História e biografia são inseparáveis em livro sobre URSS

Publicado em Deixe um comentáriobiografia, democracia, história, imigração, lançamento, livro, política, Sem categoria, sociologia, viagens

Não há uma geração sequer que siga sossegada, sem genocídios, perseguições, guerras e fome na família do jornalista Alex Halberstadt. E também há pouco espaço para a clareza e a transparência, já que, muitas vezes, sobreviver depende de não falar a verdade. Essa combinação faz de Jovens heróis da União Soviética — Uma história de reencontro e um ajuste de contas uma leitura difícil de ser abandonada. 

A casa e as incertezas da pandemia na poesia de José Luís Peixoto

Publicado em Deixe um comentárioliteratura, pandemia, poesia, quarentena, Sem categoria, viagens

A pandemia tem colocado em causa muitas certezas e o escritor português José Luís Peixoto anda pensando sobre isso. Além de levá-lo para um estado de fragilidade e medo, o mesmo que acometeu o mundo, o caos gerado pelo novo coronavírus também levou Peixoto de volta à poesia. Regresso a casa é um livrinho de poemas nascido da pandemia, gestado durante a primeira quarentena em Portugal e repleto de reflexões sobre o ser humano, o pertencimento, a individualidade, a convivência e a percepção do outro.

As viagens literárias de José Luís Peixoto

Publicado em Deixe um comentárioensaio, filosofia, gênero, história, lançamento, literatura, livro, reportagem, Sem categoria, viagens

José Luís Peixoto nunca teve a Tailândia como um destino dos sonhos. Foi por uma coincidência que acabou pisando no país pela primeira vez e, por escolha, pela segunda. “Sempre sonhei com a Ásia, não especificamente com a Tailândia”, conta. No entanto, em 2012, durante uma viagem a Macau, o escritor se viu diante da oportunidade de conhecer a Tailândia. Deveria por lá desembarcar para escrever para uma revista de turismo e colocou como primeiro desafio retirar da própria mente a capa de exotismo que o visitante europeu geralmente projeta no país. Deu tão certo que ele voltou uma segunda vez e, dessas viagens, trouxe o livro O caminho imperfeito, recém-publicado pela Dublinenses. “A Tailândia foi-se instalando, foi ganhando lugar. De algum modo, essa evolução está muito ligada ao modo como a Ásia foi ganhando um espaço na minha vida. Ao ponto de, nos últimos anos, ter passado, pelo menos três meses da cada ano na Ásia”, revela o autor.