Governador de Minas tropeça no verbo ver

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Em entrevista à GloboNews, o governador de Minas, Romeu Zema, disse que “ninguém preveu o volume das chuvas”. Uiiiiiiiiiiiiiiiii! Doeu. Os mineiros, amantes da língua, correram pras farmácias. Esgotaram os remédios contra otite. O surto se explica. Prever é filhote do verbo ver. Pai e filho se conjugam do mesmo jeitinho: vi (previ), viu (previu), vimos (previmos), viram (previram).

O coronavírus e a guerra das palavras

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Que medão! O coronavírus nasceu na China, mas causa estragos mundo afora. Governos de Europa, França e Bahia põem as barbas de molho. Preparam-se para a chegada do indesejado de todos. O Brasil, que mantém estreitas relações comerciais com Pequim, está de sobreaviso. Enquanto planeja providências, pinta uma questão. Por que coronavírus tem acento? Disputa antiga Quando o português usava fraldas, era pra lá de difícil […]

Endemia, epidemia e pandemia: diferença

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O coronavírus criou asas e voou. Saiu da China e se espalhou mundo afora. Há suspeitas de que tenha chegado ao Brasil. Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul têm pacientes em observação. Fala-se em pandemia. O que é isso? A palavra vem de família pra lá de conhecida. Panaceia, pandemônio, panorama, panteísmo, panteão são alguns de seus membros. Todos têm um denominador comum. […]

Iminente e eminente: diferença

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O coronavírus desembarcará no Brasil? “O perigo é iminente”, diz o ministro da Saúde. Ops! Alguns dizem eminente. Enganam-se. A diferença é uma letra, mas ela muda os significados: Eminente joga no time das excelências. Significa elevado, superior: O eminente ministro proferiu a sentença. Iminente quer dizer prestes a acontecer: A chegada do coronavírus ao Brasil parece iminente. O diretor está na iminência de renunciar.

Sabotagem: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Que coisa! Ao falar sobre a balbúrdia do Enem, o presidente disse que pode ser sabotagem.  Sem saber, Sua Excelência buscou uma palavra árabe que deu muitas voltas até chegar ao português. Sabotagem vem de sabbat. Na língua de Kalil Gibran, a dissílaba dá nome à madeira perfumada chamada sândalo. Com ela se faziam tamancos. Em francês, sabot. É aí que a história começa. Os […]

Imoral ou amoral?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Bolsonaro voltou da Índia com força total. Ao desembarcar, disse que vai exonerar dois auxiliares da Casa Civil. A razão: uso imoral de avião da FAB. Em vez de pegar um voo comercial para encontrar o chefe na Ásia, preferiram um particular, pago pelo contribuinte. Perderam o cargo e deixaram uma questão. Qual a diferença entre imoral e amoral? Amoral = indiferente à moral: Atos […]

Meia: empregos que confundem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Na recepção do salão de convenções em Fortaleza: — Por favor, gostaria de fazer minha inscrição no Congresso. — Pelo seu sotaque vejo que o senhor não é brasileiro. O senhor é de onde? — Sou de Maputo, Moçambique. — Da África, né? — Sim, sim, da África. — Pronto, tem palestra agora na sala meia oito. — Desculpe, qual sala? — Meia oito. — […]

Deus lhe pague: origem divertida

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Um transeunte passou mal na rua, caiu e foi levado para o setor de emergência de um hospital particular pertencente à Universidade Católica, administrado por freiras. Lá, verificou-se que teria que ser urgentemente operado do coração, o que foi feito com total êxito. Quando acordou, ao seu lado estava a freira responsável pela tesouraria que lhe disse prontamente: — Sua operação foi bem-sucedida e o […]