Após ou depois? Naturalidade

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Seja natural”, aconselham os manuais de estilo. Escreva do jeito que você fala. Frases curtas, perguntas diretas, palavras simples conquistam o leitor. Dão a impressão de um bate-papo de amigos que se encontram para tomar um cafezinho ou comer um sanduíche. Mas nem todos estão atentos às manhas da língua. Um dos tropeços mais comuns é o uso do após. Por alguma razão que até […]

As palavras têm força

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Os árabes, como prova do peso da palavra, repetem que “o silêncio é a língua de Deus”. De outra forma, os japoneses comungavam o mesmo entendimento. A voz do imperador era tão importante que o povo não a podia ouvir. Daí porque os americanos, vencedores da Segunda Guerra Mundial, obrigaram o monarca a comunicar a derrota à população. Em 1º de janeiro de 1946, os […]

Anexo ou em anexo? Os dois

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Anexo, sozinho, é adjetivo vira-lata como bonito, feio, rico. Concorda em gênero e número com o substantivo a que se refere: carta anexa, cartas anexas, documento anexo, documentos anexos; criança bonita, objetos bonitos; imagens feias, foto feia, livros feios. Em anexo pertence a outra estirpe. É advérbio e, portanto, invariável. Não tem feminino, masculino, singular ou plural. Com ele é tudo igual: A carta segue […]

R$ 200: o porquê do lobo-guará

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A história começou em 2001. Naquele ano, foi lançado um concurso: os brasileiros deviam escolher animais ameaçados de extinção. Os vencedores seriam estampados nas novas cédulas. Em 1º lugar, ficou a tartaruga-marinha, que enfeitou a nota de R$ 2, criada em 2001. Em 2º, o mico-leão, que ganhou a nota de R$ 20, lançada em 2002. Em 3º, o lobo-guará, que abrilhanta a nota de […]

Correio tropeça no verbo pedir

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Presidente fez declaração ao responder a apoiadora que o pediu para não deixar que a vacina seja produzida no Brasil”, escreveu o site do Correio. Cochilou. O verbo pedir se constrói com objeto direto de coisa e indireto de pessoa: Maria pediu uma bicicleta (obj. direto) ao pai (obj. indireto). A mãe pede ao filho (obj. indireto) mais cuidado com os livros. Apoiadora pediu ao […]