Afugentando a cachorrada

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não sei se dá para precisar a data, mas seria útil saber quando é que o Brasil começou o processo que redundou neste cinismo todo. Há tempos vivemos uma epidemia moral que vem acabando com a fama cordata do brasileiro; viramos iconoclastas, detratores, ridículos. Cuspimos para o alto como se não houvesse gravidade. Foi Antístenes quem, 400 anos antes de […]

Um lobisomem entre nós

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Medo fascina. Ninguém sabe exatamente porque as pessoas leem livros e veem filmes macabros, que deixam os cabelos da nuca em pé, dão frio na espinha e tremeliques pelo corpo; sensações longe de serem agradáveis. Há arrepios melhores. Mas o horror abraça. Há quem defenda que o corpo pede liberação de adrenalina para melhorar os reflexos, outros garantem que a […]

Um divã no botequim

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Convenhamos que bar não é lugar para discutir relação. Mas como hoje ninguém tem lugar para nada e a vida privada escorre pela latrina, lá estava o casal tentando acertar os ponteiros. Antes, porém, devo esclarecer que não caí na tentação de fazer fofoca; o que segue é só um caso mundano, cheio de testemunhas involuntárias. A moça parecia confundir […]

O homem das flores

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O colorido de Brasília brota do chão e desafia a cidade feita em concreto rígido. Mas nem sempre foi assim. Nos primeiros anos da capital, o objetivo principal era plantar grama; por um motivo prático: conter a poeira que subia da terra vermelha, impulsionada pelos lacerdinhas, como eram chamados os redemoinhos. A nova capital nasceu do cerrado desmatado por correntes […]

Agulha no agulheiro

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A habilidade do ser humano fazer música nasceu junto com as palavras. Ou até antes: há quem defenda que as primeiras comunicações eram musicais, ou quase; ainda hoje um grunhido vale por mim palavras, principalmente se sair da garganta da patroa. Daí para a frente foi a sonoridade – a onomatopeia – que dava sentido ao que ia sendo nominado. […]

Os gambás virtuais

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Quem toca um instrumento logo conhece alguém que também toca, que conhece outro e normalmente isso acaba numa roda musical. A cada encontro, uma descoberta, uma alegria que contagia também quem gosta de música mesmo sem tocar nada; alguns até decidem aprender. Não há nada de anormal nisso. O que é fora de série é um pessoal assim estar junto […]

Entre leões e urubus

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

As esparsas chuvas recentes lavaram o céu de Brasília. A névoa seca formada por poeira, material orgânico flutuante e sabe-se lá mais o quê deu lugar a um azul anil vivíssimo que tem tornado a secura dos últimos dias suportável; no mínimo, mais colorida. Como está difícil ficar em casa, muita gente se arrisca pelos lugares públicos da cidade, desafiando […]

Canjebrina, a assassina

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O rapaz tem pinta de ser um brasileiro que sua para viver. O frio da noite nesta temporada de seca pedia casaco e até um pouco mais, mas ele ainda estava em mangas de camisa quando entrou no bar e, sem economizar na altura da voz – um amigo meu, preconceituoso, diz que pobre só fala gritando – pediu: – […]

Os bichos soltos

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não demora muito e Brasília vai passar a ser conhecida como a capital das capivaras. E pelo menos desta vez não tem nada a ver com os antecedentes criminais de burocratas e políticos que eleitores de todo o País mandam para cá – capivara, no mundo jurídico, é sinônimo de folha corrida; quanto mais cabeluda, mais capivarento é o sujeito. […]

Boteco à distância

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A noite ainda começava a cair quando nosso amigo entrou no bar reclamando que nasceu na época errada. Antes de prosseguir com o lamento, é necessário dizer que no boteco não é de bom tom – sim, há uma etiqueta – ficar inquirindo os parceiros, até porque quase sempre a amizade se limita àquele determinado local; fora dali, pessoas que […]