Chinês ou sino?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Quem diria! Na campanha eleitoral, Bolsonaro demonizou a China. Agora, considera-a nosso maior parceiro comercial. Confirmam-se, assim, dois ditados. Um: não há bem que sempre dure nem mal que nunca se acabe. O outro: as nações não têm amigos, têm interesses. Para manter as relações em alto nível, bobear é proibido. Na formação de compostos, o adjetivo referente a chinês é sino: relações sino-brasileiras, acordo […]

Indiano ou hindu?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Quem nasce na Índia é indiano: Os indianos são falantes, sorridentes e coloridos. Com os indianos, aprendi a filosofia da não violência. Os indianos adoram filmes… indianos. Hindu joga em outro time. Quer dizer seguidor do hinduísmo: Há hindus nos cinco continentes. Há templos hindus em sua cidade? Na minha há.    

Anfitrião: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

No encontro do Brics, Bolsonaro recebeu quatro chefes de Estado — Rússia, Índia, China e África do Sul. Não se deve ao acaso, pois, o uso e abuso da palavra anfitrião. Com o protagonismo, pintou a curiosidade pela etimologia do vocábulo. A origem está na mitologia grega. Anfitrião era marido de Alcmena. Ele foi lutar na guerra de Tebas. Oba! Zeus, o deus dos deuses, […]

Russo e ruço: emprego

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Russo, o originário da Rússia, forma compostos. Olho na grafia! Os adjetivos pátrios pedem hífen (russo-americano, russo-brasileiro, russo-germânico). Os demais compostos mandam o tracinho pras cucuias: russofobia (pavor de russo), russófilo (amigão dos russos).  Tá ruço Sem confusão, marinheiros de poucas viagens. Russo e ruço não se conhecem nem de elevador. Russo é o natural ou originário da Rússia. Ruço quer dizer pardacento, complicado: A […]

Hífen: auto-

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Juan Gerardo Guaidó se autoproclamou presidente da Venezuela em março. Jeanice Áñez seguiu a receita. Autoproclamou-se presidente da Bolívia dias atrás. Se a moda pega… Enquanto a certeza não vem, vale uma dica. O prefixo auto– pede o tracinho quando seguido de h e o. No mais, é tudo colado como unha e carne: auto-hipnose, auto-organização, autoescola, autoproclamar, autorregulação, autossuficiente, autoexílio.

O Brics? Os Brics?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Brasília virou o centro do mundo. Os mandões de quatro países desembarcaram no Aeroporto Juscelino Kubitschek. Eles, com o nosso, abrigam 42% da população do planeta. O quinteto é tão importante que se tornou sigla — Brics. O nome se formou com as iniciais dos membros: B de Brasil, r de Rússia, i de Índia, c de China e s de África do Sul (em […]

Hífen: sempre, sem exceção

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“O que é certo na vida?”, perguntaram certa vez a Confúcio. “A única certeza é que tudo passa”, respondeu o sábio. Porque tudo passa, alguns preferem ver a vida rolar de longe. Não fazem amigos pra não se decepcionarem. Não namoram pra não serem traídos. Não se casam pra não se separarem. Não têm filhos pra não perdê-los mais tarde. Não viajam pra não enfrentar […]

Hífen: os iguais se rejeitam

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Situações constrangedoras? Há muitas. Uma delas: bancar o par de vasos. Imagine a cena. Socialite chega majestosa à festa. Cabeça erguida, ombros eretos, barriga chupada, bumbum encaixado, chama a atenção de homens, mulheres, gays, lésbicas e simpatizantes. Ninguém resiste ao ímã. Os sentimentos variam. Alguns se excitam. Outros reverenciam a aparição. Há os que experimentam o gostinho da inveja. Não faltam os que bancam a […]