Comissão prepara edital de concurso para juiz federal do TRF4

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, tribunal, Tribunal Regional do Trabalho

A última seleção do TRF4 para juízes substitutos foi em 2016. Na época, foram ofertadas 22 vagas, com reserva para pessoas com deficiência

O Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF 4) está prestes a publicar um novo certame para juiz federal substituto. A comissão organizadora, designada em fevereiro, pela Corte Especial Administrativa do Tribunal , já está realizando os trâmites necessários. 

No entanto, a edição do Diário Oficial do órgão desta segunda-feira (4/4) traz uma mudança na lista de integrantes. Confira a atual composição: 

Titulares:

  • Desembargador Federal João Batista Pinto Silveira – Presidente
  • Desembargador Federal Roger Raupp Rios
  • Juiz Federal Marcelo Cardozo da Silva
  • Doutor Pedro Cascaes Neto (representando a OAB)
  • Professor Vladimir Passos de Freitas (representando a Academia)
  • Procurador Regional da República Paulo Gilberto Cogo Leivas (representando o Ministério Público)

Suplentes:

  • Desembargadora Federal Vivian Josete Pantaleão Caminha
  • Desembargadora Federal Vânia Hack de Almeida
  • Juiz Federal Eduardo Gomes Philippsen
  • Doutor Douglas Anderson Dal Monte (representando a OAB)
  • Professor Fabiano Menke (representando a Academia)

A comissão é responsável pelo estudo que define o número de vagas, análise orçamentária, elaboração do edital e escolha da banca organizadora.

O concurso TRF4 para juiz federal substituto foi autorizado em dezembro de 2021. Esta será a XVIII seleção para o cargo na 4ª região, com jurisdição nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

O projeto básico não revelou o quantitativo de vagas. De acordo com dados do portal da transparência do órgão, atualmente, o TRF4 apresenta três cargos vagos de juiz substituto. 

A carreira exige Bacharelado em Direito e exercício mínimo de três anos de atividade jurídica. Também é necessário ter aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo. A remuneração inicial é de R$32.004,65.

Último concurso

TRF4 realizou um concurso para a seleção de juízes substitutos em 2016. A oferta foi de 22 vagas, com reserva para pessoas com deficiência. Os candidatos foram avaliados prova objetiva , de caráter eliminatório e classificatório, com 100 questões de múltipla escolha com cinco alternativas.

A segunda etapa foi constituídas por uma prova discursiva, uma prova prática de sentença cível e uma prova prática de sentença criminal, todas de caráter eliminatório e classificatório.

Em seguida, os candidatos se submeteram a inscrição definitiva (eliminatória), composta das seguintes fases:

  • a) sindicância da vida pregressa e investigação social;
  • b) exame de sanidade física e mental;
  • c) exame psicotécnico.

Ainda, os candidatos a juízer do TRF 4 realizaram uma prova oral, classificatória e eliminatória.  Por fim, os selecionados foram convocados para avaliação de títulos. 

 

Concurso PCPB: comissão organizadora sofre alteração

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Polícia civil

Apesar da mudança, publicação do edital continua prevista para o mês de agosto

A comissão organizadora do concurso público da Polícia Civil do Estado da Paraíba (PCPB) teve a composição modificada. A alteração foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (21/7) e não deve impactar as próximas fases do certame.

O documento autoriza a substituição de Fernando Klayton Fernandes de Andrade pela servidora pública Tatiana Matos Barros. Desta forma, o grupo responsável pelo acompanhamento, fiscalização e realização do próximo concurso público PC PB passa a ter a seguinte estrutura:

Marlene Rodrigues da Silva (presidente);
Alcides Magalhães de Souza;
José Carlos da Silva;
Antonio de Arruda Brayner Neto;
Bergson Almeida de Vasconcelos;
Israel Aureliano da Silva Neto;
Tatiana Matos Barros;
Italo Ramon Silva Oliveira (OAB-PB); e
Tulio Cesar Fernandes Neves (Ministério Público da Paraíba).

Segundo o governador da Paraíba, João Azevêdo, a corporação contará com novas 1.400 contratações nos cargos de delegado (120 vagas), escrivão (520 vagas), perito médico (50), técnico em perícia (73), necrotomista (70), agente de investigação (414), perito criminal (77), perito químico (45) e papiloscopista (31).

Estágio atual
A publicação do edital está cada vez mais próxima. No final de junho, o governo do Estado anunciou a escolha do Cebraspe como banca organizadora do certame. De acordo com o delegado da Polícia Civil da Paraíba, Bergson Vasconcelos, o cronograma com todas as informações deve ser divulgado até o mês de agosto.

“A gente está trabalhando para que entre julho ou agosto o edital esteja pronto. A prova acontece, no mínimo, em 90 dias após a publicação do edital. Se o edital sair em julho, as provas acontecem entre outubro ou novembro deste ano”, afirmou.

13 anos sem concurso
O último concurso da corporação aconteceu em 2008. Organizado pelo Cebraspe, a seleção ofertou 1.162 oportunidades de nível médio e nível superior para as funções de delegado, perito, papiloscopista, técnico em perícia, necrotomista e motorista. Os candidatos foram avaliados por meio de provas objetiva e discursiva, teste de aptidão física, avaliação psicológica, prova prática de digitação (obrigatória para escrivão), avaliação de títulos (obrigatória para cargos de ensino superior) e investigação social.

Após quase 10 anos de espera, novo concurso Banese tem banca organizadora oficializada

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos

O último concurso do Baneses foi lançado em 2011 e teve a Fundação Carlos Chagas (FCC)A como a banca organizadora na ocasião

 

Karolini Bandeira*- Foi divulgado, na edição do Diário Oficial do Sergipe, de 10 de dezembro, o contrato entre o Banco do Estado do Sergipe (Banese) e a banca organizadora que ficará responsável pelo próximo concurso público da instituição, previsto para 2021. O Cebraspe foi a banca organizadora escolhida para mediar o certame. O contrato firmado custou mais o valor de R$ 857.160.

 

O documento confirma, ainda, que o edital terá vagas de nível médio e nível superior. Informações como vagas e cargos ainda não foram divulgadas.

 

O último concurso público do Banese foi realizado há quase dez anos, em 2011. A Fundação Carlos Chagas (FCC) foi a banca responsável pelo certame, que ofertou oportunidades para os cargos de técnico bancário III – desenvolvimento de informática, técnico bancário III – suporte de informática e técnico bancário I.

 

O concurso de 2011 foi separado nas etapas de prova objetiva e prova discursiva, com 70 questões acerca de língua portuguesa, inglês, matemática e raciocínio lógico, conhecimentos gerais e específicos. Os exames foram aplicados nos municípios de Aracaju, Estância, Itabaiana e Nossa Senhora da Glória. O prazo de validade foi de dois anos prorrogáveis.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco

Projeto de Lei proíbe uso de linguagem neutra de gênero em concursos públicos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, educação

Proposta é apresentada por deputado do PSL

 

Karolini Bandeira*– Foi apresentado à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados o Projeto de Lei n. 5198/2020, de autoria do deputado Junio Amaral (PSL), que veda a utilização de linguagem neutra de gênero por instituições de ensino e bancas examinadoras de seleções e concursos públicos. A proposta foi apresentada no último dia 18 e segue em análise pela Câmara.

A linguagem neutra propõe a utilização de uma fala que não é referida a nenhum gênero, desta forma, sendo uma linguagem universal que atende, inclusive, pessoas não binárias – ou seja, pessoas que não se identificam nem com o gênero feminino, nem com o masculino.

Para o deputado, inserir a linguagem neutra no ensino não é natural: “Na língua de uma nação nada se acresce uso da força ou do enviesamento político-ideológico. A língua e suas regras gramaticais amadureceram ao longo de séculos e continuam a evoluir, mas de modo lento e extensivamente refletido”. Junio Amaral acrescenta que o uso desse tipo de linguagem corrompe a língua brasileira, o que faz “jogar por terra todos os seus valores, identidade e história comum”.

Ainda sobre o assunto, o deputado alega que a implementação da linguagem neutra na verdade objetiva destruir a língua brasileira: “Essa é uma visão distorcida da realidade e que, no fundo, tem como objetivo principal provocar caos amplo e generalizado nos conceitos linguísticos para que, em se destruindo a língua, se destrua a memória e a capacidade crítica das pessoas”.

O documento ainda precisa ser estudado pela Câmara dos Deputados e, caso aprovado, será encaminhado ao Senado.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco

 

 

 

 

 

 

Após 11 anos, Alesc autoriza realização de novo concurso para analistas

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Poder Legislativo

A quantidade de vagas e o cargo também foram divulgados

 

Karolini Bandeira*- A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), que teve seu último certame para contratação de pessoal em 2009, abrirá um novo concurso público! A Mesa Diretora da Alesc autorizou, na última quarta-feira (18/11), a contratação da banca organizadora do concurso. De acordo com a Casa Legislativa, serão 29 vagas para analista legislativo, cargo de nível superior.

 

Ainda não há previsão de datas para lançamento de edital, inscrições ou realização dos exames — que, segundo a Assembleia, serão compostos por uma prova objetiva e uma de títulos.

 

Comissão organizadora já está formada

 

A comissão especial que organizará os preparativos do certame já foi definida! A equipe conta com oito servidores. Veja abaixo o documento divulgado com o nome dos integrantes:

 

Instituição ficou mais de uma década sem abrir concurso

 

O último concurso da Alesc foi realizado em 2009 e contou com 56 vagas para os cargos de técnico legislativo e analista legislativo. O primeiro, de nível médio, era dividido entre as funções de programador, técnico de hardware, operador de som, operador de TV, operador de estúdio e rádio. O cargo de analista legislativo poderia ser disputado por profissionais com nível superior em análise de sistemas e jornalismo. A remuneração oferecida variou entre R$ 1.198,85 para técnicos e R$ 2.785,21 para analistas, ambos com auxílio alimentação no valor de R$ 927. O concurso foi organizado pela Fundação de Estudos e Pesquisas Socio Econômicos (Fepese) da Universidade Federal do estado (UFSC). Saiba mais!

Concurso PMERJ para oficiais e área de Saúde: banca organizadora definida?

Publicado em Deixe um comentárioCarreira policial, Concursos, Concursos Públicos, Saúde

Serão abertas mais de 70 vagas em novas seleções

 

Karolini Bandeira*- O suspense acerca da banca organizadora que será responsável pelos concursos de oficiais e da Saúde da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) é grande! Apesar dos rumores, a instituição deixou claro ao Papo de Concurseiro de que nada foi oficialmente decidido ainda. A PMERJ ressaltou que a banca organizadora só será revelada com a publicação do edital de abertura — que, aparentemente, está próximo.

 

O concurso para oficiais da PMERJ vai preencher 32 vagas no cargo. O último certame para a função foi lançado em 2018 e ofereceu 37 vagas. Na ocasião, o organizador foi o Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade). As oportunidades foram segundo-tenente, posto que exige nível superior, com remuneração de R$ 7.605,10. Os candidatos passarão por prova objetiva, prova discursiva, exame antropométrico, Teste de Aptidão Física (TAF), exame psicológico, avaliação médica, exame social e de documentos. Saiba mais!

 

Já o novo concurso para a área da Saúde da PMERJ terá 42 vagas distribuídas em 13 especialidades médicas, de acordo com a corporação. O último certame para a área foi em 2010, com oportunidades para os cargos de nível superior de assistentes sociais, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos, farmacêuticos, médicos, veterinários, dentistas e nutricionistas. Foram sete as etapas avaliativas: prova escrita, exame antropométrico, exame físico, exame médico, exame social e documental, exame psicológico e prova de títulos. Saiba mais!

 

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Banca que organizará concurso ManausPrev é divulgada

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos

Com comissão e banca definidas, edital está próximo! Confira:

 

Karolini Bandeira* – A banca organizadora do próximo concurso público da Manaus Previdência (ManausPrev) foi escolhida! A Fundação Carlos Chagas (FCC) será a contratada! A escolha foi oficializada nesta quarta-feira (11/11) através de publicação no Diário Oficial de Manaus. A quantidade de vagas e outras informações ainda não foram divulgadas.

 

 

A comissão organizadora do certame foi selecionada em novembro de 2019. Confira o nome dos servidores aqui!

 

Último concurso também foi organizado pela FCC

O último certame da ManausPrev foi lançado em 2015, também organizado pela Fundação Carlos Chagas (FCC). O órgão abriu 57 vagas, distribuídas em dois editais. Para graduados foram 25 vagas, sendo cinco para procurador autárquico e 20 para analista previdenciário, nas áreas de administração, contabilidade, economia, ciências autoriais, serviço social, psicologia, arquivologia e tecnologia da informação. As outras 32 oportunidades foram para técnico previdenciário, que exigiu nível médio. Os salários variaram de R$ 4.000 a R$ 6.000, para jornada de 40 horas semanais.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco 

TJPR: autorizada contratação da banca do próximo concurso público

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos, Magistério, Tribunal de Justiça, Tribunal de Justiça

A expectativa é de que mais de 560 vagas sejam abertas para nível superior de formação

 

Karolini Bandeira*- A contratação da banca organizadora do próximo concurso público do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) foi autorizada! A autorização foi oficializada em um ofício publicado dia 29 de outubro.

 

 

Ao que tudo indica, deverão ser abertas mais de 50 vagas, já que no próprio decreto de autorização do concurso, divulgado no Diário de Justiça eletrônico em julho desta ano, constam 25 cargos restantes da criação pelo Código de Organização e Divisão Judiciário do Estado (Lei estadual 14.277/2003) ainda a serem instalados ou preenchidos; e outros 27 vagas existem atualmente na carreira.

A autorização ainda considerou que, segundo o regulamento do concurso anterior, de 2016, está autorizado, excepcionalmente, ser iniciado o processo de novo concurso independentemente do número de candidatos remanescentes. Saiba mais. 

 

Último certame em 2016

No último concurso do TJPR para o cargo em 2016, o Cebraspe foi a banca organizadora. Na ocasião, foram oferecidas cinco vagas imediatas. Como pré-requisito, os candidatos deveriam possuir diploma de bacharel em direito e comprovar ter três anos de atividade jurídica após a obtenção do grau. A remuneração não foi mencionada no regulamento.

 

O cronograma foi constituído por oito etapas no total. Foram elas: prova objetiva seletiva, provas escritas, inscrição definitiva, sindicância da vida pregressa e investigação social, exame de sanidade física e mental, exame psicotécnico, prova oral e avaliação de títulos.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco

TJRS: com banca contratada, concurso deverá sair ainda em 2020

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Tribunal de Justiça

A previsão é de que as provas sejam aplicadas em 2021

 

Karolini Bandeira*- O Instituto Brasileiro de Gestão e Pesquisa (IBGP) foi o escolhido para organizar o concurso público do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS). Apesar de ter sido publicamente definida, a banca ainda não chegou a assinar  um contrato com o Tribunal. Quanto mais rápido essa assinatura for feita, mais rápido o edital de abertura será lançado. A expectativa é que o edital seja publicado ainda em 2020, com provas em 2021.

 

Segundo súmula publicada no Diário da Justiça Eletrônico do dia 15 de outubro, a taxa de participação variará de acordo com o cargo designado: R$ 76 para engenheiro civil e R$ 42 para desenhista e técnico em informática. Veja a súmula na íntegra abaixo:

 

Reprodução

 

O concurso

O certame, que é destinado para os cargos de engenheiro civil, desenhista e técnico em informática, deverá ter vagas muito disputadas. Segundo informações da assessoria em 2019, há apenas um cargo vago para cada uma das três áreas oferecidas no concurso. Veja abaixo a remuneração base de cada cargo de acordo com o portal de transparência do órgão:

  • Engenheiro civil – R$ 7.352,93
  • Técnico em informática – R$ 5.639,73
  • Desenhista – R$ 4.712,55

 

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco

Banca definida: Cebraspe oficializa contrato com Coren SE

Publicado em Deixe um comentárioConcursos, Concursos Públicos, Saúde

O edital de abertura pode ser lançado a qualquer momento

 

Karolini Bandeira*- Definida como a banca organizadora do concurso do Conselho Regional de Enfermagem do Estado de Sergipe (Coren SE) dia 13 de outubro, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) teve a contratação oficializada na última quinta-feira (22/10) no Diário Oficial da União. A contratação é a última etapa antes da divulgação do edital de abertura. O documento, a partir de agora, pode ser publicado a qualquer momento.

 

Comissão organizadora formada

A comissão organizadora da seleção foi definida em janeiro deste ano. Cinco servidores acompanharão o concurso:

  • Clarice Fonseca Mandarino, conselheira
  • Lucas Fernandes Araujo, empregado público do Coren/SE
  • Daniela de Santana Miranda, empregada público do Coren/SE
  • Jefferson Santos da Silva Braga, representante do Sindiscose
  • Gabriela de Carvalho Lima Pereira, representante do Seese

 

Último concurso foi há 10 anos

O último concurso do Conselho foi em 2010, com 25 chances para cinco cargos de níveis médio e superior: técnico administrativo, técnico em contabilidade, técnico de suporte, advogado e enfermeiro fiscal. O concurso teve prova objetiva, prova discursiva e análise de títulos. Aos candidatos aprovados, foi oferecida uma remuneração que variava de R$ 604,95 a R$ 3.000, para uma jornada de 30 a 40 horas por semana.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Lorena Pacheco