Terrivelmente evangélico: advérbios terminados em -mente

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O presidente se encontrou com a comunidade evangélica. Entre os seus, sentia-se feliz, descontraído. Sorriu muito. Posou para selfies. Deu abraços e beijos. No discurso, disse que nomearia para o Supremo Tribunal Federal um ministro “terrivelmente evangélico”. Aplausos ecoaram. Vivas se ouviram nos quatro cantos do recinto. A imprensa divulgou a fala. Foi um auê. Ops! Não foi o critério religioso para escolher o juiz […]

Todo mundo quer um pai como Bolsonaro? Todo o mundo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A questão pintou na sala de arte. O chargista queria a frase no desenho que estava fazendo. Fez a pergunta bem alto. Todos pararam. Palpites pipocaram a torto e a direito. A resposta: todo mundo é forma coloquial. Significa todos: Todo mundo quer um pai como Bolsonaro. Todo mundo se divertiu com a charge. Todo mundo aplaudiu o convidado. Diferença Todo mundo = todos. Todo […]

Bolsonaro: um acerto e um tropeço

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Encerramos nossa visita à Buenos Aires com avanços concretos e a certeza de que os laços entre Brasil e Argentina saem fortalecidos. Nossos países estão dispostos a cooperar cada vez mais em prol da liberdade e da democracia em nosso continente. Até a próxima, hermanos!”, tuitou o presidente Jair Bolsonaro. Errou na crase. Acertou na vírgula. 1. Crase antes de nome de cidade, estado ou […]

Manifestações: o x da faixa

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Brasileiros tomam as ruas de cidades de norte a sul do país. Vestidos de verde-amarelo, demonstram apoio ao governo Bolsonaro e às reformas por ele propostas. Muitos exibem faixas e cartazes. Pintou, então, a questão. Por que faixa se escreve com x? A resposta: porque a letra vem depois de ditongo. É o caso de caixa, baixa, ameixa, baixela, frouxo, peixe, trouxa, rouxinol, embaixada. Exceção? […]

Aonde vai Bolsonaro? Onde vai Bolsonaro?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

 A relação do presidente com o Congresso é pra lá de instável. Ora Sua Excelência trata deputados e senadores como inimigos do Brasil. Ora os bajula como filhos mimados. A alternância de ataques e afagos mereceu editorial da Folha de S. Paulo com este título: “Aonde vai Bolsonaro?” Leitores ficaram com a pulga atrás da orelha. O xis da questão não era o conteúdo, mas […]

Ao encontro e de encontro: vacilo de Bolsonaro

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O presidente falava aos jornalistas. Lá em Dallas, nos States, diante de dezenas de microfones. Ao ser questionado se manteria o contingenciamento de recursos da Educação, ele começou a responder e depois vacilou: “Se eu gastar mais do que posso, vou…” Ao encontro? De encontro? Respirou fundo e concluiu: “Se gastar mais do que posso, vou de encontro à Lei de Responsabilidade Fiscal”. Viva! Acertou. […]

Balbúrdia de Bolsonaro: idiota

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O presidente Bolsonaro está em Dallas, nos States. Lá de longe, emitiu opinião sobre os estudantes que tomaram as ruas de norte a sul do Brasil: “São idiotas úteis”. Leitores pediram ajuda ao blogue. Queriam saber a etimologia da palavra. Idiota vem do grego idiotes. Quando nasceu, não tinha intenção de ofender. Queria dizer homem do povo, em oposição a aristocratas (classe culta). Com o […]

Nome próprio: plural

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O Palácio do Planalto virou a casa da mãe joana. É uma brigalhada sem fim. Dois grupos se digladiam. De um lado, os militares. De outro, os seguidores de Olavo de Carvalho. Bolsonaro, no meio da confusão, põe panos quentes na disputa: “Não existe grupo de militares nem de Olavos”, disse conciliador. Acertou no diagnóstico? Talvez. Mas tirou nota 10 na língua. Os nomes próprios […]

Outra alternativa? Não.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A situação está feia. A economia não cresce. A indústria anda pra trás. O desemprego engorda. Preocupado, Bolsonaro pôs a boca no trombone. Alto e bom som, apoiou a reforma da Previdência. Ao falar no assunto, disse: “Não temos outra alternativa”. Bobeou. Em tempo de vacas magras, desperdiçar é proibido. A alternativa se escolhe entre duas opções. Por isso, não vale dizer “outra” alternativa e […]