IMG_0335

Aceleramos/ Ducati XDiavel mostra que não veio ao mundo para brincadeira 

Publicado em Motos

O dia parecia como qualquer outro. Acordei, umas 7h, escovei os dentes, fiz um rápido café e fechei a porta do apartamento. O botão do elevador, P, entregava o primeiro destino da segunda-feira: a garagem. Caminhei até a minha vaga, ainda pensando nas demandas da semana e lembrei que estava com um dos brinquedos mais legais que tive o prazer de acelerar nessa minha, ainda, breve passagem pela terra: a Ducati XDiavel. O sorriso foi inevitável.

Definir o estilo dessa moto é tão difícil quanto bancar os R$ 89,990. A Monster Cruiser tem o conforto de uma custom moderna e a agressividade e o poder de frenagem de uma esportiva. A boa ergonomia é reforçada pelos comandos avançados, dos freios Brembo e do câmbio de seis marchas, além do guidão largo. Só não recomendo se aventurar muito em “corredores” porque o risco de encostar nos retrovisores dos outros veículos é grande. 

O visual é um capítulo à parte. Rodas de liga leve com desenho moderno, pneu traseiro de 240 mm de largura, balança monobraço e a iluminação full led encantam até quem não curte muito o mundo das duas rodas. É impossível, por exemplo, parar para abastecer e não chamar a atenção dos frentistas. A transmissão por correia, primeira aplicação nos modelos da marca, é outro foco de atenção da galera. Isso só reafirma a minha vontade, constante, de levar a XDiavel para a minha sala como peça de decoração. Afinal, ela é uma obra de arte italiana. 

Muito além da beleza 

Acelerar a XDiavel é o caminho mais curto para esquecer, mesmo momentaneamente, os problemas. Até os boletos ficam em segundo plano. O motor Testastretta DVT 1262 cilíndrico conta com 152 C V a 9.500 rpm e 12.8 kgm de torque aos 5.500 rpm. Apesar dos números colossais, para apenas 220 quilos, a XDiavel pode ser domada sem trabalho na cidade. Agora, se você quiser alegrar o seu dia, como a minha segunda-feira, basta beliscar os 2.100 rpm para sentir a patada. O banco côncavo foi desenvolvido para não deixar o piloto escorregar. E não estou exagerando. A sensação que você tem é de que a moto vai te deixar para trás. É um teste constante para a maturidade, no auge dos meus 38 anos de vida. 

Com a tecnologia ao seu lado, dá para configurar as respostas do motor em três modos (Sport, Touring e Urban), este último limita a potência em 100cv com acelerações mais progressivas). Para deixar a moto com a sua cara, é possível personalizar todos esses ajustes de pilotagem. Paralelamente, a XDiavel ainda conta com controle de tração de seis níveis, freio ABS com calibração até para curvas e sistema anti-wheeling, que evita as perigosas empinadas. O entre-eixos longo, 1.6 metro, ajuda a reforçar a segurança.  

As principais informações processadas pelo poderoso computador da máquina  podem ser acompanhadas pelo painel 100% digital. Ele mostra a velocidade, o conta-giros – em formato de barra – o nível de combustível, a marcha em uso e, claro, a média de consumo. Por tocar neste assunto, em nossos testes, ela marcou 17 km/litro. Assim, é possível encarar 306 quilômetros com os 18 litros de capacidade do tanque. Ou até mais, dependendo do peso da sua mão. 

Caso decida pegar uma estrada, detalhe importante: não há lugar para prender a sua bagagem. O único caminho é colocar os seus pertences em uma mochila. Quem também não tem vida fácil é o garupa. Há duas opções de configuração para uma segunda pessoa, porém ambas pecam na falta de conforto. O melhor dos mundos é instalar, obviamente, o banco maior com o apoio lombar (Sissy bar). Ele tira um pouco a esportividade do visual, mas mantém seu relacionamento saudável. É a vida. 

Rápida como um tiro 

Depois de uns 10 dias de testes, quando eu achava que já dominava a XDiavel, ela me desafiou mais uma vez. Chegou a hora de testar o controle de arrancada – Ducati Power Launch (DPL). 

O sistema, presente, também, em carros superesportivos, possui três modalidades de intervenção. Qual o mais indicado? Depende da sua coragem e perícia. Resumindo, você aperta o botão, localizado próximo ao acelerador, engata a primeira marcha, acelera o máximo possível e solta a embreagem gradualmente. Pronto! Assim, toda a brutalidade do torque é despejada para te levar de 0 ao 100 km/h em apenas 2,5 segundos. 

Vamos lá! Chegou o momento do veredito. A Ducati XDiavel é um convite para a diversão. Bruta, porém linda. Grande, mas gostosa de guiar. Apesar de toda a brutalidade, a eletrônica embarcada joga a seu favor. Os puxões de orelha se limitam ao preço e ao reflexo do painel, principalmente em dias muito ensolarados. De resto, é uma moto capaz de alegrar as mais tristes e cinzentas segundas-feiras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*