A boiada do Lira

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

    Severino Francisco   Um personagem crucial da crise tem conseguido passar ileso até agora: o deputado Arthur Lira (PP), líder do Centrão e da ala pre-histórica do Congresso Nacional. Enquanto as atenções estão voltadas para a CPI da Covid no Senado, Lira passa boiada dos projetos mais obscurantistas, medievais, anacrônicos e contrários aos interesses do povo brasileiro.   […]

CPI em Marte 4

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

  Severino Francisco A CPI de Marte entrou em recesso, mas o colega jornalista daquele  planeta tão distante continua me enviando relatos. Agora, ele faz um resumo dos melhores momentos da Comissão de Inquérito Parlamentar. Fala, colega marciano.   Bilionário Marlos Quasar em vídeo: Rarará. Vejam, morreram 40 pessoas que estavam isoladas em casa, durante a pandemia. Não é engraçado? […]

Tratoraço em Galeno

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

    Severino Francisco   Assisti pela tevê a uma cena estarrecedora e reveladora do estado de ignorância que assola o país e Brasília: um trator arrasou uma calçada de Brazlândia criada pelo artista plástico Galeno. A calçada é de pedra portuguesa e padecia do descaso há muito tempo, nunca recebeu manutenção, as peças avariadas foram remendadas com cimento.   […]

Machado de Assis mediúnico

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

  Bomba!!! Esta coluna conseguiu uma entrevista mediúnica exclusiva com Machado de Assis. É uma homenagem à leitora Dáhlia, fã do bruxo do Cosme Velho. Fala, Machado. O senhor constituiu uma obra que colocou o Brasil no mapa do mundo. Como conseguiu fazer isso em um ambiente tão adverso à cultura? Só se faz bem o que se faz com […]

A música de Athos

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

  Severino Francisco Na passagem dos 103 anos de Athos Bulcão, a Fundathos exibe até hoje no Youtube, o documentário Tela sobre tinta, dirigido por Malu Martino. Certa vez, perguntaram como é que se entendia com Oscar Niemeyer na integração arte-arquitetura, pois o arquiteto era ateu, e Athos, religioso. Athos respondeu que nem ele era tão religioso assim nem Oscar […]

Fios do amor

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

    Severino Francisco Com a delicadeza da tessitura de um bordado, Chris Nóbrega escreveu Fios (Ed. Maria Cobogó), uma história tocante, que narra a doença e a morte da avó. É notável a maneira com que Chris consegue tocar em tema tão difícil de uma maneira tão leve, afetuosa e verdadeira. Mas o livro não é para ser lido […]

Celebração do amor

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

  Severino Francisco   Não importa que o Dia dos Namorados tenha sido ontem. As coisas boas da vida merecem ser celebradas todos os dias, principalmente neste momento em que somos assolados pelos adoradores da morte. Por isso, peço licença para tocar no delicado tema, que segundo o poeta, move o céu e as outras estrelas. Mas eu queria falar […]

CPI em Marte 2

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

Severino Francisco   Um colega jornalista de Marte enviou o relato de uma sessão na CPI sobre a pandemia naquele planeta tão distante. Fala, confrade!   Senador Lindolfo Domingues: Digníssimo Chancerlelé, por quê Vossa Excelência hostilizou o planeta Júpiter, o único que produz insumos necessários à fabricação das vacinas? Vossa Excelência quer que Marte se torne um pária no contexto […]

Copa Covid 2

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

    Severino Francisco   A Copa América, a Copa Covid, é uma crônica da morte anunciada. Surpreendi-me com a notícia da possibilidade de um boicote dos jogadores da Seleção Brasileira. Porque os nossos craques são de uma alienação cósmica. Vivem dentro da bolha das redes sociais, exibem os carrões com cascata artificial e filhote de jacaré, relógios de ouro […]

Morri no ano passado, mas este ano não morro

Publicado em Deixe um comentárioCrônicas

    Severino Francisco   “Eu já cantei no Recife/Na porta do pronto-socorro/Ganhei quinhentos mil reais/Comprei duzentos cachorros/Morri no ano passado/Mas este ano não morro”. Emicida citou e atribuiu os versos acima mencionados a Belchior na faixa AmarElo, que já alcançou mais de 10 milhões de visualizações no Youtube, e várias pessoas repetiram o equívoco. Falo de cátedra porque também […]