Novo concurso do TJSE é autorizado e comissão já está definida

Publicado em Deixe um comentárioautorização, cadastro reserva, Concursos, Concursos Públicos, Poder Judiciário, Sem categoria, Tribunal de Justiça

O novo certame visa o preenchimento dos cargos vagos de técnico e analista Judiciário, bem como formação de cadastro de reserva

Novo concurso público para o preenchimento dos cargos vagos de técnico e analista judiciário, bem como formação de cadastro de reserva do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) foi autorizado. O aval foi tomado na apreciação do Tribunal Pleno desta quarta-feira (15/6) e publicado no Diário da Justiça do estado.

“Será exigido nível médio para o cargo de técnico judiciário, valorizando, conforme o Presidente, a ‘filosofia includente’. Assim, diante dos altos índices de desemprego no país, as pessoas que tenham apenas nível médio poderão participar do certame”, ressaltou o tribunal.

É válido ressaltar que, no dia 14 de junho, o presidente do TJSE, o desembargador Edson Melo, se reuniu com representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe (Sindijus).

Leia também: Concurso Polícia Penal: especialista dá dicas para reta final de estudos e analisa o edital

Concurso Alema: Deputado estadual denuncia suposta fraude; entenda!

Comissão formada

De maneira análoga, a presidência do TJSE já publicou a portaria com a nomeação dos servidores que irão compor esta nova seleção. De acordo com o documento, foram designados oito servidores:

  • Ana Bernadete Leite de Carvalho Andrade – Desembargadora – Presidente;
  • Antônio Henrique de Almeida Santos – Juiz de Direito – Membro;
  • Rosa Maria Mattos Alves de Santana Britto – Juíza de Direito – Membro;
  • Márcia Sierra da Silva – Técnica Judiciária – Membro;
  • Paola Tatiana Carmelo Ferreira Arce – Técnica Judiciária – Membro;
  • Iracy Ribeiro Mangueira Marques – Juíza de Direito – Suplente;
  • José Amintas Noronha de Meneses Júnior – Juiz de Direito – Suplente;
  • Elaine Lima Santos – Técnica Judiciária – Suplente

“Parágrafo único. Nas ausências e impedimentos da Presidente, substituirá o Magistrado mais antigo”, informa o documento. Ademais, ele também afirma que será concedida uma gratificação estabelecida pela Resolução nº 034/2019 e a comissão será secretariada pela técnica judiciária, Paola Tatiana Carmelo Ferreira Arce.

Último Concurso

A última seleção foi realizada em 2014, Ela ofereceu 37 vagas e cadastro reserva. A remuneração ofertada variava entre 2.457,39 a R$ 4.032,45, para uma carga horária de 30 horas semanais.

Os cargos contemplados foi analista judiciário nas áreas administrativa (análise de sistemas, banco de dados, direito, redes, segurança da informação, suporte técnico em infraestrutura, webdesigner e telecomunicações) e de apoio especializado (arquitetura, contabilidade, economia, engenharia civil, engenharia elétrica, estatística, medicina/medicina do trabalho, medicina/psiquiatria, psicologia e serviço social), exigindo nível superior.

Já para o nível médio as seguintes funções foram contempladas: de técnico judiciário nas áreas administrativa/judiciária e na área apenas administrativa (para especialidade em programação de sistemas).

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco 

Cebraspe regulamentará novo concurso do TJSC

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Sem categoria, Tribunal de Justiça, Tribunal de Justiça

De acordo com o extrato de contrato, o novo concurso é destinado ao “ingresso e remoção na atividade Notarial e Registral das Serventias Extrajudiciais do Estado de Santa Catarina”

O Centro Brasileiro De Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) será a banca regulamentadora do novo certame do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). O Extrato de Contrato foi publicado no Diário da Justiça Eletrônico do estado na última quinta-feira (26/5). O Cebraspe o terá o prazo de dez dias úteis, a partir do recebimento da Ordem de Serviço, para iniciar a execução de suas funções.

A nova seleção irá ofertar 23 vagas para a atividade notarial e registral das serventias extrajudiciais de Santa Catarina. Conforme o documento é estimado o quantitativo de até 7.500 inscritos neste concurso.

O contrato é no valor de R$2 milhões, aproximadamente. Segundo o extrato, os recursos serão oriundos do orçamento do TJSC, de 2022. “Os dados orçamentários referentes ao exercício de 2023 dependerão da aprovação da respectiva Lei Orçamentária Anual (LOA)”, informa o documento. Dentre as responsabilidades do Cebraspe, estão a elaboração de — forma conjunta ao TJSP — do cronograma de execução.

Editais previstos em Santa Catarina: 

SES-SC

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina (SES SC) poderá realizar um novo certame. A autorização por parte do governo do estado saiu e disponibiliza 385 vagas para diversos cargos — ainda não divulgados.“Essas ações são possíveis agora porque nós arrumamos a casa. O Governo do Estado voltou a ter o seu caixa organizado em condições de fazer a reposição das vagas em diversas posições do funcionalismo público. Também estamos trabalhando na valorização das carreiras. São ações de gestão conscientes e sustentáveis no longo prazo”, afirmou o governador Carlos Moisés.

PCSC

Ao todo serão oferecidas 120 vagas, sendo 50 para delegado e 70 para psicólogo. O quantitativo de vagas autorizadas, porém, é abaixo do esperado, visto que foi feita uma solicitação em junho de 2021 em que 829 vagas foram pedidas para os cargos de delegado (51), escrivão (208), agente (500) e psicólogo policial (70). 

É válido lembrar que, em 2017, foi realizado um certame que promoveu vagas para os cargos de agente e escrivão, funções não autorizadas agora para realização de nova seleção. À época foram ofertas 394, sendo 200 para agente e 194 para escrivão.O prazo de vigência ainda está válido e segue até dezembro deste ano, por este motivo em nota, o Governo de Santa Catarina evidenciou a pretensão de convocar, até 30 de junho 437 (324 agentes de polícia e 113 escrivães) aprovados neste concurso.

CGE-SC

A Controladoria-Geral de Santa Catarina (CGE-SC) também recebeu autorização para realizar novo concurso. O aval foi dado pelo governador do estado, Carlos Moisés e autoriza 95 vagas para o cargo de auditor. A CGE-SC realizará pela primeira vez uma seleção, pois sua criação é recente e ocorreu em 2019 pela Lei Complementar nº 741, de 12 de junho de 2019.

Udesc

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), após aprovação por parte do governo do estado, tem previsão de lançar em breve dois editais de concurso público. Os novos certames somam 90 vagas, sendo um deles destinado para professor adjunto, 60 vagas, já outro ofertará 30 oportunidades para técnico universitário de desenvolvimento (nível superior). As vagas para técnico universitário serão divididas da seguinte maneira:

  • analista de sistema,
  • analista de suporte,
  • assistente social,
  • biblioteconomista,
  • contador,
  • designer gráfico,
  • economista,
  • educador físico,
  • engenheiro civil,
  • fisioterapeuta,
  • jornalista,
  • médico veterinário,
  • pedagogo e
  • zootecnista.

“A contratação destes 90 servidores efetivos, tanto para área técnica como para a docência, vão reforçar os nossos quadros em um momento importante da universidade, para qualificar ainda mais o ensino, a pesquisa, a extensão e a gestão em todas as unidades”, avalia o reitor Dilmar Baretta.

Veja aqui os outros órgãos que receberam autorização!

*Estagiária sob supervisão de Ronayre Nunes

Concurso TJ-RJ: regulamento de novo certame é publicado

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Sem categoria, Tribunal de Justiça

O certame prevê vagas para a carreira de magistratura do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ)

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) aprovou o regulamento do concurso para ingresso na magistratura de carreira do estado. A Resolução (Resolução OE Nº 16/2022) foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico do Rio nesta quarta-feira (18/05).

O certame tem o intuito de promover vagas — a priori — para o cargo de juiz substituto, mediante concurso público de provas e títulos. O número de vagas ainda não foi divulgado, porém o documento afirma que será observada a adequação orçamentária.

O documento pontua que será assegurada 5% do total de vagas para portadores de algum tipo de deficiência. Os candidatos terão de se enquadrar nas categorias discriminadas na Lei Federal nº 13.146, de 6 de julho de 2015, na Súmula 377 do Superior Tribunal de Justiça e na Lei Estadual nº2.298, de 28 de julho de 1994.

De acordo com o Quantitativo de Cargos e Funções de abril,  o TJ-RJ está com um déficit de 50 cargos na função de juiz substituto. Este número de cargos vagos representam quase 25% dos cargos vagos deste Tribunal.

Concurso em andamento

Vale lembrar que o TJ-RJ está finalizando um certame que promove vagas para o cargo de técnico de atividade judiciária. A última publicação disponível no site do Cebraspe, banca em que regulamenta esta seleção, foram as respostas aos recursos contra o resultado provisório na prova objetiva.

Por conta da pandemia ele ficou suspenso de março de 2020 até outubro de 2021.

*Estagiária sob supervisão de Ronayre Nunes

63 vagas: TJTO deve ter edital em março e provas em junho

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de Justiça

Karolini Bandeira*- Boa notícia! O próximo concurso do Tribunal de Justiça de Tocantins (TJTO) já tem uma previsão para ser lançado, e não está longe. De acordo com nota divulgada pela assessoria do tribunal, o edital está previsto para o início do mês de março; já as provas objetivas devem ser realizadas em junho.

A banca organizadora do concurso já foi contratada. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) foi confirmada no projeto básico da seleção, documento que define as etapas e detalhes de um concurso público.

Serão 63 vagas imediatas e formação de cadastro reserva para os cargos de contador e técnico judiciário, que exigem, respectivamente, nível superior e nível médio. Para técnicos serão 58 vagas, enquanto a área de contador tem a oferta de cinco chances. A remuneração inicial varia de R$ 7.312,99 a até R$ 12.243,37.

Os inscritos passarão por prova objetiva com 80 questões e redação. Os exames serão realizadas nos municípios de Palmas, Araguaína e Gurupi.

Concurso de 2018 suspenso

Em 2018, o TJTO abriu concurso com 30 vagas para os cargos de técnico judiciário, analista judiciário e oficial de justiça avaliador. A banca responsável pelo certame seria o Cebraspe.

O concurso, entretanto, foi suspenso após Ministério Público do Estado (MPE/TO) mover ação para anular o contrato entre o órgão e a banca, por haver indícios de irregularidades no procedimento licitatório, segundo a determinação. O certame, além das 30 vagas, teria formação de cadastro reserva. A remuneração para analista judiciário era de R$ 11.876,31, para o cargo de oficial seria R$ 13.703,43 e, para técnico, R$ 7.093,74.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Concurso do TJMG pode ter IBFC como organizador

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de Justiça

Karolini Bandeira*- Ao que indica, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) pode ser o organizador do próximo concurso público do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Uma nova atualização no Portal de Compras do Estado, registrada nesta terça-feira (7/2), informa que a proposta foi aceita.

Vale lembrar que, na última semana, a informação era de que a empresa havia apresentado a melhor proposta para o Tribunal, cabendo recurso das concorrentes.

O projeto básico da seleção foi publicado em janeiro e revela alguns detalhes do edital de abertura, como as fases avaliativas, o conteúdo programático das provas e as especialidades dos cargos ofertados.

O cargo de oficial judiciário terá como requisito nível médio/técnico. Confira as áreas:

  • Oficial de justiça (nível médio)
  • Assistente técnico de controle financeiro (nível técnico em contabilidade)

No nível superior, o concurso abrirá vagas como analista judiciário nas seguintes áreas:

  • Administrador (graduação em Administração ou Gestão Pública)
  • Analista de Tecnologia da Informação (graduação em Tecnologia da Informação e experiência mínima de dois anos na área)
  • Analista Judiciário (graduação em Direito)
  • Assistente Social (graduação em Serviço Social)
  • Bibliotecário (graduação em Biblioteconomia)
  • Contador (graduação em Ciências Contábeis)
  • Enfermeiro (graduação em Enfermagem)
  • Engenheiro Civil (graduação em Engenharia Civil)
  • Engenheiro Eletricista (graduação em Engenharia Elétrica e registro no órgão competente);
  • Engenheiro Mecânico (graduação em Engenharia Mecânica e registro no órgão competente);
  • Médico (graduação em Medicina)
  • Psicólogo (graduação em Psicologia)
  • Revisor Jurídico (graduação em Letras ou Direito)

Os ganhos iniciais para oficial judiciário será de R$ 2.986,57. Já para analista judiciário, será de R$ 4.677,09. Os servidores do TJMG também terão benefícios como auxílio-alimentação de R$ 1.100, auxílio-transporte de R$150 e auxílio-saúde. Saiba mais detalhes!

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Empregados ganham ação e conseguem manter direitos pós privatização da CEB

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Distrito Federal, Tribunal de Justiça

Karolini Bandeira*- Cerca de 50 funcionários da Companhia Energética de Brasília (CEB) ganharam uma ação, na Justiça do Distrito Federal, nesta sexta-feira (4/2), que solicitava a manutenção de seus direitos como servidores públicos mesmo após a privatização da empresa. A reclamação trabalhista, protocolada em 2021, pedia a estabilidade do vínculo público dos funcionários.

“Essa é uma vitória histórica no país. Não há nenhum outro precedente neste sentido reconhecendo o vínculo público do empregado após a privatização da empresa pública ou sociedade de economia mista”, destacou o autor e advogado da ação, Max Kolbe. Trata-se de um pedido de tutela antecipada, que objetiva o reconhecimento da ilegalidade de alteração unilateral de contrato dos trabalhadores.

O advogado explica que os empregados foram aprovados em concurso público e possuem um vínculo público com a Administração, o que tira o direito da empresa de demiti-lo sem a realização de um processo administrativo ou qualquer outro instrumento que garanta o direito de ampla defesa e contraditório.

“Tivemos inúmeras dificuldades, em especial por não haver nenhuma literatura ou julgado que defendesse a ideia. Tivemos de criar toda a tese do zero. Essa vitória é o marco inicial na manutenção do vínculo público após a privatização das empresas estatais. Essa vitória muda todo o cenário das privatizações no país, protegendo milhares de empregados de uma demissão sumária”, comentou Kolbe ao Papo de Concurseiro.

Na ação, o juiz Francisco Frota determino que o Grupo CEB assegure aos profissionais todas as condições de trabalho já estabelecidas no ato da contratação e ratifica a tutela de urgência determinando a falta de direito da empresa de demitir os empregados sem justo motivo, até o trânsito em julgado da presente decisão, “sob pena de multa no valor já estabelecido”.

Ação denuncia ilegalidade

Segundo o documento, após a venda da CEB para a Bahia Geração de Energia S.A, os empregados da empresa  teoricamente tiveram o contrato de trabalho alterado, perdendo vários direitos  sem que tivesse qualquer possibilidade de acordo firmado.

Desse modo, segundo Kolbe, é preciso ressaltar que o vínculo com a Administração Pública é mais forte, porque a contratação se deu por meio de aprovação em concurso público, logo, não se poderia alterar o regime contratual de público para privado em razão da terceirização de uma das empresas do grupo econômico.

Ainda segundo o advogado, o vínculo não pode ser alterado “ao bel prazer” das empresas, uma vez que há uma grande ofensa ao princípio da confiança. Saiba mais!

IBFC vence primeira etapa da escolha para realizar concurso do TJMG

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de Justiça

As empresas ainda podem entrar com recurso contra o resultado

Karolini Bandeira* — A escolha de banca organizadora para o próximo concurso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) foi iniciada. Conforme pregão eletrônico publicado, nesta terça-feira (1°/1), as empresas já apresentaram as propostas e vencedora da primeira etapa da escolha foi o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC).

A empresa apresentou a melhor proposta para o TJMG mas as instituições ainda têm a fase de recursos. Segundo o edital de licitação, será concedido o prazo de três dias úteis para as outras organizadoras entrarem com recursos, caso queiram.

Publicado em janeiro, o projeto básico da seleção revela alguns detalhes do edital de abertura, como as fases avaliativas, o conteúdo programático das provas e as especialidades dos cargos ofertados.

O cargo de oficial judiciário terá como requisito nível médio/técnico. Confira as áreas:

  • Oficial de justiça (nível médio)
  • Assistente técnico de controle financeiro (nível técnico em contabilidade)

No nível superior, o concurso abrirá vagas como analista judiciário nas seguintes áreas:

  • Administrador (graduação em Administração ou Gestão Pública)
  • Analista de Tecnologia da Informação (graduação em Tecnologia da Informação e experiência mínima de dois anos na área)
  • Analista Judiciário (graduação em Direito)
  • Assistente Social (graduação em Serviço Social)
  • Bibliotecário (graduação em Biblioteconomia)
  • Contador (graduação em Ciências Contábeis)
  • Enfermeiro (graduação em Enfermagem)
  • Engenheiro Civil (graduação em Engenharia Civil)
  • Engenheiro Eletricista (graduação em Engenharia Elétrica e registro no órgão competente);
  • Engenheiro Mecânico (graduação em Engenharia Mecânica e registro no órgão competente);
  • Médico (graduação em Medicina)
  • Psicólogo (graduação em Psicologia)
  • Revisor Jurídico (graduação em Letras ou Direito)

Os ganhos iniciais para oficial judiciário será de R$ 2.986,57. Já para analista judiciário, será de R$ 4.677,09. Os servidores do TJMG também terão benefícios como auxílio-alimentação de R$ 1.100, auxílio-transporte de R$150 e auxílio-saúde.

De acordo com o projeto básico, a estimativa é que o concurso atraia 130 mil candidatos, sendo 100 mil para cargos de nível médio e 30 mil para nível superior. A taxa de inscrição terá o valor de R$ 80 para oficial e R$ 100 para analista. Saiba mais detalhes!

*Estagiária sob supervisão de Ronayre Nunes

Edital lançado! Especialistas te ajudam a conquistar a aprovação no TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, TJDFT, Tribunal de Justiça, Tribunal de Justiça

Karolini Bandeira*- Não temos tempo a perder: o tão esperado edital de abertura do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) foi publicado na última sexta-feira (28/1)! O grande concurso, com oferta imediata de 112 vagas, deve ser concorrido e ter a participação de concurseiros de todo o país. Com a alta concorrência, você não pode ficar para trás e, por isso, conversamos com especialistas que irão te aconselhar a como seguir com os estudos e, quem sabe, realizar seu sonho de se tornar um servidor público.

A orientação do professor de Direito Administrativo do Gran Cursos Online Vandré Amorim é “sempre tentar iniciar a preparação antes do edital sair, pautando-se nos conteúdos cobrados nos editais anteriores”. A gente sabe que, infelizmente, por diversos fatores, nem sempre o candidato consegue ter uma boa preparação prévia. Para os que ainda não estão com o conteúdo todo em dia, a sugestão do especialista é “estudar de forma mais direta, por meio de resolução de milhares de questões, estudando a teoria apenas dos tópicos que perceber uma maior recorrência”. “Fazer uso de resumos também pode ser interessante, quando não se tem muito tempo a perder”, aconselha.

O essencial é não menosprezar nenhuma disciplina do conteúdo programático previsto no edital, já que deve ser um concurso bastante concorrido e um detalhe pode fazer toda a diferença. “Esse é um concurso que exige do candidato priorizar todas as disciplinas, pois a tendência é um ponto de corte mais elevado. Mas por óbvio, as disciplinas com maior número de questões merecem uma maior atenção, como língua portuguesa (10 questões)”, indica Amorim.

O especialista ainda comenta como seria a preparação dele, se estivesse se preparando para o concurso: “Meu foco seria na resolução incessante de questões e leitura de “lei seca” (ou seja, o texto da lei sem comentários). Lançaria mão também de resumos, para a fixação dos conceitos básicos.”

Tem receita?

Para o professor, não existe um método correto ou único. “A metodologia de estudo para concurso deve ser individual, sempre a fim de adaptar à forma em que o candidato tem o melhor resultado. Para alguns, estudar por videoaulas é melhor método, para outros a leitura se mostra mais eficiente. Há ainda aqueles que mesclam essas duas formas. Algo que é consenso entre os aprovados de concursos é a necessidade de se fazer muita questão de concurso.”

O especialista ressalta que o mais importante é começar. Para alcançar o pódio, não tem outro jeito senão uma boa preparação. “Caso você ainda não se sinta preparado para um concurso tão importante como esse, saiba que se você nunca começar, nunca de fato estará preparado para concurso nenhum”, destaca. Para quem pensa em prestar o concurso do TJDFT, a mensagem do professor é: “Apenas comece! Crie uma rotina e mantenha uma disciplina! Tenho certeza que os resultados virão!”

Concurseiros se preparam em todo o país

Tarcylla decidiu estudar para concursos após o ensino médio/Foto: Arquivo Pessoal

“A ansiedade tem tentado buscar espaço na minha vida após a publicação do edital e diante tanta espera por ele”, comenta a concurseira Tarcylla Moura, de 21 anos. A estudante concilia os estudos para o concurso do TJDFT com a faculdade está otimista de que os esforços trarão um bom resultado. “A fé e esperança de que as coisas podem dar certo é o que me move e motiva todos os dias. Cuidar do lado emocional é um dos fatores mais importantes pra que tudo caminhe bem.”

Tarcylla conta que tem um cronograma de estudos e que o segue todos os dias. “Fazer questões da banca, montar o meu próprio resumo e seguir nas revisões todos os dias é o que tenho buscado como aliados durante esse período de preparação.”

A estudante tem o objetivo de se tornar servidora pública desde o término do ensino médio. ‘Sempre tive em mente de que uma grande porta para mudanças na minha vida seria o TJDFT”, destaca. A meta é conquistar a aprovação ainda em 2022, mas, mesmo que não saia como planejado, desistir está longe de ser uma das suas opções. “Espero que o resultado seja positivo, mas caso não dê, sei que tudo é um processo e uma construção dia após dia, é esperar e confiar de que tudo vai dar certo.”

 

 

 

Ansiedade a mil

Ana Nepomuceno, 29, começou os estudos antes da publicação do edital/Foto: Arquivo Pessoal

A ansiedade da concurseira Ana Nepomuceno, de 29 anos, “está a mil”. Para a mulher, que se prepara para as provas do TJDFT, a atividade física tem sido aliada neste momento. “Acho que é meu escape. Eu foco na academia e isso me ajuda a manter meu emocional mais calmo”, comenta.

Ana também tem uma rotina diária de estudos. A estudiosa tenta se dividir entre simulados, realização de exercícios e videoaulas. Para ela, o cursinho está ajudando muito a organizar seu cronograma. “Eu sou assinante do Gran Cursos Online. O que me ajudou mais no meu planejamento foi o Guia da Aprovação [programa oferecido pelo preparatório], porque ele dá na palma da sua mão o que você tem e o que não tem que estudar, então fica tudo muito dividido e fácil de entender. Não perco tempo estudando o que não vai cair na prova.” A concurseira está estudando simultaneamente para outras seleções e acredita que o certame do TJDFT é uma oportunidade única.

Inscrições em fevereiro

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios publicou o edital para o novo concurso público do órgão na última sexta-feira (28/1). Ao todo, a seleção oferece 112 vagas, para os níveis médio e superior em diversas especialidades para os cargos de técnico e analista.

Das 112 oportunidades, 24 são destinadas aos cargos de nível médio e médio/técnico, com remuneração inicial de R$7.591,36 . As outras 88 são para candidatos com nível superior, com salários de R$12.455,30. O certame terá a Fundação Getúlio Vargas como banca organizadora.

Os aprovados no concurso receberão remuneração inicial de R$ 7.591,36 para os cargos de nível intermediário e R$ 12.455,30 para carreiras que exigem o nível superior. Os servidores cumprirão jornada de trabalho será de 40 horas semanais. As contratações são estatutárias, ou seja, asseguram a estabilidade empregatícia.

O prazo de inscrição será de 7 de fevereiro a 14 de março, pelo portal da FGV. Os valores da taxa de inscrição são de R$ 80 para nível médio ou médio/técnico e R$ 120 para o nível superior. Saiba tudo!

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Orçamento de 2022 reforça abertura de concurso do TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, Governo federal, TJDFT, Tribunal de Justiça

Karolini Bandeira*- A abertura de um novo concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) é cada vez mais certa. Desta vez, o certame foi confirmado na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022, sancionada na última sexta-feira (21/1). O documento indica que o tribunal irá receber orçamento para o provimento de 101 vagas efetivas.

O confirmado é que serão abertas 93 vagas imediatas no próximo edital. As oportunidades serão para analistas e técnicos. Confira a distribuição divulgada:

Analista judiciário

  • Apoio especializado – Contabilidade (3)
  • Apoio especializado – Engenharia Elétrica (1)
  • Apoio especializado – Administração (3)
  • Apoio especializado – Estatística (2)
  • Apoio especializado – Medicina Psiquiatria (2)
  • Apoio especializado – Medicina do Trabalho (2)
  • Apoio especializado – Psicologia (cadastro reserva)
  • Apoio especializado – Serviço Social (9)
  • Apoio especializado – Análise de Sistemas (3)
  • Apoio especializado – Suporte em Tecnologia da Informação (3)
  • Apoio especializado – Análise de Dados (5)
  • Apoio especializado – Segurança da Informação (5)
  • Judiciária – Oficial de Justiça Avaliador Federal (25)
  • Judiciária – Sem Especialidade (29)
  • Arquivologia (1)

Técnico judiciário

  • Administrativa – Sem Especialidade (cadastro reserva)
  • Administrativa – Segurança (cadastro reserva)
  • Apoio especializado – Programação de Sistemas (cadastro reserva)
  • Apoio Especializado – Enfermagem (cadastro reserva)

Os ganhos, segundo o Portal da Transparência, variam de R$ 3.163,07 a R$ 5.189,71 para jornada semanal de 40 horas.

FGV é a banca

Oficializada em dezembro, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) será a banca organizadora do concurso. No concurso realizado em 2015, o Cebraspe foi o organizador.

Na ocasião, os candidatos foram avaliados mediante provas objetivas, compostas por 120 itens sobre língua portuguesa, noções de informática, ética no serviço público, atualidades e conhecimentos específicos.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

TJMG pode ter edital de concurso publicado ainda nesta quarta (19/1)

Publicado em Deixe um comentárioConcursos Públicos, Tribunal de Justiça

Vagas serão de nível médio e nível superior

Karolini Bandeira*- O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Gilson Soares Lemes, pegou todo mundo de surpresa. Em publicação nas redes nesta terça-feira (18/1), Lemes informou que o edital de abertura do novo concurso público para o quadro de servidores pode ser publicado ainda nesta quarta (19).

As vagas serão para os cargos de oficial judiciário e analista judiciário. Para ser oficial, que tem como ganho inicial R$ 2.986,57, é obrigatório nível médio completo. Analistas devem possuir ensino superior completo e o salário é de R$ 4.677,09.

Os servidores também terão direito, entre outros benefícios, a R$ 1.100 referente ao auxílio-alimentação e R$ 150 de auxílio-transporte. A carga horária semanal é de 40 horas.

Ainda não se sabe a banca organizadora definida ou o número de vagas que será ofertado.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes