O Globo e CNN tropeçam no pleonasmo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Não é admissível criar novos tribunais”, é o título do editorial do Globo de hoje. Baita pleonasmo. Ganha um bombom Godiva quem cria o velho. O velho se recria. Melhor: Não é admissível criar tribunais. “O Brasil é o terceiro país do mundo com maior número de contaminados pelo coronavírus”, anunciou o Jornal da CNN. Outro pleonasmo. Quem consegue citar um país que não seja […]

Pleonasmo: há…atrás

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Na entrevista coletiva sobre o coronavírus, o ministro-chefe da Advocacia-geral da União desperdiçou palavras. “O recurso foi feito há 10 dias atrás”, disse André Mendonça. Abusou. 1. Há indica tempo passado. 2. Atrás também indica tempo passado. Melhor ficar com um ou outro: O recurso foi feito há 10 dias. O recurso foi feito 10 dias atrás.

Pleonasmo: começar a partir de…

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A CNN noticiou: “O Texas começa a reabrir o comércio a partir de segunda-feira”. Certo? Nãooooooooo! Dois bicudos não se beijam. A partir de é expressão de tempo. Quer dizer a começar em. Por isso, a partir de não combina com o verbo começar. É pleonasmo. Escolha um ou outro: O Texas começa a reabrir o comércio na  segunda-feira. O Texas reabre o comércio a […]

Pleonasmo: limite máximo, piso mínimo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Atingimos o limite máximo de ocupação de UTIs em cinco unidades da Federação”, diz a notícia. Viu? Desperdiçou palavras. Limite máximo joga no time de teto máximo e piso mínimo. O adjetivo sobra. O limite é sempre máximo, o teto também. O piso é sempre mínimo. Os adjetivos não têm vez: Atingimos o limite de ocupação de UTIs em cinco unidades da Federação. Com a […]

Pleonasmo: há…atrás

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Haver é verbo cheio de compromissos. Entre os 1001 empregos, encontra-se a indicação de tempo. Ele sempre olha pra trás. Indica o passado:  Trabalho na Câmara há 10 anos. Juscelino inaugurou Brasília há quase 60 anos. A reunião terminou há pouco.   O futuro fica por conta da preposição a: Chego daqui a pouco. Estamos a poucos dias do carnaval. A dois meses da mudança, […]

Champanhe francês? Nãoooooooooo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Tim-tim, tim-tim, tim-tim. O borbulhante preferido por 10 entre 10 brasileiros recebe o nome da região onde é produzido. Sofisticada, a bebida gosta de tratamento VIP. Uma das bajulações que mais aprecia é o tratamento masculino. Sabe por quê? Ela é vinho sim, senhores — o (vinho) champanhe: Vamos tomar um champanhe geladinho? Exclusivo Sabia? Só existe champanhe francês. Por isso, dizer “champanhe francês” é […]