Banco do Brasil
Banco do Brasil Minervino Junior/CB/D.A Press Banco do Brasil

Falhas em sistema deixam clientes do Banco do Brasil em pânico

Publicado em Economia

RAFAELA GONÇALVES

 

Correntistas do Banco do Brasil estão em pânico. Transferências de recursos feitas por meio de TEDs desapareceram do sistema. Somente depois de muita reclamação, o BB começou a enviar a seguinte mensagem aos clientes: BB: sua TED enviada em 14/10 não foi processada. Os valores retornarão para a conta de origem. Gentileza reenviar, se for o caso.

 

Os problemas vêm sendo registrados desde segunda-feira, 14 de outubro, mas o BB não tomou nenhuma medida imediata concreta para responder aos questionamentos da clientela. Somente hoje, depois que as reclamações começaram a pipocar em redes sociais, a instituição passou a responder aos correntistas.

 

Segundo os clientes do BB, os problemas maiores estão nas TEDs, mas também há registros de falhas em pagamento e agendamento de boletos. No caso das TEDS, o dinheiro transferido deve ser creditado nas contas de destino em questão de segundos. Parte das operações era para cobrir saldos negativos, sobre os quais incidem juros.

 

O site DownDetector, que capta falhas tecnológicas, teve quase 600 notificações registradas por problemas com as operações do BB em 24 horas. Além das falhas nas operações, o clientes dos banco questionam o que ocorrerá com os juros e quem arcará com os pagamentos que devem ser feitos nesta terça-feira, 15.

 

Procurado, o Banco do Brasil enviou a seguinte nota ao Blog:

 

“O Banco do Brasil informa que já foi regularizada a maioria das TEDs solicitadas ontem, 14, por clientes. Ainda hoje, serão solucionadas as situações da totalidade dos clientes. O BB garante que não haverá prejuízo a qualquer cliente. A ausência temporária de processamento das TEDs foi restrita aos pedidos emitidos ontem (14/10). Nesta terça-feira, as solicitações de transferência estão sendo realizadas normalmente. Em caso de dúvidas, os clientes podem contatar os canais de relacionamento do Banco do Brasil.”