CAIXA E BB PUXAM JUROS AO CONSUMIDOR

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Os bancos públicos lideraram a alta das taxas de juros aos consumidores no primeiro semestre do ano. Dados do Banco Central mostram que, em quatro das principais modalidades de crédito — cheque especial, veículos, cartão de crédito e empréstimos pessoais —, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil promoveram os maiores aumentos das taxas, em termos proporcionais. Até […]

PEDALADAS DO BC

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

O Banco Central tem feito um forte movimento junto do Tribunal de Contas da União (TCU) para livrar a cara da instituição dentro do processo que investiga as pedaladas fiscais — como ficaram conhecidas as manobras nas contas públicas durante o governo Dilma Rousseff. Entre os 17 citados pelo TCU como responsáveis pelas operações estão o presidente da autoridade monetária, […]

SOPRO DE BOM SENSO

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Não foi um debate trivial dentro do governo a redução da banda de flutuação da meta de inflação, de dois para 1,5 ponto percentual, a partir de 2017. No que dependesse do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, haveria tanto a diminuição da meta, de 4,5% para 4,25%, como a mudança no teto e no piso do objetivo perseguido pelo Banco […]

CHEGA DE PROMESSAS

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deve preparar os ouvidos, pois os economistas que ele convidou para uma conversa hoje vão traçar um quadro desanimador para o país e, sobretudo, reforçar a desconfiança sobre a real capacidade do governo de cumprir, neste ano, a meta de superavit primário de 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Como contrapartida, os convidados esperam […]

O INFERNO DE DILMA

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Ainda que com muita reserva, o mercado financeiro já discute a possibilidade de Dilma Rousseff não terminar o governo, seja por meio da renúncia ou de impeachment. A reprovação de 65% do governo, nível só comparável à administração Collor de Mello, que caiu por corrupção, e o desastroso desempenho da economia têm levado vários analistas a traçarem cenários do que […]

A DOR DOS JUROS

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

O Banco Central não esconde o incômodo com a forte alta da taxa básica de juros (Selic), que, desde seu piso, em abril de 2013, passou de 7,25% para 13,75% ao ano. Não por acaso, mesmo com todo o discurso linha-dura de que fará o que for necessário para levar a inflação ao centro da meta, de 4,5%, até dezembro […]

SINAIS DE COLAPSO

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

O governo já está convencido de que a esperada recuperação da economia não virá mais neste ano e, muito provavelmente, nem em 2016. Os indicadores divulgados ontem sobre inflação, nível de atividade e mercado de trabalho deram a exata dimensão do buraco em que o país se meteu. Mas nada doeu tanto no coração do Palácio do Planalto quanto a […]

META DE INFLAÇÃO DE 4% OU 4,25% EM 2017

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Técnicos do governo procuraram o Blog e asseguraram que, caso o Conselho Monetário Nacional (CMN) decida fixar uma meta de inflação menor para 2017, de 4,25% ou 4%, a medida será muito bem-vinda, pois funcionará como um sinal importantíssimo de compromisso com a estabilidade monetária. O que muitos temem é que o CMN, que se reunirá na próxima quinta-feira, 25, […]

MANOBRA NA META

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

O Banco Central não esconde o desconforto com um movimento identificado dentro do governo e no mercado financeiro para que o Conselho Monetário Nacional (CMN) mude a meta de inflação de 2016 e defina um número menor que 4,5% para 2017. Esse movimento ganhou força nos últimos dias, diante da proximidade da reunião do CMN, marcada para a próxima quinta-feira. […]

PRESSÃO À VISTA

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

O ajuste fiscal ainda está longe de dar os resultados esperados, mas parte do mercado financeiro começa a questionar o que fará o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, para efetivamente cumprir as metas definidas por ele. Mais que isso: os analistas querem saber como o chefe da equipe econômica lidará com as pressões que tendem a aumentar sobre ele, diante […]