Crédito: Facebook/Reprodução.
CBNFOT090120172276 Crédito: Facebook/Reprodução.

Coronel da FAB de Brasília está desaparecido em alto-mar no Rio Grande do Norte

Publicado em CB.Poder

Otávio Augusto

Há cinco dias, o coronel da Força Aérea Brasileira (FAB) Max de Carvalho Dias está desaparecido em alto-mar no litoral do Rio Grande do Norte.

O oficial mora em Brasília e trabalha na Secretaria de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

Segundo informações preliminares, ele teria saído para praticar pesca esportiva na quinta-feira (5) e desde então não foi mais visto. As buscas da Marinha já duram dois dias.

Homens do 3° Distrito Naval (Com3ºDN) vasculham a região onde Max e um pescador — que não teve a identidade divulgada — estavam. Um navio e uma aeronave buscam os desaparecidos. “Até o momento, nem a embarcação nem os tripulantes foram encontrados”, destaca o órgão, em nota.

A Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte colhe informações que auxiliem na localização. O desaparecimento foi registrado oficialmente no último sábado (7). “A lancha “Allure” saiu do Iate Clube de Natal em 5 de janeiro, com previsão de retorno no dia seguinte, o que não aconteceu”, informa as autoridades locais.

O Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) está emitindo “Avisos-Rádio Náuticos” dando ciência do ocorrido às embarcações em trânsito na região.

A Polícia Militar de Natal não registrou ocorrências de brigas ou roubo, por exemplo, na região do Iate Clube. Max e o pescador saíram de barco por volta das 8h, segundo testemunhas. O mar naquele dia estava agitado. Geralmente, o coronel ia ao local para fazer manutenção de sua embarcação. Segundo pessoas da região, ele gosta de pescar nas proximidades da costa de Tabatinga, distante 45km da capital norte-rio-grandense.

O diretor de pesca do Iate Clube de Natal, Cristiano Gentili, divulgou uma nota. Ele acompanha as buscas. “Na sexta à noite, uma embarcação de pesca amadora encontrou um tanque de combustível a deriva. Não estou afirmando nada, mas é muita coincidência um tanque aparecer no mesmo período que estamos procurando a lancha que usa um tanque do mesmo modelo”, detalhou.

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação monitora o caso. “Acompanhamos com preocupação e esperanças as notícias sobre as buscas do coronel Max de Carvalho Dias. O ministério só se pronunciará após o fim das buscas”, resumiu, em nota. Max é coordenador geral de Gestão da Navegação Aérea Civil do órgão federal.

Veja a nota da Marinha do Brasil:

“A Marinha do Brasil, por meio do Comando do 3° Distrito Naval (Com3ºDN), informa que tomou conhecimento, em 7 de janeiro de 2017, do desaparecimento da lancha “Allure”, que saiu do Iate Clube de Natal em 5 de janeiro, com previsão de retorno no dia seguinte, o que não aconteceu.

O Com3ºDN vem realizando buscas no litoral do Rio Grande do Norte com o Navio-Patrulha Guaíba, com o auxílio de uma aeronave da Força Aérea Brasileira.

A Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte vem mantendo contato com a comunidade marítima a fim de disseminar o desaparecimento da lancha e colher informações que auxiliem na sua localização. O Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) está emitindo “Avisos-Rádio Náuticos” dando ciência do ocorrido às embarcações em trânsito na região.

Até o momento, nem a embarcação nem os tripulantes foram encontrados.”

Natal, 9 de janeiro de 2017