Ibaneis Rocha acrescenta novo artigo a Lei Geral de concursos do DF

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, DODF, GDF, Ibaneis Rocha

A partir d agora, candidatos não classificados deixam de ser eliminados nos concursos públicos locais

 

Victória Olímpio* – O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, acrescentou um novo artigo à Lei Geral de Concursos local (Lei nº 4.949, de 15 de outubro de 2012). O texto foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), desta sexta-feira (17/1),  confira a íntegra:

Art. 16-A. Os candidatos que não tenham sido classificados entre o quantitativo de vagas disponibilizadas no certame não podem ser considerados eliminados.

A alteração procede o seguinte artigo:

Art. 16: É admitido condicionar a correção ou a participação em prova de determinada etapa à aprovação e classificação na etapa anterior, simultânea ou isoladamente.

Parágrafo único. O edital normativo do concurso pode limitar a quantidade de participantes da etapa seguinte a determinada quantidade de candidatos por vaga, observada a ordem de classificação.

 

 

De acordo com Max Kolbe, advogado, consultor jurídico e especialista em concursos públicos, o novo artigo define que, caso surjam novas vagas e/ou necessidade de nomeação por parte da Administração Pública durante a validade do certame, os candidatos aprovados ainda poderão ser nomeados.

“Esse dispositivo legal visa acabar com a antinomia que só prejudicava os aprovados no concurso público fora do número de vagas pré-estabelecidas em edital, inclusive, viabilizando o interesse social da realização do concurso público que é o preenchimento das vagas para melhor agasalhar a prestação do serviço público a sociedade. Prestigiando, inclusive, em decorrência deste dispositivo legal, o princípio da eficiência da Administração Pública”.

“Suponhamos que um determinado concurso tenha 100 vagas e várias etapas. Com base no dispositivo legal, o edital normativo pode estabelecer que, após a prova objetiva, apenas 1000 candidatos terão suas redações corrigidas e, após a correção da redação, apenas 500 candidatos participarão das demais etapas. Assim, ainda que tenhamos apenas 100 vagas , os 400 remanescentes e/ou expendestes, não poderão ser considerados eliminados do concurso público,” exemplifica.

Novas regras: concessão para cessão de servidores do INSS será por prazo indeterminado

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Victória Olímpio* – Foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), desta sexta-feira (17/1), uma nova instrução normativa (de número nº 105, de 9 de janeiro de 2020), assinada pelo presidente do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), Renato Rodrigues Vieira, definindo os critérios e condições a serem observados para fins de instrução dos pedidos de cessão e requisição de servidores no âmbito do INSS.

Dentre os principais pontos, pode ser observado que a solicitação de cessão de servidor efetivo do quadro de pessoal do Instituto deverá ser requerida ao presidente do órgão e a concessão da cessão será feita por prazo indeterminado. Já as requisições para a Justiça Eleitoral, Procuradoria-Geral Eleitoral e Defensoria Pública da União serão realizadas pelo prazo de até três anos.

Também foi apontado que o servidor deverá continuar exercendo suas atividades no órgão ou entidade cedente até sua entrada em efetivo exercício no órgão ou entidade cessionária. Tornar-se-á sem efeito o ato de cessão na hipótese de o servidor não se apresentar ao órgão cessionário no prazo máximo de trinta dias, contados da publicação da portaria de cessão.

De acordo com a publicação, a cessão poderá ser encerrada a qualquer momento, por ato unilateral do cedente, do cessionário ou do servidor, mas a requisição não pode ser encerrada por ato unilateral do cedente.

Haverá reembolso nas cessões do servidor efetivo do quadro de pessoal do INSS, cedido para:

I – órgãos ou entidades de outros entes federativos; e

II – para empresas públicas ou sociedades de economia mista que não recebam recursos do Tesouro Nacional para o custeio total ou parcial de despesas de pessoal ou para o custeio em geral.

 

Confira aqui a instrução normativa na integra.

 

Leia também: Dataprev é incluída em programa de desestatização e alguns empregados são cedidos ao INSS 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Conheça as principais técnicas de memorização para concursos públicos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Para assimilar e memorizar conteúdos exigidos numa prova, a única saída é estudar – e muito. Mas quantidade nem sempre é tudo. Segundo a servidora pública e professora do IMP Concursos de Direitos Humanos e Legislações Específicas, Dayane Xavier, certas técnicas relativamente simples podem otimizar o tempo e alavancar o rendimento do aluno.

Segundo ela, cada estudante tem um método mais eficaz para sua própria memorização. A dica é que eles explorem ao máximo todas as possibilidades e descubram o que é melhor para si. “Para criar um bom mapa mental, por exemplo, é importante se atentar para os pontos chaves dia material teórico e perceber também onde há predominância de cobrança pelas bancas”, explica.

Como  método de ensino, Dayane explica que prefere utilizar tudo de forma objetiva e direta, com o auxílio de mnemônicos, palavras-chaves e mapas mentais. “Acredito que os alunos aprendem muito com estes esquemas. Gosto de fazer mapas mentais a mão mesmo, por exemplo. As cores e as técnicas auxiliam muito os candidatos”, diz. 

A professora explica também que sempre conta histórias e exemplos de casos reais, misturados com palavras-chaves, que tem a ver com o conteúdo da aula, para ajudar na diversificação da aprendizagem. “ Estudar pra concurso não é uma tarefa fácil. É um trabalho árduo. Os concursos  estão cada vez mais concorridos e é preciso ter uma técnica de estudos mais dinâmica”, acrescenta. “Os mapas mentais dão tão certo na aprendizagem, que os próprios alunos começam a criar seus próprios desenhos e trazer para a sala de aula também. Isso tem dado um resultado interessante”.

O Papo de Concurseiro também conversou com Eduardo Cambuy, que é professor e coach do Gran Cursos Online e também praticante de Programação Neurolinguística. Para ele, as técnicas de memorização são essenciais pois podem ser definitivas para a aprovação. “Para isso, a programação neurolinguística ajuda a compreender qual a nossa melhor forma de absorção de conteúdo , como na de “sistemas representacionais”, que mostra qual nosso canal predominante de aprendizagem: visual, auditivo e cinestésico. Assim, o primeiro passo para memorização de conteúdo é conhecer seu perfil de aprendizagem, pois isso irá limitar ou direcionar a escolha da melhor ferramenta de memorização”, diz.

“Exercite a repetição e desenvolva o hábito de usar a melhor ferramenta para você antes, durante ou depois dos ciclos de estudos. Respeite seu processo de aprendizagem, que pode durar 3 meses, 1 ano ou mais. Sua reprovação em um concurso de curto prazo pode significar que ainda está em desenvolvimento, não que seu método está errado”, pontua.

Saiba quais são as principais técnicas de memorização:

  • Storytelling (contar histórias): Por meio da criação de histórias e enredos criativos, nosso cérebro tende a reter mais a informação estudada. Ao estudar direito constitucional, por exemplo, criar situações dramáticas e próximas da realidade ajudam a aumentar seu aprendizado.
  • Mapas mentais: Com a quantidade enorme de matérias para serem estudadas, nossa mente precisa saber organizar todas elas de forma lógica e eficaz, para só a partir daí se preocupar com a memorização. Com os mapas mentais, vê-se que a organização macro da matéria auxilia na memorização dos pontos-chave e colabora para melhor aprendizagem. 
  • Fichamentos (repetição): Todos já ouvimos ditados populares como “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”, para representarem a obtenção de resultados por meio da insistência, a repetição. De fato, quanto mais acesso a matéria você tiver, maior sua chance de retê-la. Os fichamentos ajudam a repetir questões erradas, partes difíceis e mais abstratas. 
  • Mnemônicos (acrósticos): A criação e a consequente manutenção de mnemônicos e acrósticos deve ser pessoal e fazer sentido para a pessoa. Quando lembramos do LIMPE (legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência), percebemos logo que nos auxilia a compreender vários conceitos de uma só vez, mas que, por vezes, precisamos trazer mais para nossa realidade nos perguntando: “LIMPE de quê?”, “LIMPE é parecido com limpeza” ou “a administração tem que ter todos os princípios para ser LIMPA”. 
  • Resumo gráfico: É um mix de técnicas: mapas mentais, mnemônicos, resumos e fichamentos. Com seu uso, o cérebro consegue captar o máximo de informações em menor tempo possível, favorecendo a memorização. 
  • Revisão: De forma geral, uma dica importante que o candidato precisa ter é que a revisão deve ser obrigatório no seu processo de aprendizagem e que as técnicas de memorização permeiam processos de revisão contínua. 

Veja alguns exemplos de mapas mentais que são utilizados nas aulas da professora Dayane Xavier, sobre direitos humanos e legislações:

 

 

 


Governo deve fazer no 1º semestre nova revisão para extinção de cargos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos
Agência Estado – O governo deve fazer ainda no primeiro semestre uma nova revisão para extinção de cargos. Em 2019, já foram extintos 40,8 mil postos considerados pelo governo obsoletos ou que podem ser terceirizados. Em café da manhã com jornalistas nesta quinta-feira, 16, o secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, disse que serão revisados mais de 10 mil atos públicos neste ano e a previsão é fazer uma triagem de todos os normativos federais até 30 de abril.

Um dos objetivos é que os órgãos terão que definir prazos máximos para a análise de pedidos de licenciamento.

Segundo o secretário, também no primeiro semestre será concluída a regulamentação da Lei de Liberdade Econômica – ainda faltam decretos com detalhes sobre pontos como digitalização, abuso regulatório e análise de impacto regulatório.

Leia também: Reforma administrativa: governo deve mudar regras de contratação de novos servidores públicos

CAU/BR vai abrir nova seleção pública e já define banca organizadora

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos

Victória Olímpio* – O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) vai realizar um novo processo seletivo simplificado e já contratou a banca organizadora! A Soma Desenvolvimento Humano será a responsável pela organização e realização da seleção.

Segundo a banca, o edital está na fase de organização do cronograma, mas ainda não há uma previsão para publicação.

Último concurso

Em 2013, o Conselho realizou seu último concurso público, que ofertou 191 vagas imediatas, além da formação de cadastro reserva, para os cargos de advogado, contador, secretário executivo, analista de -comunicação, planejamento e gestão estratégica, documentação e protocolo, processos, eventos e passagens, gestão de pessoas, compras, contratos, convênios e licitações, controladoria, orçamento, relações legislativas, geotecnologia, sistemas e infraestrutura de tecnologia da informação.

Também houve vagas para auxiliar de serviços gerais, assistente – administrativo, de informática, de orçamento e finanças e técnico contábil, tesoureiro, analista técnico e analista técnico de órgãos colegiados com ênfase em – planejamento e administração, prática profissional, ensino, formação e relações internacionais.

O certame foi realizado por prova objetiva e discursiva e os candidatos aprovados receberam receberam remunerações variando de R$ 678 a R$ 7.286,61. As lotações foram para Brasília/DF, Rio Branco/AC, Maceió/AL, Manaus/AM, Macapá/AP, Fortaleza/CE, Vitória/ES, Goiânia/GO, São Luís/MA, Campo Grande/MS, Corumbá/MS, Coxim/MS, Dourados/MS, Três Lagoas/MS, Cuiabá/MT, Belém/PA, João Pessoa/PB, Recife/PE, Teresina/PI, Natal/RN, Porto Velho/RO, Boa Vista/RR, Aracaju/SE e Palmas/TO.

O que você achou da novidade? Comente no Fórum CW! 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Dataprev é incluída em programa de desestatização e alguns empregados são cedidos ao INSS

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Foi publicado, nesta quinta-feira (16/1), no Diário Oficial da União (DOU), um novo decreto que inclui a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) no Programa Nacional de Desestatização (PND) do governo federal. A empresa também foi qualificada no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI).

“Fica qualificada, no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República – PPI, e incluída no Programa Nacional de Desestatização – PND a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência – Dataprev”, diz o decreto em seu artigo primeiro.

A Dataprev é uma empresa pública, criada em 1974, conforme a Lei nº 6.125, de 4 de novembro daquele ano, assinado pelo presidente Ernesto Geisel.

Em seu portal na internet, a empresa informa que, entre outros serviços, é responsável pelo processamento do pagamento mensal de cerca de 34,5 milhões de benefícios previdenciários e pela aplicação on-line que faz a liberação de seguro-desemprego.

 

Cessão de empregados da Dataprev ao INSS

Foi autorizado pelo Ministério da Economia o empréstimo de 19 empregados da Dataprev “para compor força de trabalho no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)”. A iniciativa faz parte das soluções que o governo está desenhando para acabar com a fila do INSS de 1,3 milhão de pedidos em atraso até o fim de setembro de 2020.

Além do remanejamento de quadros de outros órgãos, o governo já anunciou que pretende contratar até 7 mil militares da reserva das Forças Armadas para auxiliar no atendimento nas agências do INSS.

A cessão dos empregados da Dataprev para o INSS consta de portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira.

O ato também transfere outros 30 empregados da Dataprev para o quadro do Ministério da Economia. Nos dois casos, a cessão será por tempo indeterminado.

“O retorno dos empregados à entidade de origem poderá ocorrer a qualquer tempo, por decisão do Ministério da Economia”, cita a portaria. “Compete ao Instituto Nacional do Seguro Social e ao Ministério da Economia assegurarem de que os empregados públicos ora colocados à sua disposição, não exercerão atividades que não correspondam às suas atribuições na entidade de origem, de forma a não ocorrer desvio de função”, acrescenta.

Mais cedo, o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) noticiou que o governo formalizou nesta quinta-feira, por decreto, a inclusão da Dataprev no Programa Nacional de Desestatização (PND). A empresa pública é responsável pela gestão de sistemas de políticas sociais do Estado brasileiro, incluindo dados do INSS.

*  Com informações de Agência Brasil e Agência Estado

PM e CBM Paraná: banca organizadora responsável pelo concurso é definida

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, segurança

O certame está autorizado desde o final de outubro de 2019 e prevê abrir 2.400 vagas!

Victória Olímpio* – A Secretaria de Segurança Pública do Paraná tornou público o contrato com a banca organizadora que será responsável pela realização do novo concurso público da Polícia e os Bombeiros militares do estado. O concurso visa o provimento de cargos de soldados policiais militares (PMPR) e soldados bombeiros militares (CBM/PR).

O concurso para PM foi autorizado no final de outubro e deve oferecer 2.400 vagas. A Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar) foi a banca contratada para organização do certame. Ainda não há previsão da data para publicação do edital.

De acordo com a Secretaria da Administração e Previdência, atualmente o estado tem 134.347 servidores efetivos, 32.059 servidores temporários e 2.241 comissionados.

 

Mais autorizações no Paraná

O governador também autorizou, no início de setembro, a realização de concurso para selecionar 50 delegados, 300 investigadores e 50 papiloscopistas para a Polícia Civil (PCPR). Também foram anunciadas 238 vagas para agentes de cadeia para complementar o quadro do Departamento Penitenciário (Depen).

Vagas para a Secretaria de Saúde também foram anunciadas. Estão previstas 400 vagas, além de 80 para a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) e 988 para contrato de professores.

 

O que você achou da notícia? Comente no Fórum CW! 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Guedes: ”Mobilização por aumento pode levar opinião pública a exigir medidas mais duras do que proporemos na reforma administrativa”

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Governo federal, Ministério da Economia

Da Agência Estado – Ao comentar a possível mobilização do funcionalismo por aumentos salariais, o ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou a iniciativa e disse que ela poderá se voltar contra o movimento. “Qualquer onda do funcionalismo para pedir aumento de salário agora, mais privilégios, seria uma demonstração colossal de insensatez,” afirmou. “Com 40 milhões de brasileiros sem carteira assinada, acredito que, se isso ocorrer, poderá levar a opinião pública a exigir medidas muito mais duras do que as que nós vamos propor para os funcionários atuais na reforma administrativa. Estamos poupando o funcionalismo na questão da estabilidade e não estamos falando nada de salários atuais.” 

Nos últimos 15 anos, segundo Guedes, o funcionalismo federal teve mais de 50% de aumento real (acima da inflação) nos salários, enquanto o Brasil mergulhou no desemprego em massa. “São pessoas que têm estabilidade no emprego, privilégios na aposentadoria. Acho que seria do interesse do funcionalismo não criar muita onda agora.”

Em resposta a pergunta sobre um possível amolecimento de Bolsonaro com a pressão dos servidores, Guedes disse acreditar que “ele sabe a diferença entre um presidente forte e popular, como Ronald Reagan (ex-presidente americano) e a ex-primeira ministra (britânica) Margaret Thatcher, e um populista e fraco, como João Goulart”.

O que mais cai em concursos? Confira os conteúdos mais cobrados e saiba como estudar

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Confira as matérias que mais são cobradas em concursos públicos e processos seletivos, com dicas de especialista sobre cada uma delas

Uma das maiores dúvidas dos concurseiros, principalmente dos iniciantes, é sobre o que mais cai em concursos públicos. Afinal, os conteúdos programáticos costumam ser extensos e, muitas vezes, o candidato se perde. Para ajudar os candidatos nesta organização, o Papo de Concurseiro conversou com Fernando Mesquista, que é diretor do coaching do Gran Cursos Online. E, segundo ele, os assuntos mais importantes dependem, primeiro, da área de estudos escolhida.

De acordo com o especialista, boa parte dos concursos federais, por exemplo, cobra um núcleo de disciplinas padrão: Língua Portuguesa, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Informática, Raciocínio Lógico. Assim, um comportamento comum dos candidatos é começar estudando essas disciplinas – e não há nada de errado nisso. “Entretanto, para aumentar suas chances de aprovação, é interessante adicionar também aquelas específicas de sua área de preferência”, diz.

Fernando Mesquista. Crédito: Gran Cursos Online/Divulgação

Candidatos da área policial em geral terão de estudar, por exemplo, Direito Penal, Direito Processual Penal e Legislação Penal Extravagante (leis penais que não estão no Código Penal).

Enquanto isso, candidatos da área administrativa (por exemplo, que queiram trabalhar em tribunais ou nos órgãos do Poder Executivo), poderão ter de estudar, além das matérias básicas, outras como Administração Geral e Pública, Contabilidade Pública, Contabilidade Geral, Administração de Recursos Humanos, Arquivologia.

A cobrança também depende da banca que está organizando o concurso. Há bancas que pedem mais interpretação de texto (no caso do Cebraspe) e bancas que exigem mais dos aspectos gramaticais (no caso da FGV).

Segundo Mesquita, em linhas gerais, tomando por base concursos de nível médio, podem ser traçadas as seguintes orientações. Confira:

Língua portuguesa

Especialmente em provas do Cebraspe, por exemplo, interpretação de texto e substituição de termos são estratégias de cobrança muito comuns. A banca quer saber não só se o candidato efetivamente entende o que lê, como também se será capaz de compreender e se utilizar da estrutura dessa compreensão.

Para o estudo de Língua Portuguesa, a leitura constante e frequente dos mais diversos tipos de texto é fundamental, bem como um esforço interpretativo (que será exigido em prova). O que cada frase significa? Qual significado que não está expresso ali? Quais outras palavras poderão ser utilizadas sem prejuízo ao sentido original?

Principalmente no início dos estudos, o apoio de bons professores será um diferencial.

Direito constitucional

Os tópicos mais cobrados são:

  • Direitos e Garantias fundamentais (artigo 5o ao 17 da Constituição Federal)
  • Organização político-administrativa (arts. 18 a 33)
  • Administração Pública (arts. 37 a 41)
  • Judiciário (arts. 93 a 105)

Direito Constitucional depende de uma boa base e de explicações (seja por meio de uma boa doutrina ou um bom professor) para que o candidato possa entender a lógica da disciplina e desvendar o linguajar, que pode ser complexo no início. Ademais, a leitura e o conhecimento do texto da Constituição são indispensáveis.

Direito administrativo

O conhecimento de Direito Administrativo virá em boa parte da doutrina (estudiosos do Direito), já que uma parte da disciplina não está nas leis. Para fins de concursos de nível médio, os tópicos mais cobrados em ordem decrescente são:

  • Licitações e Pregão
  • Agentes, públicos: cargo, emprego e função públicos; Lei 8.112/90
  • Organização administrativa: administração direta e indireta, centralizada e descentralizada
  • Atos Administrativos
  • Poderes administrativos

Como em todas as disciplina do Direito, o conhecimento do texto legal será indispensável. Quando o conhecimento for doutrinário, será necessário um período de estudos dedicado a não só entender o Direito Administrativo como também sua vinculação a outros ramos, como o Direito Constitucional.

Informática

Estatisticamente os assuntos mais cobrados são:

  • Redes (Internet, protocolos, ameaças virtuais, navegadores, antivírus, firewall)
  • Sistemas operacionais (Windows – bem mais cobrado – e Linux)
  • Pacote Office (Word, e Excel e PowerPoint)
  • Segurança da informação (criptografia, assinatura digital, certificação digital)

Informática é uma disciplina essencialmente prática. É muito importante que o candidato vivencie tanto quanto possível os conteúdos, seja por meio de testes práticos (usando um computador para fixar o aprendizado), seja por meio de pesquisas na internet para expandir os horizontes e consolidar as informações.

Raciocínio Lógico

São estes os conhecimentos mais exigidos por ordem de incidência nas provas:

  • Análise combinatória
  • Probabilidade
  • Negações
  • Equivalências Lógicas

Raciocínio Lógico, ao contrário de disciplinas da área de humanas, depende de treino exaustivo. A repetição dos exercícios e a resolução maciça de questões vai ajudar o candidato a aprender e a aplicar as soluções propostas pelo professor.

Direito penal

A cobrança em Direito Penal em geral vem bem distribuída quanto aos tópicos do edital. Para um estudo mais tranquilo, é importante ter uma base sólida nos princípios do Direito Penal e na aplicação da lei penal no tempo e no espaço, sem se descuidar do restante dos tópicos cobrados.

Direito processual penal

Já em Direito Processual Penal, os tópicos mais cobrados são:

  • Ação penal
  • Prisões
  • Inquérito policial

Tanto Direito Penal quanto Direito Processual Penal dependem de uma sólida base teórica e resolução de muitas questões de concursos anteriores.

Redação

Cada vez mais tem sido importante que os candidatos saibam se expressar pela escrita. Na esfera federal, são poucas as provas que não têm cobrado pelo menos uma prova discursiva.

A escrita depende de técnica. Tanto a estrutura de um texto quanto suas partes individuais (frases, períodos, parágrafos) devem seguir uma lógica para que o texto seja coerente, coeso e transmita as informações que o candidato desejar.

 

 

Concurso PCDF: eventos gratuitos vão preparar candidatos para a prova discursiva

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Quem se prepara para a prova do concurso de escrivão da Polícia Civil do Distrito Federal sabe a importância de estar bem preparado para todas as fases do certame, afinal de contas, qualquer décimo de pontuação pode ser decisivo para o resultado final do concurso. Para ajudar na preparação,  principalmente das provas discursivas, o Gran Cursos Online preparou quatro aulões com especialistas em redação e atualidades do país. Os eventos são gratuitos e serão realizados nos dias 14 e 28 de janeiro e 3 e 17 de fevereiro, à partir das 19h, horário de Brasília, no canal do YouTube da instituição. As inscrições podem ser confirmadas aqui.  Não é necessário ser aluno para assistir aos eventos.

Aprova discursiva, que não será mais composta por três questões e agora será uma redação com até 30 linhas, de caráter eliminatório e classificatório, sobre temas da atualidade.

Material gratuito

O cursinho também disponibilizou um e-book gratuito com quase 700 páginas. O material engloba os principais assuntos que serão cobrados nas provas objetiva e discursiva do certame, que tem data provável para aplicação das provas prevista para o mês de março de 2020.

O material foi organizado após a publicação do edital e conta com as principais leis secas indicadas para os estudos. São elas: Legislações específicas, Conhecimentos sobre o Distrito Federal, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direitos Humanos, Noções de Direito Penal e Noções de Processo Penal. Clique aqui e acesse o material.

O concurso

O tão esperado concurso já está com o edital publicado e oferta 300 vagas para escrivães, cargo que exige graduação em qualquer área de formação. O salário inicial é de R$ 8.698,78 e o certame está sendo organizado pelo Cebraspe. As inscrições podem ser realizadas a partir das 10h de 22 de janeiro de 2020, até as 18h de 10 de fevereiro de 2020, pelo site. O valor da taxa de participação é de R$ 199. Saiba mais!