Abolir: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Abolir é verbo defectivo. Só se conjuga nas formas em que o l é seguido de e ou i. Por isso não tem a primeira pessoa do singular do presente do indicativo (abolo), o presente do subjuntivo (derivado da 1ª pessoa do presente do indicativo) e o imperativo negativo (formado do presente do subjuntivo): aboles, abole, abolimos, abolem; aboli, aboliu, abolimos, aboliram; abolia, abolias, abolíamos, […]

Reaver: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Louco pelos prazeres da carne, o haver é do tempo em que não havia camisinha. Resultado: teve filhos. Um deles: reaver. O garoto quer dizer haver de novo (recuperar). Muitos lhe confundem a paternidade. Escrevem reavejo,  reaviu como se o verbo fosse derivado de ver. Bobeiam. Ele só se conjuga nas formas em que aparece o v do paizão: houve (reouve), haveria (reaveria), haverão (reaverão). […]

Intermediar & cia.: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Sai dia, entra dia, a história se repete. Desvendam-se esquemas montados para assaltar os cofres públicos. Eles têm um denominador comum — os intermediários. Podem ser doleiros, empresas, escritórios de advocacia. Todos conjugam o verbo intermediar. Ele, como os profissionais da corrupção, é cheio de manhas. Uma delas: a conjugação. Intermediar pertence à gangue do MARIO. O nome da perigosa organização se formou com a […]

Abster-se: conjugação

Publicado em 1 Comentárioportuguês

Se eu me abster? Se eu me abstiver? Na língua, a família está acima de tudo. Abster-se sabe disso. O danadinho é derivado de ter. Um e outro se conjugam do mesmo jeitinho, observadas as regras de acentuação: eu tenho (me abstenho), ele tem (se abstém), nós temos (nos abstemos), eles têm (se abstêm); eu tive (me abstive), ele teve (se absteve), nós tivemos (nos […]

Gangue do MARIO

Publicado em Deixe um comentárioGeral

“Lulagate incendeia o país” é a manchete do Correio de hoje. Antes de escrevê-la, pintou a dúvida. Como se conjuga incendiar? A resposta lembrou a gangue do MARIO. A sigla se formou com a primeira letra dos cinco verbos que compõem a patota: M de mediar, A de ansiar, R de remediar, I de incendiar e O de odiar. Todos obedecem ao chefe. Odiar manda. […]