Promoção ¿Como passar em um concurso público¿: participe e concorra a ingressos para a peça!

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
Todo mundo sabe que vida de concurseiro não é nada fácil. Para conquistar o tão sonhado lugar no funcionalismo público é preciso se esforçar e suar bastante em cima dos livros, abdicando várias vezes dos momentos de diversão e de lazer.

Pensando nisso, resolvemos fazer uma promoção diferente para vocês: as seis melhores respostas à pergunta “qual é o segredo para alcançar um lugar no funcionalismo público?” ganharão uma entrada para a peça “Como passar em concurso público”, da divertida Companhia de Comédia G7.

As apresentações acontecerão nos dias 2, 3 e 4 de outubro, na sala Villa-Lobos do Teatro Nacional (os ingressos oferecidos contemplam apenas os dias 2 e 4). O resultado da promoção será postado aqui no blog às 18h do dia 1º de outubro, sendo aceitas apenas as respostas enviadas até às 16h do mesmo dia. Os ganhadores devem confirmar a intenção de receber o prêmio por meio do e-mail concursos@correioweb.com.br até às 10h do dia 2 de outubro.

Clique aqui para fazer seu cadastro e checar todo o regulamento. Divirtam-se!

Sinopse do espetáculo

A peça conta a história de José Brasil, que desde seu nascimento, é incitado a tornar-se um técnico judiciário. O concurseiro tenta encontrar uma maneira de conseguir uma vaga no serviço público, seja estudando, fraudando ou simplesmente pedido ajuda a Deus.

Durante o espetáculo, o grupo dá 10 dicas divertidas para que os candidatos consigam alcançar a sua vaga, mostrando também um pouco da rotina da vida de um concurseiro. Além de fazer rir, a Companhia propõe uma reflexão sobre escolhas e sonhos.

Participem da promoção e concorram!

Câmara dos Deputados pode votar PEC que efetiva donos de cartórios sem concurso

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
A votação da Proposta de Emenda Constitucional que efetiva donos de cartórios que não realizaram concurso público foi transferida para a sessão de hoje (30/9) na Câmara dos Deputados. A oposição entrou em obstrução e impediu a análise da Proposta de Emenda Constitucional, que deveria ter sido votada na terça-feira (29/9).

A idéia é efetivar responsáveis por cartórios que assumiram os cargos sem concurso depois da Constituição de 1988. Serão beneficiados aqueles que ocupavam a função entre a promulgação da Constituição e novembro de 1994, quando foi sancionada uma lei que regulamentava o artigo constitucional que trata dos cartórios. O projeto atende também quem era substituto neste período e tornou-se titular depois. Neste caso, o dono precisa estar como titular há pelo menos cinco anos a partir da data de promulgação da lei.

A proposta chegou a ser pautada na semana passada, mas não foi votada por falta de quorum. Nesta quarta-feira, ela deve entrar novamente na pauta da Câmara se um acordo entre os líderes da Casa permitir a votação. A PEC terá de ser votada em dois turnos na Câmara antes de seguir para o Senado, onde também haverá a necessidade de duas votações. Caso o texto se mantenha igual em todas votações, a PEC poderá ser promulgada.

O deputado João Campos (PSDB-GO) é o autor do projeto. Para ele, a efetivação vai favorecer aqueles que trabalham bem. “Havia um vazio legal e interinos foram sendo nomeados. Não foi aberto concurso até agora e vão ser efetivados aqueles que vieram desenvolvendo este trabalho de forma honesta e eficiente. Além disso, a PEC também prevê punições para o judiciário caso não sejam abertos concursos para donos de cartórios seis meses após o surgimento de cargos”, explica.

Já a Associação Nacional de Defesa dos Concursos para Cartórios (Andecc) afirma que 8 mil pessoas aprovadas em processos seletivos públicos esperam a rejeição da Proposta de Emenda à Constituição 471/2005, conhecida como PEC dos Cartórios, para assumir cargo no lugar de cartorários sem concurso.

O que os concurseiros do blog pensam sobre esta proposta?

Defensoria Pública de São Paulo deve lançar edital para defensor

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
O Conselho Superior da Defensoria Pública de São Paulo definiu, durante reunião realizada no dia 18 de setembro, o nome do presidente da banca do concurso para defensor público do estado.

De acordo extrato da ata da reunião, publicado no Diário Oficial de São Paulo, a organizadora da seleção recebeu um prazo de três semanas para apresentar a proposta do edital de abertura. No entanto, ainda não há informações sobre número de vagas.


Em novembro de 2008, o órgão realizou processo seletivo para formar cadastro reserva para o cargo de defensor. A seleção foi organizada pela Fundação Carlos Chagas.

Para participar, os candidatos deveriam possuir graduação em Direito, inscrição na OAB e experiência jurídica de dois anos. Os concorrentes foram submetidos a provas objetiva e dissertativa, elaboração de peça judicial, exame oral e avaliação de títulos. O salário para a carreira era de R$ 5.045.  

A seleção contou com 7.985 participantes e a homologação do resultado final foi publicada no início de setembro.

Novos cargos
Em junho deste ano, a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) recebeu do governo do Estado um projeto de lei complementar (PLC) que prevê a criação de 100 vagas para defensor público na Defensoria Pública estadual.

De acordo com a Associação Paulista de Defensores Públicos (Apadep), a criação das vagas visa diminuir a defasagem de servidores do órgão, que atualmente possui apenas 400 profissionais na área. Os defensores públicos são responsáveis por prestar assistência jurídica gratuita à população carente. A iniciativa do governo estadual pretende ampliar o atendimento.

A Apadep informou que 93% dos municípios de São Paulo não possuem Defensoria Pública. Ao todo são 320 comarcas, mas apenas 22 dispõem da atuação de defensores públicos.

Organizadora remarca provas de concurso da Copel

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
A FAE Centro Universitário, organizadora do concurso para preencher vagas em cadastro reserva na Companhia Paranaense de Energia (Copel), informou que vai remarcar as provas para candidatos a três cargos. São eles: técnico ambiental, técnico em agrimensura e técnico industrial de mecânica.

De acordo com a FAE, o motivo é a alteração nos códigos destas funções. As datas e locais de aplicação dos novos exames ainda não foram definidos. As avaliações aconteceram no dia 27 de setembro, último domingo, nas cidades de Curitiba, Ponta Grossa, Cascavel, Maringá, Londrina, no Estado do Paraná, e em São Paulo.

Em Cascavel, cerca de mil candidatos não conseguiram entrar a tempo nas salas para participarem do concurso. Eles alegaram que os portões dos locais de prova foram fechados antes do horário previsto. Revoltados, os concorrentes registraram ocorrência contra a organizadora da seleção.

A FAE, no entanto, disse que o horário de fechamento dos portões foi cumprido de acordo com as normas do edital de abertura.

Percebemos, através dos comentários deixados no post sobre o assunto, que o horário de fechamento dos portões não foi a única reclamação sobre o concurso. O internauta Álvaro reclamou que esta mesma organizadora foi responsável por uma das seleções do Tribunal de Justiça do Paraná e, neste certame, “sumiram provas, gabarito desapareceu, colocaram duas turmas em uma sala”.

Já a concurseira Rose escreveu que em “algumas avaliações estava faltando matéria e forneceram folhas soltas para complementar o caderno de provas”. O leitor Marco Novatto, por sua vez, comentou que “em Curitiba, houve muita bagunça devido aos congestionamentos”. E tamém que “o nível da prova deixou muito a desejar, com questões mal elaboradas e alternativas questionáveis”.

Nesta segunda-feira (28/9), a Copel afirmou que aguardará o recebimento do relatório da FAE para fazer as avaliações sobre o que aconteceu e tomar as medidas cabíveis. A Copel disse que não havia prazo para a entrega do relatório.
 
Já a FAE informou, também nesta  segunda-feira (28/9) que todas as recomendações do edital foram cumpridas. A organizadora afirmou ainda que “os profissionais responsáveis pela fiscalização das provas foram treinados, capacitados e seguiram as normas previstas em edital.”

Concurseiros, agora nós queremos saber o seguinte: diante desta situação, na sua opinião, qual seria a melhor alternativa para garantir que nenhum candidato seja prejudicado?

Polícia Civil do Rio de Janeiro abrirá 50 vagas para papiloscopista

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
Aos interessados em ingressar na carreira policial, uma boa notícia! A Polícia Civil do Rio de Janeiro fará, em breve, concurso para preencher 50 vagas de papiloscopista. O cargo exige nível superior em qualquer área de formação.

A seleção será organizada pela Fundação Getúlio Vargas. De acordo com a assessoria da instituição, o valor da remuneração gira em torno de R$ 2.102,55, além de adicionais. O edital ainda não tem data para ser divulgado.

Sobre o cargo

Ao papiloscopista cabe a função de identificar vítimas por meio de exames das papilas presentes na pele.  A identificação pode ser feita pelas papilas dos dedos da mão (datiloscopia), dos pés (podoscopia), da palma da mão (quiroscopia) ou planta dos pés (podoscopia). O processo mais frequente é o da datiloscopia.

Mil candidatos não conseguem fazer prova de concurso da Copel

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
Ao que parece, incidentes durante aplicação de provas de concurso público têm se tornado cada vez mais frequentes. Desta vez, a confusão foi no sul do país, na cidade de Cascavel, no Paraná.

A seleção da Companhia Paranaense de Energia (Copel/PR) prevê vagas para formação de cadastro reserva em várias funções que exigem níveis médio e superior. A seleção, organizada pela FAE, oferece remuneração que varia de R$ 822,52 a R$ R$ 4.930,32.

As provas, que inicialmente seriam aplicadas no dia 16 de agosto, foram transferidas para o último final de semana (27/9) por motivo de prevenção da gripe A (H1N1). Os candidatos devem passar por avaliações objetivas, de redação e discursiva (nível superior) nas cidades paranaenses de Curitiba, Maringá, Ponta Grossa, Londrina e Cascavel e em São Paulo (SP).

O concurso registrou aproximadamente 80 mil inscritos. Cerca de mil candidatos em Cascavel (PR) não conseguiram realizar os exames objetivos e registraram boletim de ocorrência contra a FAE Centro Universitário, organizadora do processo seletivo.

De acordo com a Polícia Militar, o tumulto aconteceu  na Faculdade Assis Gurgacz (FAG), no bairro Santo Antônio, e na Faculdade Unipar, que fica no centro de Cascavel (PR).

Os candidatos denunciaram que os portões que levavam aos locais de prova foram fechados dois minutos antes das 7h30, horário previsto segundo a PM. Os participantes reclamavam que o endereço da faculdade que estava no edital do concurso não constava nos mapas fornecidos junto com o comprovante de inscrição, e por isso acabaram chegando atrasados. Ainda de acordo com a Polícia Militar, um grande congestionamento se formou na região da faculdade, prejudicando os concorrentes.

Em Londrina, aqueles que não conseguiram chegar a tempo nos locais de prova por causa da confusão com os endereços, fizeram buzinaço em frente ao colégio para protestar contra a falta de organização. 

A FAE Centro Universitário, informou que as próprias instituições escolhidas para a realização das provas foram as responsáveis pelo envio dos endereços aos candidatos, e que não foi possível conferir tudo. Segundo a organizadora, no comprovante de inscrição havia o nome da instituição onde a prova seria realizada, o que facilitaria a localização do endereço.

Por causa de mais um episódio destes, nós queremos saber: vocês acham que número de incidentes durante aplicação de provas tem aumentado ou os candidatos estão denunciando cada vez mais a falta de organização em concursos?

Enquete ¿Você concorda com a decisão do TCDF?¿ é retirada do ar

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Caros leitores,

Infelizmente a enquete “Você concorda com a decisão do TCDF?” terá de ser encerrada. Internautas que não respeitam a boa convivência neste espaço burlaram os resultados. Em respeito aos internautas idôneos, e reiterando nosso compromisso profissional com vocês, tiraremos a pergunta do ar, pois o resultado não equivale à veracidade dos fatos.

Agradecemos a todos pela participação,

Equipe do CorreioWeb

Terracap e Conselho Federal de Economia terão novas seleções em breve

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
Concurseiros do Distrito Federal,

Ao fazer nossa ronda diária de sites atrás de novos concursos, nos deparamos com novidades no site da Fundação Universa.

Duas novas seleções estão previstas para breve. Uma irá oferecer 39 vagas e cadastro reserva para a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap). Outra terá 15 chances imediatas e 570 em cadastro reserva para o Conselho Federal de Economia (Cofecon).

Segundo a organizadora, para a Terracap haverá oportunidades para quem tem níveis fundamental, médio e superior. As remunerações irão variar de R$ 1.090 a R$ 3,3 mil. Já para a Confecon, estallllll rão disponíveis vagas para níveis médio e superior, com salários que variam de R$ 465 a R$ 1.680.

Ligamos para os dois órgãos e nos disseram que mais informações sobre os concursos serão definidas apenas na próxima semana. Ficaremos de olho e postaremos em breve mais informações sobre os processos seletivos!

Nova enquete: você concorda com a decisão do TCDF?

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
Todo mundo que acompanha o Blog Papo de Concurseiro e o site Concursos já está sabendo da polêmica: o Tribunal de Contas do Distrito Federal invalidou na última quinta-feira (24) os dois editais da Polícia Militar do DF, que ofereciam vagas para o cargo de soldado e oficial (vide o último post).

Nós queremos saber: você concorda com a decisão do TCDF? A enquete está bem ali do lado, vote e comente! Queremos saber sua opinião sobre o assunto!

TCDF invalida editais dos concursos para soldado e oficial da PMDF

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria
Concurseiros da PMDF: hoje o Tribunal de Contas do Distrito Federal finalmente chegou a uma conclusão com relação aos concursos da Polícia Militar do DF.

Durante sessão realizada nesta quinta-feira (24/9), o TCDF decidiu, por 3 votos contra 1, invalidar os atuais editais dos concursos para oficial e soldado. O relator Renato Rainha e os conselheiros Jorge Caetano e Emanuel Andrade votaram contra o Decreto assinado pelo governador José Roberto Arruda. Já a conselheira Marli Vinhadeli votou a favor.

De acordo com o órgão, o Decreto 29.946, assinado em 14 de janeiro por Arruda, não pode alterar os requisitos para o ingresso de candidatos às carreiras de oficial e soldado. O entendimento do TCDF é de que estas mudanças só podem ser impostas por meio de lei: “Recomendo ao chefe do poder executivo distrital, que doravante busque medida legislativa (lei formal) que ampare a exigência de escolaridade de nível superior em casos não previstos em lei”, diz o relatório da sessão.

Portanto, a decisão é de que o edital para o concurso de oficial da PMDF deve ser refeito, extinguindo a obrigatoriedade de graduação em Direito. Fica estabelecido que, para aqueles que pretendem concorrer às vagas, é obrigatória apenas a graduação em nível superior em qualquer especialidade.

Ainda segundo o TCDF, como a exigência de nível superior para a função de soldado da PMDF foi feita por meio do mesmo Decreto, a decisão também é válida para o concurso de soldado da PMDF. Por isso, fica extinta a obrigatoriedade de nível superior. Para concorrer aos postos, os candidatos devem ter concluído o ensino médio.

A assessoria do Tribunal informou que, por enquanto, a Policia Militar do Distrito Federal não entrou com um pedido para que haja revisão da decisão.