Maya Gabeira pega maior onda da carreira. em Nazaré
Maya3 Maya Gabeira surfando onda de 24 metros, tamanha de um prédio de oito andares

Maya Gabeira volta ao local que quase morreu para pegar onda de 24 metros

Publicado em Surfe

Maya Gabeira ainda parece incrédula com o feito da última quinta-feira (18/1). Aos 30 anos, a surfista brasileira voltou ao mar de Nazaré, onde chegou a ser ressuscitada nas areias da Praia do Norte após sofrer grave acidente em 2013, para surfar uma onda gigante que pode entrar para o Guinness Book, o livro dos recordes.

A onda tinha pouco mais de 24 metros (80 pés), o tamanho de um prédio de oito andares. No entanto, ainda é preciso aguardar a medição oficial da WSL (World Surf League, Liga Mundial de Surfe). “Dias loucos. Tantas emoções que senti, boas e ruins: excitação, assustador, ansiedade, exaltação, calma… tudo”, escreveu nas redes sociais, comemorando a proeza. Dias depois, não se conteve e seguiu publicando sobre a onda: “Desculpe pelo overpost, mas estou sorrindo por essa semana louca”.

Com o feito, Maya Gabeira pretende inaugurar a categoria feminina de maior onda surfada do Guinness Book.  Ela compartilhou o mérito com o surfista franco-brasileiro Eric Ribiere, quem fez o apoio com o jet ski e a tirou da onda. A carioca passa cinco meses do ano no litoral português e estava em Nazaré desde o meio do ano passado.

Veja momentos do dia de surfe em Nazaré (onda de Maya Gabeira está no momento 2:08 do vídeo): 

 

Maya Gabeira, surfista brasileira de ondas gigantes
Maya Gabeira: surfista brasileira conhecida mundialmente

Desde novembro de 2011, o recorde de maior onda surfada pertence ao americano Garrett McNamara. Naquele ano, ele pegou uma onda de 23,8 m (78 pés), também na Praia do Norte. O trono, porém, pode ganhar novo dono. No mesmo dia em que Maya surfou a maior onda da carreira dela, o surfista português Hugo Vau pegou uma onda de 35 metros e pode assumir o recorde de maior onda do Guinness Book.

“Estava no lugar certo, na altura certa, e tive a felicidade de surfar aquela onda monstruosa até ao fim”, disse Hugo Vau ao portal TSF. “Estávamos à espera de uma onda dessas há sete anos”, completou. Os brasileiros Alex Botelho e Marcelo Luna fizeram o apoio no jet ski ao português. Assim como Maya, Hugo espera a marca ser oficializada pela WSL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*