Concurso CGU: confira dicas para se preparar para a prova antes do edital

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos

O certame já está autorizado e vai oferecer 375 vagas de auditor e técnico. Os salários podem chegar até R$ 19 mil. Embora exista um prazo de seis meses para a Controladoria Geral da União (CGU) lançar o edital após a autorização, o Concurso CGU 2021 é uma realidade e o edital pode ser publicado ainda este ano. Levando-se em consideração a necessidade que o órgão tem de novos servidores.

O aval, publicado no DOU, é para 375 vagas para auditores e técnicos. Do quantitativo aprovado, 300 vagas são para o cargo de nível superior de auditor federal de finanças e controle. As outras 75 são para técnico federal de finanças e controle, de nível médio. Confira aqui a autorização!

Para trazer as informações mais importantes para iniciar os estudos, os especialistas do IMP Concursos José Wesley e Fábio Dáquila, separaram algumas dicas para os concurseiros. Veja e prepare-se:

Como começar a se preparar antes da publicação do edital?

O primeiro passo é fazer uma reavaliação da rotina e eliminar tudo o que for possível da rotina diária a fim de ampliar o tempo de estudo. Do mesmo modo, é aconselhável começar o estudo pelas matérias básicas que tendem a se repetir no próximo concurso, utilizando como base o edital do concurso passado.

Quais matérias o candidato deve priorizar antes do edital ser publicado? E como ordenar o estudo?

Português;
Raciocínio lógico;
Direito administrativo;
Direito constitucional;
Administração Financeira e Orçamentária
Contabilidade pública;
Administração pública.

E depois da publicação do edital? Como ordenar o estudo?

Antes de mais nada, o candidato deve estabelecer uma carga horária diária e distribuir as matérias do edital em blocos de 1h de estudos. Preferencialmente, estudar mais de uma matéria por dia.

Além disso, é importante organizar um cronograma individual de acordo com o peso de cada matéria do concurso, e de acordo com a aptidão de cada aluno para as matérias. Matérias com maior peso no concurso e que possuam um maior custo x benefício em termos de acertos na prova são as matérias a serem priorizadas.

Leia também:  Concurso CGU: ministro fala quando edital deve ser lançado e previsão para as provas

Qual matéria é um diferencial para aprovação do candidato?

Técnicas de controle. Por ser a matéria de maior peso e quantidade de questões na prova passada e por ter alta possibilidade de cair na discursiva, é necessário priorizar esse estudo na maioria dos casos. E também, é preciso se dedicar às disciplinas de cada cargo.

Como o último concurso para a CGU foi há quase 10 anos, vale estudar pelo edital passado?

Enquanto não sai o edital, a referência mais plausível é o edital anterior. A essência das disciplinas não deve mudar tanto, mas provavelmente o novo edital virá com algumas mudanças. Portanto, o candidato deve usar o edital anterior como guia e não se apegar muito às minúcias.

Dessa forma, o mais importante é ter uma noção geral das matérias que vêm sendo cobradas nos concursos de área de controle mais recentes e que estiveram presentes no edital passado.

A banca examinadora na época foi a extinta ESAF. Você aposta em alguma banca para esse próximo concurso?
Provavelmente o Cebraspe.

É possível iniciar os estudos agora e ser aprovado? Ou o concurso da CGU é um certame para quem já está se preparando há algum tempo?

É plenamente possível começar os estudos agora e ser aprovado, mas com certeza não será fácil, pois o concurso da CGU atrai candidatos de alto nível e cobra uma quantidade grande de matérias. O aluno deve se dedicar bastante nesta reta final.

Leia também: Concurso CGU: ministro analisa possibilidade de provas em todas as capitais

Pessoas que estão se preparando para concursos na área fiscal estão em vantagem?

Sim, este concurso é excelente para quem estuda para área fiscal. Pois existem várias matérias em comum, aproveitando grande parte do conhecimento, como contabilidade geral, auditoria, constitucional, administrativo e português. Assim como, quem estudou pra concursos da área de controle, como tribunais de contas, se posiciona ainda melhor na preparação.

Quais os benefícios da carreira?

Além de ser um dos salários iniciais mais altos do Executivo, o servidor tem:

Auxílio Alimentação;
Auxílio-creche aos profissionais com filhos
Possibilidade de Lotação em todos os Estados da Federação
É possível trabalhar com diversos temas diferentes e transitar por muitas áreas ligadas a auditoria e controle.

Quais as atribuições dos técnicos e auditores?

Auditor Federal de Finanças e Controle:
Supervisionar e coordenar as atividades de auditoria interna governamental e de apuração; Supervisionar e coordenar inspeções; Supervisionar e coordenar a recepção, a triagem e a instrução das manifestações de ouvidoria, dos requerimentos e dos recursos recebidos pela CGU; Coordenar as ações de supervisão e de orientação dos órgãos e entidades nas atividades de gestão de riscos, auditoria interna governamental, controles internos, prevenção da corrupção, governança, integridade, transparência e acesso à informação, ouvidoria e correição; Avaliar os programas de integridade no âmbito dos acordos de leniência firmados pela CGU; Coordenar a elaboração de diretrizes e planos voltados ao aperfeiçoamento dos sistemas em que a CGU atua como órgão central; Supervisionar a prospecção e o desenvolvimento de soluções de tecnologia que suportem as atividades finalísticas da CGU;
Coordenar o processo de elaboração e de validação das informações da Prestação de Contas do Presidente da República e do Relatório de Gestão Fiscal; Supervisionar e coordenar os trabalhos de comissões de negociação de acordos de leniência; Supervisionar e coordenar ações investigativas; Supervisionar e coordenar as atividades relacionadas aos processos de novação de dívida; Coordenar as atividades de avaliação de desempenho e de supervisão das unidades de auditoria interna, de ouvidoria e de correição dos órgãos e entidades do Poder Executivo federal; Presidir a condução de processos e procedimentos correcionais avocados pela CGU em razão do disposto nos incisos V e VI do art. 51 da Lei nº 13.844, de 18 de junho de 2019; e Supervisionar e coordenar a execução de outras atividades de competência da CGU.

Técnico Federal de Finanças e Controle:
Propor e monitorar a adoção de medidas para a correção e a prevenção de falhas e omissões nos órgãos e entidades supervisionados; Executar atividades de recepção, triagem, análise e instrução de manifestações de ouvidoria;
Compor equipes para a realização de atividades de auditoria interna governamental e de apuração; Compor equipes para a realização de inspeções; Participar de ações de supervisão e de orientação dos órgãos e entidades nas atividades de gestão de riscos, auditoria interna governamental, controles internos, prevenção da corrupção, governança, integridade, transparência e acesso à informação, ouvidoria e correição; Executar atividades relacionadas ao controle da qualidade dos dados e à segurança das informações que suportam as atividades da CGU; Monitorar os gastos públicos utilizando técnicas e ferramentas de análise aplicadas às bases de dados governamentais; Elaborar relatórios de auditoria; Analisar a legalidade dos atos de admissão, aposentadorias e pensões; Executar atividades inerentes à avaliação de programas de integridade no âmbito dos acordos de leniência firmados pela CGU; Executar atividades inerentes à elaboração da Prestação de Contas do Presidente da República e do Relatório de Gestão Fiscal; Executar atividades relacionadas aos processos de novação de dívida;
Executar atividades inerentes à avaliação de desempenho e à supervisão das unidades de auditoria interna, de ouvidoria e de correição dos órgãos e entidades do Poder Executivo federal; Compor comissões de negociação de acordos de leniência; Compor equipes para a realização de ações investigativas; e Executar outras atividades de competência da CGU, determinadas pela chefia imediata.

Por ser um certame concorrido, qual a dica pessoal para quem sonha com a aprovação?

A dica é a mesma para todos os concursos: iniciar a preparação o quanto antes e ter foco, paciência e constância. Além de se dedicar o máximo de tempo e esforço para o concurso, focar nos estudos e buscar uma melhor estratégia para estudar até a data da prova. E por fim, acreditar que ao longo do tempo os resultados vão aparecendo.

Leia mais: CGU confirma início dos preparativos para lançar edital de concurso com mais de 370 vagas

Direito Administrativo para o TJDFT: veja como se preparar antes do edital

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Tribunal de Justiça

Um novo concurso para o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios foi anunciado recentemente pelo  presidente do órgão, Romeu Gonzaga Neiva e tem gerado grandes expectativas entre os concurseiros. Para ajudar na preparação dos que almejam a aprovação neste certame, o blog conversou com o  especialista e professor do IMP Concursos Sérgio Gaúcho para dar dicas específicas sobre direito administrativo. Confira!

Como se preparar antes do edital?

Para estudar antes do edital, Sérgio Gaúcho explica que a estratégia precisa englobar três coisas básicas: ler o edital anterior, separar os conteúdos e estabelecer uma meta diária de estudos.

“Quando falo em meta não é esgotar um conteúdo, mas ter uma rotina diária. Estabelecer um compromisso de estudo. Estudar todos os dias, na quantidade de horas que puder. O final de semana é um grande aliado para o estudante, porque pode estudar várias horas. Quando decidimos entrar nessa corrida dos concursos, temos que colocar a meta visando a posse, temos que abrir mão de outras atividades, temos que ter foco. Sem sacrifício, sem dedicação não se alcança objetivo”, relata.

Quais os assuntos mais importantes de Direito Administrativo serão cobrados no concurso do TJDFT? Qual sequência de estudo adotar?

Para começar, estude nessa sequência:
-Organização administrativa;
-Atos administrativos;
-Poderes administrativos, responsabilidade civil e controle.

Além disso, existem as legislações específicas (improbidade administrativa, processo administrativo e licitações). Não existe um assunto mais importante, mas dentro de cada assunto, existem os pontos mais relevantes e mais cobrados, são esses que os candidatos devem focar.

Como identificar esses pontos mais relevantes?

Para identificá-los, deve ser feita uma análise das provas, resolvendo questões de concurso. É nesse direcionamento que está a importância de um curso preparatório, porque os professores são especialistas em cada disciplina e irão identificar e transmitir ao aluno o conhecimento mais importante, refletindo em economia de tempo e eficiência nos estudos.

Levando em consideração o histórico de provas, em que contexto o Direito Administrativo é cobrado em certames do TJDFT?

Nos concursos para tribunais, de um modo geral, são cobradas muitas questões de Direito Administrativo. É considerada uma disciplina básica, não no sentido de ser a mais fácil, mas no sentido de ser um assunto comum em todas as provas.

Quais os principais erros que os alunos cometem ao estudar Direito Administrativo para concursos?

Talvez o maior erro seja antes de começar a estudar, porque o aluno já olha para o Direito Administrativo como uma disciplina “chata”. Isso é até compreensível, tendo em vista que não é um assunto do dia a dia. Mas temos que nos afastar dessa visão, pois, assim como a Língua Portuguesa e o Constitucional, o Direito Administrativo está presente em praticamente todos os concursos.

Então, para tirar essa “má impressão” sobre a disciplina, eu procuro fazer analogias com o nosso cotidiano, aproximando o candidato da matéria, além de criar mnemônicos para decorar aqueles pontos que serão cobrados na prova.

Expectativa para o edital do TJDFT

O Conselho do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios já aprovou a realização de concurso público para cargos de analistas e técnicos. A decisão foi tomada em agosto, durante a 9ª Sessão Ordinária do Conselho Especial, por videoconferência.

Considerando a condição e a necessidade de provimento de cargos, submete a este Conselho a proposta que seja iniciado o processo de realização de concurso público para os cargos das carreiras Judiciárias, de Técnico e Analista“, disse o presidente da sessão, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva.

A tendência, segundo os desembargadores, é que o edital possa ser publicado ainda em 2021. O número de vagas será definido após estudo das áreas com maior necessidade de pessoal.

Com a aprovação, projeto será submetido à vice-presidência e a comissão de concursos públicos do TJDFT para tomar as iniciativas necessárias.

TJDFT acumula 405 cargos vagos

Com o último concurso público realizado em 2015, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) sofre com déficit de 405 cargos vagos, sendo 219 na função de técnico judiciário e 186 de analista judiciário. Os números são confirmados pelo Portal da Transparência do órgão, com dados referentes a abril de 2021.

Apesar da vacância no quadro de servidores e de já ter confirmado a intenção de viabilizar um novo concurso para efetivos com levantamento de cargos vagos, a pasta adiantou ao Papo de Concurseiro em maio que não haverá tempo hábil para realização desse concurso ainda em 2021, tendo em vista que o processo não chegou sequer à fase de contratação de banca examinadora. “Estamos apenas no levantamento de necessidades”, frisou o TJDFT.

Presidente fala sobre necessidade de concurso

Em reunião com representantes do 7ª vara Cível, realizada em 7 de julho, o presidente do TJDFT, Romeu Gonzaga Neiva, reforçou a necessidade de seleção para novas contratações no órgão. “Vamos fechar o projeto para fazer um concurso público para servidores. Estamos defasados e outros tribunais não querem ceder servidores. Temos inúmeras aposentadorias e os tribunais que têm concursos abertos não querem ceder servidores para nós e estamos ficando em situação difícil. Então hoje nós vamos trabalhar para que, a partir da semana que vem, preparemos, possivelmente, a minuta de um edital. O problema de falta de servidor está na raiz de tudo. Vamos tentar resolver”, disse.

Último concurso

O último concurso, realizado em 2015, contou com 71.831 candidatos disputando 80 vagas abertas. Houve cargos em que a disputa contou com mais de mil participantes por oportunidade. Foi o caso do posto de técnico judiciário de área administrativa, cargo de maior disputa, com 46.692 inscritos para 36 vagas, ou seja, 1.334 pessoas por chance.

O órgão convocou 920 aprovados durante a validade do edital. Outros 127 foram convocados por outros órgãos de peso do Poder Judiciário, como Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Superior Tribunal Militar (STM) e Superior Tribunal de Justiça (STJ), entre outros.

Leia também:  Concurso TJDFT: Especialista explica como se preparar antes mesmo do edital

Pensa em fazer concurso do TJDFT? Confira dicas de preparação para as provas 

Especialista explica como aproveitar a preparação do concurso da PCDF para próxima seleção do TJDFT

 

Especialista explica como aproveitar a preparação do concurso da PCDF para próxima seleção do TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos

Redirecionar o conteúdo estudado de um concurso para outro não é uma tarefa simples. Requer organização e conhecimento. Mas, você sabia que se você estudou o certame da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), é possível aproveitar esse conhecimento para se dedicar à próxima seleção do Tribunal de Justiça do DF (TJDFT)?

De acordo com o especialista do IMP Concursos Thiago Medeiros, professor das disciplinas de Direitos Humanos, Direito Penal, Processo Penal e Legislação Extravagante, apesar de muitas pessoas não fazerem essa relação, existe muito em comum entre concursos do judiciário e os de carreiras policiais. Confira as dicas completas!

Como aproveitar a preparação da PCDF para o TJDFT?

Para começar, ele explica que o primeiro passo é identificar se os concursos que você está interessado têm conteúdos que podem ser aproveitados. Para isso, a dica é: “O candidato pode comparar os conteúdos programáticos entre os dois editais e fazer uma análise da distribuição das questões com base nas provas anteriores”, relata.

“Independente do seu resultado na PCDF, não desista! Devido a pandemia você passou no mínimo um ano estudando para o concurso e acumulou muito conhecimento. Cabe a você decidir nesse momento o que irá fazer com todo esse conteúdo e só enxergo duas opções. A primeira é aproveitá-lo para novo certame que pode acontecer em poucos meses e a segunda é deixar “de lado”, abandonar e talvez se algum dia decidir retomar, seja tarde demais”, aconselha.

Muitos candidatos optaram em estudar para a PCDF porque era o concurso mais atrativo durante o período da pandemia, porém muitos não eram verdadeiramente vocacionados para exercer a função policial. Surge no final de 2021, a possibilidade de um grande concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

É possível aproveitar a preparação da PCDF para o TJDFT?

Claro que sim. Cerca de 70% do conteúdo estudado para a PCDF poderá ser aproveitado no concurso do TJDFT. São conteúdos semelhantes: Língua Portuguesa, Constitucional, Administrativo, Direito Penal e Processual Penal.

Mesmo que a abordagem dos temas em comum seja um pouco diferente, o acumulado de conteúdo dos alunos da PCDF o gabaritam para percorrer com facilidade sobre a linguagem e a abordagem da carreira de tribunal.

As novidades em relação ao conteúdo programático para o TJDFT são:

Direito Civil;
Processo Civil;
E por fim, as legislações específicas do Tribunal.

Agora, tirando o que ele já estudou para PCDF e vai aproveitar, quais matérias seriam importantes o candidato focar?

Para largar na frente de seus concorrentes a melhor estratégia é focar na legislação específica do TJDFT (Regimento Interno, etc) conjugando sempre com revisões aos temas já estudados para a PCDF.

Expectativa para o edital do TJDFT

O Conselho do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios já aprovou a realização de concurso público para cargos de analistas e técnicos. A decisão foi tomada em agosto, durante a 9ª Sessão Ordinária do Conselho Especial, por videoconferência.

Considerando a condição e a necessidade de provimento de cargos, submete a este Conselho a proposta que seja iniciado o processo de realização de concurso público para os cargos das carreiras Judiciárias, de Técnico e Analista“, disse o presidente da sessão, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva.

A tendência, segundo os desembargadores, é que o edital possa ser publicado ainda em 2021. O número de vagas será definido após estudo das áreas com maior necessidade de pessoal.

Com a aprovação, projeto será submetido à vice-presidência e a comissão de concursos públicos do TJDFT para tomar as iniciativas necessárias.

TJDFT acumula 405 cargos vagos

Com o último concurso público realizado em 2015, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) sofre com déficit de 405 cargos vagos, sendo 219 na função de técnico judiciário e 186 de analista judiciário. Os números são confirmados pelo Portal da Transparência do órgão, com dados referentes a abril de 2021.

Apesar da vacância no quadro de servidores e de já ter confirmado a intenção de viabilizar um novo concurso para efetivos com levantamento de cargos vagos, a pasta adiantou ao Papo de Concurseiro em maio que não haverá tempo hábil para realização desse concurso ainda em 2021, tendo em vista que o processo não chegou sequer à fase de contratação de banca examinadora. “Estamos apenas no levantamento de necessidades”, frisou o TJDFT.

Presidente fala sobre necessidade de concurso

Em reunião com representantes do 7ª vara Cível, realizada em 7 de julho, o presidente do TJDFT, Romeu Gonzaga Neiva, reforçou a necessidade de seleção para novas contratações no órgão. “Vamos fechar o projeto para fazer um concurso público para servidores. Estamos defasados e outros tribunais não querem ceder servidores. Temos inúmeras aposentadorias e os tribunais que têm concursos abertos não querem ceder servidores para nós e estamos ficando em situação difícil. Então hoje nós vamos trabalhar para que, a partir da semana que vem, preparemos, possivelmente, a minuta de um edital. O problema de falta de servidor está na raiz de tudo. Vamos tentar resolver”, disse.

Último concurso

O último concurso, realizado em 2015, contou com 71.831 candidatos disputando 80 vagas abertas. Houve cargos em que a disputa contou com mais de mil participantes por oportunidade. Foi o caso do posto de técnico judiciário de área administrativa, cargo de maior disputa, com 46.692 inscritos para 36 vagas, ou seja, 1.334 pessoas por chance.

O órgão convocou 920 aprovados durante a validade do edital. Outros 127 foram convocados por outros órgãos de peso do Poder Judiciário, como Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Superior Tribunal Militar (STM) e Superior Tribunal de Justiça (STJ), entre outros.

Leia também:  Concurso TJDFT: Especialista explica como se preparar antes mesmo do edital

Pensa em fazer concurso do TJDFT? Confira dicas de preparação para as provas

Fez o concurso da PCDF? Especialista explica como aproveitar a preparação para seleção da Policial Penal

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Os concurseiros que se dedicaram ao concurso público da Polícia Civil do Distrito Federal, que teve as provas aplicadas recentemente e oferta 2.100 vagas, podem aproveitar o conteúdo estudado também para certame da Polícia Penal. De acordo com o especialista do IMP Concursos Thiago Medeiros, que é professor de Direitos Humanos, Direito Penal, Processo Penal e Legislação Extravagante, cerca de 75% do conteúdo estudado pode ser redirecionados para o novo certame. Confira as dicas completas:

Quem se preparou para PCDF pode aproveitar o conhecimento adquirido para fazer concurso de Policial Penal?

A resposta é sim. Se você bateu na trave na PCDF, não desista! Vários concursos te esperam em 2021/2022. Teremos a qualquer momento o lançamento do edital da Polícia Penal e de Agente de Custódia, recentemente anunciado pelo Diretor da Polícia Civil do Distrito Federal.

São dois concursos que reacenderam a “chama” de esperança e motivação do concurseiro de Carreiras Policiais. Tendo como base as funções dos dois cargos poderemos ter editais muito parecidos.

Quais os conteúdos da preparação da PCDF o candidato pode aproveitar para a Polícia Penal?

Cerca de 75% do conteúdo estudado para a PCDF poderá ser aproveitado no concurso da PPDF. São conteúdos semelhantes: Língua Portuguesa, Informática, Constitucional, Administrativo, Direito Penal, Processual Penal e Direitos Humanos.

A abordagem dos temas também é muito parecida e o conteúdo acumulado dos alunos da PCDF, o gabaritam para entender com facilidade o conteúdo de execução penal.

Com relação a esse conteúdo que pode ser aproveitado, como o candidato deve se organizar para revisar esse conteúdo?

Para largar na frente de seus concorrentes, a melhor estratégia é focar nos tópicos sobre execução penal e, sempre, intercalar com revisões dos temas já estudados para a PCDF.

Além do que ele estudou para a PCDF, quais as outras matérias seriam importantes para o candidato focar?

As novidades em relação ao conteúdo programático é a parte específica sobre execução penal.

Vale a pena se basear no edital anterior para estudar para o Concurso da Polícia Penal DF?

Sim, porém com ressalvas, já que o edital anterior já tem mais de 5 anos, e não será a mesma banca que realizará o concurso. Por isso o candidato precisa ficar atento aos conteúdos de editais na área de execução penal mais recentes, como por exemplo, o edital do DEPEN.

Expectativa de edital em breve

O edital do concurso Polícia Penal DF será publicado até novembro, segundo o deputado distrital, Reginaldo Sardinha. A informação foi publicada em vídeo nas redes sociais. Estão autorizadas 1.179 vagas para o cargo. Do quantitativo, 400 são para provimento imediato e 779 para formação de cadastro de reserva.

“Durante a reunião com o secretário de economia do Distrito Federal, André Clemente, tive a confirmação de que vai sair o CONCURSO para a Polícia Penal do DF. O compromisso do chefe da pasta, é de que até novembro deste ano seja liberado o EDITAL como passo inicial para o certame. Então, você CONCURSEIRO, fique ligado e se prepare!”, disse.

Em julho, o presidente do Sindicato de Polícia Penal do DF, Paulo Rogério da Silva, também afirmou que o novo concurso com 1.179 vagas para a Polícia Penal deve sair no último trimestre deste ano.

Na ocasião, a Secretaria de Economia do DF reforçou ao Papo de Concurseiro que o certame já foi autorizado e que agora está na fase de cumprimento das exigências legais. “As próximas etapas do certame serão publicados no Diário Oficial”, disse.

O cargo exige formação em nível superior em qualquer área e deve oferecer salários iniciais de R$ 4.745. E, o certame será composto de prova objetiva, teste de aptidão física, avaliação psicológica, investigação social e vida pregressa e curso de formação.

Segundo o sindicato, a seleção é urgente e visa preencher a carência de efetivos no sistema penitenciário. “O número total de vagas na carreira são 3 mil. Hoje, temos preenchidos um pouco acima de 50%. A luta do sindicato é que chamem, com urgência, os 1.179 o mais rápido possível, dada a carência de efetivo no sistema penitenciário do DF”, alegou o sindicato. Segundo a entidade, o Governo do DF espera convocar os servidores de vagas imediatas até junho de 2022. Saiba mais aqui!

 

Como criar um hábito? Especialista explica como aplicar técnicas para estudar para concursos

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos

Não é incomum encontrar pessoas que desistiram da academia ainda nas primeiras semanas ou que não conseguem focar numa alimentação saudável no início de uma dieta. Certo? O mesmo acontece com quem deseja iniciar uma rotina de estudos e percebe que sente enorme dificuldade em aderir concentração e ritmo. Isso acontece porque criar um hábito leva tempo e organização. Sobre esse assunto, o Papo de Concurseiro conversou com a psicóloga Juliana Gebrim, que esclareceu sobre como os estudantes devem aplicar técnicas específicas para enfim, criar um hábito de estudos. Veja as dicas completas:

Afinal, o que é um hábito?

O hábito é um comportamento aprendido a partir da repetição. Trata-se de um padrão que se repete, a partir de um conhecimento já adquirido, até virar um padrão inconsciente que nosso cérebro transforma em hábito.

Como funciona um hábito? É necessário um tempo mínimo para se instalar na rotina?

Diversos estudos revelam que todo hábito possui a mesma estrutura com base em três etapas. A primeira é chamada de “deixa” ou “gatilho”, que é a motivação que desperta o nosso interesse para iniciar uma ação no modo automático. A segunda é a rotina, que é a prática da ação em série em busca do seu objetivo. A terceira é a recompensa, uma espécie de prêmio que o cérebro recebe por realizar a ação rotineiramente.

Criar um hábito antes de tudo é você ter ação no dia a dia. Existe uma grande diferença entre o aluno que não estuda nada, que não cria o hábito versus aquele que estuda ao menos 30 minutos por dia, treinando um hábito.
Então nesse momento é muito importante dar pequenos passos diários que em conjunto com pequenas vitórias, gera o sucesso.

Como transformar a rotina em hábito?

Um dos principais desafios do concurseiro é transformar a rotina em hábito. Isso porque, quando embarcamos nesta nova trajetória e resolvemos estabelecer esse novo hábito, precisamos encarar de frente a nova rotina para que ela comece a virar um hábito.

Ou seja, o mais difícil não é começar a estudar, mas manter a rotina até que ela se transforme em um hábito no dia a dia. Então, para inserir uma nova rotina, ela deve ser acionada pela antiga deixa e entregar a antiga recompensa.

Enfim, o importante é sempre ter em mente que hábitos precisam ser provenientes de escolhas e metas estabelecidas, aquilo que a pessoa realmente deseja alcançar com o seu estudo. A recompensa sempre será a aquisição de conhecimento e a aprovação no concurso almejado.

Como iniciar esse processo de criar um hábito e aplicar nos estudos em concursos?

Segundo estudiosos da Universidade Duke, mais de 40% das nossas ações diárias não são decisões reais, mas hábitos. Com a pandemia, as pessoas se sentiram mais cansadas, mesmo dentro de casa e isso acontece porque, durante esse período, nós precisamos mudar o nosso padrão repetitivo, o que demandou um gasto maior de energia por parte das pessoas, uma vez que a mudança de rotina exigiu alteração dos nossos hábitos.

A tendência é que a pessoa sempre queira manter as mesmas rotinas. E aí, que ela vai precisar lidar contra isso, fortalecendo o novo hábito. Na realidade, quem se propõe a estudar para concursos, sabe exatamente o que precisa ser feito para manter os estudos, mas acaba negligenciando a rotina, impactando nos resultados.

Ou seja, o recomendado é que, antes de inserir hábitos positivos, você retire hábitos negativos. Então o processo de criação do hábito de estudos começa pela conscientização, através da psicoeducação.

É preciso investir no autoconhecimento e essa será uma das melhores atitudes que o concurseiro pode tomar. Afinal, a jornada de aprofundar-se em conhecer quem você é, saber quais são os comportamentos que estão te prejudicando, que estão te impedindo de alcançar os seus objetivos e determinar o seu propósito pode ser reveladora.

Vale ressaltar que, os hábitos, por mais arraigados que estejam, podem ser mudados. Basta ter força de vontade e compreender os seus mecanismos.

Por isso, nós psicólogos utilizamos uma ferramenta chamada roda da vida, que auxilia os concurseiros na busca do autoconhecimento. Por meio dela, é possível descobrir aquilo que está prejudicando o seu crescimento, tornando-o capaz de transformar a sua realidade por meio do desenvolvimento de novos hábitos.

Quais técnicas utilizar para fixar uma rotina?

Conheça a sua rotina – A definição da sua rotina de estudos começa no autoconhecimento, por isso ela deve ser estruturada de acordo com a realidade de cada concurseiro.

Identifique o seu melhor momento para estudos – Quando você consegue estudar na hora em que você é mais produtivo, é muito mais tranquilo e prazeroso. Por isso, é bom que você estabeleça uma rotina de estudos que se encaixe com o seu momento mais produtivo. O estudo tem que ter regularidade, não precisa ter hora marcada.

Separe um ambiente tranquilo para estudar – Um dos principais aliados que podem ajudar a criar uma rotina de estudos é estabelecer um local tranquilo, reservado e organizado para estudar.

Faça pausas necessárias – Após muitas horas de estudos, é preciso fazer paradas para não prejudicar o aprendizado. As pausas são muito importantes e podem ser para tomar água, para ir ao banheiro, para fazer um lanche, para respirar. O importante é você se desconectar um pouco e descansar a mente. Dessa forma, você unirá o cuidado com a sua saúde mental e com a sua saúde física. Por isso, não importa o motivo, o importante é parar.

Dicas de organização para estudar:

1. Calendário – estabelecer metas e prazos determinados ou para passar em uma prova, ou para fechar determinadas matérias.

2. Organização do tempo – vamos aqui usar os recursos tecnológicos a nosso favor, como tabelas e alarmes para que possamos ter uma otimização daquilo que considero o nosso maior patrimônio: O TEMPO. Organização do nosso dia, semana e mês.

3. Organização do material – o material como um todo deve ser dividido, estudado, resumido e exercitado. Tenho convicção de que isso traz segurança para a evolução como estudante a ponto das pessoas saberem exatamente onde está aquele conteúdo estudado nos seu material de estudos que foi pedido na prova.

4.Organização psicológica – vide nesse item a palavra equilíbrio emocional. Aqui é estabelecida uma escala de prioridades na vida, como saber dizer não para questões passageiras e seguir aquela meta.

Coloque o hábito em prática para estudar do jeito certo

Estabeleça metas claras – Para manter a rotina de estudos é muito importante estabelecer metas para a sua execução. Um cronograma de estudos pode ajudar nesse processo.

Respeite seus limites – É preciso gerenciar suas energias para garantir que você realize suas tarefas com saúde sempre respeitando os seus limites.

Adquira maturidade – Todos nós sabemos o que deve ser feito para alcançar nossos objetivos. No entanto, a motivação pode ser o centro da sua vida. Você precisa saber o que fazer para ter ações em busca dos seus objetivos. Maturidade exige ação e saber qual o seu lugar no mundo.

Controle suas emoções – A organização dos estudos para o concurso público está atrelada ao controle do estresse e do nervosismo durante a fase de preparação. Sem esse controle, sua rotina será desgastante e você certamente desistirá nas primeiras semanas de estudos. Nesse ponto também é importante dar atenção ao sono porque a privação dele provoca desatenção, estresse e outras coisas que comprometem o humor, interferem no desempenho e impactam na saúde.

Carreiras bancárias: especialista explica como ser aprovado em concursos da área

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Banco Central, carreira bancária, Concursos, Concursos Públicos

Ainda para lembrar o dia dos bancários, comemorado no último sábado (28), o Papo de Concurseiro reuniu dicas importantes para quem quer conquistar uma vaga nesta área.  Em entrevista,  Eduardo Cambuy , que é professor e especialista Gran Cursos Online, destacou os principais pontos para garantir a aprovação. Veja!

Quais são os conteúdos e disciplinas que merecem mais destaque nos concursos de carreira bancária?

Para a área bancária, normalmente, você vai ter a parte de português, que é obrigatório não só para esta carreira, mas também para diversos concursos gerais. Portanto, essa disciplina tem que ser vista como uma uma base importante. Para a área bancária especificamente , ela tem um peso até maior muitas vezes, com um quantitativo de itens e peso grandes.

Mais especificamente para a área bancária, o candidato deve ficar atento os conhecimentos bancários que norteiam o certame em questão. Além disso, informática voltada para novas aplicações e tendências na parte de tecnologia da informação é outro conteúdo obrigatório. Matemática também costuma ser obrigatório, como matemática financeira e estatística também são tendência.

É importante também ficar atento a assuntos correlatos, como vendas, negociação, gerenciamento novas práticas e resolução de conflitos, produtividade. Ou seja tudo isso, às vezes vem dentro de um mesmo item do edital ou separadamente porque o banco tem procurado pessoas com perfil de estratégia de venda e resolução de conflitos. Resolução de problemas, métodos e as ferramentas utilizadas para esta solução são matérias correlatas principalmente dentre os últimos concursos. É uma tendência que vem caindo nos conteúdos básicos para área bancária.

Como se preparar e organizar os estudos para esta carreira?

A área bancária tem algumas peculiaridades. O quantitativo de vagas normalmente é bem maior do que em outras áreas. O nível de ingresso é o nível médio, então a porta de entrada vai incluir pessoas de nível médio e nível superior, ou seja, a concorrência é maior. Em contrapartida a nota de corte também um pouco inferior do que as outras correlatas.

Dessa forma, tem como a gente se preparar em médio prazo, não precisa ter uma preparação de longo prazo nesses casos. Um médio prazo, dependendo do desempenho e da capacidade de cada pessoa, é em torno de seis a oito meses, ou até um ano de preparação. Esse é considerado um período bom para você ficar competitivo.

Já o melhor plano de estudo para área bancária é você garante as matérias essenciais. São as que eu mencionei anteriormente para, logo depois, quando você tiver aproximadamente  80% de rendimento nessas matérias, aí sim você vai para os demais conteúdos.

É importante não cometer o erro de querer estudar todas as matérias ao mesmo tempo. Sem peso, sem prioridade. Você precisa focar nas matérias relevantes.

Outra dica eficiente é: se você já está decidido a estudar para carreiras bancárias, então não tente  fazer conciliação estudando matérias comuns a outros concursos e adiando as matérias específicas para carreira. Esse é um outro erro.  Deve-se manter o foco e obedecer a ordem de prioridade.

Quais são os concursos mais aguardados?

Agora temos aberto o Banco do Brasil com recorde de inscrições. Ou seja, muita expectativa em torno desse certame.  Outro muito esperado, é o da Caixa Econômica que gera muita ansiedade por parte dos alunos e tem grandes projeções de inscrições também.

Mas, não podemos esquecer outras áreas correlatas à área bancária que é o caso da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e  o Banco Central (Bacen) que tem concursos públicos muito esperados. Esse último é um pouco diferente dessas carreiras comuns de nível médio e de ingresso para escriturário. Nele você vai estudar matérias específicas distribuídas em seis a sete diárias e aí você pode fazer uma segregação pela sua formação pelas áreas de interesse. E, também há grande expectativa de abertura, pois já foi declarada a grande necessidade de novos servidores.  CVM também tem expectativa de concurso para ser lançado neste ano e possivelmente realizado em 2022.

Assim, temos aí na área bancária opções de todos os níveis. Nível médio de ingresso com mais vagas e expectativa melhor para inserção na sonhada aprovação, nas também tem nessa área bancária com opções de concursos de média e alta complexidade como do Bacen.

Leia mais: Banco do Brasil abre concurso com 4.480 vagas para escriturários

Previsto para setembro, concurso da Caixa segue em fase de escolha de banca

CVM solicita realização de novo concurso público ao Ministério da Economia

Preparatórios para concursos oferecem aulas gratuitas; veja programação

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos

A semana começou com diversas opções de aulas e preparações para auxiliar os concurseiros. Alguns preparatórios, como o Gran Cursos Online e o IMP concursos oferecem aulões para concursos públicos todos os dias e de forma gratuita! Veja a programação:

Gran Cursos Online

Semana Decisiva PGDF – Técnico – Apoio Administrativo

09h – Arquivologia – Professor: Elvis Miranda

11h – Administração – Professor: Bruno Eduardo

Treinamento Intensivo PGE PA – Assistente de Procuradoria 

10h –  Informática – Professor: Mauricio Franceschini

Semana Decisiva SEFAZ ES

Participe do evento! O Professor Márcio Wesley ministra a aula de Língua Portuguesa às 10h.

Processando o Penal

Participe da nossa aula com a professora Larissa Luz às 10h

TJDFT – Riscando o Edital em Exercícios

Você já está se preparando para o próximo do concurso TJDFT? Então, não deixe de participar da aula de Gramática  com o professor Claiton Natal às 18h.

Semana Decisiva PGDF – Analista Jurídico – Especialidade: Direito

Participe e turbine seus estudos o Concurso PGDF. Confira a programação:

18h – Direito Processual Civil – Professor: Raquel Bueno

19h – Direito Previdenciário – Professor: Fernando Maciel

21h – Direito Administrativo – Professor: Gustavo Brígido

Concurso Receita Federal

Você está se preparando para o concurso da Receita Federal ? Então, hoje, às 19h, no nosso canal do YouTube tem aula de Matemática Financeira com o professor Sérgio Carvalho direcionada ao concurso.

TJDFT – Riscando o Edital em Exercícios

Você já está se preparando para o próximo do concurso TJDFT? Então, não deixe de participar da  aula de Gramática  com o professor Claiton Natal às 18h.

Treinamento Intensivo – Banco do Brasil (Escriturário)

Acompanhe a programação do nosso treinamento de hoje:

19h – Conhecimentos de Informática | Windows / Linux – Professor: Fabrício Melo.

Concurso TJ SP

Entenda Como lidar com a ansiedade pós-edital? com as professoras Lhais Hamid e Juliana Gebrim às 19h.

Concurso SEDF: Deixe de ser Temporário, torne-se EFETIVO!

Acompanhe a aula de Português – Interpretação com o nosso professor Fernando Moura às 20h!

Contratos de Gaveta

O professor Pablo Stolze ministra a aula de Contratos de Gaveta: Aspectos Relevantes – Transmissão das Obrigações no nosso canal do YouTube às 19h.

Estudo Dirigido TCU

O professor Rodrigo Machado ministra a aula de Contabilidade Pública no nosso canal do YouTube às 20h.

Projeto – Aula Essencial 80/20 TJ SP – Escrevente Técnico Judiciário

Participe da aula de Direito Processual Civil – Lei 9.099/1995 com a professora Raquel Bueno às 20h.

Riscando o Edital em Exercícios para o TJ SP 

O professor Márcio Flávio ministra a aula de Matemática no nosso canal do YouTube às 22h.

Concurso DELTA RJ

Hoje, às 20h, no nosso canal do YouTube tem aula de Direito Penal com o professor Léo Castro! Não perca!

IMP Concursos

Agenda de agosto:

Almoço Constitucional
Com Orlando Junior
Todas as segundas às 13h (23/08, 30/08)

Informática para Gabaritar
Prof: Renato Mafra
Todas as quartas às 13h00 (25/08)

Quartas Pedagógicas
Com Victor Soares
Todas as quartas às 19h (25/08)

Gramaticalizando
Com Raquel Cesário
Todas as quintas às 18h (26/08)

LC 840/11 do Zero
Prof: Suzele Veloso
Todas as sextas às 12h30 (27/08)

Psico do Concurseiro
Com Gabriele Issa
Todas as sextas às 13h30 (27/08)

Assista aos conteúdos aqui! 

Concurso SEDF: especialista dá dicas sobre conteúdo recorrente nas áreas educacionais

Publicado em Deixe um comentárioautorização, cadastro reserva, Concursos, Concursos Públicos

Professora Madalena Coatio fala sobre Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB 9394/96)

O concurso da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF) para cargos efetivos está previsto para acontecer ainda este ano.  Para dar uma força a quem está se preparando, o Papo de Concurseiro conversou com a especialista do IMP Concursos Madalena Coatio, licenciada em Letras, Especialista em Administração da Educação e Mestre em Educação.

Ela separou dicas sobre os principais pontos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB 9394/96). A legislação específica é a que regulamenta o sistema educacional brasileiro nos níveis da Educação Básica e da Educação Superior, e é extremamente importante para os concursos das carreiras educacionais.

“Esse assunto é recorrente nas provas das carreiras educacionais. E indiretamente, a LDB está presente em outras leis, diretrizes, resoluções, regimentos dela decorrentes, assim sendo é necessário estudá-la”, afirma Madalena.

Confira algumas dicas da especialista:

Quantas questões você acredita que serão cobradas no concurso de professor efetivo? Expressamente da Lei uns 3 itens certamente.

Como montar um cronograma de estudo sobre a disciplina antes da publicação do edital? Analisar as últimas provas e, a partir delas, extrair os artigos que são mais recorrentes.

Quais os principais pontos da LDB devem ser foco de estudo dos candidatos antes do edital?  Princípios e deveres da educação e dar sempre destaque ao que a Lei estabelece sobre currículo da Educação Básica

Quais as principais alterações da LDB em 2020, com a Lei do novo Ensino Médio? Em 2020, não tivemos nenhuma alteração. As últimas alterações foram em 2019 e dou destaque ao artigo 7ºA e ao inciso VIII do art. 12. A Lei que reforma o Ensino Médio é de 2017 (LEI Nº 13.415, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017.) e o candidato deve dar especial atenção ao artigo 36.

Qual o conselho para os alunos sobre a disciplina? Dar atenção especial atenção ao arts. 3º, 4º, 12 e 26.

Próximo concurso pode ter novo cargo

Em entrevista ao Papo de Concurseiro, o subsecretário de gestão de pessoas da Secretaria de Educação, Idalmo Santos, afirmou que certame já está autorizado e existe previsão de que as nomeações ocorram em 2022.

No momento, a secretaria busca formar uma equipe de trabalho para organizar a seleção e estuda também as carências do órgão para definir quais cargos oferecer. Mas, o subsecretário já adiantou que além de vagas para professores, o certame pode trazer chances para orientadores educacionais e analistas em educação.

Além disso, a pasta analisa a criação de um novo cargo de especialista. Esse profissional terá formação em licenciatura, poderá atuar como coordenador pedagógico, mas também em outras atividades que não são de regência de classe, como na área central e intermediária da Secretaria.

Autorização

Secretaria de Economia do Distrito Federal autorizou a contratação temporária de professores substitutos para atuação no ano letivo de 2022! Conforme informado em Portaria no Diário Oficial do DF, a Secretaria de Educação (SEEDF) irá selecionar os profissionais mediante processo seletivo simplificado, que não teve oferta de vagas especificada.

Segundo o documento,  as  contratações poderão ser prorrogadas para o ano letivo de 2023, com a anuência prévia desta Secretaria de Estado, limitado a 340.000 horas semanais e ao montante anual autorizado para o presente exercício.

A contratação ainda estará condicionada à disponibilidade orçamentária e financeira no exercício e deverá seguir as adequações orçamentária e financeira da nova despesa à Lei Orçamentária Anual e sua compatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias.

Último concurso SEEDF – professor efetivo

O último concurso público para profissionais de educação efetivos do DF foi aberto em 2016. Foram disponibilizadas, ao todo, 1.770 vagas de nível médio e superior, com salários que variam de R$ 2.068,43 a R$ 5.237,13. Para a ampla concorrência foram disponibilizadas 946 vagas e 225 vagas para candidatos portadores de deficiência. Além disso, foram disponibilizadas ainda 1.726 vagas para formação de cadastro reserva.

Do total de vagas, 800 foram para o cargo de professor de educação básica, para as disciplinas de: artes, biologia, ciências naturais, filosofia, física, geografia, história, letras – espanhol, francês, inglês, japonês e língua portuguesa -, matemática, química e sociologia.

Também foram abertas 40 vagas para analista de gestão educacional, destinada a graduados em tecnologia da informação (TI) ou diploma de qualquer área com especialização em TI, psicologia, economia, direito, contabilidade, comunicação social, biblioteconomia, arquivologia e administração. Os postos de técnico de gestão educacional (230) e monitor de gestão educacional (100) puderam ser preenchidos por candidatos com nível médio.

Concurso PCDF: psicóloga dá dicas para manter bom preparo físico e mental

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos

O concurso público da Polícia Civil do Distrito Federal será realizado no próximo final de semana. Estão na disputa 2.100 vagas para cargos de escrivães e agentes e mais de 130 mil candidatos farão as provas. Como a reta final costuma ser um momento de muita ansiedade e estresse entre os estudantes, o Papo de Concurseiro conversou com alguns especialistas para garantir boas dicas de preparo físico e mental nesta etapa.

Para Gabriel Granjeiro, presidente do Gran Cursos online e especialista em concursos públicos, a última semana antes da prova deve ser de tranquilidade e foco. “O aluno deve manter o ritmo de estudos que já está acostumado e não fazer algo que extrapole a sua rotina, como virar a noite estudando, por exemplo. Outra dica é também manter a saúde em dia, porque é uma prova extensa que exige muito do aluno. Essa última semana é hora de ser consistente nas ações.”, explica.

A psicóloga especialista em concursos públicos, Juliana Gebrin, também preparou algumas dicas para os concurseiros. Confira:

Durma bem

Para uma boa preparação para o concurso, é essencial que você esteja sempre descansado, seja para o próximo dia de estudos ou mesmo antes das provas. Nada de deixar para descontar nas madrugadas ou em um dia específico. A hora do sono, para o concurseiro, é tão sagrada quanto o próprio estudo. Privar a si mesmo de um bom sono pode ser a causa de vários problemas, entre eles depressão, estresse e paranoia.

Pratique meditação, yoga ou mindfulness

Na verdade, a meditação e o yoga andam de mãos dadas em sua filosofia, mas a execução de ambas pode ser bem diferente. São muitos os benefícios que as técnicas do mindfulness podem trazer para os concurseiros que estão na preparação para o exame. Aliviar as tensões da prova que está por vir é só o começo, a prática também contribui para: diminuir o estresse e ansiedade, melhorar a qualidade do sono, reduzir o risco de desenvolver depressão, aumentar a capacidade de concentração e desenvolver a inteligência emocional e autoconhecimento.

Alimente-se bem

Seja nos momentos antes da prova ou nos dias de preparação para o concurso, cuidar da alimentação faz parte de qualquer rotina saudável que se preze.

Controle suas emoções e medos

Bata de frente contra isso! A verdade é que todos os estudantes têm seus medos e eles costumam dar as caras na hora de responder as questões para valer. O segredo é tentar canalizar esses medos, enfrentá-los de maneira racional e revertê-los.

Proteja-se do coronavírus

Os candidatos devem ficar atentos ao grupo de entrada previsto na consulta de local e horário e, assim, evitar aglomerações no dia de realização das provas. Informações adicionais sobre as medidas de prevenção à Covid-19 adotadas pela organizadora do concurso, que neste caso é o Cebraspe, também devem ser observadas pelos candidatos.

O concurso

O concurso público da PCDF, com 2.100 vagas para agentes e escrivães, foi retomado após ser suspenso devido à pandemia. As provas objetivas e a prova discursiva para o cargo de escrivão terão a duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas em 21 de agosto, no turno da tarde. Para o cargo de agente de polícia, o exame será realizado em 22 de agosto, também com duração de 4 horas e 30 minutos.

Leita também: Última semana! Especialista indica como se preparar na reta final do concurso da PCDF

Agente

O concurso para agente de polícia reserva 600 vagas imediatas, além de formação de cadastro de reserva. Para estas vagas, foram contabilizadas 88.894 inscrições no total, resultando em uma demanda de 148.16 candidatos por vaga. Além disso, foram registradas 864 inscrições para vaga de candidatos com deficiência 15.528 na condição de cotista.

Podem participar candidatos com diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em qualquer área de formação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC); e que tenham carteira de habilitação de categoria B, no mínimo, entre outros requisitos.

O subsídio é de R$ 8.698,78, para 40 horas de trabalho semanal (o regime de trabalho é de dedicação integral e exclusiva, incompatível com o exercício de qualquer outra atividade pública ou privada).

Escrivães

O concurso para agente de polícia reserva 300 vagas imediatas. Foram 52.636 candidatos inscritos na seleção. Ou seja, uma concorrência de mais de 175 candidatos por vaga. Do total de chances, 225 são de ampla concorrência, 60 para negros e 15 para pessoas com deficiência. O salário inicial é de R$ 8.698,78, para 40 horas semanais de trabalho.

Leia também: Redação para a PCDF: veja quais são os erros mais comuns nesta etapa do concurso

Concurso PCDF: especialista aponta 10 dicas de como escrever uma boa redação

Estatística para PCDF: veja como estudar o conteúdo e alavancar a preparação na reta final

Senado lança podcast sobre processo legislativo; conteúdo pode ajudar concurseiros

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos

Para quem está se preparando para concursos púbicos, disciplinas sobre diversas áreas do direito estão sempre entre os conteúdos mais importantes e cobrados. Uma novidade lançada pelo Senado Federal pode contribuir para o aprendizado dessas pessoas: o podcast “Legislativo – que poder é esse?”. O conteúdo explica como funciona o Parlamento e a importância das decisões do Congresso no dia a dia do cidadão.

Na primeira temporada, o professor e consultor do Senado Federal João Trindade Cavalcante Filho vai conversar com a jornalista Fernanda Nardelli sobre os princípios que norteiam o trabalho do Poder Legislativo. apresenta os princípios do processo legislativo. Com eles, será possível entender como uma ideia se transforma em lei e quais são as atribuições e os limites dos parlamentares nessa jornada.

O objetivo é explicar como funciona o Parlamento, com base na Constituição Federal, no Regimento Interno do Senado Federal e no Regimento Comum do Congresso Nacional.

Além disso, o trabalho visa esclarecer o papel do Congresso e mostrar ao cidadão como as decisões do Legislativo mexem com suas vidas, a série pode ser uma ferramenta de estudo também para alunos de Direito.

Os episódios estarão disponíveis, sempre às quintas-feiras, nas principais plataformas agregadoras de podcasts e no site da Rádio Senado.

Calendário de episódios:

1ª Temporada: Princípios do processo legislativo
12/08/2021 – T1 E1 – “Venham a mim os que têm fome e sede de justiça”: o princípio democrático
19/08/2021 – T1 E2 – “Quem controla o controlador?”: o princípio do controle de constitucionalidade
26/08/2021 – T1 E3 – “Pela ordem, Senhor Presidente”: o princípio da oralidade
02/09/2021 – T1 E4 – “Para encaminhar, pela Liderança da minoria…”: a separação entre discussão e votação
09/09/2021 – T1 E5 – “Cada um no seu quadrado”: a separação de poderes
16/09/2021 – T1 E6 – “Ninguém mora na União”: o princípio da simetria
23/09/2021 – T1 E7 – “Uma coisa não anula a outra”: a não convalidação das nulidades
30/09/2021 – T1 E8 – “Eu sei o que você fez no verão passado”: o princípio da unidade de legislatura
07/10/2021 – T1 E9 – “A luz do sol é o melhor desinfetante”: o princípio da publicidade
14/10/2021 – T1 E10 – “A matéria vai à Câmara dos Deputados…”: o bicameralismo

Onde ouvir
Canais da Rádio Senado nas plataformas de podcast (Spotify, Google Podcast, Apple Podcast, Deezer e Castbox) e no site senado.leg.br/radio/podcasts