Concordância: assim como, bem como

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Com as expressões assim como  e bem como, o verbo pode ir para o singular ou plural. Observe a vírgula: Paulo, assim como Maria, estuda medicina. Paulo assim como Maria estudam medicina. Paulo, bem como Maria, estuda medicina. Paulo bem como Maria estudam medicina. Viu? Com vírgula, o termo vira adjunto adverbial. Sem a vírgula, compõe o sujeito. A oração passa a ter sujeito composto. […]

Juro ou juros: tanto faz

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Oba! O Banco Central passou a tesoura na Selic. A taxa encolheu para 6%. Foi aplauso geral. Dinheiro mais barato é pra lá de bem-vindo. Esperamos que caia mais, muito mais. Quando? Enquanto se discutem datas, vale a questão. Juro ou juros? Tanto faz. No singular ou plural, o significado não muda. A concordância acompanha o número: O juro caiu. Os juros caíram.  

Correios lançam selo? Correios lança selo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Correios lança peça para comemorar os 50 anos da conquista da Lua”, escreveu o Correio Braziliense. Ops! Leitores espernearam. Repórteres também. O pomo da discórdia: a concordância. Correios leva o verbo para o singular ou o plural? Formaram-se dois grupos. Cada um justificava a opção por este ou aquele número. Diante do impasse, o jeito foi dar uma espiadinha na gramática. Correios é substantivo próprio […]

Concordâncias espinhosas: sujeito posposto, ou, nem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A vida é feita de acordos. Concordamos usar o cinto de segurança. Concordamos obedecer à velocidade da via. Concordamos não andar nus em público. Concordamos dar bom-dia, boa-tarde, boa-noite ao entrar no elevador. Concordamos não furar a fila. Concordamos não arrotar à mesa. Concordamos que a escola ensina e o aluno aprende. Concordamos que na língua existe hierarquia. Há termos que mandam e termos que […]

Concordância: tal

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As aparências enganam. E como! Vale o exemplo de tal. As três letrinhas parecem inofensivas. Mas não são. Roubam pontos em concursos, adiam promoções, destroem amores. A razão: muitos ignoram que as danadinhas se flexionam. Concordam em número com o substantivo a que se referem: Que tal o filme? Que tais os filmes? Que tais as férias? Foi difícil escolher os novos óculos tais as […]

De nada adiantarão promessas? De nada adiantará promessas?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

José Aldo Peixoto Corrêa lia o jornal de sábado com tranquilidade. Quando chegou ao editorial, ops! Encontrou esta frase: “De nada adiantará promessas de prosperidade”.  Os olhos doeram. Com razão. Encontraram baita erro de concordância. Trata-se de tropeço pra lá de comum. A causa de tantos esbarrões se chama ordem inversa. O sujeito muda de lugar. Vai pra depois do verbo. Aí, os distraídos o […]