Amor e sexo

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

As amigas diziam que ela era danadinha. Havia uma pontinha de inveja na afirmação, talvez porque ela se comportasse de modo bem mais liberal que todas as outras; por isso, saia mais, beijava mais, conhecia mais gente, era mais popular. E nem ligava para os comentários – ou pelo menos dizia nem ligar. Mas ela passou a exagerar, até a […]

Quem é o brasileiro?

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não sei se o nobre leitor já participou de alguma pesquisa qualitativa. É um tipo de estudo feito para ouvir pessoas reunidas numa mesma sala para trocar ideias sobre determinado assunto; é muito usado por políticos, mas também é útil para a indústria, especialmente quando do lançamento de algum produto novo. No início da conversa, os convidados – que recebem […]

A vida das moscas

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

– Dizem que o uirapuru só canta quando está fazendo ninho. Eu que só conheço o canto do uirapuru porque o Silvestre Gorgulho me deu um disco com um monte de canto de passarinhos fingi concordar – há de se convir que não dá pra contrariar quem tenta puxar um papo a partir de uma afirmação dessas. Mas não fui […]

Na roda gigante

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Há poucos lugares mais opressivos que sala de espera de médico. Com essas clínicas coletivas, em que pacientes de vários doutores esperam o chamado num cômodo único, a coisa piorou muito; é um jugo coletivo e nada solidário. Ninguém ali quer saber da angústia do vizinho de cadeira, talvez como fuga para suportar melhor a própria agonia. Como não sou […]

A música e o divino

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A arte nasce de cérebro e coração, navega entre a ideia e a emoção; mas nem Freud conseguiu explicar a manifestação, a centelha, a tal inspiração que dá início ao processo criativo. ‘De onde você tirou isso?’, costumam ouvir os artistas. E por mais que expliquem, a gente só tem uma certeza: eles também não sabem. O samba tentou traduzir, […]

Realidade fantástica

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Romancista pode inventar o que quiser; mundos paralelos, universos multidimensionais, personagens oníricos, cenas mirabolantes. Jornalista precisa ser muito menos criativo; deve descrever fatos, se ater a obviedade da notícia e, ainda que vá além do acontecimento, tem que manter os pés no chão – ainda que, para atrair o leitor, use truques literários; mas nada que vá além de uma […]

Somos todos Mussum?

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A língua portuguesa tem sido muito achincalhada nesses tempos. Há muita concorrência com tanto neologismo, erro proposital (“é nóis”, por exemplo), estrangeirismo e até invasão visual/sonora, que transforma expressões inteiras em desenhos em palavras (emojis, figurinhas). E tem a invasão dos politicamente corretos. Estava aguardando o início de uma reunião quando as pessoas começaram a chegar. “Bom dia, a todos”, […]

Crime na noite

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A queda parecia imparável. Não houve um pulo, um escorregão, nada; o corpo já surgiu solto no ar, braços balançando sem controle. Até a dor que a bursite vinha provocando nos últimos dias sumiu. Era possível sentir o vento no cabelo, o que provocava uma sensação dúbia, entre o prazer de estar livre e solto e a agonia de não […]

A ameaça da pitanga

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Depois de uma certa idade ninguém quer explorar mais nada. Pelo menos é o que dizem por aí, já que os anos envergam e tiram o viço. Assim, não se sabe se foi o recolhimento forçado pelo vírus ou alguma conjunção astral, mas os três amigos deram de explorar as margens do lago Paranoá, aproveitando que as cercas caíram. Descontadas […]

Afugentando a cachorrada

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não sei se dá para precisar a data, mas seria útil saber quando é que o Brasil começou o processo que redundou neste cinismo todo. Há tempos vivemos uma epidemia moral que vem acabando com a fama cordata do brasileiro; viramos iconoclastas, detratores, ridículos. Cuspimos para o alto como se não houvesse gravidade. Foi Antístenes quem, 400 anos antes de […]