CBNFOT241020170837 Créditos: Adriana Wanderley/Divulgação. Prato árabe do restaurante Castelo 21, DF-060.

Almoço bom à beira da BR-060

Publicado em

Os viajantes que percorrem a BR-060 (Brasília-Goiânia) têm o privilégio de degustar a rica culinária sírio-libanesa em aromático bufê, que vai muito além dos conhecidos quibes e esfihas. Para encontrar o sabor das Arábias, não precisa nem mesmo sair da rodovia. O Castelo 21 — mix de lanchonete, empório e churrascaria — fica ao lado do Outlet, paraíso das multimarcas, próximo de Alexânia.
Tem comida brasileira também (arroz, feijão tropeiro, rabada, moela, frango caipira e até feijoada), mas é nas receitas transmitidas pela mãe e avó, nascida na Síria, que reside o diferencial desse restaurante comandado por André Massuh e aberto em parceria com o irmão Eduardo Haddad, proprietário do Árabe Gourmet, na 404 Sul. Daí a semelhança do cardápio, afinal a inspiradora dos pratos, Anice Abdala Bitar, é mãe dos dois restaurateurs.

Conservas temperadas

Créditos: Adriana Wanderley/Divulgação. Prato árabe do restaurante Castelo 21, DF-060.
Créditos: Adriana Wanderley/Divulgação. Prato árabe do restaurante Castelo 21, DF-060.

O espaço é enorme. Nele podem se acomodar 250 pessoas sentadas e ainda sobra lugar. Separada por balcões, a comida árabe vem em dois bufês: frio e quente. No primeiro, predominam pastas e conservas, como a abobrinha japonesa cortada em minúsculas fatias temperadas com vinagre e orégano. Difícil não repetir. Homus, quibe cru, pão sírio com zatar, salada de berinjela, de chancliche (ricota temperada) e de tabule, além da deliciosa coalhada seca, cujo segredo Dona Anice passou para o cozinheiro.
Entre os quentes, o destaque é o arroz com lentilhas cozidos junto com cebola frita (mijadra) e o arroz com cordeiro desfiado e castanha. Não deixe de pedir os charutos, caso eles não tenham ido ainda para o balcão. O de folha de parreira com recheio de carne é o máximo. Um amigo de origem árabe que me acompanhou com a filha na degustação apontou o quibe assado, a pasta de grão-de-bico (homus) com sabor defumado e a de berinjela (babaghanoush) entre as excelências.

Levar para casa

Créditos: Adriana Wanderley/Divulgação. Prato árabe do restaurante Castelo 21, DF-060.
Créditos: Adriana Wanderley/Divulgação. Prato árabe do restaurante Castelo 21, DF-060.

Outra opção boa para quem quiser provar diferentes pratos é o serviço de churrasco. Instalada no mesmo local, a churrasqueira na brasa assa alguns cortes, como a costela gaúcha, fraldinha e picanha, além de frango, linguiça e cafta no espeto, especialidade da casa. Vendida por quilo, a comida sai a R$ 44,90, de segunda a quinta, e R$ 49,90, de sexta a domingo. Bufê livre, porém, tem até o fim de novembro o preço promocional de R$ 39,90, por pessoa.
À entrada, há um dispenser onde você pode escolher alguns pratos congelados que podem ser levados para casa. Entre os quais quibe, esfiha, além de iguarias goianas, como empadão, coxinha e pão de queijo. Quer recebê-los em casa? Não tem problema. “Eu moro em Brasília, todos os dias faço o trajeto e posso me encarregar do delivery”, garante André, que atende o celular (61) 99923-6544.