Preparatório oferece aulas gratuitas para candidatos ao TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

O concurso do TJDFT oferece 112 vagas com remuneração de até R$ 12 mil

Um dos concursos mais concorridos do Distrito Federal terá a primeira fase aplicada no próximo domingo (29/5). Cerca de 132 mil candidatos farão as provas objetivas e discursivas do concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). 

O concurso  TJDFT 2022 oferece 112 vagas imediatas, sendo 24 destinadas aos cargos de nível médio e médio/técnico, com remuneração inicial de R$ 7.591,36. Já as outras 88 são para candidatos com nível superior, com salários de R$ 12.455,30.

Os nomeados terão direito ainda a auxílio-alimentação no valor de R$910,08, assistência pré-escolar de R$719,62, auxílio-transporte e assistência médica e odontológica. A carga de trabalho será de 40 horas semanais.  

Os cargos com maior número de inscritos são Técnico Judiciário/Área: Administrativa (69.379) e Analista Judiciário/Área: Judiciária (40.195).

Para ajudar os candidatos na preparação para as provas, o cursinho preparatório Gran Cursos Online organizou uma programação gratuita direcionada ao concurso TJDFT 2022. As atividades começam nesta segunda-feira (23/5) e seguem até o próximo sábado (28/85). 

“Será uma oportunidade única para revisar conteúdos, responder questões de provas, além de acesso a dicas importantes, que vão fazer a diferença na preparação para a prova”, explica Gabriel Granjeiro, representante do Gran Cursos Online. 

Programação

Segunda-feira (23/5)

14h – a professora Roberta Queiroz realiza um aulão de Direito Civil para os candidatos às vagas de Técnico Judiciário;

19h – o professor Jósis Alves fará uma revisão sobre Redes de Computadores e Segurança da Informação;

20h – Francion Santos falará sobre o Regimento Interno, Provimento Geral e o Provimento Judicial para Técnico e Analista Judiciário – Área Judiciária (AJAJ).

Terça-feira (24/5)

9h – a professora Patrícia Dreyer fará um aulão sobre Processo Civil para os cargos de AJAJ e Oficial de Justiça;

11h – o professor Elias Santana fará um aulão de Língua Portuguesa para dar dicas estratégicas para os candidatos dos cargos de AJAJ e Oficial de Justiça;

11h – começa um aulão com o professor Diogo Alves de português da FGV;

14h– os candidatos poderão assistir a uma aula da professora Roberta Queiroz sobre Direito Civil para os cargos de AJAJ e Oficial de Justiça.

19h – teremos dois aulões: um com o professor Rogério Araújo sobre banco de dados, e outro com o professor Renato Lacerda sobre administração de recursos humanos e gestão pública, para os candidatos que concorrem ao cargo de Técnico Judiciário;

21h – o professor Anderson Ferreira falará sobre Administração Financeira e Orçamentária (AFO) para os candidatos ao cargo de Técnico Judiciário. A programação da terça-feira se encerra com o professor Gustavo Brígido, que falará sobre direito constitucional.

Quarta-feira (25/5)

19h – o professor  Sérgio Sierro vai compartilhar dicas essenciais sobre infraestrutura de serviços (Windows e Linux);

19h – começa um aulão de língua portuguesa com o professor Elias Santana;

21h – a professora Geilza Diniz fará um aulão sobre processo penal. 

Quinta-feira (26/5)

9h – o professor Érico Palazzo fará um aulão sobre direito penal para os cargos AJAJ/Oficial de Justiça;

11h – a professora Geilza Diniz faltará sobre o conteúdo de processo penal para os cargos de AJAJ e Oficial de Justiça;

19h – iniciam dois aulões: um com o professor Darlan Venturelli, sobre gerência de projetos, e outro com o professor Érico Palazzo, sobre o conteúdo de direito penal para Técnico Judiciário. 

21h – inicia um aulão com o professor Vandré Amorim, que falará sobre direito administrativo para o cargo de Técnico Judiciário;

22h – com Patrícia Dreyer, que abordará o conteúdo de processo civil, para o cargo de Técnico Judiciário. 

Na sexta-feira (27/5)

9h – haverá um aulão do professor Vandré Amorim, que falará sobre direito administrativo para os cargos de AJAJ e Oficial de Justiça;

12h – o professor Gustavo Brígido dará dicas sobre o conteúdo de direito constitucional para AJAJ e Oficial de Justiça;

14h – inicia uma aula da professora Adriane Sousa que falará sobre a Lei de Organização Judiciária (LOJ), para os cargos de Técnico e AJAJ;

19h – teremos duas aulas importantes: uma com o professor Leandro Vilar sobre ITIL e Cobit, e outra com o professor Glauber Marinho sobre ética, para candidatos aos cargos de Técnico e AJAJ. 

Revisão de véspera –  sábado (28/5)

8h às 19h30 – aulão em Brasília e Goiânia. Durante o evento, os professores revisarão o conteúdo do edital, tirarão dúvidas, resolverão questões e darão dicas estratégicas de todo o conteúdo programático dos cargos.

Lições do mindfulness:

A programação também inclui uma aula sobre mindfulness, com a psicóloga especialista em concursos públicos Juliana Gebrim. Além de aliviar dores, medo, raiva, ansiedade, insônia e estresse, a técnica ajuda o candidato a ter mais foco, atenção e memória; autoconhecimento emocional; gentileza consigo e maior energia corporal e mental.

“Os resultados começam a ser observados desde a primeira experiência, mas estudos mostram que em oito semanas já é possível ver as mudanças estruturais no cérebro de quem inclui mindfulness em sua rotina. A verdade é que só há benefícios em conhecer e adotar essa prática. Não é preciso muito tempo e pode ser feita no horário que estiver disponível. Os minutinhos dedicados ao autocuidado serão ganhos no decorrer da sua jornada, aliviando as tensões e ganhando mais disposição”, ressalta Gebrim.

Para iniciar a prática, siga o passo a passo preparado pela especialista:

Passo 1: Encontre um lugar tranquilo e silencioso.

Passo 2: Sente-se ou deite-se confortavelmente.

Passo 3: Preste atenção na sua respiração. Ritmo, frequência, temperatura do ar entrando e saindo das narinas.

Passo 4: Atente-se às sensações que envolvem o seu corpo. Está calor ou frio? Quais os sons do ambiente? Está sentindo dor em algum lugar? Sente algum cheiro?

Passo 5: Entre em contato com seus sentimentos, sem julgamento. Imagine que você é um espectador da própria vida e está apenas observando a situação de fora. Seja gentil consigo.

Passo 6: Volte mais uma vez a atenção para a realidade atual. Sinta a realidade física no seu corpo.

Passo 7: Repita o processo de reflexão sobre o corpo e a mente sem julgamento. Isso treina seu cérebro para conseguir sair de avalanches de pensamentos e sentimentos negativos que causam mal à saúde mental e física.

A agenda é gratuita e será transmitida pelo canal do Gran Cursos Online no YouTube, todos os dias, horário de Brasília. 

Especialista dá dicas de como se preparar na reta final para o concurso do TJDFT

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, Sem categoria

As provas do concurso do TJDF se aproximam, será no próximo dia 29/5. Saiba como se preparar

Os 132.463 inscritos no concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios estão diante a reta final dos estudos, visto que os exames de seleção serão aplicados no dia 29 de maio. Elas serão aplicadas em Goiânia e Valparaíso de Goiás — além do Distrito Federal.

O edital de abertura assegura ao todo 112 vagas para contratação imediata (24 para aos cargos de nível médio e médio/técnico e 88 para nível superior). Em relação ao salários, ele varia entre R$ 7.591,36 de R$ 12.455,30, respectivamente.
Papo de Concurseiro conversou  com o professor de Carreiras Jurídicas do Gran Cursos Online, Anderson Ferreira, no qual deu dicas para se preparar para o certame nesses últimos dias. Segundo ele os estudos devem está direcionado nas matérias que há mais dificuldade, além das que possuem uma quantidade maior de questões. Confira as orientações:
Como não deixar a ansiedade atrapalhar nesta reta final?

É difícil a gente tocar nesse ponto de ansiedade, porque os nos últimos tempos tem sido de muita preocupação, ansiedade com tudo. Cada vez mais você vê a população de uma forma muito ansiosa. Mas sem entrar nesse ponto da mente humana, uma boa dica para evitar a questão da ansiedade, é saber que você chegou até aquele momento, deu o seu máximo e não se preocupar com questão de vagas/concorrência, isso já é um grande passo aí pra você não ficar tão ansioso.

Em relação a intensidade dos estudos, como deve ser?

Hoje em dia acho que é muito mais uma questão de um estudo de qualidade do que uma quantidade de horas estudadas. Mas agora nessa reta final, quem tiver possibilidade/oportunidade de estudar mais, acho que deve aproveitar preenchendo o tempo de estudo com mais revisão daqueles pontos que devem dar uma atenção maior por agora.

O que o candidato pode fazer no dia anterior à prova? E no dia?

No dia anterior é importante fazer uma boa revisão, focando nas dicas dadas pelos professores, para quem fez um curso preparatório, principalmente no que é de uma incidência maior e no tipo de concurso perfil da banca que, no caso, a FGV.

E quais dicas podem ser dadas a fim de facilitar a administração do tempo da prova?

Não acho interessante dicas do tipo,começar com a disciplina que eu mais gosto e deixar a que eu menos gosto pro final, porque fazendo isso você acaba se perdendo, e consequentemente fazendo uma má distribuição do tempo, podendo deixar disciplinas sem conseguir responder. Então, oriento fazer a prova pela ordem em que é apresentada, eu acho que é melhor, pois o tempo é curto e a quantidade de questões é grande.

Outras dicas que foram dadas:

  • Resolver questões dos exames já aplicados;
  • Rever artigos que são mais corriqueiros nas provas;
  • Dar um enfoque maior na lei seca e cobrança de súmulas, visto que é cobrado com recorrência pela FGV.

A prova objetiva será composta por 60 questões de múltipla escolha, no qual irá abranger conteúdos de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos.  Sendo 20 e 60 respectivamente.

As questões de Conhecimentos Gerais terão as seguintes disciplinas: Língua Portuguesa: dez questões; Ética no Serviço Público, Regimento Interno, Lei de Organização Judiciária, Provimento Geral da Corregedoria e Provimento Judicial Aplicado ao Processo Judicial Eletrônico: 10 questões.

Já as de Conhecimentos Específicos abrangem: noções de Administração de Recursos Humanos e Gestão Pública, noções de Direito Administrativo, noções de Direito Constitucional, noções de Direito Penal, noções de Direito Processual Penal, noções de Direito Civil e noções de Direito Processual Civil.

Na prova discursiva, será uma redação dissertativa, cujo tema será conhecido somente no dia do exame. Já as provas para analistas, será composta por duas questões discursivas relacionadas aos Conhecimentos Específicos do respectivo cargo.

Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes.

Novo concurso do TJDFT terá mudanças em relação a edições anteriores; entenda

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, TJDFT, Tribunal de Justiça

Inscrições em fevereiro! São mais de 100 vagas

Quem presta concurso sempre fica muito atento ao edital do certame. O edital do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), publicado no último dia 28, trouxe algumas diferenças em relação ao último, publicado em 2015. O coordenador da área de Tribunais do Gran Cursos Online, Vandré Amorim, apontou as quatro principais mudanças no certame de 2022. Confira:

  • A primeira alteração é na banca organizadora. Em 2022, as provas ficarão a cargo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Segundo Amorim, as provas de português da Fundação são mais elaboradas e mais complexas. Além disso, a prova de redação terá uma pontuação expressiva e representará um terço da nota total;
  • Ausência das disciplinas de Atualidades e Informática;
  • Neste ano, para a prova para nível médio, o edital prevê o conteúdo da disciplina de Noções de Administração de Recursos Humanos e Gestão Pública (que inclui questões sobre Administração Geral, Pública e Orçamento Público);
  • Provas com questões mais extensas: O coordenador de Tribunais do Gran Cursos Online recomenda que o aluno tenha cuidado no gerenciamento do tempo de prova calculando um tempo médio a ser gasto em cada questão, pois ainda precisará fazer a prova discursiva.

Outras informações importantes

Após avaliar os últimos certames de 2013 e 2015, o especialista estima que o número de convocados poderá ser bem maior do que a previsão do edital. No último concurso, em 2015, eram 80 vagas. Ao final do prazo de validade do concurso (dois anos) foram 736 convocados, entre analistas e técnicos judiciários. Em 2013, eram 103 vagas, porém mais de 300 analistas e mais de 900 técnicos foram convocados na vigência do concurso (dois anos). Neste ano, deve-se levar em conta que o prazo de validade do concurso será o dobro (2 anos, prorrogáveis por igual período).

Além disso, para Amorim, “o número de redações a serem corrigidas pela FGV também é um indicativo de muitas nomeações”. Segundo o especialista, embora o edital tenha colocado poucas vagas imediatas, o número de redações corrigidas aponta por um cadastro de reserva considerável, pois, para o cargo de analista judiciário da área judiciária, será de 1.200 para ampla concorrência. Já para o cargo de técnico judiciário, serão 1.440 redações corrigidas para ampla concorrência. O professor considera que o TJDFT tende a nomear mais do que as vagas oferecidas.

Vale ressaltar que, os novos servidores do TJDFT poderão optar pelo regime de teletrabalho. Isso significa que, mesmo que o candidato seja aprovado e more fora do DF, poderá atender às demandas do tribunal. O regime é adotado há alguns anos.

Benefícios

Além das remunerações que podem chegar até R$ 12 mil, o Tribunal prevê a oferta de diversos benefícios como:

  • Auxílio-alimentação no valor de R$ 910,08;
  • Assistência pré-escolar sendo de R$ 719,62;
  • Auxílio-transporte no valor de R$ 156,60;
  • Assistência médica e odontológica de R$232; e
  • Convênios médicos e serviço médico e odontológico interno.

Inscrições em fevereiro

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios publicou o edital para o novo concurso público do órgão na última sexta-feira (28/1). Ao todo, a seleção oferece 112 vagas, para os níveis médio e superior em diversas especialidades para os cargos de técnico e analista.

Das 112 oportunidades, 24 são destinadas aos cargos de nível médio e médio/técnico, com remuneração inicial de R$7.591,36 . As outras 88 são para candidatos com nível superior, com salários de R$12.455,30. O certame terá a Fundação Getúlio Vargas como banca organizadora.

Os servidores cumprirão jornada de trabalho será de 40 horas semanais. As contratações são estatutárias, ou seja, asseguram a estabilidade empregatícia.

O prazo de inscrição será de 7 de fevereiro a 14 de março, pelo portal da FGV. Os valores da taxa de inscrição são de R$ 80 para nível médio ou médio/técnico e R$ 120 para o nível superior. Saiba tudo!

 

Leia mais em:

Edital lançado! Especialistas te ajudam a conquistar a aprovação no TJDFT

 

*Estagiária sob supervisão de Ronayre Nunes

Concurso TJDFT: nova portaria altera requisitos de cargos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, TJDFT

O próximo concurso tem edital iminente! Confira:

Karolini Bandeira*- O presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Romeu Gonzaga Neiva, assinou uma nova Portaria que modifica os requisitos obrigatórios dos cargos efetivos do órgão. As alterações já serão válidas no concurso público previsto com 93 vagas.

Segundo o documento, assinado na última segunda-feira (24/1), agora os requisitos para a função de analista judiciário (nas especialidades de análise de sistemas, análise de dados, segurança da informação e suporte em tecnologia da informação) são:

“Diploma, devidamente registrado, de curso de graduação na área de Tecnologia da Informação ou de graduação em qualquer curso superior, acrescido de certificado de curso de pós-graduação em área de Tecnologia da Informação de, no mínimo, 360 horas, fornecido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).”

Para a especialidade de administração no cargo de analista judiciário, será obrigatório ter:

“Diploma, devidamente registrado, de curso superior de bacharelado em Administração, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), e registro no Conselho Regional da categoria.”

A expectativa é de que o próximo concurso tenha edital publicado até fevereiro. As oportunidades serão para analistas e técnicos, que têm ganhos de R$ 3.163,07 a R$ 5.189,71 para jornada semanal de 40 horas. A FGV será a banca e o edital irá abrir 93 vagas imediatas.

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Fernandes

TJDFT cria página de acompanhamento para o próximo concurso

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Distrito Federal, TJDFT, Tribunal de Justiça

São esperadas 93 vagas

Karolini Bandeira*- O edital está iminente! O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) criou, nesta terça-feira (18/1), a página de acompanhamento do próximo concurso público previsto. A página está disponível no site do Tribunal. A previsão é de que, até o início de fevereiro, seja publicado o edital de abertura com a oferta de 93 vagas para analistas e técnicos judiciários.

Os cargos exigirão nível médio e nível superior. Os ganhos serão de R$ 3.163,07 para técnicos e R$ 5.189,71 para analistas. A carga semanal será de 40 horas.

FGV é a banca

Oficializada em dezembro, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) será a banca organizadora do concurso. No concurso realizado em 2015, o Cebraspe foi o organizador.

Na ocasião, os candidatos foram avaliados mediante provas objetivas, compostas por 120 itens sobre língua portuguesa, noções de informática, ética no serviço público, atualidades e conhecimentos específicos.

Escola de Formação Judiciária solicita inclusão de novo cargo

A Escola de Formação Judiciária do Distrito Federal e Territórios (EjuDFT) solicitou a inclusão do cargo de analista judiciário – pedagogo no concurso TJDFT previsto para 2022. O pedido foi publicado nesta segunda-feira (17/01), no Sistema Eletrônico de Informações (SEI). 

A oferta será para formação de cadastro de reserva para o cargo, cujos aprovados serão convocados após a transformação de cargos vagos – em tramitação no Congresso Nacional.

A EjuDFT já contou com oito pedagogos em seu quadro. No entanto, hoje, a escola tem apenas três. Esse número reduziu nos últimos anos, por aposentadorias, mudanças de lotação e cessões para outros órgãos.  O que, de acordo com a EjuDFT, não é o suficiente para sustentar o volume de iniciativas demandadas e as rápidas transformações do modelo de educação corporativa. 

Além disso, não há como realizar o aproveitamento de aprovados para o cargo em outros concursos, pois não existe nenhuma lista de pedagogos selecionados em concurso vigente.

O pedido para inclusão do cargo de analista judiciário – pedagogo no concurso do TJDFT foi encaminhado à presidência do Tribunal, que ainda não respondeu. 

Dentro das Escolas de Formação Judiciária, o pedagogo é o profissional cuja formação o habilita a projetar e a apoiar situações sistematizadas para a promoção dos processos de ensino-aprendizagem.

Para ingressar no cargo é preciso ter graduação em Pedagogia. Os salários iniciais são de R$5.189,71. 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Mariana Fernandes

Pensa em fazer concurso do TJDFT? Confira dicas de preparação para as provas

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Dicas de estudo, Distrito Federal, TJDFT

Karolini Bandeira*- Apesar de não ter sido confirmado para 2021, existem altas chances de o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) lançar um novo concurso público para técnicos e analistas em 2022. Como nunca é cedo demais para começar a se preparar, trouxemos para você dicas do especialista e professor do IMP Concursos Sérgio Gaúcho de preparação para as provas de concursos do órgão.

Como estudar antes do lançamento do edital?

Estudar sem o auxílio do edital de abertura pode ser, sim, um pouco mais difícil — mas não é impossível! Nesse caso, o professor indica começar com matérias mais gerais, sempre com base nos últimos editais do órgão. “Se o candidato for estudar sozinho, sem um curso específico, aconselho fazer, primeiramente uma leitura geral. Depois, estude a composição e organização do Tribunal, em seguida o processo judicial. Não há grandes diferenças no estudo diferenciado por cargo, inclusive, existem algumas questões de técnico mais difíceis do que de analista”, disse.

Foco no que importa

Para o especialista, a matéria de regimento interno pode ser um diferencial na aprovação de ambos os cargos. “Costumam ser cobradas várias questões e é um conteúdo muito específico”, pontuou Sérgio. Apesar de não poder ser deixada de lado, a disciplina não é a única que deve estar incluída na rotina de estudos do concurseiro. “O candidato deve estudar as três legislações internas do TJDFT: Lei de Organização, Regimento e Provimento”, aconselhou.

O professor também sugeriu uma ordem de estudo a ser seguida para obter uma preparação mais proveitosa: “No estudo da legislação do TJDFT, aconselho que o candidato faça um estudo, primeiramente, da Lei de Organização Judiciária, porque terá uma visão geral sobre a Justiça do DF. Depois, estude o Regimento Interno que trata somente do TJDFT e, por último, estude o Provimento Geral da Corregedoria, pois, versa sobre questões mais práticas e específicas para a atuação dos servidores.”

Pontos principais

Para Sérgio, é crucial que o estudioso foque nos conteúdos mais cobrados das provas. O professor ainda ressalta que, para ele, os pontos que devem ser priorizados na preparação são a “organização e composição do Tribunal e alguns assuntos sobre o processo judicial (distribuição e sessões) e ações específicas”. “O importante é que, dentro de cada capítulo, o candidato priorize os conteúdos que costumam ser mais cobrados. Para isso, tem que ser feita uma análise das últimas provas e, se possível, ter orientação com um especialista da disciplina”, ressaltou.

Apesar de complicadas, o especialista relembrou que as matérias de legislação são possíveis de serem fixadas com o método correto: “Aquilo que pode parecer um ‘bicho de sete cabeças’, pode ser solucionado numa rápida explicação técnica.”

TJDFT acumula 405 cargos vagos

Com o último concurso público realizado em 2015, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) sofre com déficit de 405 cargos vagos, sendo 219 na função de técnico judiciário e 186 de analista judiciário. Os números são confirmados pelo Portal da Transparência do órgão, com dados referentes a abril de 2021.

Apesar da vacância no quadro de servidores e de já ter confirmado a intenção de viabilizar um novo concurso para efetivos com levantamento de cargos vagos, a pasta adiantou ao Papo de Concurseiro em maio que não haverá tempo hábil para realização desse concurso ainda em 2021, tendo em vista que o processo não chegou sequer à fase de contratação de banca examinadora. “Estamos apenas no levantamento de necessidades”, frisou o TJDFT.

Presidente fala sobre necessidade de concurso

Em reunião com representantes do 7ª vara Cível, realizada em 7 de julho, o presidente do TJDFT, Romeu Gonzaga Neiva, reforçou a necessidade de seleção para novas contratações no órgão. “Vamos fechar o projeto para fazer um concurso público para servidores. Estamos defasados e outros tribunais não querem ceder servidores. Temos inúmeras aposentadorias e os tribunais que têm concursos abertos não querem ceder servidores para nós e estamos ficando em situação difícil. Então hoje nós vamos trabalhar para que, a partir da semana que vem, preparemos, possivelmente, a minuta de um edital. O problema de falta de servidor está na raiz de tudo. Vamos tentar resolver”, disse.

 

 

 

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer