Pleonasmo: planos para o futuro

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A GloboNews entrevistou Fernando Haddad. Simpática, a repórter circulava pela casa do ex-prefeito de São Paulo. Ele, sorridente, fazia as vezes de anfitrião. A certa altura, ela anunciou: “Vamos conversar sobre seus planos para o futuro”. Ops! Baita pleonasmo. Ganha um bombom Godiva quem fizer planos para o passado. Planos sempre olham pra frente. Sem desperdício, o convite ganha esta forma: —Vamos conversar sobre seus […]

Sérgio Moro: tropeços no Twitter

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O ministro, vestido de soldado, postou a foto no Twitter com este texto: “Há mil anos atrás, mas orgulho de ter dado pequena contribuição. Feliz dia do soldado”. Ops! Acertou na homenagem. Bobeou na língua. Em dois períodos, dois tropeços: 1. Há… atrás formam baita pleonasmo. Há indica passado. Atrás também. Usar os dois é desperdício. Em tempo de cofres vazios, melhor ficar com um […]

Pleonasmo: adiar para depois

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Eta parto difícil! O relator da reforma da Previdência ia apresentar o relatório amanhã. Deixou para quinta-feira. O fato mereceu comentários de gregos, troianos e baianos. Aí, claro, não deu outra. O verbo adiar ganhou manchetes. E lá veio o “adiar para depois”. É baita pleonasmo. Não se adia para antes. Só para depois. Há jeitos de safar-se. Um: basta dizer adiar o relatório. Outro: […]

Começar x a partir de: pleonasmo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Novas regras para uso de patinete em São Paulo começam a valer a partir do dia 28”, disse o repórter. Certo? Nãooooooooo! A partir de é expressão de tempo. Quer dizer a começar em. Por isso, a partir de não combina com o verbo começar. É pleonasmo escrever “Novas regras para uso de patinete em São Paulo começam a valer a partir do dia 28″. […]