Projeto prevê a isenção dos custos médicos em concursos aos candidatos hipossuficientes

Publicado em Deixe um comentárioConcursos

Segundo o autor da proposta, o ideal seria que o candidato pudesse realizar os exames pelo SUS. Porém, segundo o deputado, a rede pública está sobrecarregada

Jéssica Andrade – A Câmara dos Deputados analisa um Projeto de Lei que amplia a isenção de custos a candidatos hipossuficientes durante a participação em concursos públicos.Atualmente, a lei já prevê isenção da taxa de inscrição para candidatos que pertençam a família com renda per capita mensal inferior ou igual a 1/2 salário mínimo e inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

Pela proposta de autoria do deputado Fábio Trad (PSD-MS), as bancas examinadoras deverão arcar com todos os custos caso os beneficiários da Lei 13.656/18 tenham de se submeter a avaliação médica ou exames clínicos, laboratoriais ou similares como etapa obrigatória em fase classificatória ou eliminatória do certame, ou ainda como requisito para posse.

“A gratuidade na etapa inicial do processo seletivo não garante que o candidato possa realizar todo o certame com isenção dos custos se precisar realizar exames médicos”, afirmou o autor da proposta. 

“O ideal seria que esses candidatos pudessem realizar exames previstos no edital nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), mas infelizmente as entidades públicas, desde muito antes desta pandemia decorrente do coronavírus, já não conseguem atender as demandas da população”, lamentou o parlamentar.

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Leia também: Projeto prevê que lactantes amamentem durante provas de concurso 

 

Como criar um hábito? Especialista explica como aplicar técnicas para estudar para concursos

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Concursos Públicos

Não é incomum encontrar pessoas que desistiram da academia ainda nas primeiras semanas ou que não conseguem focar numa alimentação saudável no início de uma dieta. Certo? O mesmo acontece com quem deseja iniciar uma rotina de estudos e percebe que sente enorme dificuldade em aderir concentração e ritmo. Isso acontece porque criar um hábito leva tempo e organização. Sobre esse assunto, o Papo de Concurseiro conversou com a psicóloga Juliana Gebrim, que esclareceu sobre como os estudantes devem aplicar técnicas específicas para enfim, criar um hábito de estudos. Veja as dicas completas:

Afinal, o que é um hábito?

O hábito é um comportamento aprendido a partir da repetição. Trata-se de um padrão que se repete, a partir de um conhecimento já adquirido, até virar um padrão inconsciente que nosso cérebro transforma em hábito.

Como funciona um hábito? É necessário um tempo mínimo para se instalar na rotina?

Diversos estudos revelam que todo hábito possui a mesma estrutura com base em três etapas. A primeira é chamada de “deixa” ou “gatilho”, que é a motivação que desperta o nosso interesse para iniciar uma ação no modo automático. A segunda é a rotina, que é a prática da ação em série em busca do seu objetivo. A terceira é a recompensa, uma espécie de prêmio que o cérebro recebe por realizar a ação rotineiramente.

Criar um hábito antes de tudo é você ter ação no dia a dia. Existe uma grande diferença entre o aluno que não estuda nada, que não cria o hábito versus aquele que estuda ao menos 30 minutos por dia, treinando um hábito.
Então nesse momento é muito importante dar pequenos passos diários que em conjunto com pequenas vitórias, gera o sucesso.

Como transformar a rotina em hábito?

Um dos principais desafios do concurseiro é transformar a rotina em hábito. Isso porque, quando embarcamos nesta nova trajetória e resolvemos estabelecer esse novo hábito, precisamos encarar de frente a nova rotina para que ela comece a virar um hábito.

Ou seja, o mais difícil não é começar a estudar, mas manter a rotina até que ela se transforme em um hábito no dia a dia. Então, para inserir uma nova rotina, ela deve ser acionada pela antiga deixa e entregar a antiga recompensa.

Enfim, o importante é sempre ter em mente que hábitos precisam ser provenientes de escolhas e metas estabelecidas, aquilo que a pessoa realmente deseja alcançar com o seu estudo. A recompensa sempre será a aquisição de conhecimento e a aprovação no concurso almejado.

Como iniciar esse processo de criar um hábito e aplicar nos estudos em concursos?

Segundo estudiosos da Universidade Duke, mais de 40% das nossas ações diárias não são decisões reais, mas hábitos. Com a pandemia, as pessoas se sentiram mais cansadas, mesmo dentro de casa e isso acontece porque, durante esse período, nós precisamos mudar o nosso padrão repetitivo, o que demandou um gasto maior de energia por parte das pessoas, uma vez que a mudança de rotina exigiu alteração dos nossos hábitos.

A tendência é que a pessoa sempre queira manter as mesmas rotinas. E aí, que ela vai precisar lidar contra isso, fortalecendo o novo hábito. Na realidade, quem se propõe a estudar para concursos, sabe exatamente o que precisa ser feito para manter os estudos, mas acaba negligenciando a rotina, impactando nos resultados.

Ou seja, o recomendado é que, antes de inserir hábitos positivos, você retire hábitos negativos. Então o processo de criação do hábito de estudos começa pela conscientização, através da psicoeducação.

É preciso investir no autoconhecimento e essa será uma das melhores atitudes que o concurseiro pode tomar. Afinal, a jornada de aprofundar-se em conhecer quem você é, saber quais são os comportamentos que estão te prejudicando, que estão te impedindo de alcançar os seus objetivos e determinar o seu propósito pode ser reveladora.

Vale ressaltar que, os hábitos, por mais arraigados que estejam, podem ser mudados. Basta ter força de vontade e compreender os seus mecanismos.

Por isso, nós psicólogos utilizamos uma ferramenta chamada roda da vida, que auxilia os concurseiros na busca do autoconhecimento. Por meio dela, é possível descobrir aquilo que está prejudicando o seu crescimento, tornando-o capaz de transformar a sua realidade por meio do desenvolvimento de novos hábitos.

Quais técnicas utilizar para fixar uma rotina?

Conheça a sua rotina – A definição da sua rotina de estudos começa no autoconhecimento, por isso ela deve ser estruturada de acordo com a realidade de cada concurseiro.

Identifique o seu melhor momento para estudos – Quando você consegue estudar na hora em que você é mais produtivo, é muito mais tranquilo e prazeroso. Por isso, é bom que você estabeleça uma rotina de estudos que se encaixe com o seu momento mais produtivo. O estudo tem que ter regularidade, não precisa ter hora marcada.

Separe um ambiente tranquilo para estudar – Um dos principais aliados que podem ajudar a criar uma rotina de estudos é estabelecer um local tranquilo, reservado e organizado para estudar.

Faça pausas necessárias – Após muitas horas de estudos, é preciso fazer paradas para não prejudicar o aprendizado. As pausas são muito importantes e podem ser para tomar água, para ir ao banheiro, para fazer um lanche, para respirar. O importante é você se desconectar um pouco e descansar a mente. Dessa forma, você unirá o cuidado com a sua saúde mental e com a sua saúde física. Por isso, não importa o motivo, o importante é parar.

Dicas de organização para estudar:

1. Calendário – estabelecer metas e prazos determinados ou para passar em uma prova, ou para fechar determinadas matérias.

2. Organização do tempo – vamos aqui usar os recursos tecnológicos a nosso favor, como tabelas e alarmes para que possamos ter uma otimização daquilo que considero o nosso maior patrimônio: O TEMPO. Organização do nosso dia, semana e mês.

3. Organização do material – o material como um todo deve ser dividido, estudado, resumido e exercitado. Tenho convicção de que isso traz segurança para a evolução como estudante a ponto das pessoas saberem exatamente onde está aquele conteúdo estudado nos seu material de estudos que foi pedido na prova.

4.Organização psicológica – vide nesse item a palavra equilíbrio emocional. Aqui é estabelecida uma escala de prioridades na vida, como saber dizer não para questões passageiras e seguir aquela meta.

Coloque o hábito em prática para estudar do jeito certo

Estabeleça metas claras – Para manter a rotina de estudos é muito importante estabelecer metas para a sua execução. Um cronograma de estudos pode ajudar nesse processo.

Respeite seus limites – É preciso gerenciar suas energias para garantir que você realize suas tarefas com saúde sempre respeitando os seus limites.

Adquira maturidade – Todos nós sabemos o que deve ser feito para alcançar nossos objetivos. No entanto, a motivação pode ser o centro da sua vida. Você precisa saber o que fazer para ter ações em busca dos seus objetivos. Maturidade exige ação e saber qual o seu lugar no mundo.

Controle suas emoções – A organização dos estudos para o concurso público está atrelada ao controle do estresse e do nervosismo durante a fase de preparação. Sem esse controle, sua rotina será desgastante e você certamente desistirá nas primeiras semanas de estudos. Nesse ponto também é importante dar atenção ao sono porque a privação dele provoca desatenção, estresse e outras coisas que comprometem o humor, interferem no desempenho e impactam na saúde.