  • Fazer uma avaliação médica e começar o quanto antes a preparação física, porque há um índice de reprovação muito alto nesta parte do processo seletivo;
  • Montar um planejamento de estudo a longo prazo; 
  • Ter metas metas, meia hora por dia, por exemplo;
  • Resolver exercícios em todas as matérias”.

O último concurso ofertado pelo CBM DF foi há 6 anos. Foram ofertadas 779 vagas (448 para soldados; 115 oficiais combatentes; 112 para soldados condutores e operadores de viaturas; 55 soldados de manutenção de equipamentos e veículos; 20 oficiais complementares; 24 oficiais médicos; cinco soldados para manutenção de equipamentos e aeronaves e quatro oficiais cirurgiões-dentistas).

 

Dicas de concurso! Segundo especialista, já é hora de começar a estudar para seleção do Iprev-DF

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, GDF, Sem categoria

“Ainda não há uma data definida para o lançamento do edital, mas a expectativa é que seja o quanto antes, porque há uma demanda muito grande de estruturar o Iprev-DF em relação aos servidores”, afirma Fernando Maciel

Raphaela Peixoto* — Em anúncio feito na quarta-feira (20/4), o Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev-DF) deixou claro os planos para um novo certame.  Ao todo, serão oferecidas  85 vagas para o cargo de analista previdenciário (65 serão imediatas e 20 para a formação de um cadastro de reserva). Com isso, os preparativos por parte do candidatos já deve ser iniciado “especialmente na temática previdenciária, porque o direito previdenciário é o ramo que mais sofre alteração normativa e jurisprudencial”, ressalta o professor de Direito Previdenciário do Gran Cursos Online, Fernando Maciel, ao Papo de Concurseiro.

Fernando destaca que o concurso será bastante concorrido devido à remuneração. “Começa de R$ 6.700 podendo chegar até a R$ 9 mil, vai depender da evolução das classes, no qual começa num padrão número um, podendo chegar até o padrão número cinco”, declara. O especialista ainda afirma que há um acréscimo de acordo com os títulos: “13% se for uma segunda graduação, pós-graduação, 20%. Mestrado ou doutorado, pode ter um acréscimo de 30%”.

Breve panorama:

Segundo o especialista “Existe uma demanda muito grande de estruturar o Iprev-DF em relação aos seus servidores”. É válido ressaltar que desde o surgimento em 2008, nunca houve um processo seletivo. O quadro de pessoal é formado por comissionados e servidores cedidos por outros órgãos.  Desde 2019, o instituto tenta realizar um certame. A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do Distrito Federal, publicada em outubro de 2018, o Iprev DF poderia suprir, em 2019, 20 vagas nos cargos de analista de atividades previdenciárias e técnico de atividades previdenciárias, sendo 10 em cada.

Dica de Estudo:

“A dica que eu poderia passar para esses alunos que estão se preparando para o concurso é focar no estudo das novidades normativas. Especialmente da previdência, Emenda nº 103/2019. Nesse mesmo ano, nós tivemos também uma minirreforma da previdência, que é a Lei nº 13846/2019. Também tivemos em 2020, uma grande atualização do regulamento da Previdência Social; é importante priorizar o estudo dessas novidades porque a grande probabilidade de a banca querer saber se os candidatos estão atualizados acerca tanto da legislação, bem como da jurisprudência previdenciária”, sugeri Fernando.

*Estagiária sob supervisão de Roberto Fonseca

Preparativo de concursos oferece simulados gratuitos para diversas seleções

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Dicas de estudo, Distrito Federal

Com um cenário muito favorável, os concursos de 2022 vão trazer diversas oportunidades para quem sonha com um cargo público. Para contribuir com a preparação, o curso preparatório IMP Concursos programou aulões e simulados beneficentes para quem busca dicas de estudos. Os cursos serão ministrados de forma presencial em Brasília-DF.

Para participar, os candidatos deverão realizar as inscrições gratuitas pelo site do preparatório e realizar a confirmação mediante doação de um item de kit de material didático. Serão aceitos cadernos brochura de 96 folhas, caderno de desenho brochura 60 folhas, caixas de lápis de cor de 12 cores e caixas de giz de cera 12 cores.

Confira a agenda completa:

29/01 (sábado)

Simulado de Execução Penal para Polícia Penal do DF com Adenilton Almeida

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente de Informática – foco na FGV com Emannuelle Gouveia (TJDFT e CGU)

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Aulão Beneficente – como estudar seguridade social para o INSS com José Trindade

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 13h15 às 17h – (obs: 13h15 às 15h – APLICAÇÃO | 15h15 às 17h – CORREÇÃO COMENTADA)

05/ 02 (sábado)

Simulado de Código de Trânsito brasileiro para o Detran/DF com Jayme Amorim

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente de lDB para SEDF com Fabiana Lagar

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente – organização, competências e sistemas estruturantes para CGU com Emerson Douglas

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 9h às 12h – (obs: 9h às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente de Tendências Pedagógicas para SEDF com Fernando Sousa

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 13h15 às 17h – (obs: 13h15 às 15h – APLICAÇÃO | 15h15 às 17h – CORREÇÃO COMENTADA)

06/ 02 (domingo)

Simulado de Legislação Aplicada à PMDF com Paulo Sérgio

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado de Realidade do DF + Ride com Wesley Santos

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

 

Vale ressaltar que o material é elaborado pelos professores e entregue no dia da aula. A inscrição não garante a vaga no evento, é necessário entregar a doação para garantir a vaga. As inscrições ocorrerão até a data do evento ou enquanto houver vaga.

 

Preparatório lança ferramenta que identifica conteúdos semelhantes em diferentes concursos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos Públicos, Dicas de estudo

A tecnologia promete otimizar o estudo e facilitar a conciliação de duas ou mais seleções

Para Paulo de Castro, de 34 anos, o tempo é precioso. Técnico administrativo do Executivo há dez anos, o que ele mais quer no momento é mudar de ares. Para isso, há dois anos voltou ao mundo dos concursos e assinou o curso preparatório Gran Cursos Online. Desde então, o estudioso encara uma maratona de concursos na área dele. Porém, para Castro, ele perde muito tempo na checagem de conteúdo em uma tentativa de conciliar provas. “Preciso olhar cada ponto de um edital e ver quais batem com outro certame que esteja próximo”, afirma. Foi pensando em casos como o dele que o cursinho lançou o “Dá para conciliar”, uma ferramenta tecnológica que promete ajudar o aluno a correlacionar cursos de editais diferentes.

O programa desenvolvido em 2022, usa, através do “machine learning”, uma inteligência artificial para identificar conteúdos semelhantes de editais diferentes. O Cofundador e Diretor de Tecnologia (CTO) do cursinho, Rodrigo Calado, explica o significado do termo. “Machine Learning é um ramo da inteligência artificial (IA) baseado na ideia de que sistemas podem aprender com dados, identificar padrões e tomar decisões com mínima ou zero intervenção humana.”

O “Dá para conciliar”, então, identifica conteúdos similares, mesmo que os professores sejam diferentes e que a matéria lecionada seja abordada de uma maneira distinta. No caso de concursos, a plataforma conseguirá apresentar um percentual de intersecção de conteúdo entre diferentes editais. Dessa forma, o aluno saberá exatamente o que ele precisará estudar para realizar outra prova, sem estudar novamente o mesmo material e sem perder tempo verificando o que já estudou e o que ainda não estudou.

Calado esclarece que, com a tecnologia, é possível identificar padrões de candidatos com rendimento maior ou inferir e quais conteúdos são mais relevantes para os alunos de níveis iniciante, intermediário e avançado; além de observar a taxa de retenção das videoaulas, prever os conteúdos com maior probabilidade de cair em uma prova e converter áudio em texto para gerar legendas aos que possuem deficiência auditiva e texto em áudio para os que possuem deficiência visual. “Imagine você estudar por uma plataforma de estudos que possui a capacidade de se adaptar às suas necessidades?“

Tchau, 2021! Para especialistas, concursos públicos devem bombar em 2022

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, educação, Governo federal, segurança

Karolini Bandeira* e Mariana Fernandes — É inegável que o cenário dos últimos anos não foi tão bom para a realização de concursos públicos. Com o pico da pandemia de covid-19 em 2020 e 2021 e os olhos do país voltados para a crise sanitária, o ingresso no serviço público passou longe de ser uma das prioridades. Agora, com a flexibilização de atividades presenciais, avanço na retomada econômica e a volta gradual do “antigo normal”, o que esperar de 2022? O cenário finalmente será bom para a abertura de concursos no ano que está prestes a entrar?

Para especialistas, os concurseiros que estão esperançosos podem manter a expectativa alta. “As expectativas em relação aos concursos em 2022 são muito mais animadoras do que em relação aos últimos dois anos”, afirma o professor de Direito Administrativo e Constitucional do IMP Concursos, José Trindade. O especialista destaca que, ao contrário de 2020 e 2021, em 2022 temos mais certas do que incertezas: “Hoje, a maior parte das incertezas já foi sanada. Existe uma forma de combater a pandemia, a gente já tem um cenário mais seguro. Inclusive, já temos até previsões mais seguras quanto ao futuro.”

Reconquistando a esperança

Difícil é achar um concurseiro que não tenha perdido o ritmo de estudo em algum momento de 2021 — com tanto adiamento e suspensão, é natural que o rendimento seja afetado. 2022, na visão de Trindade, chega para mudar esse ciclo. “Já temos órgãos públicos cada vez mais, de forma cada vez mais intensa, retomando o trabalho presencial. Já temos editais de concurso que saem com mais frequência. A gente viveu, em 2020 e 2021, num cenário em que até tínhamos editais. Não faltavam concursos. Mas as provas iam sendo adiadas indefinidamente e isso desanimava os candidatos e desanimava os próprios órgãos públicos a fazerem concurso, porque gerava muitas vezes um gasto adicional e uma incerteza nos próprios contratos com as bancas organizadoras. Esse cenário [de incertezas] está se dissipando. Você tem maiores certezas quanto à possibilidade e a viabilidade de aplicação de provas e quanto às datas das provas. Então já podemos nos programar com relativa segurança quanto à realização de provas no futuro”, ressalta.

O economista e professor de Finanças Públicas na Universidade de Brasília, Roberto Piscitelli, evidencia que a urgência de contratação de servidores no cenário pós-pandêmico devido ao represamento de certames também é positivo e influencia na autorização e abertura de novas seleções públicas. Para Piscitelli, entretanto, é importante ressaltar também que a retomada de concursos é gradual e não imediato. “De algum modo, as perspectivas que existiam para 2021 se transferiram para 2022, em razão dos efeitos prolongados da pandemia e do ritmo do processo de vacinação. O lógico seria esperar que os concursos inicialmente programados para 2021 foram transferidos para 2022. Entretanto, esse ritmo de retomada ainda é lento, mesmo com a remoção de boa parte das dificuldades decorrentes da necessidade de maior dispersão dos candidatos nos locais de realização de provas. É bom levar em conta que as lacunas existentes em matéria de pessoal, já detectadas em 2021, se ampliaram e tornam mais urgente a contratação de novos servidores.”

Na opinião do especialista, a possibilidade de veto em 2022 à Reforma Administrativa (PEC 32), que já tramita há mais de um ano na Câmara, também é favorável para interessados no serviço público e pressiona a contratação de novos funcionários: “2021 foi marcado por restrições legais à realização de novos concursos. Acredito, inclusive, que a não aprovação da Reforma Administrativa, que — na minha opinião — seria nociva para o Serviço Público, aumenta as pressões para a contratação de servidores via concurso público, pois o projeto em tramitação, ‘flexibilizaria’ as condições de ingresso na Administração, e tornaria muito mais fáceis as contratações temporárias, as terceirizações, as nomeações por critérios políticos, partidários.”

Foco na Segurança

José Trindade ressalta concursos para a Segurança como uma das grandes promessas para 2022. De acordo com o professor, o novo cargo de policial penal, com carreira reestruturada em diversos estados em 2020 e 2021, deve ter vários editais no próximo ano. E não para por aí! “Nós temos polícias civis estaduais e polícias militares, como a própria Polícia Militar do Distrito Federal. Nós temos concurso, também no Distrito Federal, da Polícia Penal já com edital iminente. Nós temos o concurso de agente administrativo da Polícia Federal podendo sair também, temos o concurso de agente de custódia da Polícia Civil do Distrito Federal e temos, pelo Brasil afora, várias polícias civis e militares que, embora muitas delas tendo feito concursos relativamente recentes, continuam com defasagem de quadros.”

Leia mais em: Concursos 2022: novo ano começa com 16,1 mil vagas confirmadas para carreira policial

Concursos represados

Para Trindade, 2022 pode ser mais promissor até do que os anos pré-pandêmicos para concursos. A explicação é simples: além dos certames que são lançados todos os anos, o ano terá a abertura de seleções que foram acumuladas devido à covid: “Em 2017, 2018 e 2019 a gente tinha uma certa regularidade de certames, mas agora você tem uma série de concursos represados, além de tudo. Além dos concursos regulares que vão retomar o seu ritmo, temos o reinício da aplicação de provas e a demanda de concursos de órgãos públicos que não têm concurso em vigor.”

O profissional cita, por exemplo, grandes concursos de órgãos públicos importantes que já estavam previstos antes de 2020 e até hoje não foram lançados — como é o caso do Senado. “O último concurso [do Senado] foi realizado em 2012. Com a pandemia, nós tivemos dois anos a mais de atraso. A necessidade de contratação só se agravou. O concurso do Senado já estava na iminência de sair em 2019. Em novembro de 2019 ele foi autorizado e no início de 2020 ele já tinha um cronograma concreto de realização, com data prevista para realização de prova inclusive, mas a pandemia fez ocasionar a revogação do concurso”, explica. “A gente têm, nessa retomada, a possibilidade de o Senado realizar o concurso que ele já estava já tinha engatilhado em 2019.”

O grande número de concursos represados em órgãos que costumam chamar muitos servidores é um fator que, para o professor, contribui para um 2022 promissor para os concurseiros. “Existem inúmeros concursos e inúmeros órgãos públicos que estão não só com defasagem de servidor, mas sem possibilidade de convocar ninguém porque não têm concurso ativo. é o caso do INSS, é o caso do Senado e é o caso de vários tribunais, como o Tribunal de Justiça do Distrito Federal. É o caso da Justiça Federal também”, lembra.

Com tanto concurso previsto e com altas chances de sair no próximo ano, fica difícil decidir qual prestar. Por isso, Trindade ressalta que é ideal que o concurseiro foque em um setor e comece a preparação desde já. “Temos uma gama de concursos à disposição. É importante estudar e analisar as áreas disponíveis de atuação. Área fiscal, área de controle e área policial são alguns exemplos. Não precisa ser o foco em um concurso, mas é importante focar em uma área que quer seguir, ou em duas áreas próximas que se aproveitam e se completam.” E indica: “Se a pessoa não tem base ou já faz muito tempo que não vem estudando, vale a pena começar do zero, do básico. Começar leitura de lei, análise de conceitos fundamentais de cada disciplina e, acima de tudo, exercitar desde o início.”

Leia mais: Veja como manter o focos nos estudos durante as datas comemorativas

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Concursos 2022: especialista comenta o cenário e as expectativas para o próximo ano

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Coronavírus, Dicas de estudo, Governo federal

O ano da retomada dos concursos? Para especialista, 2022 promete! Leia a entrevista:

Karolini Bandeira* e Mariana Fernandes — Haja expectativa! Depois de praticamente dois anos com várias suspensões, atrasos de etapas e contenção de gastos, 2022 tem tudo para ser um grande ano para o mundo dos concursos e para quem deseja ingressar no serviço público. Para matar sua ansiedade, o Papo de Concurseiro conversou com o servidor público e professor de Direito Administrativo e Redação com especialidade em concursos públicos, João Coelhjo, que comenta o cenário, expectativas e percalços do ‘ano de retomada’.

Quais são as previsões de concurso para 2022?

O ano de 2022 promete ser um ano de retomada dos concursos públicos. Apesar do teto constitucional que limita os gastos públicos, há um grande número de cargos vagos em todas as esferas federativas e em todos os ramos dos Poderes. Em razão da reforma da previdência, muitos servidores em condições de requerer a aposentadoria têm buscado passar à inatividade, o que aumenta esse quadro de postos à disposição dos candidatos às vagas nos concursos públicos.

Até mesmo para conter os efeitos do aumento dos gastos públicos, é necessário, por um lado, aumentar a arrecadação e, por outro, reduzir a má-aplicação dos recursos públicos e, sobretudo, combater a corrupção. Por isso mesmo, é forte a previsão para que ocorram concursos para os níveis médio e superior da Receita Federal do Brasil (previsão de 699 vagas), da Controladoria-Geral da União (cujo concurso já tem até banca organizadora escolhida: a Fundação Getúlio Vargas) e do Tribunal de Contas da União (que já tem edital aberto e provas marcadas para 13 de março). No mesmo objetivo de aumentar a arrecadação, evitar a corrupção e melhorar a gestão pública, os concursos para as Agências Reguladoras federais precisam ocorrer em breve, ante o quadro deficitário de servidores, em contraste às atribuições legais e aumento da demanda por regulação dos serviços públicos.

Além da ANTT e da ANTAQ, no setor de transportes, a Agência Nacional de Mineração – ANM tem buscado realizar um concurso público para fortalecer a área finalística, especialmente para cuidar de segurança de barragens, tema que está em maior foco após a tragédia de Brumadinho. A ANEEL, por sua vez, fez o último concurso para a área-fim em 2010. A Anvisa já tinha planos para um concurso grande antes mesmo da pandemia, que só reforçou a relevância e a essencialidade do papel daquela autoridade.

A Agência Nacional de Águas – ANA é, provavelmente, a entidade que mais demande um novo concurso público, considerando que recebeu novas atribuições regulatórias no âmbito dos serviços de saneamento básico. Tanto é assim que a ANA, embora tenha preservado a sigla, agora se chama Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, graças à série de inovações trazidas pela Lei nº 14.026/2020.

Ainda no plano federal, o INSS deve realizar um amplo concurso para os níveis médio e superior, considerando a demanda por aposentadorias e demais benefícios sociais que dependem da análise da autarquia previdenciária. Já no âmbito do Distrito Federal, há firme convicção de que devem ser publicados os concursos públicos para a carreira de Políticas Públicas e Gestão Governamental (PPGG), para a Controladoria-Geral do Distrito Federal, além do Procon.

Na área de Segurança Pública, há previsão realista de concursos para o Detran e, ainda, para a Polícia Civil do DF, que, além dos atuais concursos para Agente e Escrivão, deve realizar provas para Delegado de Polícia, Agente Policial de Custódia e, ainda, para a Área Administrativa do órgão. Outra previsão iminente para 2022 é o concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios – TJDFT, conhecido por ser um grande nomeador na capital federal.

O fato de haver eleições em 2022 não interfere na realização de concursos públicos. Apenas aqueles concursos do Poder Executivo que não tenham seu resultado final homologado em até seis meses antes das eleições é que não podem realizar nomeações. Nada obsta, contudo, que provas sejam aplicadas para os concursos do Poder Executivo. Os demais Poderes podem fazer concursos e nomear, sem impedimentos, no ano que logo chega. É importante manter-se atualizado e aproveitar a existência de perfis de informação de qualidade especializados em matéria de concursos públicos.

Como os concurseiros devem se preparar para os próximos certames?

É importante observar o perfil de cada banca examinadora, sobretudo fazendo muitas provas anteriores. A principal forma de preparo é a resolução de questões. A base teórica será mais bem assimilada quanto mais experimentada, isto é, literalmente, quanto mais for posta à prova (ou exposta às provas). Aulas teóricas são importantes para aquisição, ampliação e manutenção de conhecimento. Contudo, a realização de questões é uma etapa fundamental da preparação.

Mesmo para concursos não-jurídicos, a cobrança da legislação e da jurisprudência nas matérias de Direito dos conhecimentos comuns exige preparação adequada, que dê ênfase ao conhecimento dos institutos jurídicos, privilegiando, no mais das vezes, o conhecimento do texto legal. Muito embora as questões não se restrinjam à transcrição da literalidade do texto da “lei seca”, é fundamental conhecer bem a redação das
normas constantes do edital, visto que a banca costuma fazer releituras, paráfrases, sínteses e aplicações da norma às situações concretas que pressupõem, para o acerto, o conhecimento do que está disposto na própria lei. Nesse sentido, é fundamental que o candidato não deixe de ler os textos legais e, na medida do possível, sistematizar os conceitos-chave de cada assunto e ver de que maneira eles estão dispostos e relacionados na lei.

Quais as dicas que você deixa para o concurseiro neste ano que se inicia?

Além de estar em dia com língua portuguesa, que é base para o conhecimento e compreensão das demais matérias, no que diz respeito às disciplinas jurídicas, recomendam-se algumas formas de preparação: ler algumas vezes o texto,  destacar os pontos principais, resolver questões de provas anteriores e (fazer anotações sequenciadas – fazendo um rol dos principais artigos (principalmente os que foram cobrados com maior frequência) para leitura rápida no momento de revisão e antes da prova – são estratégias indispensáveis para fixação e assimilação da disciplina legal e, na grande parte dos casos, o suficiente para a resolução das questões objetivas.

Além disso, tal método, que é simples e pode ser feito pelo candidato sem necessidade de materiais de apoio (mas apenas com a atenção dirigida à própria lei), ajuda sobremaneira na hora de compor textos dissertativos, visto que a menção desses termos e institutos, quanto mais fiel à lei, confere menor margem à interpretações dúbias e, de quebra, maior possibilidade de sucesso na pontuação do avaliador (além de facilitar a composição de eventuais recursos).

Os concursos estarão mais fáceis por haver muita disponibilidade de vaga, e em consequência, muitos concursos? Ou essa não é uma realidade?

A crise econômica reforça a máxima segundo a qual “a necessidade é que faz o sapo pular”. Portanto, a concorrência está mais que motivada para ocupar as vagas que estão disponíveis e aquelas que surgirão.

O aumento da qualidade da concorrência é uma evidência, pelo acirramento da disputa e das notas de corte que se tem verificado. Contudo, esse contexto não deve desmotivar quem está começando: com a devida preparação, o bom candidato pode, em espaço relativamente curto de tempo, estar bastante competitivo.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes