204.307 vagas: Está em dúvida sobre se inscrever no concurso do IBGE? Técnico do órgão dá super dicas

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Dicas de estudo, Governo federal

Concurso recém-lançado tem grande oferta de vagas a diversos cargos, um pode se encaixar em seu perfil, veja:

 

Karolini Bandeira*- A Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE) divulgou, nesta quinta-feira (18/2), os editais para o Censo Demográfico 2021! Ao todo, os documentos ofertam 204.307 vagas para os cargos de recenseador, agente censitário municipal e agente censitário supervisor, funções com salário de até R$ 2.100. As inscrições serão abertas a partir desta sexta-feira (19/2), e a taxa de inscrição é a partir de R$ 22,77.

Os contratos serão temporários e terão vigência de 30 dias, com possibilidade de prorrogação. Como método de seleção, os candidatos deverão aplicar prova objetiva, prevista para abril. Os concursos serão organizados pelo Cebraspe. Para dar uma luz aos candidatos que pretendem se inscrever, Jeck Ferraz, técnico do IBGE e especialista no assunto, dá dicas de como estudar para a grande seleção e mostra que é, sim, possível começar a se preparar agora e conquistar a tão esperada aprovação!

 

Ainda não comecei a estudar! E agora?

Se você ainda não teve tempo de se preparar, não precisa entrar em pânico! A primeira prova (para agente municipal e agente supervisor) só será aplicada em 18 de abril e, para o especialista Jeck Ferraz, é completamente possível obter a aprovação se organizando e estudando durante os próximos dois meses. Ferraz relembra que a seleção abrange todas as regiões e, devido a isto, a concorrência pode ser baixa: “Há muitas vagas e para todos os municípios do país. Há lugares concorridos, mas há municípios com concorrência baixíssima.”

Para o especialista, começar pelas questões das provas anteriores é uma boa tática de estudo: “Estudar pelas questões anteriores das provas do IBGE pode ser uma boa ideia, principalmente do Censo Experimental de 2019 e do Censo Agro de 2017.”  “Há também ótimos cursos online para o IBGE com preço bem em conta”, completa.

 

Em qual conteúdo focar?

O conteúdo cobrado nas provas diverge de acordo com o cargo escolhido. Os candidatos à função de recenseador, de nível fundamental, farão prova objetiva de língua portuguesa, matemática, ética e conhecimentos técnicos. Já aos cargos de agente censitário municipal e agente censitário supervisor, será aplicada prova objetiva de língua portuguesa, raciocínio lógico, ética, noções de administração e conhecimentos técnicos. Independente da área escolhida, Ferraz destaca que é importante priorizar os conhecimentos técnicos. E enfatiza: “Para recenseador metade da prova é sobre essa disciplina, sem falar que é importantíssima no trabalho.”

 

Mas, será que devo concorrer?

Para os que ainda estão na dúvida se devem ou não se inscrever, Ferraz ressalta por que apostar na seleção é uma boa ideia. “Trabalhar no IBGE é uma oportunidade de crescimento profissional e humano. Quem atuar como recenseador vai realmente conhecer a realidade do povo brasileiro e ainda ganhar uma boa remuneração caso se dedique, pois é por produtividade”, diz. De acordo com o profissional, também é possível ocupar o cargo mantendo um outro emprego: “O IBGE recomenda no mínimo 25h semanais e não há jornada fixa, portanto é possível inclusive conciliar um trabalho na iniciativa privada com a função de recenseador.” Vale ressaltar, também, que, em comparação à taxa de participação de outros certames, a seleção do IBGE está “em conta”.

 

Saiba tudo sobre o edital do IBGE aqui: IBGE publica editais com mais de 204 mil vagas para o Censo 2021

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

 

 

 

207.332 vagas! IBGE recebe autorização para abrir seleção para o Censo 2021

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Governo federal

As chances serão distribuídas em seis cargos distintos; edital em até seis meses

 

Notícia ótima! Finalmente a autorização para a abertura da seleção nacional simplificada para a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE) foi publicada.

O secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, do Ministério da Economia, Caio de Andrade assinou a portaria que permite a contratação do quantitativo máximo de 207.332 profissionais, por tempo determinado, para desenvolver atividades relacionadas ao Censo Demográfico 2021.

O prazo de duração dos contratos deverá ser de até um ano, com possibilidade de prorrogação conforme o previsto no inciso II do parágrafo único do art. 4º da Lei nº 8.745, de 1993, desde que a prorrogação seja devidamente justificada com base nas necessidades de conclusão das atividades.

O prazo para publicação do edital de abertura de inscrições para o processo seletivo simplificado será de até seis meses, contado a partir da publicação da portaria de autorização, ou seja, até junho deste ano.

O IBGE definirá a remuneração dos profissionais a serem contratados em conformidade com o inciso II do art. 7° da Lei nº 8.745, de 1993.

 

Veja a distribuição dos cargos:

 

A portaria em sua íntegra. 

Mesmo após banca reconhecer em outras 2 seleções, candidato não é considerado pardo e é excluído de concurso

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, cotas raciais, fraude, Tribunal do Trabalho

Ele alega ainda que foi reconhecido como pardo em sua identidade militar e em atestados médicos

 

Karolini Bandeira*- Concorrendo às vagas destinadas a candidatos pretos e pardos, um homem inscrito no concurso público do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP) foi desclassificado no exame de heteroidentificação — processo que analisa a veracidade da autodeclaração de raça. A comissão de avaliação decidiu, por unanimidade, que o homem não possuía características fenotípicas negras e, portanto, não poderia concorrer às vagas.

 

O candidato chegou a entrar com recurso e, segundo ele, foi reconhecido como pardo em atestados médicos e em sua identidade militar, além de ter sido considerado apto a concorrer nas vagas reservadas aos candidatos negros em outros dois concursos da mesma banca organizadora, a Fundação Carlos Chagas (FCC).

 

No recurso, o candidato defendeu que a veracidade da autodeclaração deveria prevalecer diante das dúvidas e subjetividade envolvidas na definição do grupo racial, já que isso causa insegurança jurídica e distorções, com diferentes julgamentos de sua cor de pele.

 

Em resposta ao recurso interposto pelo candidato, a banca se pronunciou dizendo que “em relação ao fato da aprovação do candidato em outros certames em vagas reservadas, segundo critério racial, há de se ressaltar que a Comissão de Verificação não está vinculada ao resultado de avaliações anteriores, até mesmo porque não há previsão legal ou editalícia nesse sentido. Os concursos são independentes e por este fato, as Comissões são autônomas, não podendo ou devendo estabelecer relação com processos anteriores”.

 

Leia também: Candidata do MPU foi rejeitada para cota de negros por ser “bonita”, afirma TJDFT 

O caso chegou então ao Tribunal Superior do Trabalho (TST). Seguindo o órgão, o relator, ministro Lelio Bentes Corrêa, diz que é legítima a utilização de “critérios subsidiários de heteroidentificação, desde que respeitada a dignidade da pessoa humana e garantidos o contraditório e a ampla defesa”. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ainda reforçou a importância da análise da comissão avaliadora, tendo em vista que “os efeitos da autodeclaração não são absolutos”.

 

“O fato da característica fenotípica em debate ter sido reconhecida por comissão em concurso diverso não vincula a conclusão da
comissão especialmente constituída para o presente certame, conforme previsão expressa nos itens 6.2.1 e 6.15.8 do edital,”  afirmou Corrêa no processo.

 

Por fim, o ministro concluiu que a banca examinadora cumpriu integralmente todas as normas do edital: “Não se constata, portanto, violação a direito líquido e certo do candidato contra a decisão por meio da qual a comissão avaliadora constituída para heteroidentificação, em decisão unânime e com fundamento em critério de fenotipia, manteve sua exclusão das vagas reservadas aos candidatos negros”.

Número de servidores aumenta no 2º trimestre de 2020 em relação a mesmo período de 2019, diz IBGE

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Número de contratações aumentou 3,5% (mais 405 mil pessoas), mas houve estabilidade em comparação ao primeiro trimestre. Especialista avalia números 

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, na semana passada, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) relativa ao segundo semestre do ano de 2020. Segundo os dados, a categoria dos empregados no setor público (12,1 milhões de pessoas), que inclui servidores estatutários e militares, ficou estável frente ao trimestre anterior deste ano, mas aumentou 3,5% (mais 405 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2019.

 

De acordo com Gabriel Granjeiro, especialista em concursos públicos do Gran Cursos Online, o aumento com relação ao ano passado é devido às contratações emergenciais causadas pela pandemia do vírus covid-19, principalmente na área da saúde, mas, ainda assim, é um aumento inferior ao “normal”. “Acredito que o número é esperado pelas poucas seleções realizadas e pelo déficit que não vem sido suprido, poderia ser maior se não fosse a pandemia. Além disso, houve nomeações de servidores aprovados no último semestre de 2019 e começo de 2020 que já estavam previstas, essas nomeações ocorreram para suprir uma demanda existente reprimida, e o órgão se fez valer do seu direito de convocação.”

 

Porém, Granjeiro alerta para a leitura rápido dos números sem a devida contextualização é perigosa. “O concurso público tem um ritual, não é uma contratação em regra tão rápida, nunca se pode se olhar em um horizonte tão curto, quem foi nomeado agora passou há um, dois anos.”

 

Agora, sobre a estabilidade de contratações com relação ao primeiro trimestre de 2020, o especialista avalia ser um cenário esperado no contexto incomum deste ano, em que vários concursos foram adiados, por não ser possível aplicar prova. “Esses números refletem esse contexto de que essas novas vagas foram seguradas e alguns órgãos também reteram as nomeações por questões econômicas. Tão logo a ordem econômica se estabeleça as nomeações devem ser retomadas. Mas quem foi aprovado dentro do número de vagas oferecido pelo edital do concurso tem direito à nomeação, isso é garantia do Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Para além dos números, Granjeiro aconselha os concurseiros a enxergar a meta de ser servidor público a médio e longo prazos. “A trilha até a aprovação no cargo/órgão desejado passa por picos, altos e baixos, e nem sempre os números são estáveis, podem flutuar e isso é normal. Eu me pautaria em realmente escolher a carreira que tem perspectiva de publicação de edital, seguir um plano de estudo consistente e estar pronto para as provas que vão acontecer em 2021. Este ano é de plantio e próximo, de colheita. Esses dados do IBGE podem ser considerados negativos ou positivos, é preciso ter consciência de que sempre há uma notícia que pode te levantar ou te puxar para baixo, mas o importante é não desistir e manter o ritmo de estudos.”

 

Sobre as carreira que hoje estão em alta e têm maiores chances de lançamento de concurso estão: as carreira policiais (Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal), que podem sair ainda este ano, segundo confirmação do próprio presidente da República; todas as polícias civis estaduais e do Distrito Federal, além das militares também. “Outra área que deve voltar com tudo é a de controle, devido ao contexto atual, e a de fiscalização tributária,” pontua Granjeiro. “Sem falar que o Brasil tem inúmeros tribunais e secretarias estaduais, as possibilidades são inúmeras. Os concurseiros também tem que aprender a olhar para um espectro mais amplo de oportunidades, o que pode permitir que ele seja aprovado mais rápido, e não ficar dependente do lançamento de edital da sua cidade/estado.”

 

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) Contínua visa acompanhar as flutuações trimestrais e a evolução, no curto, médio e longo prazos, da força de trabalho, e outras informações necessárias para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do país. Veja a pesquisa aqui. 

IBGE: confirmada abertura de concurso com 208 mil vagas em 2021

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Após a suspensão do certame este ano, o concurso IBGE será realizado em 2021 e vem para atender a demanda do Censo Demográfico

 

O concurso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que vai oferecer mais de 208 mil vagas temporárias, está confirmado para o ano que vem. A informação foi dada durante a apresentação do Projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2021 na última segunda-feira (31/8).

A abertura do concurso IBGE vem para atender o Censo Demográfico que será realizado em 2021, segundo o Ministério da Economia. O Governo Federal chegou a estudar o adiamento do Censo 2021 e, consequentemente, o concurso. A ideia era aumentar os recursos da Defesa, usando os recursos destinados à coleta.

Na última segunda, o PLOA 2021 foi apresentado com a previsão de orçamento para a abertura do concurso IBGE com uma orçamento de cerca de R$ 43 milhões, confirmando assim a seleção e a coleta.

 

Editais previstos

O IBGE, em março deste ano, anunciou a suspensão do concurso do Instituto por causa da pandemia de Covid-19. Além deste certame, mais duas seleções que estavam previstas para este ano também foram adiadas para 2021.

Apesar do cancelamento do concurso, o quantitativo de vagas não será alterado em 2021, são previstas 208.695 vagas. Todas as seleções são destinadas para o Censo Demográfico. Veja a distribuição das oportunidades:

 

  • Recenseador – 180.557 vagas – nível fundamental
  • Ganhos: variáveis de acordo com a região
  • Agente censitário municipal – 5.462 vagas – nível médio
  • Ganhos de R$ 2.558 sendo R$ 2.100 + R$ 458 (auxílio- alimentação)
  • Agente censitário supervisor – 22. 676 vagas – nível médio

 

Ganhos de R$ 2.158 sendo R$ 1.700+R$ 458 (auxílio-alimentação)
O IBGE tem mais dois editais previstos além deste. O primeiro deles já foi autorizado pelo Ministério da Economia e deve abrir 192 vagas dividas da seguinte maneira: agente censitário de pesquisa por telefone (180 vagas) e supervisor censitário de pesquisa e codificação (12 vagas).

Os selecionados vão atuar com pesquisas para o Censo, por telefone, na capital do Rio de Janeiro.

O edital com mais de 208 mil vagas deve sair em março de 2021, seguido do edital com 192 vagas em abril. Por sua vez, a seleção para codificadores será publicada ao final do próximo ano provavelmente em outubro.

 

Como serão as provas do concurso IBGE?

As provas objetivas do concurso IBGE devem ser aplicadas no Distrito Federal e nos 26 estados. Sendo possível se inscrever para vagas de outros estados ou municípios. Neste caso, o candidato realizará a prova em sua cidade/estado e será convocado para trabalhar na região de interesse.

 

Confira as disciplinas e número de questões por prova: 

Prova agentes – 60 questões

  • Língua Portuguesa – 10 questões
  • Raciocínio Lógico Quantitativo – 10 questões
  • Ética no Serviço Público – 5 questões
  • Conhecimentos técnicos – 20 questões
  • Noções de Administração/Situações Gerenciais – 15 questões

Prova recenseador – 50 questões

  • Língua Portuguesa – 10 questões
  • Ética no Serviço Público – 5 questões
  • Matemática- 10 questões
  • Conhecimentos técnicos – 25 questões
  • A validade do contrato dos agentes deverá ser de cinco meses, já os recenseadores deverão, inicialmente, atuar por três meses.
*Informações de O Imparcial 

IBGE devolve taxa de inscrição a candidatos à seleção para o Censo

Publicado em Deixe um comentárioConcursos Públicos, suspensão

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) inicia hoje (19) a devolução de R$ 2,82 milhões para os candidatos inscritos no concurso de seleção para trabalhar no próximo Censo. A pesquisa, que seria realizada neste ano, foi adiada para 2021 devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Por isso, a seleção para contratar temporariamente 208.695 pessoas foi cancelada em março deste ano.

A devolução será feita por meio do aplicativo Carteira Digital BB, do Banco do Brasil, que pode ser baixado em celulares com sistema Android ou iOS. Não é necessário ser correntista do banco para usar o aplicativo e receber o dinheiro.

A escolha pelo aplicativo foi feita para evitar que as pessoas se desloquem até uma agência bancária e se formem aglomerações. Cerca de 100,7 mil candidatos pagaram as taxas, que variam de R$ 23,61 (para candidatos a recenseador) a R$ 35,80 (para agente censitário).

O Censo é feito, regularmente, a cada década, a fim de se conhecer, por meio de pesquisas no próprio domicílio, a realidade da população brasileira.

 

* Com informações da Agência Brasil

IBGE fará devolução de R$ 2,8 milhões de taxas de seleção cancelada por aplicativo

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Quem se inscreveu no processo seletivo simplificado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para o Censo 2020, cancelado em março devido ao adiamento da coleta de dados domiciliar pelo coronavírus, vai poder ter o ressarcimento da taxa de inscrição via aplicativo. A devolução do dinheiro começará em 19 de maio.

 

Serão restituídos R$ 2.823.775,95 entre os 100.735 candidatos que pagaram a taxa de inscrição até o cancelamento do processo seletivo. As taxas foram de R$ 35,80 para concorrer a funções de nível médio (agente censitário) e de R$ 23,61 para disputar as vagas de ensino fundamental (recenseador). Os inscritos para mais de um cargo receberão os valores em uma única parcela.

 

A devolução será realizada por meio do aplicativo Carteira Digital bB, do Banco do Brasil, disponível gratuitamente para celulares com sistema android ou iOS. Não é preciso ser correntista do banco para se cadastrar no aplicativo, que funciona como uma conta de pagamento digital apenas para transferência de valores e não cobra nenhuma taxa ou tarifa para pagamentos, transferências ou saques.

 

“Essa foi a solução encontrada para evitar que essas pessoas tivessem que se dirigir a uma agência bancária no período de confinamento,” disse o coordenador de Orçamento e Finanças do IBGE, Antonio Carlos Mantuano. O concurso abriu 208.695 vagas para agente censitário municipal, agente censitário supervisor e recenseador.

 

Como utilizar o app

Após baixar a Carteira Digital bB na loja de aplicativos do celular, o candidato deve selecionar “criar carteira bB” e em seguida preencher o cadastro com CPF, nome completo, data de nascimento e número do celular.

 

A partir do dia 19, o beneficiário deverá selecionar a opção “receber” na tela inicial do aplicativo e responder às perguntas de segurança baseadas nas informações fornecidas quando se inscreveu no processo seletivo. Em seguida, é só clicar em “confirmar” e o dinheiro já estará disponível na conta da Carteira Digital bB.

 

Com o valor liberado no aplicativo, o beneficiário poderá:

  •  Sacar a quantia em qualquer caixa eletrônico do Banco do Brasil;
  • Transferir para outra conta (TED);
  • Transferir para um contato que também tenha a Carteira Digital bB ativa;
  • Realizar pagamentos com código de barras ou em estabelecimentos credenciados.

Em caso de dúvidas sobre o aplicativo, o candidato pode entrar em contato com o Banco do Brasil por telefone 0800 729 5293, chat no próprio aplicativo e e-mail atendimento@carteirabb.com.br

 

A Central de Atendimento do IBGE fará contato por telefone com todos os candidatos que tenham dados de inscrição inválidos e irregularidades no CPF, a fim de viabilizar a devolução da taxa. Os candidatos com restrições de CPF junto à Receita Federal ou ao Banco do Brasil somente receberão o dinheiro de volta após a regularização das pendências com essas instituições.

 

Também será feito contato com candidatos menores de idade, que deverão indicar um responsável maior de 18 anos para a restituição do valor. Ao receber a ligação do IBGE, é possível confirmar a matrícula, RG ou CPF do atendente por meio do site Respondendo ao IBGE.

 

Em caso de dúvidas ou de impossibilidade de ressarcimento da taxa de inscrição via aplicativo, o candidato deve fazer contato com a Central de Atendimento do IBGE, pelo telefone 0800 721 8181 ou email ibge@ibge.gov.br, de segunda a sexta feira, das 8h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 10h às 14h.

 

 

*Com informações do IBGE

Censo IBGE: Cebraspe divulga data prevista para reembolso de taxas

Publicado em Deixe um comentárioCoronavírus, Governo federal, suspensão

O Cebraspe, banca organizadora de duas seleções abertas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou comunicado informando aos inscritos que vai reembolsar as taxas de inscrições pagas.

As seleções em questão tiveram o período de inscrições suspenso devido ao adiamento do Censo, que estava previsto para este ano e foi adiado para 2021, devido à pandemia de coronavírus. Os cargos atingidos foram os de agente censitário municipal e agente censitário supervisor, com 28.138 vagas abertas; e o de recenseador, com 180.557 oportunidades.

Segundo o documento, a data prevista para a disponibilização do ressarcimento é dia 18 de maio, na forma de ordem de pagamento pelo Banco do Brasil. As taxas cobradas custaram de R$ 23,61 a R$ 35,80.

 

Veja o comunicado em sua íntegra:

REEMBOLSO DAS TAXAS DE INSCRIÇÕES NOS PROCESSOS SELETIVOS PARA CENSO 2020

O IBGE e o Cebraspe estão trabalhando em conjunto para viabilizar o ressarcimento dos valores pagos pelas inscrições com a maior brevidade possível. O Cebraspe vai encaminhar as informações cadastrais de cada um dos pagantes ao IBGE, para que possamos proceder ao reembolso, que estará disponível na forma de ordem de pagamento, a cada um dos candidatos, nas agências do Banco do Brasil. Neste momento, a data prevista para a disponibilização do ressarcimento é dia 18 de maio de 2020. Reiteramos que todos os candidatos serão integralmente ressarcidos e as orientações para o recebimento dos reembolsos serão amplamente divulgadas a todos nas páginas oficiais e demais canais de comunicação do IBGE e do Cebraspe.

 

Compartilhe a notícia no FórumCW

Coronavírus: IBGE suspende coleta de dados domiciliar e vai rever cronograma do Censo

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Por meio de nota, assinada pelo Conselho diretor nesta terça-feira (17/3), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que está suspensa a coleta de informações domiciliares devido ao coronavírus.

 

Segundo o órgão, considerando o quadro de emergência da saúde pública causado pelo COVID-19 e as orientações do Ministério da Saúde, o IBGE decidiu suspender a coleta domiciliar (presencial) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD).

 

O IBGE afirmou, porém, que segue estudando alternativas para a realização da pesquisa de modo que não envolvam visitas a domicílios.

 

“Toda e qualquer opção ou possibilidade será antes testada e validada para assegurar os padrões de qualidade e excelência do corpo técnico do IBGE, buscando preservar a série histórica dos dados”.

 

Em breve, um novo cronograma do Censo Demográfico deverá ser anunciado pelo IBGE.

 

Atualmente, o IBGE está com seleção pública aberta para realização do Censo Demográfico 2020, que oferece 208.695 vagas, sendo 133.203 para o quadro de recenseador, cargo que exige nível fundamental de formação escolar; e 28.138 vagas para agente censitário municipal e agente censitário supervisor, ambos de nível médio. Só no Distrito Federal, são 354 vagas para agentes e 2.571 para recenseador.

 

As vagas desse processo seletivo estão distribuídas por todos o país e as inscrições estão abertas até 24 de março.

 

Saiba mais sobre o concurso do IBGE aqui!

Programação gratuita treina candidatos para as provas do concurso do IBGE 

IBGE assina contrato com Cebraspe para seleção com 225.678 vagas

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, DOU

Victória Olímpio * – Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (21/2) o extrato de contrato com a banca organizadora responsável pelo novo processo seletivo simplificado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) foi a contratada.

A seleção será para contratação temporária das funções de Agente Censitário Municipal, Agente Censitário Supervisor e Recenseador que irão atual no Censo Demográfico de 2020. A previsão é de que sejam 225.678 vagas! Os editais estão previstos para serem lançados no final de fevereiro ou no início de março.

 

Novas autorizações

O Ministério da Economia autorizou o IBGE a contratar 192 profissionais por tempo determinado para atuar no Censo. Os profissionais poderão ser contratados a partir de julho. “O prazo para publicação do edital de abertura de inscrições para o processo seletivo simplificado será de até 6 (seis) meses, contado a partir da publicação desta portaria”.

O IBGE já havia confirmado a distribuição total das vagas:

  • Coordenador Censitário de Subárea 1 – 600
  • Coordenador Censitário de Subárea 2 – 850
  • Agente Censitário Operacional – 1.760
  • Supervisor (call center) – 4
  • Agente Censitário Municipal – 6.100
  • Agente Censitário Supervisor – 23.578
  • Codificador Censitário – 120
  • Recenseador – 196.000
  • Supervisor PA – 1.304
  • Recenseador PA – 4.100