Acontecer: emprego e abusos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As palavras, como as pessoas, têm manias. Combinam. Brigam. Fazem exigências. Armam ciladas. Um verbo cheio de caprichos é o acontecer. Elitista, ele tem poucos empregos. E quase nenhum amigo. Mas, por arte do destino, os colunistas sociais o adotaram. A moda se espalhou como notícia ruim. O pobre virou praga. Tudo acontece. Até pessoas: Neymar está acontecendo no noticiário. O casamento acontece na catedral. O […]

Acerca de , cerca de, a cerca de, há cerca de: quando usar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Acerca de = sobre, a respeito de: Pronunciou-se acerca da oscilação do dólar. Cerca de = aproximadamente: Recebeu cerca de R$ 500. Há cerca de indica contagem de tempo passado (faz aproximadamente): Viajou há cerca de dois meses. A cerca de exprime tempo futuro: Viajará daqui a cerca de dois meses. A cerca de sete meses das eleições, regras do pleito podem ser mudadas.  

Órfão tem dois acentos? Nãooooooo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Órgão e órfã têm dois acentos? Não. Na nossa linguinha, as palavras com mais de uma sílaba têm acento tônico. Todas. É a sílaba que soa mais forte. Nas oxítonas, ele cai na última sílaba (urubu). Nas paroxítonas, na penúltima (casa). Nas proparoxítonas, na antepenúltima (tâmara). O acento tônico pode ter acento gráfico. (Aí entram aquelas regras que a gente aprende na escola.) Em português só há dois: […]

Desde e a partir de: quando usar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A partir de é expressão de tempo. Quer dizer a começar em. Por isso, a partir de não combina com o verbo começar. É pleonasmo escrever “Os novos ônibus vão começar a circular a partir de 1º de dezembro”. Diga assim: Os novos ônibus vão começar a circular em 1º de dezembro. Ou assim: Os novos ônibus vão circular a partir de 1º de dezembro. […]

Os deuses e a língua: Marte e março

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Adeus, fevereiro. Bem-vindo, março. O nome do mês tem origem pra lá de especial. O pai dele é nada mais, nada menos que Marte. O deus da guerra é forte, valente e mau. Está sempre preparado pra luta. Dia e noite usa armadura e capacete. Na mão esquerda, carrega um escudo. Na direita, uma espada. Onde há confrontos, lá está ele. Aparece de surpresa, num […]