Acontecer: três dicas de emprego

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As palavras, como as pessoas, têm manias. Combinam. Brigam. Fazem exigências. Armam ciladas. Um verbo cheio de caprichos é o acontecer. Elitista, ele tem poucos empregos. E quase nenhum amigo. Mas, por arte do destino, os colunistas sociais o adotaram. A moda se espalhou como notícia ruim. O pobre virou praga. Tudo acontece. Até pessoas: Fabrício Queiroz está acontecendo no inquérito das rachadinhas. O casamento acontece […]

Harmonia: significado e curiosidade

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ufa! Faltam bombeiros pra apagar tantos incêndios. Sai dia, entra dia, crises se vão, crises se apresentam. Até os Poderes da República não se entendem. Cada um quer aparecer mais que os outros. Juízes do Supremo, deputados e senadores, presidente e ministros disputam espaço na mídia. Resultado: tornaram-se mais conhecidos que os atores da Globo. Na corrida pelo estrelato, pisam-se calos. Gritos ecoam em palácios […]

Weintraub e a espada de Dâmocles

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Abraham Weintraub bateu asas e voou. Às escondidas, embarcou para Miami. Dizem que tinha medo. Medo de ser preso. Medo de ter o passaporte retido. Medo de não poder assumir o cargo no Banco Mundial. Enfim, tinha a espada de Dâmocles sobre a cabeça. Em bom português: sentia-se sob ameaça contínua, em perigo iminente e assustador. Será? Enquanto as especulações correm soltas, vale entrar no […]

Respeito à família: tensão, tensionar, distensionar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A demissão de Weintraub do Ministério da Educação era esperada para `distencionar´as estremecidas relações do Executivo com o Legislativo e, sobretudo, com o Judiciário”, exibiu a capa do Correio hoje. Cochilou. Esqueceu-se de pormenor pra lá de importante: as palavras têm pai e mãe. Tensão se escreve com s. A família também. É o caso de tensionar e distensionar.

Os Bolsonaros ou os Bolsonaro?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O título de coluna publicada hoje no Globo é “Os Bolsonaro”. Leitores atentos perguntaram: substantivo próprio tem plural? Tem. Ele não goza de privilégios. Flexiona-se como os substantivos comuns. Eça de Queirós deu o exemplo. Escreveu Os Maias. Nós vamos atrás: os Silvas, os Castros, os Câmaras, as Antônias. Há exceção? Há. Quando a flexão descaracteriza o nome, cessa tudo o que a musa antiga […]

O vai e vem da OMS ou o vaivém da OMS?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

E a Organização Mundial da Saúde, hem? No meio da pandemia, parece que perdeu o rumo. Vale o exemplo da cloroquina. A OMS autoriza pesquisas sobre a droga. Depois, suspende. Volta a autorizar. Torna a suspender. Ufa! Ao falar no assunto, jornais escrevem vai e vem. Outros preferem vaivém. E daí? Ambos merecem nota mil. Palmas pra eles. Por dentro Há os desatualizados. Eles ignoram […]

Juro ou juros?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O Conselho Monetário Nacional vem passando a faca na taxa de juros. Ontem, a Selic foi de 3% para 2,25%. Viva! É a menor da história. O assunto, claro, foi notícia. Pintou, então a dúvida: juro ou juros? Tanto faz. Mas, escolhido um, fique de olho na concordância: O juro caiu. Os juros caíram. O senhor do $ Com a queda da taxa de juros, […]