Discrição e descrição: a diferença

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Descrição = ato de descrever (descreve-se uma pessoa, uma roupa, um ambiente). Discrição opõe-se a saliência. Significa reserva, modéstia: A mãe da noiva vestiu-se com discrição. Apresentou o projeto com discrição, sem o esperado oba-oba. Curiosidade O substantivo que dá nome à qualidade de discreto se grafa com dois is — discrição. Muitos misturam alhos com bugalhos. Mantêm o primeiro i e trocam o segundo […]

O dengue? A dengue? Depende

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Dengue? A doença é feminina. O dengo, masculino: A dengue preocupa o governo na época da chuva. O dengue é a marca de crianças mimadas. E de marmanjos também. Curiosidade Há dengues e dengues. Um é faceirice, feitiço, requebro. Criança mimada é cheia de dengues. Dengosa que só. Outro é a doença. O pobre picado pelo mosquito Aedes aegypti sofre. Sente tantas dores nos músculos […]

É hora de ele sair. Por que a preposição fica lá e o pronome cá?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A língua se parece com os falantes. Cheia de caprichos, tem preferências e caprichos. Tem, também, amigos e inimigos. O sujeito serve de exemplo. Mandão, forçou o verbo a concordar com ele. Não satisfeito, cortou relações com a preposição. A maior inimiga: de. Diante da monossilábica criatura, fica uma lá e outro cá. É a tal história conhecida em Europa, França e Bahia: dois bicudos […]

Fazer: verbo-ônibus

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Eu fiz um compromisso a favor da intervenção”, disse Eunício Oliveira. Diante de microfones e câmeras, o presidente do Senado recorreu a modismo que se espalha Brasil afora sem cerimônia e sem economia. Trata-se do abuso no emprego do verbo fazer. É um tal de fazer aula disto ou daquilo, fazer tal e qual doença, fazer mortes, fazer falta, fazer erros. E por aí vai. […]