CBPFOT260220190016 Fotos: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press O chef Vitor Luis, do The Plant, com os donos Ruy Souza e Davi Neves

Visite neste carnaval o The Plant, novo restô que usa ingredientes orgânicos e produtos locais

Publicado em

 

Confirmando a vocação natureba do espaço — ocupado por cinco anos pelo Duoo, um 100% sem glúten que teve por objetivo juntar saúde e sabor —, a loja 36 do Bloco C na 103 Sul recebe hoje o The Plant, cuja operação tem como lema: do campo à mesa, ingredientes orgânicos e produtos locais. “A ideia foi trazer esse conceito para o ambiente no qual está sendo servida a refeição”, explica Davi Neves, de 30 anos, um dos dois sócios da nova casa. O outro é Ruy Souza, da mesma idade. Ambos são administradores, mas só Davi tem experiência no metier.
Depois de fundar o Bioon Ecomercado, uma loja de alimentos e suplementos naturais aberta em 2012 na 303 Norte, Davi Neves partiu, três anos mais tarde, para a Califórnia, onde por um ano tomou conta do delivery orgânico Zip Mesh, que entregava diretamente os ingredientes do produtor ao consumidor. Na volta, tornou-se produtor cultural e o evento mais recente foi o Mercado Mundi.
Já o outro proprietário, Ruy, formado em jornalismo, atua na área de comunicação visual, um destaque forte do restaurante, que tem as paredes pintadas com plantas e vegetais e as colunas envoltas com trepadeiras.

Estrela do menu

Medalhão de steak Passion em crosta de pão sem glúten e castanhas vem com batatas temperadas e legumes

 

“Queremos um restaurante vivo”, assinala Davi. Os sócios contrataram consultores gastronômicos e nutricionistas para elaborar o cardápio, cuja execução foi entregue ao chef Vitor Luiz, que trabalhou no Authoral, The Queen´s Place e Nossa Cozinha, depois de se formar em gastronomia no Iesb. Ele não tem dúvida que a estrela do menu será um steak feito com patinho, corte da Beef Passion, grelhado dentro do forno combinado com uma crosta de castanhas-de-caju e do Brasil. O prato, servido só no almoço, vem com trio de batatas (baroa, doce e asterix) temperadas com páprica doce e assadas no forno e vegetais (vagem, ervilha-torta, brócolis, couve-flor e cenoura) com molho de redução de melaço de cana e shoyo e decorado com brotos de beterraba. Sai por R$ 48.

Nas entradas, há saladas, carpaccio de beterraba, dadinho de tapioca, guacamole com chips de banana desidratada e mini-hambúrguer de salmão com teriyaki de tâmara e laranja no pão sem glúten. Ainda no almoço, há filés de frango caipira com baroa e molho de frutas vermelhas (R$ 37) e de tilápia com purê de ervilha com leite de coco e espaguete de pupunha (R$39). Outros pratos com apelo fitness são quinoa preta, vermelha e branca com camarões flambados ao creme de leite fresco orgânico e escondidinho de cogumelos.

Brunch até as 12h

O atendimento no The Plant começa cedo. A partir das 8h já rola o cardápio do café que vai até as 12h. Nele, você pode pedir desde os sucos, cafés e kombuchas até os itens de um brunch completo, como torradas, mix de ovos e bacon, omelete de cogumelos e bowls de frutas e cereais. Os pães são fornecidos pela Castália e todos os ingredientes “são bem frescos, porque vêm de muito perto”, garante Davi. Como os hortifruti orgânicos produzidos em Brazlândia, o leite e o queijo de cabra no Lago Oeste. Funciona todos os dias das 8h às 22h. Telefone: 3322-0404.