Entregador e motorista de aplicativo? Por aplicativo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Centenas de motoqueiros que fazem entrega de comida cruzaram os braços por um dia. Querem mais segurança e proteção da legislação trabalhista. Ao escrever sobre o assunto, pintou uma dúvida. Eles são entregadores de aplicativos ou entregadores por aplicativos? São entregadores por aplicativo. A mesma questão vale para motorista. Profissional que trabalha para a Uber e similares é motorista por aplicativo. Tira-teima Na dúvida, basta […]

Enquete na internet: 10 erros que mais incomodam (4)

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Tampouco / tão pouco Tampouco = também não, muito menos: Maria não fez a prova e tampouco deu explicações. Tão pouco = muito pouco: O deputado falou tão pouco que surpreendeu. Comeu tão pouco que deixou a mãe preocupada. Peço tão pouco!   Onde / em que Onde indica lugar físico: A cidade onde nasci tem 2 milhões de habitantes. A gaveta onde guardou os […]

Verbos pecadores 13: pôr & filharada

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Eta família maltratada! Ela sofre mais que escravo no tronco. Apanha na grafia e na conjugação. Mas, como nesta vida tudo passa, o martírio do clã pode chegar ao fim. Basta aprender duas regras: Só o s tem vez. As formas em que soa o fonema z escrevem-se com s (pus, pôs, pusemos, puser, pusesse, compuser, depuséssemos). Por quê? Sem aparecer no infinitivo (pôr), a […]

Se eu pôr ou puser? Se eu vir ou vier? Se eu caber ou couber? Se eu reter ou retiver? Se eu trazer ou trouxer?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Dúvidas. Dúvidas. Dúvidas. Qual a saída? Só há uma. Lembrar-se de que os tempos verbais têm pai e mãe. O futuro do subjuntivo nasce da 3ª pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo sem o –am final. Assim: Pôr Pretérito perfeito: eu pus, ele pôs, nós pusemos, eles puser(am) Futuro do subjuntivo: se eu puser, ele puser, nós pusermos, eles puserem Se eu puser […]

Precisão: xô, verbos-ônibus

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Na cidade, existem os ônibus. Eles conduzem 42 passageiros sentados e outros tantos de pé. Na língua, há palavras-ônibus. Elas se parecem com o transporte coletivo. Com montões de significados, os polivalentes servem pra tudo. Coisa, por exemplo, é um minhocão. Assemelha-se a ônibus papa-fila. As cinco letrinhas comportam todo o dicionário. “Comprei uma coisa pra você” pode ser… qualquer coisa. Há verbos que se […]

Acentos diferenciais: só dois

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A reforma cassou acentos diferenciais. Foram-se os das paroxítonas. Pêlo, pélo, pára, pólo, pêra ficaram mais leves. Assim: pelo, para, polo, pera. Exceção? Só duas. Mantém-se o chapéu de pôde, passado do verbo poder (eu pude, ele pôde). E o verbo pôr fica com o circunflexo. A razão? Ele é monossílabo tônico. Escapou da facada.  

Reforma ortográfica: acentos que caíram

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  Há três acentos em português. Um: agudo (café). Outro: grave (vou à cidade). O último: circunflexo (lâmpada). Ao se debruçar sobre eles, a reforma ortográfica foi pra lá de tímida. Só atingiu as paroxítonas. As oxítonas, as proparoxítonas e os monossílabos tônicos não sofreram nenhum arranhão. Continuam como dantes no quartel de Abrantes. O que mudou? 1. O circunflexo do ditongo ôo diz adeus. […]

Através: quando usar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A locução através de pertence à família do verbo atravessar. Deve, portanto, ser empregada no sentido de passar de um lado a outro, ou passar ao longo de: Vejo o jardim através da janela (meu olhar atravessa a janela e chega ao jardim). O conceito de beleza mudou através dos tempos (ao longo do tempo, o belo foi adquirindo significados diferentes). Evite usar através de […]

Pôr e derivados: grafia e conjugação

Publicado em 1 Comentárioportuguês

Eta família maltratada! Ela sofre mais que escravo no tronco. Apanha na grafia e na conjugação. Mas, como nesta vida tudo passa, o martírio do clã pode chegar ao fim. Basta aprender duas regras: Só o s tem vez. As formas em que soa o fonema z escrevem-se com s (pus, pôs, pusemos, puser, pusesse, compuser, depuséssemos). Por quê? Sem aparecer no infinitivo (pôr), a […]