Confira dicas para lidar com a ansiedade na hora dos estudos para concursos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo

A ansiedade pode atrapalhar a concentração, planejamento e absorção de informações pelos concurseiros

Aline Gouveia – Concorrência, prazos curtos e cobrança por produtividade podem afetar a saúde mental dos concurseiros. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que, aproximadamente, 18,6 milhões de brasileiros são ansiosos. Embora seja uma resposta natural do corpo a estímulos estressores, a ansiedade em níveis elevados pode atrapalhar na concentração nos estudos, planejamento e absorção de informações. Portanto, o Papo de Concurseiro conversou com a psicóloga Nataly Padilha e listou dicas para ajudar a lidar com a ansiedade.

De acordo com a especialista, é necessário incluir tempo para descanso e lazer, assim como separar intervalos na rotina para evitar longos períodos de estudo. Tornar essas pausas um hábito “faz com que o cérebro esteja mais propenso a receber e armazenar novas informações”, diz Nataly.

“Além disso, cada pessoa tem as próprias questões pessoais, emocionais, e que podem surgir nas interações com o ambiente ou outras pessoas. Para isso é necessário uma atenção individualizada, que leve em consideração cada detalhe da sua história e de quem você é”, explica a psicóloga.

Além da necessidade de estabelecer uma rotina de estudos em que haja espaço para descanso e lazer, Nataly Padilha  recomenda algumas técnicas práticas para os momentos em que o concurseiro se sentir ansiedade. Confira!

Respiração diafragmática:

Na respiração diafragmática, a pessoa pode inspirar pelo nariz (inflando o diafragma, região do peito/costelas) e expirar pela boca. A expiração deve ter o dobro de tempo da inspiração, por exemplo, se inspirou por 3 segundos, expirar por 6 segundos.

Relaxamento Progressivo de Jacobson:

O Relaxamento Progressivo de Jacobson consiste em, sequencialmente, ir contraindo e relaxando grupos musculares. Por exemplo, contrair músculos dos braços por 5 segundos e relaxar, depois seguir pelo restante do corpo (inclui-se mãos, pés, rosto, ombros, etc)

Mindfulness:

As técnicas de Mindfulness têm o objetivo de ajudar a estar presente no “aqui e agora”, visto que, por vezes, a ansiedade nos leva a um ambiente mental de um sofrimento que já aconteceu, que já vivemos, mas não é mais parte do nosso presente. Por exemplo, tem a técnica de enumerar coisas que podemos identificar com os sentidos do corpo (visão, audição, olfato), então prestar atenção nos objetos que estão no ambiente, sons que escutamos, sensação dos tecidos das roupas na pele, etc. Outras técnicas muito usadas também são as de visualizações (de ambientes relaxantes, como uma praia e as sensações envolvidas).

No entanto, a psicóloga enfatiza a necessidade de investigar as causas da ansiedade. Quando não é tratada, os sintomas podem persistir e até se agravar. Nataly destaca que é possível encontrar atendimento psicológico de forma gratuita em algumas instituições. “É importante a reflexão sobre a relação com essas questões, e caso sinta que sua saúde ou bem estar estão sendo prejudicados de alguma forma, vale a pena buscar um apoio psicológico. Ele está disponível nas clínicas das faculdades e universidades que tenham curso de psicologia”, afirma.

Leia também: Concursos x Férias: saiba como descansar sem perder o ritmo nos estudos

A neurociência explica! Pesquisa indica como estudar corretamente para se dar bem nas provas

2.100 vagas autorizadas! Especialista dá dicas para próximo concurso da PMDF

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Carreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, GDF, PMDF, segurança

Não espere o lançamento do edital para começar a estudar! Um bom preparo deve ser feito com antecedência e iremos te ajudar nisso:

A Secretaria de Estado de Economia do Distrito Federal autorizou, na última quinta-feira (3/2), a realização de um novo concurso público para a Polícia Militar (PMDF). O edital deve trazer a oferta de 2.100 vagas para o cargo de soldado. Se o seu sonho é seguir a carreira policial, você não pode ficar para trás e, por isso, conversamos com um especialista que irá te ajudar a se preparar para o edital e, quem sabe, alcançar o objetivo de trabalhar na Segurança Pública.

Para o professor de direito penal do Gran Cursos Online e delegado Érico Palazzo, é possível sim começar a se preparar agora. Até porque, conforme relembra o especialista, o edital foi autorizado mas não está iminente. “A prova não vai acontecer daqui a um, dois meses. O concurso acaba de ser autorizado, depois disso será feita a escolha da banca, isso vai passar por um processo licitatório que leva algum tempo e depois é que teremos a publicação do edital. Isso sem falar que, no Distrito Federal, tem que ter pelo menos noventa dias entre o edital e a data da realização da prova. Na pior das hipóteses, a prova que irá acontecer daqui a seis meses”, enfatiza. “Dá tempo daquela pessoa que quer começar a estudar agora ser aprovada? Sim, dá tempo, desde que ela estude da maneira correta e se dedique muito.”

O detalhe conta

Com base no concurso de 2018, Palazzo aposta em um equilíbrio de quantidade de questões na próxima prova. Por isso, não dá para ignorar uma ou outra questão, já que, segundo o especialista, o detalhe pode ser um fator decisivo para a aprovação. “No último concurso, língua portuguesa teve oito questões, língua inglesa teve quatro, matemática e raciocínio lógico teve cinco, atualidades teve quatro, legislação aplicável à PMDF foram seis questões e criminologia teve três — todas essas vão totalizar trinta questões que estavam nos conhecimentos básicos. Nos conhecimentos específicos, que também são trinta questões, é a parte do direito. E foram exatamente cinco itens pra cada disciplina de direito”, cita.

“O que que eu quero dizer com tudo isso? Que a distribuição das questões é muito uniforme. O concurso da PMDF não costuma ser um concurso, como a gente vê em outros lugares, que tem trinta questões de português e duas questões de atualidades. Não dá pra menosprezar qualquer disciplina, porque todas elas serão relevantes para aquele aluno que quer ser aprovado.”

Outro ponto importante de se atentar é que a concorrência em concursos públicos só crescem. É aguardada uma alta disputa no próximo concurso da PMDF e Palazzo explica o porquê: “Cada vez mais as pessoas se interessam pelas carreiras policiais. Antigamente tinha um perfil e estereótipo policial que hoje em dia é cada vez menos é notado. Ainda mais em um concurso da Polícia Militar do DF, que é reconhecida nacionalmente como a melhor Polícia Militar do Brasil em termos de estrutura e em termos salariais. Essa informação acaba atraindo muitas pessoas para a seleção.”

Planejamento

O único jeito de conquistar a aprovação é estudando com um bom material. Um material que, segundo o especialista, deve ser confiável e atualizado. “Hoje em dia não se estuda mais com aquela apostila que era comprada em banca de jornal. São necessários materiais detalhados, porque as bancas têm cobrado questões cada vez mais difíceis e aprofundadas”, indica Palazzo.

Já tem o material de estudo ideal? Ótimo, agora é colocar tudo em prática! Uma dica do professor é realizar questões dos últimos concursos (principalmente do mais atual, de 2018) e, sempre que possível, revisar as matérias estudadas para maior fixação. “Como o último edital não foi publicado há tanto tempo assim, a tendência é que as disciplinas que serão cobradas agora venham bem parecidas aquelas que foram cobradas nele”, sugere.

Uma das mudanças esperadas pelo especialista deve ser nos itens sobre o Distrito Federal. “Dentro de atualidades, deve se atentar agora a uma disciplina específica chamada RIDE, região integrada de desenvolvimento do DF do entorno — que é como se fosse assim, atualidades do DF. Ela está de acordo com a lei de concursos do DF, então com certeza é uma disciplina que vai ser cobrada no próximo certame.”

Como método de estudo, o professor indica o planejamento de um ‘ciclo de estudos’, que é definir um cronograma de preparação para cada disciplina de acordo com a relevância de cada uma delas. “A gente sugere que o estudo por disciplina seja de uma a duas horas. Mais do que isso, você acaba perdendo o foco naquela disciplina e fica cansado. O ideal é que o aluno estude de uma a duas horas, no máximo e depois passe para outra. Ele faria esse ciclo entre todas as disciplinas do concurso. Esse ciclo deve ter uma sequência.”

A quantidade de disciplinas por dia vai depender da experiência de estudo do candidato, conforme explica o profissional: “É muito conteúdo, é muita coisa que tem que absorver. Para aquele aluno iniciante, é melhor estudar menos disciplinas e, a medida que vai finalizando cada uma delas, devem ser incluídas outras no ciclo. Alunos mais experientes que estudam há mais tempo podem fazer um ciclo com todas as disciplinas que venham a cair no concurso.”

Teste físico

“O TAF da Polícia Militar do DF é um dos TAFs mais difíceis que tem nas policias militares espalhadas pelo Brasil”, atenta Érico Palazzo. Mas, calma! O Teste de Aptidão Física (TAF) também não é um bicho de sete cabeças. Com o preparo correto, é possível ser aprovado no TAF com uma boa pontuação e sem roteiro de filme de terror.

São quatro testes, explica o professor: barra fixa, abdominal remador, corrida de doze minutos e natação. Academia é o suficiente? Para o professor, fazer academia e crossfit é bom para tornar a pessoa ativa nas atividades físicas e dar um melhor condicionamento físico e aeróbico. “Entretanto, eu sugiro que cada candidato faça um simulado desses quatro testes pra ver se está pelo menos próximo de atingir os índices pedidos. Se estiver muito distante, é fundamental que comece o quanto antes a a treinar especificamente pro TAF”, pontua.

A dica é simular ao máximo o ambiente do exame. “A sua a corrida no TAF não vai ser na esteira. Você vai correr numa pista de atletismo, então é ideal que você treine correndo na rua, em um lugar plano ao invés de correr na esteira. Por isso, é sempre recomendado que você faça um um treinamento bem específico para o teste de aptidão física.”

Conciliando os estudos

O concurso da PMDF possui diversas etapas de avaliação. Isto pode assustar quem está chegando por agora, mas Palazzo assegura que não tem com o que se preocupar. “Entre as fases, temos o psicotécnico, a investigação da vida social e os exames médicos. São fases que não exigem uma preparação prévia, pelo menos por agora. A única fase além da objetiva e da discursiva que exige uma preparação é o teste de aptidão física”, comenta. O TAF, sim, deve ter um preparo com antecedência, conforme continua o especialista: “Não dá tempo de iniciar a preparação depois que passa a prova objetiva ou discursiva. Faz parte, desde já, o estudo pra prova objetiva, o estudo de redação e uma preparação para o teste de aptidão física.”

Para o profissional, o ideal é separar um tempo específico para o TAF de duas a três vezes na semana. “É suficiente pra você ver um progresso e chegar mais tranquilo no teste.”

Ainda não comecei a me preparar. Dá tempo?

Segundo Palazzo, não há tempo de estudo ideal. “É óbvio que aquelas pessoas que desde o último concurso já vem estudando largam na frente”, afirma. “Mas aquele candidato que comece agora a estudar com seriedade e com dedicação tem total capacidade de ser aprovado.”

“Eu tenho certeza absoluta que na formatura da Polícia Militar e no curso de formação a gente vai encontrar diversos candidatos que começaram a estudar pra este concurso e começaram a estudar pra concursos públicos, no geral, em 2022. Então, só depende do candidato. Só depende da dedicação dele e do esforço dele.”

Novo concurso do TJDFT terá mudanças em relação a edições anteriores; entenda

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, TJDFT, Tribunal de Justiça

Inscrições em fevereiro! São mais de 100 vagas

Quem presta concurso sempre fica muito atento ao edital do certame. O edital do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), publicado no último dia 28, trouxe algumas diferenças em relação ao último, publicado em 2015. O coordenador da área de Tribunais do Gran Cursos Online, Vandré Amorim, apontou as quatro principais mudanças no certame de 2022. Confira:

  • A primeira alteração é na banca organizadora. Em 2022, as provas ficarão a cargo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Segundo Amorim, as provas de português da Fundação são mais elaboradas e mais complexas. Além disso, a prova de redação terá uma pontuação expressiva e representará um terço da nota total;
  • Ausência das disciplinas de Atualidades e Informática;
  • Neste ano, para a prova para nível médio, o edital prevê o conteúdo da disciplina de Noções de Administração de Recursos Humanos e Gestão Pública (que inclui questões sobre Administração Geral, Pública e Orçamento Público);
  • Provas com questões mais extensas: O coordenador de Tribunais do Gran Cursos Online recomenda que o aluno tenha cuidado no gerenciamento do tempo de prova calculando um tempo médio a ser gasto em cada questão, pois ainda precisará fazer a prova discursiva.

Outras informações importantes

Após avaliar os últimos certames de 2013 e 2015, o especialista estima que o número de convocados poderá ser bem maior do que a previsão do edital. No último concurso, em 2015, eram 80 vagas. Ao final do prazo de validade do concurso (dois anos) foram 736 convocados, entre analistas e técnicos judiciários. Em 2013, eram 103 vagas, porém mais de 300 analistas e mais de 900 técnicos foram convocados na vigência do concurso (dois anos). Neste ano, deve-se levar em conta que o prazo de validade do concurso será o dobro (2 anos, prorrogáveis por igual período).

Além disso, para Amorim, “o número de redações a serem corrigidas pela FGV também é um indicativo de muitas nomeações”. Segundo o especialista, embora o edital tenha colocado poucas vagas imediatas, o número de redações corrigidas aponta por um cadastro de reserva considerável, pois, para o cargo de analista judiciário da área judiciária, será de 1.200 para ampla concorrência. Já para o cargo de técnico judiciário, serão 1.440 redações corrigidas para ampla concorrência. O professor considera que o TJDFT tende a nomear mais do que as vagas oferecidas.

Vale ressaltar que, os novos servidores do TJDFT poderão optar pelo regime de teletrabalho. Isso significa que, mesmo que o candidato seja aprovado e more fora do DF, poderá atender às demandas do tribunal. O regime é adotado há alguns anos.

Benefícios

Além das remunerações que podem chegar até R$ 12 mil, o Tribunal prevê a oferta de diversos benefícios como:

  • Auxílio-alimentação no valor de R$ 910,08;
  • Assistência pré-escolar sendo de R$ 719,62;
  • Auxílio-transporte no valor de R$ 156,60;
  • Assistência médica e odontológica de R$232; e
  • Convênios médicos e serviço médico e odontológico interno.

Inscrições em fevereiro

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios publicou o edital para o novo concurso público do órgão na última sexta-feira (28/1). Ao todo, a seleção oferece 112 vagas, para os níveis médio e superior em diversas especialidades para os cargos de técnico e analista.

Das 112 oportunidades, 24 são destinadas aos cargos de nível médio e médio/técnico, com remuneração inicial de R$7.591,36 . As outras 88 são para candidatos com nível superior, com salários de R$12.455,30. O certame terá a Fundação Getúlio Vargas como banca organizadora.

Os servidores cumprirão jornada de trabalho será de 40 horas semanais. As contratações são estatutárias, ou seja, asseguram a estabilidade empregatícia.

O prazo de inscrição será de 7 de fevereiro a 14 de março, pelo portal da FGV. Os valores da taxa de inscrição são de R$ 80 para nível médio ou médio/técnico e R$ 120 para o nível superior. Saiba tudo!

 

Leia mais em:

Edital lançado! Especialistas te ajudam a conquistar a aprovação no TJDFT

 

*Estagiária sob supervisão de Ronayre Nunes

Edital lançado! Especialistas te ajudam a conquistar a aprovação no TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, TJDFT, Tribunal de Justiça, Tribunal de Justiça

Karolini Bandeira*- Não temos tempo a perder: o tão esperado edital de abertura do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) foi publicado na última sexta-feira (28/1)! O grande concurso, com oferta imediata de 112 vagas, deve ser concorrido e ter a participação de concurseiros de todo o país. Com a alta concorrência, você não pode ficar para trás e, por isso, conversamos com especialistas que irão te aconselhar a como seguir com os estudos e, quem sabe, realizar seu sonho de se tornar um servidor público.

A orientação do professor de Direito Administrativo do Gran Cursos Online Vandré Amorim é “sempre tentar iniciar a preparação antes do edital sair, pautando-se nos conteúdos cobrados nos editais anteriores”. A gente sabe que, infelizmente, por diversos fatores, nem sempre o candidato consegue ter uma boa preparação prévia. Para os que ainda não estão com o conteúdo todo em dia, a sugestão do especialista é “estudar de forma mais direta, por meio de resolução de milhares de questões, estudando a teoria apenas dos tópicos que perceber uma maior recorrência”. “Fazer uso de resumos também pode ser interessante, quando não se tem muito tempo a perder”, aconselha.

O essencial é não menosprezar nenhuma disciplina do conteúdo programático previsto no edital, já que deve ser um concurso bastante concorrido e um detalhe pode fazer toda a diferença. “Esse é um concurso que exige do candidato priorizar todas as disciplinas, pois a tendência é um ponto de corte mais elevado. Mas por óbvio, as disciplinas com maior número de questões merecem uma maior atenção, como língua portuguesa (10 questões)”, indica Amorim.

O especialista ainda comenta como seria a preparação dele, se estivesse se preparando para o concurso: “Meu foco seria na resolução incessante de questões e leitura de “lei seca” (ou seja, o texto da lei sem comentários). Lançaria mão também de resumos, para a fixação dos conceitos básicos.”

Tem receita?

Para o professor, não existe um método correto ou único. “A metodologia de estudo para concurso deve ser individual, sempre a fim de adaptar à forma em que o candidato tem o melhor resultado. Para alguns, estudar por videoaulas é melhor método, para outros a leitura se mostra mais eficiente. Há ainda aqueles que mesclam essas duas formas. Algo que é consenso entre os aprovados de concursos é a necessidade de se fazer muita questão de concurso.”

O especialista ressalta que o mais importante é começar. Para alcançar o pódio, não tem outro jeito senão uma boa preparação. “Caso você ainda não se sinta preparado para um concurso tão importante como esse, saiba que se você nunca começar, nunca de fato estará preparado para concurso nenhum”, destaca. Para quem pensa em prestar o concurso do TJDFT, a mensagem do professor é: “Apenas comece! Crie uma rotina e mantenha uma disciplina! Tenho certeza que os resultados virão!”

Concurseiros se preparam em todo o país

Tarcylla decidiu estudar para concursos após o ensino médio/Foto: Arquivo Pessoal

“A ansiedade tem tentado buscar espaço na minha vida após a publicação do edital e diante tanta espera por ele”, comenta a concurseira Tarcylla Moura, de 21 anos. A estudante concilia os estudos para o concurso do TJDFT com a faculdade está otimista de que os esforços trarão um bom resultado. “A fé e esperança de que as coisas podem dar certo é o que me move e motiva todos os dias. Cuidar do lado emocional é um dos fatores mais importantes pra que tudo caminhe bem.”

Tarcylla conta que tem um cronograma de estudos e que o segue todos os dias. “Fazer questões da banca, montar o meu próprio resumo e seguir nas revisões todos os dias é o que tenho buscado como aliados durante esse período de preparação.”

A estudante tem o objetivo de se tornar servidora pública desde o término do ensino médio. ‘Sempre tive em mente de que uma grande porta para mudanças na minha vida seria o TJDFT”, destaca. A meta é conquistar a aprovação ainda em 2022, mas, mesmo que não saia como planejado, desistir está longe de ser uma das suas opções. “Espero que o resultado seja positivo, mas caso não dê, sei que tudo é um processo e uma construção dia após dia, é esperar e confiar de que tudo vai dar certo.”

 

 

 

Ansiedade a mil

Ana Nepomuceno, 29, começou os estudos antes da publicação do edital/Foto: Arquivo Pessoal

A ansiedade da concurseira Ana Nepomuceno, de 29 anos, “está a mil”. Para a mulher, que se prepara para as provas do TJDFT, a atividade física tem sido aliada neste momento. “Acho que é meu escape. Eu foco na academia e isso me ajuda a manter meu emocional mais calmo”, comenta.

Ana também tem uma rotina diária de estudos. A estudiosa tenta se dividir entre simulados, realização de exercícios e videoaulas. Para ela, o cursinho está ajudando muito a organizar seu cronograma. “Eu sou assinante do Gran Cursos Online. O que me ajudou mais no meu planejamento foi o Guia da Aprovação [programa oferecido pelo preparatório], porque ele dá na palma da sua mão o que você tem e o que não tem que estudar, então fica tudo muito dividido e fácil de entender. Não perco tempo estudando o que não vai cair na prova.” A concurseira está estudando simultaneamente para outras seleções e acredita que o certame do TJDFT é uma oportunidade única.

Inscrições em fevereiro

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios publicou o edital para o novo concurso público do órgão na última sexta-feira (28/1). Ao todo, a seleção oferece 112 vagas, para os níveis médio e superior em diversas especialidades para os cargos de técnico e analista.

Das 112 oportunidades, 24 são destinadas aos cargos de nível médio e médio/técnico, com remuneração inicial de R$7.591,36 . As outras 88 são para candidatos com nível superior, com salários de R$12.455,30. O certame terá a Fundação Getúlio Vargas como banca organizadora.

Os aprovados no concurso receberão remuneração inicial de R$ 7.591,36 para os cargos de nível intermediário e R$ 12.455,30 para carreiras que exigem o nível superior. Os servidores cumprirão jornada de trabalho será de 40 horas semanais. As contratações são estatutárias, ou seja, asseguram a estabilidade empregatícia.

O prazo de inscrição será de 7 de fevereiro a 14 de março, pelo portal da FGV. Os valores da taxa de inscrição são de R$ 80 para nível médio ou médio/técnico e R$ 120 para o nível superior. Saiba tudo!

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Preparativo de concursos oferece simulados gratuitos para diversas seleções

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Dicas de estudo, Distrito Federal

Com um cenário muito favorável, os concursos de 2022 vão trazer diversas oportunidades para quem sonha com um cargo público. Para contribuir com a preparação, o curso preparatório IMP Concursos programou aulões e simulados beneficentes para quem busca dicas de estudos. Os cursos serão ministrados de forma presencial em Brasília-DF.

Para participar, os candidatos deverão realizar as inscrições gratuitas pelo site do preparatório e realizar a confirmação mediante doação de um item de kit de material didático. Serão aceitos cadernos brochura de 96 folhas, caderno de desenho brochura 60 folhas, caixas de lápis de cor de 12 cores e caixas de giz de cera 12 cores.

Confira a agenda completa:

29/01 (sábado)

Simulado de Execução Penal para Polícia Penal do DF com Adenilton Almeida

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente de Informática – foco na FGV com Emannuelle Gouveia (TJDFT e CGU)

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Aulão Beneficente – como estudar seguridade social para o INSS com José Trindade

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 13h15 às 17h – (obs: 13h15 às 15h – APLICAÇÃO | 15h15 às 17h – CORREÇÃO COMENTADA)

05/ 02 (sábado)

Simulado de Código de Trânsito brasileiro para o Detran/DF com Jayme Amorim

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente de lDB para SEDF com Fabiana Lagar

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente – organização, competências e sistemas estruturantes para CGU com Emerson Douglas

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 9h às 12h – (obs: 9h às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado Beneficente de Tendências Pedagógicas para SEDF com Fernando Sousa

  • Local: Unidade Águas Claras
  • Horário: 13h15 às 17h – (obs: 13h15 às 15h – APLICAÇÃO | 15h15 às 17h – CORREÇÃO COMENTADA)

06/ 02 (domingo)

Simulado de Legislação Aplicada à PMDF com Paulo Sérgio

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

Simulado de Realidade do DF + Ride com Wesley Santos

  • Local: Unidade Asa Sul
  • Horário: 8h15 às 12h – (obs: 8h15 às 10h – APLICAÇÃO | 10h15 às 12h – CORREÇÃO COMENTADA)

 

Vale ressaltar que o material é elaborado pelos professores e entregue no dia da aula. A inscrição não garante a vaga no evento, é necessário entregar a doação para garantir a vaga. As inscrições ocorrerão até a data do evento ou enquanto houver vaga.

 

Preparatório lança ferramenta que identifica conteúdos semelhantes em diferentes concursos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos Públicos, Dicas de estudo

A tecnologia promete otimizar o estudo e facilitar a conciliação de duas ou mais seleções

Para Paulo de Castro, de 34 anos, o tempo é precioso. Técnico administrativo do Executivo há dez anos, o que ele mais quer no momento é mudar de ares. Para isso, há dois anos voltou ao mundo dos concursos e assinou o curso preparatório Gran Cursos Online. Desde então, o estudioso encara uma maratona de concursos na área dele. Porém, para Castro, ele perde muito tempo na checagem de conteúdo em uma tentativa de conciliar provas. “Preciso olhar cada ponto de um edital e ver quais batem com outro certame que esteja próximo”, afirma. Foi pensando em casos como o dele que o cursinho lançou o “Dá para conciliar”, uma ferramenta tecnológica que promete ajudar o aluno a correlacionar cursos de editais diferentes.

O programa desenvolvido em 2022, usa, através do “machine learning”, uma inteligência artificial para identificar conteúdos semelhantes de editais diferentes. O Cofundador e Diretor de Tecnologia (CTO) do cursinho, Rodrigo Calado, explica o significado do termo. “Machine Learning é um ramo da inteligência artificial (IA) baseado na ideia de que sistemas podem aprender com dados, identificar padrões e tomar decisões com mínima ou zero intervenção humana.”

O “Dá para conciliar”, então, identifica conteúdos similares, mesmo que os professores sejam diferentes e que a matéria lecionada seja abordada de uma maneira distinta. No caso de concursos, a plataforma conseguirá apresentar um percentual de intersecção de conteúdo entre diferentes editais. Dessa forma, o aluno saberá exatamente o que ele precisará estudar para realizar outra prova, sem estudar novamente o mesmo material e sem perder tempo verificando o que já estudou e o que ainda não estudou.

Calado esclarece que, com a tecnologia, é possível identificar padrões de candidatos com rendimento maior ou inferir e quais conteúdos são mais relevantes para os alunos de níveis iniciante, intermediário e avançado; além de observar a taxa de retenção das videoaulas, prever os conteúdos com maior probabilidade de cair em uma prova e converter áudio em texto para gerar legendas aos que possuem deficiência auditiva e texto em áudio para os que possuem deficiência visual. “Imagine você estudar por uma plataforma de estudos que possui a capacidade de se adaptar às suas necessidades?“

Concursos 2022: especialista comenta o cenário e as expectativas para o próximo ano

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Coronavírus, Dicas de estudo, Governo federal

O ano da retomada dos concursos? Para especialista, 2022 promete! Leia a entrevista:

Karolini Bandeira* e Mariana Fernandes — Haja expectativa! Depois de praticamente dois anos com várias suspensões, atrasos de etapas e contenção de gastos, 2022 tem tudo para ser um grande ano para o mundo dos concursos e para quem deseja ingressar no serviço público. Para matar sua ansiedade, o Papo de Concurseiro conversou com o servidor público e professor de Direito Administrativo e Redação com especialidade em concursos públicos, João Coelhjo, que comenta o cenário, expectativas e percalços do ‘ano de retomada’.

Quais são as previsões de concurso para 2022?

O ano de 2022 promete ser um ano de retomada dos concursos públicos. Apesar do teto constitucional que limita os gastos públicos, há um grande número de cargos vagos em todas as esferas federativas e em todos os ramos dos Poderes. Em razão da reforma da previdência, muitos servidores em condições de requerer a aposentadoria têm buscado passar à inatividade, o que aumenta esse quadro de postos à disposição dos candidatos às vagas nos concursos públicos.

Até mesmo para conter os efeitos do aumento dos gastos públicos, é necessário, por um lado, aumentar a arrecadação e, por outro, reduzir a má-aplicação dos recursos públicos e, sobretudo, combater a corrupção. Por isso mesmo, é forte a previsão para que ocorram concursos para os níveis médio e superior da Receita Federal do Brasil (previsão de 699 vagas), da Controladoria-Geral da União (cujo concurso já tem até banca organizadora escolhida: a Fundação Getúlio Vargas) e do Tribunal de Contas da União (que já tem edital aberto e provas marcadas para 13 de março). No mesmo objetivo de aumentar a arrecadação, evitar a corrupção e melhorar a gestão pública, os concursos para as Agências Reguladoras federais precisam ocorrer em breve, ante o quadro deficitário de servidores, em contraste às atribuições legais e aumento da demanda por regulação dos serviços públicos.

Além da ANTT e da ANTAQ, no setor de transportes, a Agência Nacional de Mineração – ANM tem buscado realizar um concurso público para fortalecer a área finalística, especialmente para cuidar de segurança de barragens, tema que está em maior foco após a tragédia de Brumadinho. A ANEEL, por sua vez, fez o último concurso para a área-fim em 2010. A Anvisa já tinha planos para um concurso grande antes mesmo da pandemia, que só reforçou a relevância e a essencialidade do papel daquela autoridade.

A Agência Nacional de Águas – ANA é, provavelmente, a entidade que mais demande um novo concurso público, considerando que recebeu novas atribuições regulatórias no âmbito dos serviços de saneamento básico. Tanto é assim que a ANA, embora tenha preservado a sigla, agora se chama Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, graças à série de inovações trazidas pela Lei nº 14.026/2020.

Ainda no plano federal, o INSS deve realizar um amplo concurso para os níveis médio e superior, considerando a demanda por aposentadorias e demais benefícios sociais que dependem da análise da autarquia previdenciária. Já no âmbito do Distrito Federal, há firme convicção de que devem ser publicados os concursos públicos para a carreira de Políticas Públicas e Gestão Governamental (PPGG), para a Controladoria-Geral do Distrito Federal, além do Procon.

Na área de Segurança Pública, há previsão realista de concursos para o Detran e, ainda, para a Polícia Civil do DF, que, além dos atuais concursos para Agente e Escrivão, deve realizar provas para Delegado de Polícia, Agente Policial de Custódia e, ainda, para a Área Administrativa do órgão. Outra previsão iminente para 2022 é o concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios – TJDFT, conhecido por ser um grande nomeador na capital federal.

O fato de haver eleições em 2022 não interfere na realização de concursos públicos. Apenas aqueles concursos do Poder Executivo que não tenham seu resultado final homologado em até seis meses antes das eleições é que não podem realizar nomeações. Nada obsta, contudo, que provas sejam aplicadas para os concursos do Poder Executivo. Os demais Poderes podem fazer concursos e nomear, sem impedimentos, no ano que logo chega. É importante manter-se atualizado e aproveitar a existência de perfis de informação de qualidade especializados em matéria de concursos públicos.

Como os concurseiros devem se preparar para os próximos certames?

É importante observar o perfil de cada banca examinadora, sobretudo fazendo muitas provas anteriores. A principal forma de preparo é a resolução de questões. A base teórica será mais bem assimilada quanto mais experimentada, isto é, literalmente, quanto mais for posta à prova (ou exposta às provas). Aulas teóricas são importantes para aquisição, ampliação e manutenção de conhecimento. Contudo, a realização de questões é uma etapa fundamental da preparação.

Mesmo para concursos não-jurídicos, a cobrança da legislação e da jurisprudência nas matérias de Direito dos conhecimentos comuns exige preparação adequada, que dê ênfase ao conhecimento dos institutos jurídicos, privilegiando, no mais das vezes, o conhecimento do texto legal. Muito embora as questões não se restrinjam à transcrição da literalidade do texto da “lei seca”, é fundamental conhecer bem a redação das
normas constantes do edital, visto que a banca costuma fazer releituras, paráfrases, sínteses e aplicações da norma às situações concretas que pressupõem, para o acerto, o conhecimento do que está disposto na própria lei. Nesse sentido, é fundamental que o candidato não deixe de ler os textos legais e, na medida do possível, sistematizar os conceitos-chave de cada assunto e ver de que maneira eles estão dispostos e relacionados na lei.

Quais as dicas que você deixa para o concurseiro neste ano que se inicia?

Além de estar em dia com língua portuguesa, que é base para o conhecimento e compreensão das demais matérias, no que diz respeito às disciplinas jurídicas, recomendam-se algumas formas de preparação: ler algumas vezes o texto,  destacar os pontos principais, resolver questões de provas anteriores e (fazer anotações sequenciadas – fazendo um rol dos principais artigos (principalmente os que foram cobrados com maior frequência) para leitura rápida no momento de revisão e antes da prova – são estratégias indispensáveis para fixação e assimilação da disciplina legal e, na grande parte dos casos, o suficiente para a resolução das questões objetivas.

Além disso, tal método, que é simples e pode ser feito pelo candidato sem necessidade de materiais de apoio (mas apenas com a atenção dirigida à própria lei), ajuda sobremaneira na hora de compor textos dissertativos, visto que a menção desses termos e institutos, quanto mais fiel à lei, confere menor margem à interpretações dúbias e, de quebra, maior possibilidade de sucesso na pontuação do avaliador (além de facilitar a composição de eventuais recursos).

Os concursos estarão mais fáceis por haver muita disponibilidade de vaga, e em consequência, muitos concursos? Ou essa não é uma realidade?

A crise econômica reforça a máxima segundo a qual “a necessidade é que faz o sapo pular”. Portanto, a concorrência está mais que motivada para ocupar as vagas que estão disponíveis e aquelas que surgirão.

O aumento da qualidade da concorrência é uma evidência, pelo acirramento da disputa e das notas de corte que se tem verificado. Contudo, esse contexto não deve desmotivar quem está começando: com a devida preparação, o bom candidato pode, em espaço relativamente curto de tempo, estar bastante competitivo.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

Detran-DF: com edital prestes a sair, ex diretor-geral dá dicas de estudo

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, GDF

Karolini Bandeira*- O edital do concurso do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) para técnico e analista de trânsito foi confirmado para 2021 e as provas ficam cada vez mais próximas! Neste momento, o ideal é que os preparos sejam intensificados. Por isso, o Papo de Concurseiro conversou com o ex diretor-geral do Detran-DF e professor de legislação de trânsito do IMP Concursos, Jayme Amorim, para entender melhor sobre os exames e como se planejar mesmo sem a publicação do edital de abertura.

Como estudar?

Não é porque ainda não temos as informações do edital que não temos uma base, não é mesmo? Aos que já estão se preparando desde agora, Amorim indica ler os últimos editais e estudar de acordo com as provas. “Nesse período de pré-edital, o ideal seria que o aluno desse uma avaliada nas provas anteriores, a banca, o tipo de prova que foi aplicada…”

Toda observação é válida: “No cargo de técnico, o último concurso que tivemos foi em 2008, há bastante tempo, com a banca sendo o Cebraspe. Já para o cargo de analista, que anteriormente era assistente — mas só mudou a nomenclatura e não a atribuição –, o último concurso foi em 2010, com a Quadrix. Em ambos os concursos, temos tanto objetiva quanto discursiva.”

Para o professor, quanto mais atualizada a prova, melhor. “Se o candidato quer concorrer ao cargo de técnico ou de analista, seria interessante pegar a última prova e dar uma analisada no último edital  para estudar tendo ele como base. De lá para cá, tivemos várias mudanças, principalmente na matéria específica.”

Focar nas específicas

O segredo, segundo o ex-diretor, é dar prioridade às disciplinas específicas das provas. Entre elas, uma chama a atenção: legislação de trânsito. “O código de trânsito, matéria específica, é um conteúdo que tem resoluções do Contran [Conselho Nacional de Trânsito] do DF.  O candidato deve estar atento à Lei 9503, nas alterações no prazo de renovação da carteira — que passou a ser de dez anos para quem tem até 50 anos — ou a outras mudanças que tivemos, como a relação das questões dos exames psicológicos. Então, o candidato deve estar muito atento às mudanças, além de analisar as questões de legislação de trânsito do edital anterior.”

Quem não começou a estudar “já está atrasado”

Quem deseja ser aprovado no concurso da Detran e não começou a estudar deve correr atrás do tempo perdido. De acordo com o professor, muitos já estão se preparando há meses e quem ainda não iniciou “já está atrasado”. Mas não se desespere, ainda dá tempo! “Quanto tempo deve estudar depende da disponibilidade e da maneira que você tem para estudar. O certo é que a pessoa tenha um estudo diário para cada conteúdo antes do edital sair e acrescentar outras matérias quando sair”, indica.

“Hoje no mercado existem vários materiais de vários valores, de acordo com a necessidade de cada pessoa. É preciso procurar um material atualizado”, aconselha o especialista aos que não podem pagar cursinho.

Concurso até dezembro

O diretor-geral do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), Zélio Maia, informou, em entrevista realizada no último dia 21 de outubro, que o edital de abertura do próximo concurso da instituição será publicado até dezembro deste ano. Segundo Maia, o secretário da Economia, André Clemente, disse que lançamento do certame em 2021 é de interesse da secretaria e do governo.

O primeiro edital a ser lançado será para os cargos de técnico e analista de trânsito. Será publicado, também, certame com oportunidades para especialistas e agentes do Detran — entretanto, segundo Maia, o documento de abertura deste pode ficar para 2022. “A seleção para especialista e agente ainda precisa de ajustes orçamentários, mas estamos trabalhando para que saia com brevidade, provavelmente no início do próximo ano.”

Último concurso

Realizado em 2012, o último certame foi organizado pela Fundação Universa e ofereceu 100 vagas imediatas para o cargo de agente da carreira de policiamento e fiscalização, além de formação de cadastro reserva. 19.547 candidatos se inscreveram no concurso, que teve uma concorrência de cerca de 195 pessoas por chance ofertada.

As oportunidades foram para o nível superior, com remuneração inicial no valor de R$ 5.485,24 para uma jornada de 40 horas semanais. Os inscritos passaram por prova objetiva, prova discursiva, exame de capacidade física,  avaliação psicológica e investigação social.

*Estagiária sob supervisão de Vinicius Nader

Suspenso há quase um ano, concurso da DPDF segue sem previsão de retomada

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Defensoria Pública, Dicas de estudo, Distrito Federal, DPDF

Com previsão de 60 vagas, o certame oferece remuneração inicial no valor de  R$ 5,2 mil

O concurso da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) segue sem atualizações desde 2020. Organizado pela banca Cebraspe, o certame foi suspenso no ano passado por conta da pandemia de covid-19 e segue sem previsão de novo cronograma e retomada. São 60 vagas para analista de apoio à assistência judiciária em diversas áreas de formação. A remuneração inicial é de R$ 5.241,22. 

O edital da DPDF foi publicado no dia 20 de julho de 2020 e tinha previsão inicial para realização das provas em 8 de novembro de 2020. Em outubro daquele ano, a banca publicou um edital comunicando a suspensão em razão do novo coronavírus. Para suspender o certame, levou-se em consideração o substancial quantitativo de candidatos oriundos de outras unidades da Federação inscritos para o concurso público. Além disso, a suspensão de outras provas no âmbito distrital e a curva epidemiológica no Distrito Federal também contribuíram para a suspensão.

Em resposta ao Papo de Concurseiro, o Cebraspe informou que ainda não há previsão da data de retorno do certame. Já a Defensoria informou que “a comissão do concurso e a banca organizadora estão trabalhando para divulgação do novo cronograma.” De acordo com a DPDF, “foi tornado público que serão devidamente divulgados por edital a nova data e a consulta aos locais de aplicação das provas, assim como o novo cronograma do concurso”.

Concursos retomados

No Distrito Federal, a banca Cebraspe já retomou alguns certames que estavam suspensos pela pandemia. 

Os dois concursos para a Polícia Civil do Distrito Federal, por exemplo, tiveram provas realizadas no final de agosto, e contaram, cada uma delas, com 52.634 inscritos para escrivão e 88.891 para agente. A Procuradoria-Geral do Distrito Federal, que registrou 59.037, realizou as provas também em agosto.

Dicas para quem está esperando

Para os candidatos que começaram a estudar para a DPDF e ainda aguardam o concurso, a dica é aproveitar o tempo para aprofundar em alguns temas, além de fazer outras provas de concursos. 

Para quem já viu todo o edital, Gustavo Machado, professor de de Direito Constitucional do IMP Concursos, recomenda rever o conteúdo. “Para quem já fechou o edital , o ideal é fazer muita revisão e muitos exercícios”, explica. Por outro lado, para aqueles que desanimaram com a demora e desejam retomar agora os estudos, a dica do professor é continuar de onde estava. “O estudo é cumulativo. É preciso continuar de onde se parou e rever o que está para trás. A revisão é sempre muito importante”, ressalta. 

Gustavo também aconselha estudar para outros editais.  “É sempre bom abrir mais de uma frente, porque ficar apenas em um único concurso público é muito arriscado e demorado”, explica.

Clique aqui para acompanhar as atualizações da banca sobre o concurso da DPDF.

Pensa em fazer concurso do TJDFT? Confira dicas de preparação para as provas

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, TJDFT

Karolini Bandeira*- Apesar de não ter sido confirmado para 2021, existem altas chances de o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) lançar um novo concurso público para técnicos e analistas em 2022. Como nunca é cedo demais para começar a se preparar, trouxemos para você dicas do especialista e professor do IMP Concursos Sérgio Gaúcho de preparação para as provas de concursos do órgão.

Como estudar antes do lançamento do edital?

Estudar sem o auxílio do edital de abertura pode ser, sim, um pouco mais difícil — mas não é impossível! Nesse caso, o professor indica começar com matérias mais gerais, sempre com base nos últimos editais do órgão. “Se o candidato for estudar sozinho, sem um curso específico, aconselho fazer, primeiramente uma leitura geral. Depois, estude a composição e organização do Tribunal, em seguida o processo judicial. Não há grandes diferenças no estudo diferenciado por cargo, inclusive, existem algumas questões de técnico mais difíceis do que de analista”, disse.

Foco no que importa

Para o especialista, a matéria de regimento interno pode ser um diferencial na aprovação de ambos os cargos. “Costumam ser cobradas várias questões e é um conteúdo muito específico”, pontuou Sérgio. Apesar de não poder ser deixada de lado, a disciplina não é a única que deve estar incluída na rotina de estudos do concurseiro. “O candidato deve estudar as três legislações internas do TJDFT: Lei de Organização, Regimento e Provimento”, aconselhou.

O professor também sugeriu uma ordem de estudo a ser seguida para obter uma preparação mais proveitosa: “No estudo da legislação do TJDFT, aconselho que o candidato faça um estudo, primeiramente, da Lei de Organização Judiciária, porque terá uma visão geral sobre a Justiça do DF. Depois, estude o Regimento Interno que trata somente do TJDFT e, por último, estude o Provimento Geral da Corregedoria, pois, versa sobre questões mais práticas e específicas para a atuação dos servidores.”

Pontos principais

Para Sérgio, é crucial que o estudioso foque nos conteúdos mais cobrados das provas. O professor ainda ressalta que, para ele, os pontos que devem ser priorizados na preparação são a “organização e composição do Tribunal e alguns assuntos sobre o processo judicial (distribuição e sessões) e ações específicas”. “O importante é que, dentro de cada capítulo, o candidato priorize os conteúdos que costumam ser mais cobrados. Para isso, tem que ser feita uma análise das últimas provas e, se possível, ter orientação com um especialista da disciplina”, ressaltou.

Apesar de complicadas, o especialista relembrou que as matérias de legislação são possíveis de serem fixadas com o método correto: “Aquilo que pode parecer um ‘bicho de sete cabeças’, pode ser solucionado numa rápida explicação técnica.”

TJDFT acumula 405 cargos vagos

Com o último concurso público realizado em 2015, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) sofre com déficit de 405 cargos vagos, sendo 219 na função de técnico judiciário e 186 de analista judiciário. Os números são confirmados pelo Portal da Transparência do órgão, com dados referentes a abril de 2021.

Apesar da vacância no quadro de servidores e de já ter confirmado a intenção de viabilizar um novo concurso para efetivos com levantamento de cargos vagos, a pasta adiantou ao Papo de Concurseiro em maio que não haverá tempo hábil para realização desse concurso ainda em 2021, tendo em vista que o processo não chegou sequer à fase de contratação de banca examinadora. “Estamos apenas no levantamento de necessidades”, frisou o TJDFT.

Presidente fala sobre necessidade de concurso

Em reunião com representantes do 7ª vara Cível, realizada em 7 de julho, o presidente do TJDFT, Romeu Gonzaga Neiva, reforçou a necessidade de seleção para novas contratações no órgão. “Vamos fechar o projeto para fazer um concurso público para servidores. Estamos defasados e outros tribunais não querem ceder servidores. Temos inúmeras aposentadorias e os tribunais que têm concursos abertos não querem ceder servidores para nós e estamos ficando em situação difícil. Então hoje nós vamos trabalhar para que, a partir da semana que vem, preparemos, possivelmente, a minuta de um edital. O problema de falta de servidor está na raiz de tudo. Vamos tentar resolver”, disse.

 

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer