Bolsonaro agradeceu-lhe? Agradeceu-o?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Bolsonaro chamou Moro de patrimônio Nacional, citou o nome dele cinco vezes e o agradeceu por ter aceitado fazer parte da gestão”, escreveu o site da Folha. O gradeceu? Nãooooo! O verbo pede objeto direto de coisa e indireto de pessoa. Assim: Agradeceu o presente. Agradeceu ao ministro. Agradeceu o presente ao ministro. Na substituição do alguém pelo pronome, é a vez do lhe: Agradeço-lhe […]

Entre mim e ele? Entre eu e ele?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Combater a corrupção é compromisso firmado entre mim e o presidente Bolsonaro”, disse Sérgio Moro. Viva! O ministro pertence ao seleto clube dos que usam o pronome mim como manda a norma culta. Depois de preposição, o mim pede passagem: Este livro é para mim. Ele gosta de mim. Referiu-se a mim. Trabalhou para mim. Combinação feita entre mim, você e o diretor.  

Gangue do MARIO: incendiar & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A estiagem faz estragos. Resseca a pele, maltrata os cabelos, desidrata descuidados. O pior: faz arder nosso paraíso verde. A floresta em chamas acendeu suspeitas na cabeça do presidente. Bolsonaro disse que ONGs são responsáveis pelos estragos. Como? Segundo ele, as organizações não governamentais conjugam o verbo incendiar. Elas ateiam fogo no mundão sem fim de árvores e arbustos. De quebra, sobra pra bicharada. Será? […]

Anos sessenta ou anos sessentas?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Tendências vão e vêm. Roupas, cores, acessórios revivem anos idos e vividos. Ao falar nelas, impõe-se abrir os olhos e aguçar os ouvidos. Diga anos sessenta, anos oitenta, anos noventa e por aí vai. O singular do numeral se explica. Escondidinha, está a expressão “da década de”: anos (da década de) sessenta, anos (da década de) cinquenta, anos (da década de) vinte.  

Blusa em seda? Blusa de seda?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Blusa em seda”, “calça em veludo”, “chale em tricô”, informam elegantes especialistas no assunto. Nada feito. Eles trocaram a preposição. A blusa (é feita) de seda. A calça, de veludo. O chale, de tricô. Mesmo time Não só o tecido exige a preposição de. Construções semelhantes jogam na mesma equipe: Cadeira de couro, aliança de prata, mesa de madeira, escultura de cerâmica, boneca de louça, […]

Listado ou listrado?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A ordem é o vale tudo. Ou quase tudo. Misturas exóticas se exibem sem constrangimentos nas passarelas da moda primavera-verão. Flores, listras, laços, superposições aparecem nos modelos expostos em vitrines pra lá de tentadoras. O conjunto tem um quê sensual e romântico. Acostumados às palavras francesas e inglesas que imperam no mundo da moda, comentaristas não vacilavam na pronúncia de top models, glamour, high-tech, charme, […]

Abster: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

 Se eu me abster? Se eu me abstiver? Na língua, a família está acima de tudo. Abster-se sabe disso. O danadinho é derivado de ter. Um e outro se conjugam do mesmo jeitinho, observadas as regras de acentuação: eu tenho (me abstenho), ele tem (se abstém), nós temos (nos abstemos), eles têm (se abstêm); eu tive (me abstive), ele teve (se absteve), nós tivemos (nos […]

Ler emagrece

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Estudo encomendado pela rede de livrarias britânicas Borders reforçou o ditado “mente sã, corpo são”. O ato de ler gasta calorias. O estudo foi além: comprovou que, ao ler livros de ação, sexo e suspense, a taxa média de calorias gastas dobra. Isso se deve ao fato de que livros ligados a esses temas provocam a produção de adrenalina, hormônio que prepara o corpo para […]