Em defesa de Brasília

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Fico imaginando porque ninguém nunca pensou em colocar um púlpito num bar. Seria uma versão tupinambá do speakers corner, o cantinho do Hyde Park, em Londres, onde o cidadão pode subir num banquinho e deitar falação sobre qualquer coisa (na foto). As regras só não permitem o incitamento ao ódio. O resto pode. O sol ainda estava se pondo quando […]

De perder a compostura

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Borboleta ou avião, é o Eixão – no mapa, Eixo Rodoviário – que sustenta as asas do projeto de Lúcio Costa. A estrutura com seis pistas foi criada para facilitar o trânsito, evitando-se cruzamentos e distribuindo as quadras residenciais à sul e norte, uniformemente. Até que alguém descobriu que era possível fazer mais com aquele imenso vão urbano, aproveitando que […]

Exorcismo cultural

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Assombração não é, porque o espaço é aberto demais e alma penada gosta de um escurinho. Mas não dá para negar que a concha acústica de Brasília carrega uma maldição desde o início de sua história – ninguém consegue explicar porque ela foi inaugurada só em 1969, depois de receber espetáculos desde o ano um da nova capital, estreando com […]

Entre o romance e os dentes

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

No capítulo anterior, o namoro foi interrompido pela presença de um pitbull, cachorro de estimação da mocinha. Nosso herói deixou o apartamento sem conseguir seu libidinoso intento, mesmo depois de tanto investimento; não tivemos notícia da reação dela. E ficamos sem saber se houve sequência do atribulado romance do nosso amigo, artista sensível, que se encantou pela moça, até ter […]

Bichos soltos na cidade

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Essa história de cidade-parque que Lucio Costa criou, com imensos gramados, arvoredos e espaços largos, é o que forma a verdadeira identidade de Brasília. Mais que prédios monumentais, praças de piso concretado e simbologia da arquitetura. A empatia do morador de Brasília com a cidade tem mais a ver com os pés no chão e a relação já atávica com […]

O poeta que amou Brasília

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Hoje é fácil amar Brasília. A cidade está pronta, bem cuidada – mesmo que viadutos despenquem na cabeça da gente, como aconteceu há quatro anos – e se transformou numa metrópole, com tudo de bom e de ruim que vem com o progresso. Esses dias estamos privados de nossos botecos, o que entristece bastante a cidade, mas a vida pulsa. […]

O tijolo da discórdia

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Priscas eras, provavelmente no tempo da impressão a chumbo quente, me recusei a publicar aqui, neste mesmo Correio, um artigo em que o autor – vamos mantê-lo no anonimato – defendia pichações como manifestação artística. Como hoje, havia rabiscos por toda a cidade, garabulhas apressadas pelo medo da polícia chegar – tudo propositalmente feio, segundo o autor do artigo, para […]

Afugentando a cachorrada

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não sei se dá para precisar a data, mas seria útil saber quando é que o Brasil começou o processo que redundou neste cinismo todo. Há tempos vivemos uma epidemia moral que vem acabando com a fama cordata do brasileiro; viramos iconoclastas, detratores, ridículos. Cuspimos para o alto como se não houvesse gravidade. Foi Antístenes quem, 400 anos antes de […]