O ato de embalsamar é …

Publicado em 1 Comentárioportuguês

A prática tem mais de cinco mil anos. Ganhou destaque com os egípcios. O povo de Cleópatra embalsamava como ninguém. Hoje, Deus e o diabo dominam a técnica. Mas tropeçam na língua. Ao falar no assunto, a turma fala em embalsamento. Nem pensar. Por quê? O sufixo -mento forma substantivos de verbos. O danadinho se junta ao radical do infinitivo sem o -r final. Valem […]

Paraninfa ou paraninfo?

Publicado em 1 Comentárioportuguês

Fim de ano. Fim de cursos. As formaturas entram na ordem do dia. A moçada só fala em togas, becas, missas, bailes, colação de grau, álbuns de fotografias. Antes, define os convites. Na turma da arquitetura, houve sorteio para a escolha do paraninfo. Venceu uma mulher. Não deu outra. Pintou confusão. Alguns disseram que paraninfo só tem a forma masculina. Outros discordaram. Apostaram na feminino. […]

Jeito e jeito de dizer

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Um cego estava sentado na calçada. A seus pés, um boné. Ao lado, um pedaço de madeira. Nela, a súplica escrita em giz branco: “Por favor, ajude-me. Sou cego”. Um publicitário passou por lá. Viu as poucas moedas. Pegou o cartaz, virou-o e escreveu outro anúncio. Recolocou-o no lugar e foi-se embora. À tarde, voltou ao local. Reparou no montão de moedas. O cego, reconhecendo […]

Xô, duplo sentido

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Lia leu esta frase no jornal: “Ele aproveita a ocasião para estrear o telescópio que ganhou de formatura do seu pai no ano passado”. Comentou: “Levei um baita susto. Tenho certeza de que meu pai não lhe tinha dado nenhum presente. Como evitar a ambiguidade?” A resposta: fuja do seu. O pronome é uma praga: Ele aproveita a ocasião para estrear o telescópio que ganhou […]

O travesti ou a travesti?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Leitores são pessoas atentas. Focam na notícia e na língua. Bobear é proibido. Outro dia, o Correio chamou homens e mulheres que se vestem com roupas do sexo oposto de “as travestis”. Bobeou. O leitor Sérgio Peixoto viu. E comentou: “O Correio trouxe a notícia da desarticulação de uma quadrilha que explorava transexuais e travestis no DF. Empregou o substantivo só na forma feminina quando […]

Solução de continuidade: o que é isso?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Para os próximos dias e meses, nosso compromisso é trabalhar com afinco para que não haja solução de continuidade na condução das investigações e das ações penais propostas”, disse Raquel Dodge em entrevista coletiva. A procuradora-geral da República causou frisson. Murmúrios se ouviram na sala. Muitos abriram a boca e arregalaram os olhos. O xis do espanto: solução de continuidade. A locução dá nó nos […]

Erramos: outra alternativa

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A mobilização de amplos setores da sociedade surtiu o efeito desejado e o governo não teve outra alternativa a não ser revogar a extinção da Renca”, escrevemos na pág. 10. Outra alternativa? Não. A alternativa é sempre outra. O pronome sobra. Melhor: A mobilização de amplos setores da sociedade surtiu o efeito desejado e o governo não teve alternativa a não ser revogar a extinção […]

Choveu e choveram

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Viva! A chuva chegou. Depois de longa estiagem, a natureza faz a festa. O verde renasce, as árvores se cobrem de folhas, as flores explodem em cores. O verbo chover ganha empregos poéticos. Aí, todo o cuidado é pouco: 1. Quando indica fenômeno da natureza, o dissílabo é impessoal. Só se conjuga na terceira pessoa do singular: Chove muito na primavera. No ano passado, choveu […]