Menos que? Menos do que?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A expectativa era grande. Jair Bolsonaro foi o primeiro presidente latino-americano a discursar na abertura do Fórum Mundial de Davos. Diante de plateia seleta, falou durante seis minutos. Causou estranheza. Lula, Dilma, Temer se aproximaram dos 30 minutos. A comparação foi inevitável. Bolsonaro falou menos que os presidentes que o antecederam? Bolsonaro falou menos do que os presidentes que o antecederam?  Tanto faz. Você escolhe. […]

Paralelismo 2: termos da oração

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Paralelismo não se observa só em enumerações. Ele pede passagem também em termos da oração. Se, por exemplo, um verbo pede dois objetos diretos, eles devem ter a mesma construção sintática. Misturar estruturas é pisar o paralelismo. Assim: Ele negou interesse no projeto e que o telefonema do deputado tivesse relação com as propostas nele apresentadas. Ele negou dois fatos: a) interesse no projeto e b) […]

Queísmo: falar que & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Certos verbos sofrem de alergia. Ficam vermelhos, empolados e com coceira quando seguidos do quê. Transitivos diretos, exigem objeto direto nominal, mas não aceitam a oração objetiva direta. Veja alguns: alertar (alerta-se alguém, mas não se alerta que); antecipar (antecipa-se alguma coisa, mas não se antecipa que), definir (define-se alguma coisa, mas não se define que), denunciar (denuncia-se alguma coisa ou alguém, mas não se denuncia que), descrever (descreve-se alguma coisa, mas não se descreve […]

Quê: quando acentuar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Acentua-se o quê em duas oportunidades: quando for substantivo. Aí será antecedido de pronome, artigo ou numeral. Tem plural: Trump tem um quê de desvairado. Qual o mistério dos quês? Hoje tratamos do quê com acento e sem acento. Este quê não me confunde mais. Belo quê você introduziu na redação. Quando for a última palavra da frase: Trabalhar pra quê? Pediu licença, mas não […]

Erramos: colocação de pronome

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“O magistrado assumirá o Ministério da Justiça a convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro, que prometeu-lhe carta branca”, escrevemos na primeira página. Viu? Esquecemos lição que aprendemos lá atrás. A gangue qu (que, quem, quando, quanto) funciona como ímã. Atrai o pronome átono. Melhor corrigir: O magistrado assumirá o Ministério da Justiça a convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro, que lhe prometeu carta branca.

E que: quando usar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Cuidado com o e que. Só se pode empregar a duplinha quando houver o primeiro quê, claro ou subentendido: Ele negou que tivesse interesse no projeto e que o telefonema do deputado tivesse relação com as propostas nele apresentadas. Na falta o primeiro quê, se aparecer e que, o paralelismo chora de dor: As pesquisas revelam grande número de indecisos e que pode haver segundo turno […]

Quê: quando acentuar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O quezinho aparece enchapelado em duas situações: Quando for substantivo. Aí, tem plural: O noivo tem um quê provinciano. Não sei os quês dos porquês. A letra quê tem charme. A modelo tem um quê sedutor. Nenhum dos quês recebeu a resposta adequada. Quando está no fim (no fim mesmo) da frase: Você saiu por quê? Os americanos estão irritados com quê? Quê! Você por […]

Quem é quem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O quem é um pronome pra lá de elitista. Adora gente. E só gente. Sempre que aparece, fala de pessoas: Quem chegou? Não sei quem chegou. Foi Maria quem chegou? Simples, não? Mas o mundo é cheio de maldades. Ou de descuidados. Com frequência, as pessoas sem coração agridem o quem. Uma das violências contra o pobrezinho é empregá-lo em frases como estas: Foi o […]