Travessão: emprego

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O travessão (—) é pra lá de versátil. Como Bom Bril, tem mil e uma utilidades: Introduz diálogos: Imagino Irene entrando no céu  — Licença, meu Branco? E São Pedro, bonachão: — Entra, Irene. Você não precisa pedir licença. Separa as datas de nascimento e morte de uma pessoa: Recife, 1908 – Brasília, 1962. Destaca um termo opaco, escondido. Dá realce ao sem-graça: O ministro conseguiu […]

Como cadastrar-se? Como se cadastrar?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Como cadastrar-se no sorteio?” “Como se cadastrar no sorteio?” Ambas soam bem. E estão corretas. O xis da questão reside no infinitivo (cadastrar). Com essa forma, vale tudo. O pronome pode ir antes ou depois do verbo. Não respeita nem as palavras que atraem o atonozinho: Saiu para preparar-se. Saiu para se preparar. Gostaria de me aposentar já. Gostaria de aposentar-me já. Por que candidatar-se […]

Tempestivo e intempestivo: olho na família

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Tempestivo pertence à família de tempo. Significa no tempo certo, oportuno: O recurso foi apresentado tempestivamente (dentro do prazo). Intempestivo é o contrário. Quer dizer fora do prazo: A ação judicial foi considerada intempestiva (ajuizada fora do prazo previsto em lei). Viu? Tempestivo e intempestivo não têm nada a ver com temperamento. Dizer que alguém é intempestivo? Nãoooo!

Gerir, aderir e preferir: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Gerir, aderir e preferir conjugam-se do mesmo jeitinho. Na 1a pessoa do presente do indicativo, trocam o e pelo i: eu prefiro (adiro, giro), ele prefere (adere, gere), nós preferimos (aderimos, gerimos), eles preferem (aderem, gerem). Ops! Giro (do verbo gerir) se confunde com o giro do verbo girar. E daí? O jeito é lembrar a história do Costa e Silva. O general de plantão mandou […]

Anexo? Em anexo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Em anexo é locução adverbial. Equivale a anexamente. Invariável, não tem feminino, masculino, singular ou plural. Apresenta-se sempre com a mesma cara: Em anexo, encaminho os documentos. Em anexo, encaminho a correspondência. Sempre com vírgula? Não. A vírgula depende da colocação do termo na frase. Em anexo tem o lugar dele. É no fim da oração. Se estiver lá, nada de vírgula: Encaminho os documentos […]

Requintes do ex-

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O ex tem requintes. Ao designar alguém com o prefixo ex, nomeie o cargo mais alto que a pessoa ocupou ou aquele no qual ela mais se tornou conhecida. JK foi deputado, prefeito, senador, presidente da República. Ao se referir a ele, escreva o presidente Juscelino. Não o deputado, senador ou prefeito. E os mortos? Esses têm direitos eternos. Glauber Rocha não é  ex-diretor de cinema. […]

Você: pronome de 2ª ou 3ª pessoa?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Você, originalmente Vossa Mercê, joga no time de Vossa Excelência, Vossa Senhoria & cia. Pronome de tratamento, leva o verbo para a 3ª pessoa. Mas é de 2ª pessoa. Incoerência? Não. Quando usamos o você e o tu, estamos nos dirigindo a alguém. Eles são os seres com quem falamos. Lembra-se? A primeira pessoa é a que fala (eu, nós). A segunda, com quem se […]

Horas: abreviatura & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Acabou o horário de verão. Pra o relório voltar ao normal, você precisa mudar os ponteiros. Vale lembrar-se de um fato pra lá de repetido. Nós vivemos no Brasil. A abreviatura de horas, aqui, não tem nada a ver com a inglesa. Lá, usam-se dois pontos (12:05). Nesta Pindorama tropical, a história muda de enredo. O sem-sem-sem pede passagem – sem espaço, sem ponto e […]

Atrasar se escreve com s. Por quê?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Oba! Adeus, horário de verão. Chega de desacordos entre o relógio da natureza e o dos homens. Os ponteiros finalmente se reencontram. Uma horinha a mais na cama é pra lá de bem-vinda. Os braços de Morfeu se multiplicam pra acolher tantos sonolentos. Ao acordar, o sol estará a postos. A claridade ocupará o lugar da escuridão. Viva! A mudança impõe uma tarefa e um […]