{ "sidebars_widgets[cssstyle]": { "value": [ "custom_html-11" ], "type": "option", "user_id": 16, "date_modified_gmt": "2020-06-14 04:56:29" }, "widget_custom_html[11]": { "value": { "encoded_serialized_instance": "YToyOntzOjU6InRpdGxlIjtzOjA6IiI7czo3OiJjb250ZW50IjtzOjQ4MzoiPCEtLSBDU1MgLSBTVU5FVCAtLT4NCjxsaW5rIHJlbD0nc3R5bGVzaGVldCcgaHJlZj0naHR0cHM6Ly9ibG9nczIuY29ycmVpb2JyYXppbGllbnNlLmNvbS5ici93cC1jb250ZW50L3RoZW1lcy9zdW5ldC9jc3MvcmVzZXQuY3NzJw0KICAgIHR5cGU9J3RleHQvY3NzJyBtZWRpYT0nYWxsJyAvPg0KPGxpbmsgcmVsPSdzdHlsZXNoZWV0JyBocmVmPSdodHRwczovL2Jsb2dzMi5jb3JyZWlvYnJhemlsaWVuc2UuY29tLmJyL3dwLWNvbnRlbnQvdGhlbWVzL3N1bmV0L2Nzcy9nZW5lcmFsdjE3LmNzcycgLz4NCjxsaW5rDQogICAgaHJlZj0naHR0cHM6Ly9mb250cy5nb29nbGVhcGlzLmNvbS9jc3M/ZmFtaWx5PUxhdG86MTAwLDMwMCw0MDAsNzAwLDkwMCwxMDBpdGFsaWMsMzAwaXRhbGljLDQwMGl0YWxpYyw3MDBpdGFsaWMsOTAwaXRhbGljJw0KICAgIHJlbD0nc3R5bGVzaGVldCcgdHlwZT0ndGV4dC9jc3MnPg0KPCEtLSBFTkQgQ1NTIC0gU1VORVQgLS0+Ijt9", "title": "", "is_widget_customizer_js_value": true, "instance_hash_key": "55666331563e50c08cbe037df2878123" }, "type": "option", "user_id": 16, "date_modified_gmt": "2020-06-14 04:56:29" } }

Vamos entender um pouco sobre cerveja?

Publicado em cervejas, dicas, gastronomia

Aprender o processo básico de como é feita uma cerveja. Segredos da degustação, estilos, características e muita dica de harmonização com cervejas.

Quando chega o final de um dia estasiante de trabalho ou, principalmente nos finais de semana, muitas vezes nos dá a vontade de um drink.

Para relaxar e comemorar as conquistas, já que a vida não tá tão fácil assim.

E uma das bebidas que para mim é ícone de harmonia e confraternização, talvez a mais popular em todo o mundo, é a CERVEJA.

Sempre que viajo, experimento uma cerveja diferente e degusto com algum prato para harmonizar.

Graças a Globalização, o Brasil passou a ser e ter um número imenso de tipos e sabores de cerveja.

O  que há poucos anos atrás era praticamente inviável economicamente e além disso, realmente difícil de se encontrar nos mercados brasileiros.

A cerveja que mais conhecíamos era a cerveja Pilsen, que na realidade é uma cerveja da família das Lagers.

Vamos falar das famílias em breve também.

Também conhecida como Pilsener, porque originalmente é produzida na cidade de Pilsen, na República Checa, antiga Boêmia.

É a mesma história do Champanhe, espumante produzido na região de Champanhe e que fez com que os produtos feitos em outras localidades tivessem que se diferenciar pelo nome.

Primeiramente, vou explicar bem por alto como uma cerveja é feita!

A cerveja tem que passar por 3 etapas básicas para sua criação:

1.Primeiro é a Brassagem ou Mosturação:

Nessa etapa vamos pegar o malte de cevada, que deverá estar moído e vamos acrescentar água fervendo para que então o amido seja transformado em açúcar.

Aqui é importante parar esse processo, para que todos entendam que existem alguns tipos de malte e com isso, vários sabores diferentes que podem ser apresentados.

Hoje estamos vendo uma imensa variedade de cervejas puro malte no mercado, essas são cervejas que na sua Brassagem utilizam apenas a cevada como malte. Porém, há pouco tempo o que mais víamos nos mercados eram cervejas tipo Pilsen.

Aquelas  feitas com uma grande quantidade de cereais não maltados na sua fórmula.

Já agora, a legislação brasileira autoriza que na produção da cerveja possam ser misturados até 45% de cereais não maltados, como o milho, o trigo e o arroz na produção.

O que faz com que a qualidade e o sabor da cerveja se diferencie uma das outras, no exemplo das cervejas Pilsens, que são feitas com puro malte, fermentação a frio e o lúpulo Saaz.

Essas misturas de malte trazem uma coloração mais clara a cerveja, um sabor mais leve e principalmente um custo bem menor.

Fazendo com que a nossa indústria inicialmente, tenha optado por essa produção para elevar os seus lucros. A chamada larga escala.

Porém, com o acesso para as cervejas importadas fez com que o nosso mercado se abrisse para novas marcas e o surgimento de vários mestres cervejeiros, popularizando a cerveja artesanal e nos dando muito mais opções.

2.Após a Brassagem, entra no momento da Filtragem:

É nessa hora que separaremos o mosto (cerveja antes da fermentação) do bagaço dos cereais/malte.

Essa etapa é de suma importância para que não fique nenhum tipo de resíduo na cerveja.

O que pode trazer uma aparência estranha e uma alteração no sabor indesejado.

Depois de retirado o mosto e lavado o bagaço para se obter mais açúcares, entramos no processo de Fervura, acrescentando o lúpulo e obtendo mais sabor a bebida.

3.Por fim, processo de Fermentação.

É aqui que os açúcares são fermentados pela levedura, produzindo álcool, éster, fenóis, gás carbônico.

Para finalmente, obter seu aroma, frescor, intensificar o seu sabor.

No final do processo devemos reduzir a temperatura para que as leveduras fiquem no final do recipiente e que após isso iremos fazer o envazamento da cerveja.

 

Claro que esse é apenas um método básico dos processos, existem muitos mais detalhados e técnicas diferenciadas.

Para que possamos ter a opção de escolher o melhor estilo, tipo ou produto.

Conforme o tipo de confraternização ou de prato que será degustado com essa delícia mundial.

Quem diria que um dia eu estaria aqui conversando com vocês sobre minha vida.

Sobre o amor que tenho em relação a culinária, vocês já sabem. 

E o quanto eu gosto de cerveja e, principalmente, descobrir novos sabores!

Vamos falar mais sobre cervejas, estilos e harmonizações.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*