Madre superiora. Escola superior: o porquê da concordância

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  Por que se diz “madre superiora”, mas “escola superior”? Madre e escola são nomes femininos. Mas o segundo adjetivo é masculino. A razão? O superiora joga claro. Refere-se a madre. O superior brinca de esconde-esconde. Oculta entre o nome e o adjetivo, está a locução “de nível”: escola (de nível) superior, instituição (de nível) superior, mercadoria (de nível) superior.  

Tropeço na concordância e na crase

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“O Brasil apoiará política e economicamente o processo de transição para que a democracia e a paz social volte a Venezuela”, diz nota do governo. Viu os tropeços? São dois: 1. Concordância: …para que a democracia e a paz social voltem (sujeito plural — democracia e paz social — pede verbo no plural). 2. Crase: …para que a democracia e a paz social voltem à […]

Concordância: azul-celeste & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Menino veste azul? A ministra Damares Alves responde sim. Caetano Veloso & cia. ilimitada respondem não. Pelo sim, pelo não, vale lembrar as manhas da concordância da polêmica cor: 1. Quando estiver desacompanhado, azul se flexiona como os irmãozinhos dele: camisas azuis, vestidos azuis. 2. Nos adjetivos compostos azul-celeste, azul-ferrete, azul-marinho, mantém-se invariável. Singular e plural é tudo igual: blusa azul-celeste, blusas azul-celeste, calção azul-celeste, […]

Concordância: cor-de-rosa & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Quem diria! Cor-de-rosa ganhou as manchetes e as mídias sociais. É que a ministra Damares Alves trouxe a 2019 assunto que o movimento feminista deixou pra trás há 50 anos. “Menino usa azul, menina usa rosa”, disse ela. O tema é velho. Mas a língua continua vivinha. Impõe-se, pois, lembrar a concordância dos trios pra lá de usados: Estando subentendida a expressão cor de, o […]

Marina Silva: tropeço na contagem de tempo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Hoje, fazem 50 anos da edição do AI-5, o início dos anos mais violentos da ditadura”, postou Marina Silva no Twitter. Seguidores da ex-senadora estranharam a flexão do verbo fazer. Com razão. Ao exprimir fenômeno da natureza ou contagem de tempo, fazer não tem sujeito. É impessoal. Só se conjuga na 3ª pessoa do singular: Faz frio no inverno. Neste verão, faz mais calor que […]

Verbo ser: 7 dicas de adeus às dúvidas

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Quase sempre o verbo ser joga em dois times. Pode concordar com o sujeito ou o predicativo (complemento do verbo). Mas há preferências. Observe a precedência seguinte: da pessoa sobre a coisa: Os filhos são sua alegria. do substantivo próprio sobre o comum: Helena era as delícias da casa. do concreto sobre o abstrato: A sua paixão são os livros. Os livros são sua paixão. […]