Censo 2021: IBGE esclarece dúvidas sobre reembolso de taxas de inscrição

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

 

Instituto informou que o Censo 2021 não está cancelado, apenas teve as provas suspensas. E, desse modo, não há ainda definição sobre devolução das taxas.

Com o Censo 2021 suspenso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aguarda orientações do Ministério da Economia para decidir o futuro da seleção que objetiva oferecer mais de 204 mil vagas temporárias. No entanto, a suspensão tem gerado dúvida entre os candidatos já inscritos no certame, à respeito de reembolso das taxas de inscrição que já pagas.

Como resposta, o IBGE informou ao Papo de Concurseiro que o Censo não está cancelado. E, desse modo, não há ainda definição sobre devolução das taxas. O órgão lembra que somente as provas do processo seletivo foram suspensas, até que se tenha definição do Orçamento.

De acordo com o Instituto, o Ministério da Economia ainda não tem definição sobre o Orçamento da União, que segue em negociação no Legislativo, portanto, ainda sem sanção pelo Executivo.

Censo 2021 suspenso

Após ter orçamento cortado para o Censo 2021, a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, no início de abril,  a suspensão das provas referentes ao processo seletivo com mais de 200 mil vagas. A informação foi divulgada em nota, no site oficial do órgão. Veja o comunicado:
“Conforme divulgado no dia 26 de março, a votação do Orçamento no Congresso Nacional para o exercício 2021 reduziu em cerca de 96% o total de recursos destinados à realização do Censo Demográfico.
 
Diante desse cenário, o IBGE comunica que as provas objetivas referentes aos Processos Seletivos Simplificados (PSS) para os cargos de Agente Censitário Municipal (ACM) e Agente Censitário Supervisor (ACS) (edital 01/2021) e Recenseador (edital 02/2021) não serão realizadas nas datas previstas de 18/04/2021 e 25/04/2021, respectivamente.
 
O IBGE informa, ainda, que avaliará com o Cebraspe um novo planejamento para aplicação das provas, a depender de um posicionamento do Ministério da Economia acerca do orçamento do Censo Demográfico.”

Veja o comunicado aqui! 

Com um orçamento previsto de R$ 2 bilhões, o Censo sofreu um corte de R$ 1,76 bilhão, segundo o parecer final apresentado pelo relator-geral da Comissão Mista Orçamentária (CMO) do Congresso Nacional.

Leia também: Com corte de 90% no orçamento para o Censo 2021, IBGE vai solicitar orientações à Economia

Seleção para o Censo

São 204.307 vagas para os cargos de recenseador, agente censitário municipal e agente censitário supervisor.
Do total, são oferecidas 181.898 vagas para recenseador, 16.959 para agente censitário supervisor (ACS) e 5.450 para agente censitário municipal (ACM) em 5.297 municípios do país. Os quadros de distribuição das vagas estão disponíveis para consulta no site do Cebraspe, empresa organizadora dos processos seletivos.
As vagas são temporárias e os contratos terão duração prevista de três meses para a função de recenseador e de cinco meses para ACM e ACS, podendo ser renovados de acordo com as necessidades do IBGE e a disponibilidade orçamentária. Saiba todos os detalhes da seleção aqui!

Concurso MPU: em reunião com comissão de aprovados, órgão fala sobre nomeações

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

A comissão de aprovados no concurso público do Ministério Público da União (MPU) de 2018 se reuniu com a nova Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) do órgão para tratar assuntos relativos a nomeações dos aprovados. O encontro teve como pautas também a prorrogação ou suspensão da validade do certame e o orçamento do órgão. A reunião ocorreu na última terça-feira (13/4).

Conforme relatado pela comissão nas redes sociais , o grupo perguntou se existe previsão para prorrogação do concurso e foi esclarecido que a discussão sobre esta ação será feita num momento oportuno, quando estiver mais próximo do fim do concurso público. “De qualquer forma, a administração parece ser favorável, tendo em vista a baixa quantidade de nomeações e o custo de um novo concurso público”, respondeu.

Diante do questionamento sobre a suspensão do prazo de validade do concurso diante da suspensão no poder judiciário, visto que a situação social e financeira do país continua em crise, a administração respondeu que está ciente da recomendação e está debatendo internamente a possibilidade de suspender a validade. Segundo a comissão, eles estão aguardando o posicionamento do CNMP para tomar um decisão à respeito. E, se resolverem pela suspensão, irão publicar uma portaria.

A comissão também questionou se há previsão de arrecadação financeira por parte do órgão e quais foram os procedimentos adotados visto que, no último relatório da gestão fiscal, havia estourado o limite máximo do Orçamento.

Dessa forma, responderam que nos meses de fevereiro e março houve um aumento na arrecadação do MPU. Assim, a expectativa é que o próximo relatório seja melhor. Entretanto, enquanto o órgão não voltar os limites do Orçamento, não há possibilidade de nomeações.

Além disso, foi argumentado que o MPU está passando por reestruturação, tendo em vista a pandemia que promoveu um grande processo de informatização, havendo a necessidade do redimensionamento de pessoal. Desse modo, foi dito que existem unidades com poucos servidores em atuação, mas também existem unidades com “sobras”. Então, antes de nomear, o órgão informou que precisa fazer essa adequação de pessoal.

Questionados como o MPU conseguiu nomear em dezembro de 2020, se naquele tempo já havia estourado o limite prudencial do Orçamento, responderam que o Tribunal de Contas da União (TCU) havia excluído do limite de gastos algumas despesas de pessoal, como pagamento de férias, licenças e etc. Com a folga, foi possível a nomeação de aprovados.

Por fim, o órgão foi indagado sobre o orçamento do MPDFT. E a resposta foi de que existe a possibildiade de noemar com o orçamento do Ministério sim. Todavia, essas vagas precisam passar por remoção, obrigatoriamente. “Como estas vagas do cadastro de reserva não ficam no MPDFT, indo para outros ramos do MPU, não é possível nomear pois estaria se utilizando o orçamento do MPU que está estourado”, disse a secretaria.

Lembrando que, em fevereiro deste ano, o MPU informou ao Papo de Concurseiro, que “considerando o retorno do Órgão aos limites de pessoal no próximo quadrimestre, será possível o provimento das vagas que não geram impacto orçamentário e as descritas de acordo com a previsão do Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2021″.

“Assim, há a possibilidade de ingresso de 60 analistas e 30 técnicos, com impacto anual de R$ 15 milhões. Essa possibilidade será verificada a partir da aprovação e publicação da Lei Orçamentária Anual de 2021, ainda em tramitação no Congresso Nacional”, disse.

Menos de 3% dos aprovados foram convocados

Segundo os aprovados no concurso de 2018, menos 3% foram chamados em dois anos da homologação da seleção, sendo que o órgão contaria com 1.803 cargos vagos.

De acordo com o MPU, no 10º concurso do órgão foram aprovados 6.857, sendo 4.828 para o cargo de técnico do MPU/administração e 2.029 para o cargo de analista do MPU/direito. Até o momento, foram nomeados 351 candidatos, sendo 201 técnicos e 150 analistas.

Sobre o quantitativo de cargos vagos, o órgão informou que tais informações constam do Portal da Transparência de cada ramo do MPU. No tocante ao MPF, com base nos relatório de janeiro, o MPF conta com 455 cargos vagos, dos quais 38 são do cargo de analista do MPU/direito e 293 do cargo de técnico do MPU/administração.
O MPU ainda alegou que, no tocante aos cargos vagos, eles não necessariamente significam vagas que podem ser providas pela Administração, já que as vagas desocupadas podem estar:
  • em situação de reserva por decisão judicial ou decisão administrativa;
  • -aguardando apresentação de servidor removido de outro ramo para o MPF (situação em que a vaga permanece em sistema desocupada e reservada para o servidor oriundo de outro ramo);
  • aguardando a posse e exercício de candidato nomeado;
  • ou, ainda, pode configurar vaga sobre a qual recai impacto orçamentário para o órgão, dependendo, assim, de autorização legislativa para provimento.

Validade e prorrogação do concurso atual

“No tocante à validade, informamos que o 10º Concurso Público para servidores do MPU, que contemplou os cargos de Técnico do MPU/Administração e Analista do MPU/Direito permanece válido. Assim, em princípio, sua validade esta prevista até setembro de 2021, podendo ser prorrogado por mais dois anos. Desse modo, no momento oportuno e, de acordo com a conveniência administrativa, a Administração promoverá estudos com vistas a avaliar a prorrogação do certame.
Cabe informar que o 10º concurso teve o seu prazo de validade suspenso, em atenção ao disposto no artigo 10 da Lei Complementar nº 173, de 27 de maio de 2020, até o fim da vigência do Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, que vigorou até 31/12/2020.”

 

Cursinho oferece simulado gratuito para concurso da Secretaria de Educação do DF

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

O certame para a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF) foi autorizado e merece o foco total dos estudantes. Serão ofertadas vagas efetivas para as carreiras de Assistência à Educação e Magistério Público. Diante disso e do fato das provas serem bastante concorridas para esta área, o IMP Concursos está oferecendo um simulado gratuito para ajudar os candidatos na preparação.

O documento foi construúdo pela professora Madalena Coatio,  que é especialista na área, mestra em Educação pela Universidade de Brasília e professora aposentada da SEDF.

Para ter acesso ao material basta acessar este link. A correção gratuita do simulado acontecerá ao vivo no canal oficial do youtube  aqui!

Confira a agenda de correção:

12/04 às 18h – Simulado Conhecimentos Pedagógicos – parte I

13/04 às 18h – Simulado Conhecimentos Pedagógicos – parte II

15/04 às 18h – Simulado Conhecimentos Pedagógicos – parte III

Concurso para a Educação autorizado

Em março, o secretário de Economia do Distrito Federal, André Clemente, autorizou a realização de concursos públicos para 14 carreiras diferentes. Dentre eles, dois editais são destinados à Educação, sendo um para o magistério e outro para a área de assistência à educação.

A carreira de assistência à educação é composta pelos cargos de monitor de gestão educacional (nível médio), técnico de gestão educacional (nível técnico) e analista de gestão educacional (nível superior). O salário base varia de R$ 2.068,43 a R$2.757,90 para jornada de 30 a 40 horas semanais. Já um professor do GDF tem jornada de trabalho de 40 horas por semana e recebe remuneração inicial no valor de R$5.237,13.

Leia também:  Sindicato defende a realização de novo concurso para a educação no Distrito Federal

Concurso PMDF: “Precisamos recompor os quadros”, diz novo comandante da corporação

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

A Polícia Militar do Distrito Federal está sob novo comando. O posto foi recentemente assumido por Márcio Cavalcante de Vasconcelos . O coronel e ex-subsecretário de Operações Integradas (Sopi) assume a corporação com a missão de comandar mais de 10,6 mil militares. E, em entrevista à Agência Brasília, ele falou, dentre diversos assuntos, sobre a necessidade de recomposição do quadro de efetivos da PM.

Segundo o comandante, o efetivo está em torno de 10,6 mil homens, contando com servidores na ativa e aqueles militares que são reconvocados da reserva. “Temos em andamento um curso de formação de Praças. Eu entendo que o decreto do governador foi muito pertinente, de não interromper a nossa formação, mesmo com a pandemia. E o curso está sendo realizado com muita responsabilidade e com as precauções devidas”, disse.

“Há previsão de um novo chamamento, mas ainda precisamos da confirmação da rubrica orçamentária. Por causa da covid, precisamos ter cautela, porque essa rubrica do orçamento, apesar de ser nossa, também tem uma questão da execução orçamentária vinculada à Secretaria de Economia”, informou.

Vasconcelos disse ainda que espera poder ingressar com novos cursos de formação. “Precisamos recompor os quadros. Esse déficit de pessoal não é apenas um déficit da PMDF, outros órgãos da segurança pública também vivem a mesma realidade. Precisamos nos adequar, buscar alternativas para podermos fazer a nossa missão, investir na capacitação, equipamentos e tecnologias, mudar as estratégias. E isso tem sido uma realidade”, enfatizou.

Ele lembra também que Brasília tem, atualmente, quase 3 milhões e 400 mil pessoas, com um efetivo que já girou até 17 mil e, hoje, gira em torno de 10 mil. “Se o problema fosse somente o efetivo, teríamos um índice de criminalidade altíssimo. Mas, na verdade, não temos”.

É importantíssimo a recomposição do efetivo da polícia e vamos estar sempre trabalhando nesse sentido, em parceria com o governador, com a Secretaria de Economia para fazermos a recomposição, mas também temos que usar inteligência estratégica para cumprirmos a nossa missão e é exatamente o que estamos fazendo.

Concurso previsto para 2021

Ainda em 2020, a Polícia Militar do DF informou ao Papo de Concurseiro que está trabalhando para obter as autorizações necessárias para a realização de uma nova seleção para soldados com 2.100 vagas, que exige nível superior.

Segundo a corporação, a realização do certame a princípio será para o final de 2021. Isso porque ainda é aguardado o preenchimento de todas as vagas do concurso anterior.

O último concurso foi realizado em 2018. Ao todo, contou com 50.448 candidatos inscritos. A oferta foi de 2.020 vagas, sendo 500 imediatas e 1.500 de cadastro reserva para o cargo de soldado combatente. O salário para soldado de segunda classe é R$ 4.119,22, mais R$ 850 de alimentação, após o curso de formação, o salário passa para R$ 5.245,41, mais R$ R$ 850 de auxílio-alimentação (soldado de primeira classe).

O concurso é composto por prova objetiva, redação, teste de aptidão física, exames médicos, psicológicos e investigação de vida pregressa e social. A primeira fase se iniciou em maio de 2018. O Iades é o organizador.

Secretaria de Saúde do DF é autorizada a abrir seleção com 250 vagas de enfrentamento à covid-19

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Chances são para formação de cadastro de reserva de médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos em enfermagem para atuação na pandemia de covid-19.

A Secretaria de Economia do Distrito Federal autorizou a realização de novo processo seletivo simplificado visando a formação de um banco de cadastro com 250 profissionais da saúde de nível superior e técnico para triagem e atendimento direto ou indireto aos pacientes confirmados ou suspeitos de contaminação por coronavírus . A informação foi publicada no Diário Oficial do DF desta segunda-feira (12/4).

De acordo com a Secretaria de Saúde, essa autorização publicada diz respeito ao processo de contratação temporária de aposentados que já está em curso. “Essa autorização é só um procedimento formal do processo, que demorou a ser publicada. O resultado preliminar da seleção foi publicado no DODF de hoje e agora começa a fase de recurso”, informou.

Segundo o documento, a seleção é para contratação temporária pelo período inicial de 12  meses, diante da situação de emergência no âmbito da saúde pública e necessidade de  adoção de medidas administrativas necessárias à contenção da epidemia.

O quantitativo autorizado será distribuído da seguinte forma: 70 médicos; 30 especialistas em Saúde – fisioterapeutas, 50 enfermeiros e 100 técnicos em enfermagem.

Leia mais: Secretaria de Saúde do DF abre seleção para contratar 250 aposentados

 

 

 

À espera de concurso, Senado Federal tem mais de 1.470 cargos vagos

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

O quantitativo de cargos desocupados representa mais de 40% do quadro de pessoal da Casa, que é composto por 3439 servidores

O último balanço do Senado Federal indica que existem 1476 cargos vagos na Casa. São 830 técnicos legislativos, 6 advogados, 588 de analistas legislativos e 52 consultores legislativos. O quantitativo de desocupados representa mais de 40% do quadro de pessoal da Casa, que é composto por 3439 servidores. Confira aqui a lista completa do quadro de efetivos do Senado.

Um novo concurso do Senado Federal já foi autorizado em 2019 e ofertará 40 vagas imediatas e formação de cadastro reserva para técnicos e analistas, com salários atuais que variam de R$ 18 a R$ 32 mil.

Tudo indica que o Cebraspe será a banca organizadora. Isso porque a própria banca informou ao Papo de Concurseiro que foi escolhida e que está preparada para aplicar o certame em qualquer data definida pelo órgão. Entretanto, até o momento, o contrato não foi divulgado oficialmente. Por sua vez, o Senado informou que ainda não fez a contratação da banca para realização do concurso público autorizado e que quaisquer decisões sobre o futuro concurso serão tomadas quando houver instituição de nova comissão examinadora.

Projeto básico

De acordo com o documento, a banca organizadora deverá ser escolhida por meio de dispensa de licitação. O órgão estima que 67 mil candidatos se inscreveriam no concurso com 40 vagas para técnicos e analistas do Senado e a arrecadação das taxas chegaria a R$ 13,5 milhões.

O documento ainda elenca as possíveis etapas do concurso e as disciplinas que serão cobradas nas provas, assim como as remunerações dos cargos autorizados e as respectivas taxas de inscrição.

Segundo o documento, as provas objetivas e discursivas serão realizadas nas capitais dos Estados e no Distrito Federal. As demais etapas serão realizadas exclusivamente no Distrito Federal, inclusive a prova discursiva para o cargo de advogado.

Há ainda a determinação da posição de aprovados nas provas objetivas que terão as provas discursivas corrigidas, e as fases do TAF e prova prática, que serão fases exigidas para alguns cargos. Saiba tudo aqui!

Vagas autorizadas para o concurso do Senado

Técnico Legislativo – 24 vagas
Nível II, padrão 21, na especialidade Policial Legislativo
Requisito de escolaridade: nível médio
Remuneração: R$ 18.591,18

Advogado – 4 vagas
Nível III, padrão 41, na especialidade Advocacia
Requisito de escolaridade: nível superior
Remuneração: R$ 32.020,77

Analista Legislativo – 12 vagas
Nível III, padrão 36, na especialidade Administração, Arquivologia, Assistência Social, Contabilidade, Enfermagem, Informática Legislativa, Processo Legislativo, Registro e Redação Parlamentar, Engenharia do Trabalho e Engenharia Eletrônica e Telecomunicações
Requisito de escolaridade: nível superior
Remuneração: R$ 24.782,57

As provas objetivas e discursivas serão realizadas nas capitais dos Estados e no Distrito Federal. As demais etapas, que dependem de cada cargo, serão realizadas exclusivamente no DF – prova prática, exame de sanidade física e mental, TAF, exame psicotécnico, sindicância de vida pregressa e investigação social, prova oral, de títulos, perícia médica e procedimento de heteroidentificação. Veja aqui o projeto básico do concurso.

Último concurso

O último certame ocorreu em 2012 e ofereceu chances para técnico, consultor e analista. Foram 246 oportunidades de níveis médio e superior. A concorrência geral foi de 642 candidatos por vaga. O posto que registrou o maior número de cadastros foi o de analista legislativo, com mais de 63 mil concorrentes.

Plenário do CNJ mantém suspensos prazos de validade dos concursos públicos do Judiciário

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Medida orienta a suspensão dos cronogramas em função das medidas sanitárias de prevenção ao contágio do coronavírus.

O Plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu renovar recomendação aos tribunais de manter suspensos até 31 de dezembro os prazos de validade dos concursos públucos que estivessem em andamento em 27 abril de 2020. Nessa data, o CNJ editou a Recomendação CNJ n. 64/2020, um ato normativo que orientava a suspensão dos cronogramas dos processos seletivos da Justiça em função das medidas sanitárias de prevenção ao contágio do coronavírus, sobretudo o distanciamento social.

De acordo com o voto do relator, ministro Emmanoel Pereira, o ato normativo do CNJ recomendou em abril de 2020 a suspensão da validade dos certames no Judiciário enquanto durasse a vigência do Decreto Legislativo n. 6, de 20 de março de 2020.

A norma do Congresso Nacional que reconheceu o estado de calamidade pública no país teve sua validade fixada até 31 de dezembro do ano passado. Entretanto, com o agravamento da crise sanitária em todo o país, em março deste ano o Supremo Tribunal Federal (STF) estendeu a vigência das medidas sanitárias previstas na lei para combater a pandemia (como isolamento e quarentena) até 31 de dezembro de 2021.

O relator dos processos entendeu também que estender o prazo dos concursos não encerrados nos tribunais seria mais uma contribuição do Poder Judiciário para a contenção das despesas públicas, sem prejudicar os candidatos já aprovados.

“Dessa forma, preserva-se o interesse público até que haja viabilidade orçamentária para o provimento de cargos, na medida em que não compromete ainda mais o orçamento destinado aos Tribunais, impondo uma adequada execução dos recursos públicos, bem como o interesse dos próprios candidatos aprovados”, afirmou o ministro Emmanoel.

Com informações do CNJ.

MPGO requisita informações ao Município de Minaçu sobre seleção da Educação

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

O Ministério Público de Goiás (MPGO), por intermédio da 1ª Promotoria de Justiça de Minaçu, requisitou informações da prefeitura do município sobre a realização de um processo seletivo simplificado para preenchimento de vagas da rede municipal de educação. O promotor de Justiça Danilo de Souza Resende solicitou justificativa fundamentada para a exigência de preenchimento de ficha de inscrição no aplicativo Microsoft Access e cópias do processo administrativo, da lei municipal que autorizou o processo seletivo simplificado e do comprovante de envio de notificação ao Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCM-GO) sobre a sua realização.

Segundo o MPGO, o promotor recebeu denúncia relatando a possível ocorrência de irregularidades na seleção de Edital nº 1/2021, da Secretaria Municipal de Educação de Minaçu. O promotor de Justiça solicitou também informações sobre os meios de divulgação do edital, para saber se houve publicação do documento em jornal diário de grande circulação na cidade ou em outro meio de comunicação, bem como sobre a observância do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica nas remunerações previstas no processo seletivo.

Possíveis irregularidades

De acordo com a notícia de fato, não houve divulgação do processo seletivo, assim como a Câmara Municipal não havia autorizado as eventuais contratações. O promotor relatou também que o Edital 1/2021 previu período de inscrição e de entrevistas presenciais simultâneos, de modo que a inscrição, a seleção de títulos e as entrevistas presenciais ocorreriam todas no mesmo período, de 23 a 26 de março.

Apontou ainda dissonância entre quem assina o edital – o gestor do município – e quem vai gerir os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) – a secretária municipal de Educação, gestora da Educação.

A denúncia apontou também o descumprimento do piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, ausência de transparência no processo administrativo e a desigualdade de tratamento decorrente das dificuldades técnicas para a realização das inscrições, o que prejudicaria especialmente candidatos às vagas de magistério na zona rural.

Mas, o promotor de Justiça explicou que em relação à realização concomitante das inscrições, seleção de títulos e entrevistas presenciais, a situação foi corrigida com a retificação do Edital 1/2021, corrida em 17 de março. Segundo Danilo de Souza Resende, a questão das assinaturas não macula o processo seletivo simplificado, uma vez que, embora a remuneração e demais despesas decorrentes das contratações temporárias sejam arcadas, em princípio, pelo Fundo Municipal de Educação, sujeito à administração da Secretaria Municipal de Educação, o parágrafo 1º do artigo 9º, da Lei Municipal nº 1.897/2008, determina que os certames desta natureza sejam realizados diretamente pela Secretaria de Administração ou, ao menos, sob sua supervisão.

Para o promotor de Justiça, não ficou caracterizada desigualdade de tratamento em relação aos particulares que pretendam se inscrever para os cargos de magistério e que residam em zona rural. Segundo ele, o fato de a inscrição ser realizada pela internet não implica tratamento desigual, uma vez que o acesso à rede mundial de computadores está amplamente difundido, inclusive por dispositivos móveis. Danilo de Souza Resende explicou ainda que a alternativa seria o comparecimento presencial a posto dos Correios ou à sede da prefeitura, o que caracteriza medida contrária às diretrizes de distanciamento social editadas para enfrentamento da pandemia do novo coronovírus.

Na notícia de fato também foi abordada a questão da exigência de preenchimento de currículo preestabelecido e da apresentação de declaração para cada experiência profissional em papel timbrado, emitido e assinado por órgãos públicos ou privados, Para ele, também não há ilegalidade, uma vez que, apesar de decretos municipais terem estabelecido regras para o funcionamento das unidades escolares em Minaçu, foi mantido o funcionamento da parte administrativa de todas as unidades. Além disso, foi exigida apresentação de documentação em formato PDF, o que não exige comparecimento dos candidatos nas sedes dos antigos empregadores.

Com informações do MPGO.

Procon-DF forma grupo de trabalho para organizar próximo concurso público

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Em março, o Instituo afirmou ao Papo de Concurseiro que nova seleção vai oferecer 174 vagas

O Instituto de Defesa do Consumidor do DF (Procon-DF) publicou no Diário Oficial desta terça-feira (6/4) o novo grupo de trabalho que vai realizar estudos técnicos para a realização de um novo concurso público do órgão.

Segundo o documento, a equipe objetiva a contratação de Instituição para o planejamento, organização e execução do concurso público para os cargos de Técnicos de Atividades de Defesa do Consumidor e Analista de Atividades de Defesa do Consumidor, da Carreira Atividades de Defesas do Consumidor do Distrito Federal.

O grupo de trabalho  será composto por servidores devidamente designados pelo Secretário de Estado de Economia do Distrito Federal.

Em março, o Procon-DF confirmou, ao Papo de Concurseiro, que o próximo concurso vai oferecer 174 vagas efetivas! Do quantitativo total, 69 serão de caráter imediato, enquanto as outras 105, para formação de cadastro reserva. A instituição também informou os cargos previstos, estes sendo de nível médio e superior. Veja:

Vagas imediatas

  • 24 para o cargo de Técnicos de Atividades de Defesa do Consumidor
  • 35 para o cargo de Analista de Atividades de Defesa do Consumidor
  • dez para o cargo de Fiscal de Defesa do Consumidor

Formação de cadastro reserva

  • 43 para o cargo de Analista de Atividades de Defesa do Consumidor
  • 27 para o cargo de Técnico de Atividades de Defesa do Consumidor
  • 35 para o cargo de Fiscal de Defesa do Consumidor

Ainda de acordo com o Procon, o provimento dos cargos está previsto para setembro de 2021, condicionado à disponibilidade orçamentária e financeira no exercício. “A previsão é de que seja lançado edital ainda esse ano”, informou. Há a possibilidade, inclusive, de o edital sair ainda no primeiro semestre.

Mais de oito anos sem concurso

O concurso do Instituto de Proteção ao Consumidor (Procon/DF) tem comissão organizadora definida desde setembro de 2019, mas já prorrogou pelo menos cinco vezes o prazo para a entrega dos estudos técnicos para sua realização. O último concurso do instituto foi realizado há mais de oito anos e, em 2020, o órgão sofria de um déficit de mais de 50% dos servidores. Saiba mais!

Edital iminente! CRESS-DF já tem banca organizadora e cronograma de inscrições e prova

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Concurso vai oferecer vagas de níveis médio e superior com salários entre R$ 1.714 e R$ 3.800. Inscrições iniciam na próxima quarta-feira (7/4) .

Atenção, concurseiros! O Conselho Regional de Serviço Social 8ª Região (Cress-DF), localizado no Distrito Federal, já definiu a banca que ficará responsável pela organização do próximo concurso público do órgão. O escolhido foi o Instituto Quadrix. A informação foi divulgada na página oficial da banca.

E, o novo edital deve sair muito em breve. Pois, de acordo com a banca, as inscrições já iniciam na próxima quarta-feira (7/4) e seguem até às 23h59  de 10 de maio de 2021.  A taxa é de R$ 55, R$ 58 ou R$ 60, a depender do cargo pretendido. O pagamento dos valores fica disponível até 11 de maio.

Ainda não foi divulgada a quantidade de vagas. Mas, o Instituto Quadrix já adiantou que serão chances de níveis médio e superior, com salários que variam entre R$ 1.714 e R$ 3.800, além dos benefícios. Veja:

Nível Médio:  Agente Administrativo R$ 1.714,00 – Assistente Contábil R$ 1.741,00 mais benefícios.
Nível Superior:  Assistente Social Agente Fiscal R$ 3.800,00 mais benefícios.

Benefícios:  Auxílio Alimentação R$ 775,52 – Auxílio Creche R$ 581,64 – Auxílio Saúde R$ 351,23 – Auxílio Transporte – Plano de Cargos e Salários.

Além disso, as provas já estão com data prevista para 20 de junho de 2021, às 14h. Os exames serão realizados em Brasília-DF.

Último concurso

O Conselho Regional de Serviço Social 8° Região (CRESS-8), no Distrito Federal, lançou edital de processo seletivo simplificado em 2019 para contratação temporária de agente fiscal e agente administrativo, com uma vaga cada. Para participar, foi necessário ter nível médio completo para o cargo de agente Administrativo e nível superior em serviço social, e registro regular e ativo no CRESS/DF, para agente fiscal. As remunerações variaram de R$ 1.800 a R$ 3.000 para uma carga horária de 30h semanais.

O processo seletivo foi organizado em duas etapas: entrega de currículo e, caso seja selecionado, entrevista pessoal.  Saiba mais detalhes aqui.

Sobre o Cress da 8ª Região

O Conselho Regional de Serviço Social- tem como objetivo básico disciplinar, orientar, fiscalizar e defender o exercício da profissão de Assistente Social em seu âmbito de jurisdição (no Distrito Federal), de acordo com os princípios e normas gerais estabelecidos pelo Encontro Nacional CFESS/CRESS, e nos termos do que dispõe a Lei de Regulamentação da profissão (Lei 8.662/1993).  Por ser uma entidade dotada de personalidade jurídica de direito público, o CRESS-DF tem suas contas apreciadas anualmente pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Compete ao CRESS-DF:

» Orientar, disciplinar, fiscalizar e defender o exercício da profissão de Serviço Social.
» Zelar pelo livre exercício, dignidade e autonomia da profissão;
» Organizar e manter o registro profissional dos/das Assistentes Sociais e das pessoas jurídicas que prestam serviços de consultoria;
» Zelar pelo cumprimento e observância do Código de Ética Profissional.