Caixa: 80% dos bancários têm doença relacionada ao trabalho

Publicado em Deixe um comentáriocarreira bancária, Concursos, Concursos Públicos, Empresa pública, servidores públicos

Segundo pesquisa da Fenae, 33% dos afastamentos por licença médica foram motivados por depressão. Também há afastamentos motivados por ansiedade, síndrome de Burnout e síndrome do pânico

Um total de 80% dos bancários da Caixa Econômica Federal que participaram de nova pesquisa realizada pela Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae) têm alguma doença relacionada ao trabalho. Os resultados do levantamento também revelam dados alarmantes: 33% dos afastamentos por licença médica foram motivados por depressão, 26% por ansiedade, 13% por Síndrome de Burnout [esgotamento profissional, exaustão extrema] e 11% por Síndrome do Pânico.

Até o momento, 1.704 mil empregados da ativa responderam ao questionário da pesquisa. Deste total, 6% estão afastados do trabalho por licença médica. O estudo também mostra que 20% dos trabalhadores têm jornada de trabalho maior que oito horas diárias, que é a carga horária prevista.

A pesquisa de opinião da Fenae sobre a saúde dos bancários da Caixa foi realizada entre os últimos dias 19 de novembro e 10 de dezembro. Um total de 3.034 empregados participaram do estudo, sendo 56% (1.704) empregados da ativa e 44% (1.330), aposentados.

Do total de respondentes da ativa, 74% estão lotados em agências, 34% têm cargo em gerência e 21% são Técnicos Bancários Novos (TBN). Um percentual de 71% tem entre 30 e 49 anos. Já entre os aposentados, 66% têm de 60 a 69 anos. A margem de erro da pesquisa é de 1,8 ponto percentual, com intervalo de confiança de 95%.

Conforme avalia o presidente da Fenae, Sergio Takemoto, o cenário “piorou muito” desde o último levantamento da Federação sobre a saúde dos empregados [iniciado em 2018]. “Sabemos que a pandemia é um fator que pesa na saúde mental dos trabalhadores. Mas, a atual pesquisa mostra que o adoecimento está atrelado ao trabalho”, analisa. “Ou seja, o modo de gestão do banco, as cobranças e a pressão por metas, além de jornadas extenuantes, estão interferindo na saúde dos empregados. Esses dados vão nos ajudar a buscar ações em defesa dos bancários da Caixa, que se mantiveram na linha de frente do atendimento à população em toda esta crise sanitária.”

Preocupação antiga

Antes da pandemia, o quadro de saúde psicológica dos empregados da Caixa Econômica já preocupava a Federação. Um levantamento feito pela entidade em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) revelou que mais da metade dos trabalhadores do banco (53,6%) havia passado por pelo menos um episódio de assédio moral. O estudo também mostrou que quase 20% dos empregados ativos revelaram ter depressão ou ansiedade. O percentual de bancários que buscavam acompanhamento regular psicológico ou psiquiátrico era de 19,6%. E 47% dos trabalhadores tinham conhecimento de algum episódio de suicídio entre colegas.

‘Dados assustadores’

“Os dados são assustadores”, avalia a diretora de Saúde e Previdência da Fenae, Fabiana Matheus. “De imediato, com estas informações preliminares, podemos dizer que a Caixa, de algum modo, está fazendo mal à saúde dos seus trabalhadores”, completa.

“Os dados coletados irão subsidiar a Fenae e as associações de pessoal do banco (Apcefs) na construção de ações de saúde e bem-estar, além de auxiliar nas nossas reivindicações junto à direção da Caixa para a melhoraria das condições de trabalho dos empregados”, ressalta Sergio Takemoto.

Sobrecarga em 2021

Estudo feito no final de julho de 2021 pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostra que, de 2015 a 2020, houve uma redução de 14.866 postos de trabalho na Caixa. Segundo o levantamento, entre 2018 e o primeiro trimestre de 2020, o número de clientes por servidor do banco subiu de 1.070 para 1.775, ou seja, um total de 65% de aumento.

“Os dados do Dieese comprovam a situação crítica do quadro de pessoal da Caixa Econômica, que, além de ser o ‘banco da habitação’, é também responsável pelo pagamento do auxílio emergencial e de outros benefícios sociais a milhares de brasileiros, pela concessão de crédito à população mais necessitada e pelos investimentos em setores estratégicos do país, como infraestrutura, saúde e saneamento básico”, ressaltou Takemoto. “De 2014 até o primeiro semestre deste ano, o banco público perdeu 19,7 mil empregados”.

1.100 vagas exclusivas para PcD

Em 2021, foi realizado um concurso na CEF com 1.100 vagas exclusivas para pessoas com deficiência, no cargo de técnico bancário. Para o cargo, o profissional deve ter nível médio completo e poderá atuar na rede de agências ou na área de Tecnologia da Informação (TI) — sendo, a última opção, para lotação no Distrito Federal.

A remuneração inicial é de R$ 3.000 para uma carga horária semanal de 30 horas. Se forem somados os benefícios, os ganhos podem chegar a R$ 4.486,03.

Concurso para ampla concorrência

O último concurso da Caixa para a ampla concorrência foi realizado em 2014 ofertando vagas exclusivamente para formação de cadastro reserva. Ao todo, 1.176.614 pessoas se candidataram às vagas. O cargo foi para técnico bancário novo, com remuneração de R$ 2.025. Para assumir é necessário possuir ensino médio completo. A seleção foi realizada por provas objetivas, discursivas e exames médicos admissionais. O concurso teve validade de um ano e foi prorrogado por igual período.

 

*Com informações da Fenae

Fenae cobra nomeações na Caixa: ‘Ritmo das contratações segue lento’

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Empresa pública, Excedente, Nomeação

Karolini Bandeira*- A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) votou a cobrar a convocação dos concursados aprovados no último certame da Caixa, realizado em 2014. Apesar do comprometimento firmado pelo banco em julho de convocar mais três mil profissionais, a federação reclama da lentidão no andamento das posses.

Segundo a Fenae, o banco ainda não nomeou nem metade do prometido pelo presidente, Pedro Guimarães. “O ritmo das contratações segue lento, enquanto nas agências os trabalhadores enfrentam sobrecarga de trabalho e adoecimento. Números levantados pela Fenae indicam que a direção da empresa não admitiu nem metade do que foi anunciado”, publicou a entidade.

“Em agosto, a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) autorizou o banco público a contratar mais 3 mil funcionários, ampliando seu quadro de pessoal para 87.544. Conforme dados de outubro, a Caixa contava com 85.772 mil funcionários. Isso representa 1.772 a menos do total autorizado”, explica a Fenae.

Entenda

Publicada em agosto, uma Portaria da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) do Ministério da Economia, aumenta o quantitativo de pessoal da caixa de 84.544 para 87.544. Conforme o artigo 3º da normativa, “compete à empresa gerenciar o seu quadro de pessoal próprio, praticando atos de gestão para contratar ou desligar empregados, desde que observado o limite estabelecido no Art. 1º, as dotações orçamentárias aprovadas para cada exercício bem como as demais normas legais pertinentes”.

O presidente da Fenae, Sergio Takemoto, pontuou que a quantidade de cargos autorizada pela Sest é bem menor que o número de vagas anunciadas pelo banco em julho. Na ocasião, a direção da estatal prometeu o preenchimento de “10 mil vagas” na Caixa. O presidente, Pedro Guimarães, anunciou: “Vamos contratar 10 mil pessoas. Destas, 4 mil serão novos empregados, sendo que 3 mil dependem de autorização do Ministério da Economia. Outros mil serão para PCDs, em setembro.”

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

 

Hemobrás vai abrir concurso público e já tem banca organizadora contratada

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Empresa pública

Karolini Bandeira*- A Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) tem novo concurso confirmado e a banca organizadora já foi contratada! O Instituto Consulplan foi oficializado como o organizador do certame em extrato de contrato publicado no Diário Oficial da União nesta terça-feira (21/9).

Assinado no último dia 17, o prazo de validade do contrato é de um ano, ou seja, até setembro de 2022. Informações como número de vagas e regiões e áreas contempladas não foram divulgadas pelo órgão ainda.

No último concurso, realizado em 2013, foram abertas 183 vagas com lotação em Brasília e Recife. As oportunidades foram para os níveis médio, como assistente e técnico, e superior como analista e especialista. Na ocasião, os ganhos iniciais ofertados variavam de R$ 1.575,72 e R$ 4.854,44. Organizado pela Fundação Carlos Chagas (FCC), o certame contou com provas objetivas como método de avaliação.

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Concurso da Caixa com 1.000 vagas tem banca organizadora contratada

Publicado em Deixe um comentáriocarreira bancária, Concursos, Concursos Públicos, Empresa pública

Karolini Bandeira*- O novo concurso da Caixa Econômica Federal, com 1.000 vagas para pessoas com deficiência, teve banca organizadora definida! Conforme extrato de contrato publicado nesta terça-feira (31/8), o certame ficará sob a responsabilidade da Fundação Cesgranrio. O edital está previsto para setembro, com todas as vagas destinadas ao cargo de técnico bancário novo.

O cargo de técnico bancário é de nível médio. Os ganhos iniciais são de R$ 3.000, chegando a até R$ 4.486,03 com benefícios. Os profissionais contratados deverão atuar em jornada semanal de 30 horas. Cabe aos técnicos prestar atendimento e fornecer as informações solicitadas pelos clientes e público, efetuar todas as atividades administrativas necessárias ao bom andamento do trabalho na Unidade, operar microcomputador e outros equipamentos existentes, entre outros.

De acordo com o banco, poderão participar da seleção todas as pessoas que se enquadrem legalmente na condição de Pessoa com Deficiência – PcD, nos termos do artigo 4º do Decreto n. 3.298/1999 e da súmula 377 do STJ.

Além do novo concurso público, o presidente do banco anunciou que outras vagas serão preenchidas por pessoas aprovadas no certame de 2014, que continua válido. O banco pretende contratar, ao todo, 10 mil novos funcionários para atuação nas agências.

Último concurso

O último concurso da Caixa Econômica Federal foi realizado em 2014 ofertando vagas exclusivamente para formação de cadastro reserva. Ao todo, 1.176.614 pessoas se candidataram às vagas. O cargo foi para técnico bancário novo, com remuneração de R$ 2.025. Para assumir é necessário possuir ensino médio completo. A seleção foi realizada por provas objetivas, discursivas e exames médicos admissionais. O concurso teve validade de um ano e foi prorrogado por igual período.

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Previsto para setembro, concurso da Caixa segue em fase de escolha de banca

Publicado em Deixe um comentáriocarreira bancária, Concursos, Concursos Públicos, Empresa pública

Karolini Bandeira*- O novo concurso da Caixa Econômica Federal destinado a pessoas com deficiência segue em fase de escolha de banca organizadora. O certame está previsto para setembro, com todas as vagas destinadas ao cargo de técnico bancário novo. O edital irá trazer a oferta de 1.000 vagas para servidores efetivos.

O cargo de técnico bancário é de nível médio. Os ganhos iniciais são de R$ 3.000, chegando a até R$ 4.486,03 com benefícios. Os profissionais contratados deverão atuar em jornada semanal de 30 horas. Cabe aos técnicos prestar atendimento e fornecer as informações solicitadas pelos clientes e público, efetuar todas as atividades administrativas necessárias ao bom andamento do trabalho na Unidade, operar microcomputador e outros equipamentos existentes, entre outros.

De acordo com o banco, poderão participar da seleção todas as pessoas que se enquadrem legalmente na condição de Pessoa com Deficiência – PcD, nos termos do artigo 4º do Decreto n. 3.298/1999 e da súmula 377 do STJ.

Além do novo concurso público, o presidente do banco anunciou que outras vagas serão preenchidas por pessoas aprovadas no certame de 2014, que continua válido. O banco pretende contratar, ao todo, 10 mil novos funcionários para atuação nas agências.

Último concurso

O último concurso da Caixa Econômica Federal foi realizado em 2014 ofertando vagas exclusivamente para formação de cadastro reserva. Ao todo, 1.176.614 pessoas se candidataram às vagas. O cargo foi para técnico bancário novo, com remuneração de R$ 2.025. Para assumir é necessário possuir ensino médio completo. A seleção foi realizada por provas objetivas, discursivas e exames médicos admissionais. O concurso teve validade de um ano e foi prorrogado por igual período.

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Aprovados no concurso do BRB reivindicam posse e ampliação do prazo de validade

Publicado em Deixe um comentárioBRB, carreira bancária, Concursos Públicos, Distrito Federal, Empresa pública, Excedente

Karolini Bandeira*- A comissão dos candidatos aprovados no último concurso público para escriturários do Banco de Brasília (BRB), promoveu, na manhã desta quarta-feira (18/8), manifestação reivindicando a nomeação de todos os 325 remanescentes do cadastro de reserva até o fim do prazo do certame, a reposição das vagas não preenchidas e a retificação da validade da seleção.

Representante do Sindicato dos Bancários de Brasília (SEEB/DF) no ato, Ronaldo Lustosa demonstrou o apoio da entidade aos pedidos dos candidatos: “O Sindicato dos Bancários de Brasília (SEEB/DF) acredita no potencial de todos os aprovados que estão aqui fazendo movimento para sensibilizar a direção do banco para zerar o cadastro de reserva — que é possível.” O diretor reforçou que o sindicato está unido aos excedentes e que as exigências serão levadas adiante. “Vamos firmes à luta”, encorajou.

Reposição de vagas e ampliação de validade

A comissão luta pela ampliação, por mais um ano, do prazo de validade do certame realizado em 2019. Desta forma, o certame ficaria válido até 14 de setembro de 2023, ajustando assim o cronograma do concurso, que foi impactado pela pandemia de covid-19. Outra exigência de caráter urgente para os excedentes é a reposição das vagas não preenchidas do Edital de Convocação n° 11, que deve completar as 200 convocações originalmente planejadas.

“Os aprovados estão prontos”, garante a comissão

Em nota, a comissão dos aprovados reforçou que os excedentes são capacitados e estão prontos para contribuírem com o trabalho no banco. Ainda segundo o grupo, o BRB vêm expandindo cada vez mais e o reforço profissional se torna cada vez mais necessário. “Um banco público forte e capaz de cumprir seus propósitos de promoção do desenvolvimento econômico, social e humano do DF e das regiões onde atua — bem como expandir de forma sustentável — precisa valorizar o seu corpo de funcionários atual e futuro. Os aprovados do concurso Escriturários 2019 estão prontos e preparados para ajudar o Banco nessa missão. Queremos jogar juntos também”, escreveu a equipe.

Concurso foi realizado em 2019

O concurso ofereceu chances para escriturários advogados, analistas e engenheiros. Os salários dos aprovados variam de R$ 3.342,26 (escriturários com carga horária de 30 horas semanais) a R$ 20.372,44 (advogados com carga horária de 40 horas semanais). Para analistas de TI e engenheiro de segurança do trabalho, a remuneração é, respectivamente, de R$ 8.021,67 e R$ 11.517,35. O Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades) foi o organizador.

 

 

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Após privatização da CEB, funcionários pedem manutenção de vínculo público com a empresa

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, Empresa pública

Empregados foram admitidos após concurso público em 2009 e agora pedem manutenção de direitos ós privatização da empresa.

Uma ação proposta para aproximadamente 50 empregados da Companhia Energética de Brasília (CEB) foi protocolada na Justiça do Distrito Federal com objetivo de pedir a manutenção do vínculo público dos funcionários com a empresa, mesmo após a privatização do órgão. De acordo com o autor e advogado da ação Max Kolbe, até o momento não existe no Brasil nenhum precedente nesse sentido e ganhar a ação seria um divisor de águas.

“Se ganharmos, será uma mudança de paradigma no país beneficiando milhares de empregados prejudicados por uma mudança unilateral em seu contrato de trabalho, muita das vezes, sendo forçado, ou mesmo obrigado, a assinar um programa de demissão voluntária para não ser demitido após a privatização. Foram meses criando essa ação”, disse.

A ação trata-se de uma Reclamação Trabalhista com pedido de tutela antecipada que objetiva o reconhecimento da ilegalidade de alteração unilateral de contrato dos trabalhadores.  Isso porque o autor foi aprovado em concurso
público e possui um vínculo público com a Administração, o que diminui o direito da empresa de demiti-lo sem a realização de um processo administrativo ou qualquer outro instrumento que lhe garanta o direito de ampla defesa e
contraditório.

Ação denuncia ilegalidade

Segundo o documento, após a venda da CEB para a Bahia Geração de Energia S.A, os empregados da empresa  teoricamente tiveram o contrato de trabalho alterado, perdendo vários direitos e não respeitando o vínculo com a Administração Pública sem que tivesse qualquer possibilidade de acordo firmado.

Desse modo, segundo Kolbe, é preciso ressaltar que o vínculo com a Administração Pública é um mais forte, porque a contratação se deu por meio de aprovação em concurso público, logo, não se poderia alterar o regime contratual de público para privado em razão da terceirização de uma das empresas do grupo econômico.

Ainda segundo o advogado, o vínculo não pode ser alterado “ao bel prazer” das empresas, uma vez que há uma grande ofensa ao princípio da Confiança.

Ele alega também que para a demissão de um empregado público, deve haver Processo Administrativo Disciplinar que lhe garante o direito de Ampla Defesa e Contraditório, o que não é garantido aos empregados privados. “Nessa ótica, deveria permanecer o vínculo com a Administração Pública por meio da absorção do empregado, uma vez que não foi toda a empresa que foi vendida, apenas parte dela.”

O pedido requer inicialmente que as empresas juntem aos os contratos de trabalhos firmados pela CEB
Iluminação Pública com os novos empregados, a fim de demonstrar a plena possibilidade de permanência dos empregados com as empresas estatais pertencentes à holding.

Por fim, pede a permanência da estabilidade do autor da ação até a decisão final de mérito do processo, com a preservação de todas as vantagens salariais devidas, sob pena de “afronta ao princípio da inalterabilidade contratual lesiva”.

 

Dois meses para a prova! Como se preparar para o concurso do Banco do Brasil?

Publicado em Deixe um comentáriocarreira bancária, Concursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Empresa pública

O concurso oferece 4.480 vagas para o nível médio; inscrições ainda abertas

Karolini Bandeira*- Faltam dois meses para as provas do concurso público do Banco do Brasil (BB), com mais de 4.000 vagas para âmbito nacional. Previstas para 26 de setembro, os exames contarão com 70 questões e uma redação. Nesta reta final, o ideal é que os preparos sejam intensificados, por isso, o Papo de Concurseiro conversou com o especialista em conhecimentos bancários e professor do IMP Concursos, Léo França, para entender melhor sobre os exames e como se planejar.

Como serão as provas?

Como as áreas de atuação são distintas, os conteúdos previstos no exame também são diferentes. Para os escriturários da área comercial, as provas contarão com 70 questões, sendo 45 de conhecimentos específicos e 25 de conhecimentos básicos. Veja as disciplinas:

Conhecimentos básicos

  • Língua Portuguesa (dez questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Língua Inglesa (cinco questões com valor de um ponto cada);
  • Matemática (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Atualidades do Mercado Financeiro (cinco questões com valor de um ponto cada).

Conhecimentos específicos

  • Matemática Financeira (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Conhecimentos Bancários (dez questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Conhecimentos de Informática (15 questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Vendas e Negociação 15 questões com valor de 1,5 ponto cada).

Para os escriturários com foco em tecnologia da informação, as provas também terão 70 questões, sendo 25 de básicos e 45 de específicos. O conteúdo específico, entretanto, será bem diferente do conteúdo para a outra ocupação. Veja!

Conhecimentos básicos

  • Língua Portuguesa (dez questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Língua Inglesa (cinco questões com valor de um ponto cada);
  • Matemática (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Atualidades do Mercado Financeiro (cinco questões com valor de um ponto cada).

Conhecimentos específicos

  • Probabilidade e Estatística (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Conhecimentos Bancários (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Tecnologia da Informação (35 questões com valor de 1,5 ponto cada).

Especialista indica estudar diariamente

O especialista Léo França ressalta que é, sim, possível iniciar as preparações nos últimos dois meses antecedentes à prova e ser aprovado. “Desde que estude com planejamento e organização”, reforçou o professor. “Deve-se montar planilha de estudos diários, abarcando todas as disciplinas e com ênfase no conteúdo específico. Alternando entre teoria e resolução de questões, inclusive de concursos anteriores da área bancária. E sem menosprezar a redação”, aconselhou.

Os inscritos vão passar por provas objetivas, com caráter eliminatório e classificatório, e por redação, de caráter eliminatório. O professor aconselha se preparar bastante para a dissertação: “A dica é simular o ambiente e o tempo de prova (em média, gasta-se uma hora para a redação, que compreende: introdução, desenvolvimento e conclusão).”

França ressaltou os assuntos constantes da disciplina de atualidades do Sistema Financeiro Nacional, que podem vir a ser tema de redação. Algumas das possibilidades citadas pelo especialista foram: Os bancos na Era Digital: Atualidade, tendências e desafios; Internet banking; Mobile banking; Open banking; Novos modelos de negócios; e Fintechs, startups e big techs.

Como dicas pessoais, França indicou elaborar duas ou três redações por semana, ler artigos relacionados à disciplina atualidades do Sistema Financeiro, mesclar entre teoria e resolução de exercícios, estudar com mais intensidade as disciplinas de conhecimentos específicos e dividir os turnos de estudo. “Caso não disponha de um dia inteiro para estudar, você pode adaptar ao tempo possível de estudo. Mas de forma planejada e organizada”, disse. Por fim, o especialista lembrou aos concurseiros: “A dor é temporária. O benefício do seu esforço será para sempre!”

Duas áreas

O certame lançado este ano pelo BB é diferente do que a empresa geralmente abre. Desta vez, foram abertas oportunidades em dois cargos de diferentes especialidades para todo o território nacional. Ao todo, são 4.480 vagas, sendo 4.000 para agente comercial – escriturário (sendo 2.000 imediatas e 2.000 para cadastro de reserva) e 480 para agente de tecnologia – escriturário de TI (sendo 240 imediatas e 240 para cadastro de reserva).

O agente comercial deverá prestar serviços aos clientes nas agências, enquanto os agentes de tecnologia terão o papel de atuar com foco em Internet Banking. Ambos as carreiras têm como remuneração inicial R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais. Além do salário base, há ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e cesta alimentação, no valor mensal de R$ 654,87.

As profissões têm a possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados, nos termos da legislação pertinente e acordo sindical vigente; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência; e previdência complementar. Além dos benefícios, o banco também irá oferecer aos selecionados bolsas de idiomas, incentivos para graduação, pós-graduação lato sensu, mestrado e doutorado, oportunidades de mentoria, compartilhamento de experiências e hackathons.

Ambos os cargos são de nível médio.

Inscrições até 28 de julho

As inscrições são aceitas pelo site da banca Cesgranrio apenas até 28 de julho. A participação custa R$ 38. Veja mais detalhes!

 

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco

O que vai cair na prova do Banco do Brasil? Saiba como será a avaliação do concurso

Publicado em Deixe um comentáriocarreira bancária, Concursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, Empresa pública

São mais de 4.000 vagas para todo o Brasil

Karolini Bandeira*- As provas do concurso público do Banco do Brasil (BB), que oferece mais de 4.000 em todo o Brasil, serão realizadas em 26 de setembro! Dúvidas sobre qual será o conteúdo cobrado na etapa e como ele será distribuído são normais, por isso, trouxemos para você informações detalhadas sobre quais são os assuntos previstos para a prova. Confira!

Duas áreas

O certame lançado este ano pelo BB é diferente do que a empresa geralmente abre. Desta vez, são abertas oportunidades em dois cargos de diferentes especialidades para todo o território nacional. Ao todo, são 4.480 vagas, sendo 4.000 para agente comercial – escriturário (sendo 2.000 imediatas e 2.000 para cadastro de reserva) e 480 para agente de tecnologia – escriturário de TI (sendo 240 imediatas e 240 para cadastro de reserva).

O agente comercial deverá prestar serviços aos clientes nas agências, enquanto os agentes de tecnologia terão o papel de atuar com foco em Internet Banking. Ambos as carreiras têm como remuneração inicial R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais. Além do salário base, há ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e cesta alimentação, no valor mensal de R$ 654,87.

As profissões têm a possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados, nos termos da legislação pertinente e acordo sindical vigente; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência; e previdência complementar. Além dos benefícios, o banco também irá oferecer aos selecionados bolsas de idiomas, incentivos para graduação, pós-graduação lato sensu, mestrado e doutorado, oportunidades de mentoria, compartilhamento de experiências e hackathons.

Ambos os cargos são de nível médio.

Conteúdo para agente comercial

Como as áreas de atuação são distintas, os conteúdos previstos no exame também são diferentes. Para os escriturários da área comercial, as provas contarão com 70 questões, sendo 45 de conhecimentos específicos e 25 de conhecimentos básicos. Veja as disciplinas:

Conhecimentos básicos

  • Língua Portuguesa (dez questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Língua Inglesa (cinco questões com valor de um ponto cada);
  • Matemática (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Atualidades do Mercado Financeiro (cinco questões com valor de um ponto cada).

Conhecimentos específicos

  • Matemática Financeira (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Conhecimentos Bancários (dez questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Conhecimentos de Informática (15 questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Vendas e Negociação 15 questões com valor de 1,5 ponto cada).

Conteúdo para agente de tecnologia

Para os escriturários com foco em Tecnologia da Informação, as provas também terão 70 questões, sendo 25 de básicos e 45 de específicos. O conteúdo específico, entretanto, será bem diferente do conteúdo para a outra ocupação. Veja!

Conhecimentos básicos

  • Língua Portuguesa (dez questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Língua Inglesa (cinco questões com valor de um ponto cada);
  • Matemática (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Atualidades do Mercado Financeiro (cinco questões com valor de um ponto cada).

Conhecimentos específicos

  • Probabilidade e Estatística (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada);
  • Conhecimentos Bancários (cinco questões com valor de 1,5 ponto cada); e
  • Tecnologia da Informação (35 questões com valor de 1,5 ponto cada).

Especialista indica estudar bastante para a redação

Além da prova objetiva de múltiplas escolhas, os inscritos também passarão por redação sobre atualidades. Ao Papo de Concurseiro, o especialista em Conhecimentos Bancários e Atualidades do Sistema Financeiro Nacional e professor do IMP Concursos, Léo França, falou que é muito importante treinar bastante para a dissertação.  “A dica é simular o ambiente e o tempo de prova (em média, gasta-se 1 hora para a redação, que compreende: introdução, desenvolvimento e conclusão)”.

França também indicou os os assuntos constantes da disciplina de Atualidades do Sistema Financeiro Nacional, que podem vir a ser tema de redação. Algumas das possibilidades citadas pelo profissional foram: Os bancos na Era Digital: Atualidade, tendências e desafios; Internet banking; Mobile banking; Open banking; Novos modelos de negócios; e Fintechs, startups e big techs. Confira aqui todas as dicas do professor!

Inscrições até 28 de julho

As inscrições são aceitas pelo site da banca Cesgranrio até 28 de julho. A participação tem o valor de R$ 38. O concurso será composto de aplicação de provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, prova de redação, de caráter eliminatório, aferição da veracidade da autodeclaração prestada por candidatos pretos ou pardos e procedimentos admissionais e perícia médica. Veja mais detalhes!

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Concurso do Banco do Brasil: último dia para pedidos de isenção de taxa

Publicado em Deixe um comentáriocarreira bancária, Concursos, Concursos Públicos, Empresa pública

Karolini Bandeira*- Atenção, concurseiros! O prazo para pedidos de isenção no concurso público do Banco do Brasil é encerrado nesta quinta-feira (1°/7). O edital de abertura prevê a gratuidade para inscritos no CadÚnico, membros de família de baixa renda e doadores de medula óssea.

Os interessados devem solicitar o benefício pelo site da banca organizadora, Fundação Cesgranrio, e encaminhar as documentações comprobatórias. O resultado final dos pedidos será divulgado no dia 20 de julho. Caso a solicitação seja indeferida, os inscritos podem efetuar o pagamento da taxa, de R$ 38, em qualquer banco até 29 de julho. Solicite aqui a isenção da taxa!

Inscrições abertas até 28 de julho

O concurso do Banco do Brasil oferta, ao todo, 4.480 vagas como escriturário para diversos estados e o Distrito Federal. O salário inicial é de R$ 3.022,37. Veja a distribuição das vagas:

  • 2.000  vagas para Escriturário – Agente Comercial, mais 2.000 de cadastro reserva, para atuação nas unidades de negócios
  • 240 vagas de Escriturário – Agente de Tecnologia, e outras 240 de cadastro de reserva, com foco em Conhecimentos de TI

As chances são para os estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal.

Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação.

O concurso será composto de aplicação de provas objetivas, de caracteres eliminatório e classificatório, prova de Redação, de caráter eliminatório, aferição da veracidade da autodeclaração prestada por candidatos (as) pretos (as) ou pardos (as), e procedimentos Admissionais e Perícia Médica. Confira os detalhes aqui!

 

Confira:

Especialista dá dicas de preparação para cargo de escriturário

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer