O poeta que amou Brasília

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Hoje é fácil amar Brasília. A cidade está pronta, bem cuidada – mesmo que viadutos despenquem na cabeça da gente, como aconteceu há quatro anos – e se transformou numa metrópole, com tudo de bom e de ruim que vem com o progresso. Esses dias estamos privados de nossos botecos, o que entristece bastante a cidade, mas a vida pulsa. […]

O tijolo da discórdia

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Priscas eras, provavelmente no tempo da impressão a chumbo quente, me recusei a publicar aqui, neste mesmo Correio, um artigo em que o autor – vamos mantê-lo no anonimato – defendia pichações como manifestação artística. Como hoje, havia rabiscos por toda a cidade, garabulhas apressadas pelo medo da polícia chegar – tudo propositalmente feio, segundo o autor do artigo, para […]

Afugentando a cachorrada

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não sei se dá para precisar a data, mas seria útil saber quando é que o Brasil começou o processo que redundou neste cinismo todo. Há tempos vivemos uma epidemia moral que vem acabando com a fama cordata do brasileiro; viramos iconoclastas, detratores, ridículos. Cuspimos para o alto como se não houvesse gravidade. Foi Antístenes quem, 400 anos antes de […]

O homem das flores

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O colorido de Brasília brota do chão e desafia a cidade feita em concreto rígido. Mas nem sempre foi assim. Nos primeiros anos da capital, o objetivo principal era plantar grama; por um motivo prático: conter a poeira que subia da terra vermelha, impulsionada pelos lacerdinhas, como eram chamados os redemoinhos. A nova capital nasceu do cerrado desmatado por correntes […]

Os bichos soltos

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não demora muito e Brasília vai passar a ser conhecida como a capital das capivaras. E pelo menos desta vez não tem nada a ver com os antecedentes criminais de burocratas e políticos que eleitores de todo o País mandam para cá – capivara, no mundo jurídico, é sinônimo de folha corrida; quanto mais cabeluda, mais capivarento é o sujeito. […]

E chegamos até aqui

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não tem festa, mas ainda assim é preciso comemorar os 60 anos de Brasília. Não foi fácil chegar até aqui; a luta pela consolidação da capital no centro do país enfrentou todo tipo de ataque, com toda espécie de arma – até a vassoura do populista Jânio Quadros que, com a desculpa de varrer o que chamava de bandalheira, usava […]

Folia na capital

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O presidente Juscelino Kubistchek tinha acabado de completar um ano no Palácio do Catete quando pipocou o primeiro protesto musical contra a transferência da capital para o meio do país. Gravada dia 30 de agosto de 1956 e lançada em novembro pela RCA Victor, a marchinha Nova Capital foi a aposta de Linda Batista para o carnaval. Os autores, Aldaci […]

Poesia na crise

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Em tempos marciais, só a poesia pode mostrar que a vida ainda faz sentido. Poetas são peças de resistência, formam a infantaria da emoção para combater a falta de razão que grassa de todos os lados. E Brasília nasceu sob a influência da musa; ainda que encomendada, a seminal Sinfonia de Alvorada traz versos de Vinicius de Moraes. O poema […]