Aangela Cristina 14/02/2020. Crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF. Carnaval sustentavel. Artista plastica Angela Cristina Martins.

Para um carnaval sustentável reaproveite materiais e reduza a produção de lixo 

Publicado em meio ambiente, sustentabilidade
Angela Cristina Martins reaproveita material para decoração / Crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

Carnaval é tempo de festa e diversão, de bloco na rua, desfiles de escola de samba, fantasias e muita bebida. Mas também de aumento na produção de lixo e de enorme desperdício. Com conscientização, no entanto, é possível fazer um carnaval sustentável. Reaproveitar materiais para fazer alegorias ou fantasias é uma ótima alternativa. 

Máscaras de papel enfeitam a tenda

O Bloco Pauta na Rua, dos jornalistas do Distrito Federal, idealizado pelo Correio Braziliense, homenageou o Jornalismo este ano. E a decoração ficou por conta do reaproveitamento dos jornais. A produtora cultural e artista plástica Angela Cristina Martins, que ficou a cargo da decoração, conta que utilizou apenas materiais disponíveis no jornal para produzir as alegorias. 

“Já existe tanto consumo no carnaval, que a decoração pode ser de materiais recicláveis ou reaproveitados. São milhares de pessoas comprando fantasias que depois são descartadas”, alerta. “Para o Bloco Pauta na Rua, como a temática era o Jornalismo e sendo o bloco uma realização do Correio, nada mais apropriado do que aproveitar edições de encalhe para fazer a decoração”, acrescenta. 

Especialista em reaproveitamento de materiais, Angela Cristina dá dicas para os foliões que querem pular um carnaval sustentável. “É possível fazer máscara de rosto com papel colorido de presente, saia plissada e cocar de penas usando revistas velhas, além de reutilizar tecidos e fantasias antigas, customizando para dar uma nova cara”, ensina.

Além de preservar o meio ambiente, o bolso agradece, segundo o educador financeiro Reinaldo Domingos, do canal Dinheiro à Vista. “Se for pular o Carnaval fantasiado, considere reformar a fantasia do ano passado ou pegar emprestado com um amigo. Se gostar de explorar a criatividade e colocar a mão na massa, projete e produza a sua nova fantasia”, orienta. 

Dicas para um carnaval sustentável

O plástico é inimigo do Planeta Terra. Pule o carnaval com alegria mas evite canudos e copos descartáveis. Mais de 643 mil canudos plásticos foram encontrados nas praias de cerca de 100 países que participaram da coleta mundial promovida pelos grupos Ocean Convervancy e International Coastal Clean Up em 2017. E isso é só uma parte do plástico que vai par ao oceano. 

No mercado, existem canudos de bambu e de aço inoxidável, além de opções biodegradáveis, como os feito de papéis e materiais comestíveis. O copo descartável também é facilmente substituível. Lembre-se que além de poupar a geração de lixo, não usar plástico reduz o gasto de água. Para a produção de um único copo plástico são usados até 3 litros de água. Já para lavar um copo reutilizável, o gasto é de 0,1 a 0,4 litro.

O brilho do glitter encanta os foliões, mas lembre-se que são formados por pedaços de plásticos copolímeros, folhas de alumínio, dióxidos de titânio, óxidos de ferro, oxicloretos de bismuto ou outros materiais pintados em metálico, cores neon e cores iridescentes para refletirem a luz em um espectro de espumantes. Nada disso pode ser reciclado e, como há muitos químicos envolvidos, o tempo de decomposição é grande.

 O glitter é um microplástico que também chega ao mar, com o agravante de não poder ser retirado como os objetos maiores. Esses pedacinhos de plástico têm capacidade de absorver produtos tóxicos, prejudicando a biodiversidade marinha. Fique ligado: já existe bioglitter.

E bom carnaval sustentável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*