Parabém ou parabéns?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O dicionário registra parabém com o mesmo sentido de parabéns. Mas é raramente usado. Vale lembrar: a língua é como a mulher de César. A primeira-dama do Império Romano não só tinha de ser honesta. Tinha de parecer honesta. A língua não só tem de ser correta. Tem de parecer correta. Fique com o plural.

Se + infinitivo? Depende

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Não é o momento de se falar em flexibilização vertical”, disse o ministro. Ops! Tropeçou no pronome átono se. O pequenino só acompanha o infinitivo nos verbos pronominais (aposentar-se, formar-se, aprontar-se). No mais, não tem vez. Melhor mandá-lo plantar batata no asfalto: Não é o momento de falar em flexibilização vertical. Lugar bom pra morar. Trabalho difícil de fazer. Entre tantas versões, há de arranjar […]

Megarrodízio: por que rr

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Rodízio é o movimento de rodar. Daí rodízio de carros. É, também, o nome que se dá, no vôlei, ao sistema de troca de posição entre jogadores a cada ponto obtido. Mais: os amantes de carne ficam com água na boca só de pensar em churrascarias em que circulam filés, picanhas, maminhas. Hum! Desssssssste tamanho Rodízio de carros é velho conhecido em São Paulo. Num […]

Candango: origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O operário que trabalhava na construção de Brasília se chamava candango. A designação era pejorativa. O dicionário explica que a palavra nasceu na África. Era como os escravos se referiam aos portugueses que traficavam pessoas — gente ruim, ordinária, perversa. No começo, candangos eram os nordestinos, a maior parte da mão de obra braçal. Depois passou a denominar os pioneiros que chegaram nos primórdios da […]

Negro? Sim, senhor

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Dizer que uma pessoa é negra contraria o politicamente correto? Não. O Movimento Negro, formado por negros, se chama… Movimento Negro. Nota 10 para quem informa que Pelé é negro. Ele não é escurinho, crioulo, negrinho, moreno, negrão. Xô! Nota zero para expressões de conotação negativa, que reforçam preconceito. Em vez de nuvens negras, use nuvens pretas ou escuras. Em lugar de lista negra, fique […]

O verso mais bonito da língua portuguesa

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Vários escritores produziram obras sobre a escravidão. Um dos mais notáveis foi Castro Alves. O poeta romântico compôs O navio negreiro, publicado em 1870. Críticos apontam um dos versos do livro como o mais belo da língua portuguesa. A escolha se deve, sobretudo, à reiteração (repetição do b). É o segundo desta estrofe: Auriverde pendão de minha terra, Que a brisa do Brasil beija e […]

Meia-tigela: história

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Uns dizem que a expressão só se usava nas senzalas. Outros, que era corrente na época da monarquia portuguesa. Hoje, meia-tigela quer dizer insignificante, sem valor. Em tempos idos e vividos, tinha significado concreto. O trabalhador recebia alimento no lugar onde exercia as funções. Dependendo do valor atribuído ao serviço prestado, havia gente que merecia tigela inteira e gente que recebia meia tigela. Com os […]