A só? A sós?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Só é adjetivo. Quer dizer sozinho. Flexiona-se em número de acordo com o sujeito: Eu estou só porque vivo só. Trabalho só (sozinha) no escritório. Nascer e morrer são atos solitários. Nascemos sós. Morremos sós. A sós, locução, é invariável. Só aparece no plural: Maria prefere viver a sós. Moramos a sós no mesmo apartamento. Estamos a sós. Entendeu a manha? A só é cruzamento […]

Abster: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O verbo abster é derivado. O paizão: ter. Pai e filho se conjugam do mesmo jeitinho, observadas as regras de acentuação: eu tenho (me abstenho), ele tem (se abstém), nós temos (nos abstemos), eles têm (se abstêm), eu tive (me abstive), ele teve (se absteve), nós tivemos (nos abstivemos), eles tiveram (se abstiveram); se eu tiver (me abstiver), se ele tiver (se abstiver), se nós […]

Rir é bom: como é a professora de português?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Muitos consideram a língua portuguesa pra lá de difícil. Há quem diga que é a mais difícil do mundo. Mito? Verdade? Todas as línguas de cultura têm complexidades. Daí por que estudamos fonética, morfologia, sintaxe. À medida que avançamos nos mistérios do idioma, mais o dominamos. Ele se torna nosso aliado. Permite até que o transformemos em objeto de brincadeiras. Vale o exemplo do texto […]

E comercial: origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O símbolo & tem nome. É e comercial. O criador: Marcus Tulius Tiro, encarregado de transcrever os discursos feitos no Senado de Roma. A criatura, que veio ao mundo 63 anos antes de Cristo, tinha uma função – tornar a escrita mais rápida. O & substituía o et (e em português). Com o tempo, o sinalzinho se especializou. Deixou os políticos pra lá e entrou, […]

Advérbios terminados em -mente? Xô!

Publicado em 2 Comentáriosportuguês

Reparou? Há uma praga teimosa na praça. Como quem não quer nada, ela foi avançando e ganhando espaço. Hoje aparece em frases a torto e a direito. Trata-se de advérbios terminados em –mente. Cortados, não fazem falta. Melhor: deixam a frase mais leve e elegante. Quer ver? João deve sair (provavelmente) ao meio-dia. Cumpriu a ordem (exatamente) como o diretor determinou. (Atualmente) todo mundo tem […]