Rosa Montero reedita livro sobre mulheres com 90 novos perfis de ilustres desconhecidas

Publicado em Deixe um comentárioabsurdo, amor, biografia, ciência, consciência, crônicas, drama, feminismo, gênero, história, humor, lançamento, leitura, literatura, livro, pandemia, política, Sem categoria, sociologia, surreal

Rosa Montero é viciada em biografias. Em casa, em Madri, ela guarda uma biblioteca com centenas de volumes desse gênero. Neles a escritora espanhola vislumbrou, pela primeira vez, lá pelo início dos anos 1990, a vontade de escrever um livro inteiro sobre mulheres históricas desconhecidas. “Como leitora assídua de biografias, descobri várias mulheres fascinantes que eram completas desconhecidas”, conta Rosa. “Eram absolutamente fascinantes e eu caí nelas por pura casualidade, com biografias que me levavam a outras biografias.” Na época, ela decidiu se aprofundar nas histórias dessas figuras, que renderam várias colunas para o jornal El País e o livro Nós, mulheres, publicado em 1995. 

Michel Laub e os dois lados de um país

Publicado em Deixe um comentárioeleições, ironia, lançamento, leitura, literatura, livro, pandemia, política, romance, Sem categoria, violência, vítimas

A certa altura de Solução de dois estados, a cineasta alemã que produz um documentário sobre a violência brasileira se dá conta de que sua entrevistada não consegue separar o lugar do ódio e da vingança e o espaço íntimo no qual nada disso existe, mesmo quando se perde alguém em ações violentas. No novo romance de Michel Laub, essas duas noções estão em constante embate e servem de arena para os sentimentos conflituosos que povoam as mentes de Raquel e Alexandre.

Cinco autores para pensar o racismo ontem e hoje

Publicado em Deixe um comentárioamor, biografia, drama, feminismo, filosofia, gênero, história, lançamento, leitura, literatura, multculturalismo, política, psicanálise, psicologia, racismo, romance, Sem categoria, sociologia, violência

Frantz Fanon foi um dos maiores pensadores pós-coloniais da França. James Baldwin, um dos nomes mais importantes da literatura americana dos anos 1950 quando o assunto é racismo e colonização. Ralph Ellison, também americano, venceu o National Book Award de 1953 com um livro no qual o personagem se tornava invisível graças à sua cor negra. A britânica Bernardine Evaristo tem sido celebrada como a voz literária negra mais importante da cena inglesa contemporânea quando se trata de escrever sobre a diáspora africana. A pandemia continua seu curso, ficar isolado ainda é o único remédio contra o coronavírus e, apesar de amargo, pode ser atenuado com boas leituras. Então, na esteira de um 2020 marcado pelos protestos contra o racismo em todo o mundo, que tal começar 2021 prestigiando autores preocupados em compreender questões cruciais para a sociedade contemporânea? O Leio de tudo fez uma seleção de lançamentos recentes disponíveis em e-book ou no site das editoras, todos assinados por nomes fundamentais do pensamento negro mundial. 

Quatro livros para entender questões do Brasil de hoje

Publicado em Deixe um comentárioassédio, consciência, feminismo, lançamento, política, racismo, reportagem, Sem categoria, sociologia, violência, vítimas

A morte de Marielle Franco, o lugar das milícias no Rio de Janeiro, o estupro como uma violência repetida a cada vez que a vítima precisa se explicar. Que tal mergulhar em leituras sobre o Brasil contemporâneo para começar 2021 com um pouco mais de informação de qualidade? O Leio de tudo separou quatro livros recém-lançados e escritos por jornalistas sobre fatos recentes da história do país. 

Jia Tolentino: internet, feminismo e monetização do eu sob a perspectiva de uma millennial

Publicado em Deixe um comentáriodemocracia, ensaio, feminismo, gênero, internet, lançamento, livro, política, racismo, Sem categoria, sociologia, youtube

Jia Tolentino ficou famosa na adolescência, quando participou do reality show Girls vs Boys, edição  Porto Rico. Não tinha ainda 17 anos, mas, naquela época, por volta de 2005,  já conhecia bem a internet. Nascida no Canadá, filha de imigrantes das Filipinas e criada no Texas, Jia foi uma dessas adolescentes que mergulharam com tudo na internet no momento em que as redes sociais começavam a redesenhar a maneira como as pessoas, especialmente os jovens, se relacionavam. Era o início do século 20, ela passou por todas as plataformas, teve blogs muito cedo, se expôs sempre com bastante ênfase, mas também se entregou com vontade à reflexão sobre o que tudo isso significava e como essa exposição estava transformando as relações e o mundo do consumo. 

Consciência e inteligência artificial travam embate no novo romance de Ian McEwan

Publicado em Deixe um comentáriociência, consciência, distopia, filosofia, gênero, inteligência artificial, lançamento, livro, política, romance, Sem categoria

É no passado que Ian McEwan imagina o futuro do mundo. Essa pequena gracinha toma proporções proféticas em Máquinas como eu, o novo romance do autor britânico. McEwan não se interessa por ficção científica nem por fantasia, mas não há como encarar esse livro sem imaginar um mundo distópico no qual a inteligência artificial e a consciência humana travam um embate digno de Blade runner.  

Morte da democracia e mentiras na política são temas de três lançamentos

Publicado em Deixe um comentáriodemocracia, eleições, ensaio, história, lançamento, política, Sem categoria

Não é coincidência a democracia estar em pauta. E não é coisa do Brasil. Quando Donald Trump conquistou o salão oval da Casa Branca, a possibilidade de este regime político estar mal das pernas já se anunciava. A ascensão de governos com aspirações totalitárias em todo o mundo acendeu os alertas de pesquisadores e cientistas políticos, que passaram a analisar […]

Patricio Pron, literatura e passado: uma mescla latino-americana

Publicado em Deixe um comentáriohistória, leitura, literatura, livro, política, real, romance, Sem categoria, violência, vítimas

Convidado para falar na 4ª Bienal Brasil do Livro de da Leitura, Pron sobe ao palco do auditório Cora Coralina nesta sexta (24/08), às 19h, para a mesa O passado literário, ao lado do colombiano Juan Gabriel Vasquez. O impacto da história na literatura latino-americana é tema que aparece na obra dos dois autores e rende discussão com reflexos na produção contemporânea.

Natália Borges Polesso fala sobre conflitos, diálogos e literatura

Publicado em Deixe um comentárioamor, contos, feminismo, história, literatura, livro, poesia, política

Depois de ganhar o Jabuti em 2016 na categoria contos com o livro Amora, a autora gaúcha Natália Borges Polesso, que participa hoje do Livre! Festival Internacional de Literatura e Direitos Humanos, acaba de concluir um romance de formação. Ela ainda não pode falar muito sobre o livro, mas adianta que é a história de uma menina da adolescência à idade adulta que precisa lidar com uma condição. A personagem tem epilepsia e os conflitos gerados a partir dessa condição são essenciais em sua vida. Para a autora, a construção dos personagens é algo fundamental.

Da escravidão à Lava Jato: sociólogo pensa o país de forma particular

Publicado em 6 Comentáriosensaio, filosofia, história, política, Sem categoria, sociologia

O problema do Brasil não estaria na corrupção herdada dos portugueses, mas na escravidão. Não estaria na maneira como fomos colonizados e sim na estrutura do sistema escravocrata implantado por aqui. E estaria, sobretudo, na desigualdade gerada por um projeto de país que, para funcionar, precisa manter grandes distâncias entre as classes pobres e as abastadas. Jessé de Souza não é unanimidade, mas é voz que tem sugerido uma nova maneira de olhar para os problemas brasileiros.