Após polêmica, concurso da Defesa Social/TO será retomado

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Do CorreioWeb   Depois da polêmica envolvendo a suspensão do concurso da Defesa Social de Tocantins por quebra de contrato, o governo do estado anunciou que será dada continuidade ao certame. De acordo com secretaria de comunicação estadual, houve uma longa negociação com a Fundação Carlos Augusto Bittencourt (Funcab) e o montante devido pelo estado será pago em parcelas.  Em breve um novo cronograma será divulgado.   Relembre No dia 9 deste mês, a Funcab comunicou, por meio do site oficial, a suspensão do concurso com 1.217 vagas. Segundo a empresa, o governo do estado não cumpriu cláusulas contratuais referentes ao pagamento – duas das três parcelas acordadas estão vencidas. O resultado das provas objetivas seria divulgado na mesma semana, mas também foi suspenso.

Proposta em análise na Câmara cria vara federal no Paraná

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Da Agência Câmara   Proposta em análise na Câmara dos Deputados cria uma vara federal de competência criminal no município de Cascavel, no Paraná. A nova unidade judiciária será implantada na área de jurisdição do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre.   Conforme o texto (Projeto de Lei 8318/14), serão criados ainda 1 cargo de juiz federal; 1 de juiz substituto; 13 de analista judiciário; 4 de técnico judiciário; 1 cargo em comissão; e 13 funções comissionadas.   De acordo com o Superior Tribunal de Justiça (STJ), autor da proposta, a criação da nova unidade judiciária se justifica pelo aumento do volume de processos, sobretudo por conta da criação dos juizados especiais federais. Dados do STJ informam que a subseção judiciária de Cascavel apresentou um aumento de 100% no número de processos criminais no período entre 2003 e 2012.   Conforme o projeto, as despesas decorrentes da criação dos órgãos judiciários e dos cargos correrão por conta das dotações orçamentárias da Justiça Federal de 1º grau.   Tramitação O texto será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em seguida, seguirá para o Plenário da Câmara dos Deputados.

Ministério Público da Paraíba anuncia novo concurso com 39 vagas

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Do CorreioWeb   O procurador-geral de justiça do Ministério Público da Paraíba (MPPB) anunciou que o órgão fará novo concurso público. Serão abertas 39 vagas para lotação no interior do estado. A comissão que dará início aos preparativos do certame será nomeada nos próximos dias.  Os cargos e áreas a serem contemplados ainda não foram divulgados.   Em seu último concurso, realizado em 2011, o ministério ofereceu 20 vagas para o cargo de promotor de justiça substituto. O salário do posto era de R$ 15.823,58. De acordo com o Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), a primeira fase da seleção contou com três mil candidatos.

Em análise na Câmara, PL cria 66 cargos para duas novas varas em Tocantins

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Da Agência Câmara   A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei PL-8317/2014, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que cria duas novas varas federais na área de jurisdição do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), com sede em Brasília. As novas unidades judiciárias serão implantadas nos municípios de Palmas e de Araguaína, ambos no estado do Tocantins.   Para atuar nas novas varas serão criados 2 cargos de juiz federal; 2 cargos de juiz substituto; 26 cargos de analista judiciário; 8 cargos de técnico judiciário; 26 funções comissionadas; e 2 cargos em comissão.   O STJ afirma que as novas unidades judiciárias em Palmas e em Araguaína vão atender ao expressivo crescimento no número de processos distribuídos para essas regiões do norte-tocantinense, que apresentam significativa densidade demográfica.   De acordo com a proposta, as despesas decorrentes da criação dos órgãos judiciários e dos cargos correrão por conta das dotações orçamentárias da Justiça Federal de 1º grau.   Tramitação

O texto será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em seguida, segue para a exame do Plenário.

Manifestação: aprovados do Banco Central alegam que instituição tem déficit de pessoal

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

 

(Foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

Do Blog do Servidor   Aprovados no último concurso do Banco Central fizeram manifestação em frente ao prédio da autarquia. Com faixas e cartazes, cantaram músicas e entregaram rosas aos servidores como forma de protesto por ainda não terem sido nomeados. O grupo de 100 pessoas representa 730 aprovados, todos com curso de formação concluído. Atualmente, segundo os concursados, o déficit de pessoal no BC é de 36% da previsão legal.

O concurso tem validade até setembro de 2015. Apenas nos últimos cinco anos, o Banco Central perdeu mais de 1.840 servidores por aposentadorias e até 2016 mais de 700 deixarão a autarquia. Até o momento, foram nomeados apenas a quantidade autorizada em edital (500 aprovados).   Com a nomeação de apenas o número de vagas oferecidas pelo Ministério do Planejamento (MPOG), ou até mesmo com o adicional de 50% dessas, em 2016 o BC poderá dispor de menos servidores do que antes do concurso, calculam os aprovado. “O mais adequado é a nomeação de todos os 730 aprovados”, apontam no panfleto distribuído.

A Nota Técnica nº 2, enviada em 24 de agosto de 2012 pelo Banco Central ao Ministério do Planejamento, expõe os motivos para que os 730 sejam nomeados: por conta das 19 novas atribuições; previsões elevadas de aposentadoria e muitas perdas já concretizadas; serviços que podem ser prejudicados com a falta de servidores e a preocupação com o processo de manutenção do conhecimento.

A necessidade de reposição do quadro foi verificada pela CGU nos anos de 2007 e 2012 por meio de auditoria. Para 2015, o BC enviou pedido de previsão orçamentária para a nomeação dos 730 aprovados. A expectativa é que a previsão seja aprovada e utilizada para a nomeação de todos.

Com R$ 50 milhões em dívidas, Secretaria de Educação/PI não tem previsão para nomear aprovados

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Lorena Pacheco – Do CorreioWeb   Nesta semana, os candidatos aprovados no último concurso da Secretaria de Educação, no Piauí, reuniram-se com o novo secretário da pasta, Helder Jacobina, para cobrar as nomeações a que têm direito. Porém, segundo o secretário, ainda não há previsão para convocações, pois os programas e obras da educação local somam dívidas que ultrapassam R$ 50 milhões, deixadas pelo governo passado.   Uma nova reunião com os aprovados foi marcada para a segunda quinzena de fevereiro, quando a secretaria se comprometeu a fornecer informações mais concretas sobre a possibilidade das nomeações.   “Nós também estamos realizando um reordenamento dos professores. Precisamos identificar onde cada um está lotado e saber onde estão as necessidades de pessoal. Até porque o MEC indicou que temos um professor para cada 10 alunos, quando o normal seria 1 para 25. Mas sabemos que há locais onde existe escassez  de professores e esse reordenamento vai ajudar a diminuir as possíveis distorções. Mas precisamos de tempo para concluí-lo”, comentou Helder Jacobina.   *Com informações do Governo do Piauí

Ascensão na carreira é o principal objetivo de quem disputa uma vaga no Banco do Brasil

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

 

Ricardo Souza abandonou o emprego num banco privado para se preparar (Foto: Cauê Diniz/Divulgação)

Do Correio Braziliense   Possibilidade de ascensão na carreira é o principal objetivo de quem disputa uma vaga no Banco do Brasil (BB). A seleção prevê a nomeação de cerca de 2,5 mil escriturários até o término de vigência do certame, que é de 1 ano, prorrogável por igual período. Além do salário de R$ 2.227,26 e de benefícios que podem chegar a R$ 907,52, profissionais do banco têm participação nos lucros e resultados. Na última seleção, realizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC), em 2013, cerca de 339.173 pessoas concorreram ao cadastro de reserva em 15 unidades da Federação, incluindo o Distrito Federal. O provimento de vagas do certame atual é para unidades nos seguintes estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Catarina, Roraima e Sergipe.

Apesar de não haver vagas para Brasília, isso não impede que moradores da capital federal concorram. É o caso de Paul Jackson, 22 anos, que estuda para diversos concursos e disputará uma vaga em Mato Grosso. “Eu me preparo em torno das matérias específicas, por meio de livros e resolução de provas anteriores. Se eu não passar, pretendo tentar novamente quando abrirem vagas para o DF”, diz ele, que deve fazer a prova em Cuiabá.

Formado em administração de empresas, Ricardo Souza, 28 anos, contou com o apoio do pai quando decidiu abandonar o emprego em um banco privado para tentar uma vaga no Banco do Brasil, onde já foi estagiário. Para se sair bem, estuda oito horas por dia e assiste a videoaulas on-line. “Eu vi os dois lados da moeda: enquanto na iniciativa privada eu ganhava mais, já que ocupava cargo na gerência, no Banco do Brasil, terei maior estabilidade, por se tratar de empresa pública de grande porte. Sempre sonhei em trabalhar lá.”

Segundo dados da FCC, a maior parte dos candidatos do Banco do Brasil é constituída por mulheres (55,5%) e funcionários do setor privado (38%), com renda per capita de até R$ 3 mil (60%). É o caso da paranaense Laíse Moura, 22 anos. Confiante, ela conta que decidiu se inscrever graças ao incentivo da mãe, funcionária aposentada do banco. “Sou publicitária. Devido à possibilidade de ascensão funcional por meio de seleções internas, almejo um posto na minha área profissional”, conta. Laíse espera uma prova fácil, mas sabe que enfrentará concorrentes de peso. “Sempre achei as provas da Cesgranrio mais fáceis em comparação com as de outras bancas. Além disso, domino bem os principais conteúdos cobrados no edital. Estudo cerca de quatro horas por dia no cursinho e reviso em casa”, revela.

Prova extensa

Em 15 de março, concurseiros devem passar por prova objetiva — com 70 questões de múltipla escolha — e redação. As disciplinas básicas são português (10), raciocínio lógico (10) e atualidades do mercado financeiro (5). Mais complexa, a prova de conhecimentos específicos contará com itens acerca de cultura organizacional (5), técnicas de venda (10), atendimento (10), inglês (5), informática (5) e conhecimentos bancários (10). A coordenadora da OK Concursos, Ana Maria Ferreira do Carmo, orienta que, antes de tudo, os concurseiros reservem um tempo para conhecer melhor o banco. “Compreender o perfil institucional do BB é o primeiro passo para responder as questões de cultura organizacional. Cheque o código de ética — disponível no site da instituição —, e fique de olho em artigos sobre gestão da sustentabilidade, já que o edital cobra isso”, diz.

Segundo Marcos Vinícius Borges, professor de conhecimentos bancários e marketing da Alphacon Concursos, os candidatos devem dar especial atenção às áreas de técnicas de venda e atendimento. “São conteúdos recorrentes em qualquer concurso de banco. O candidato pode se preparar com base em provas como a da Caixa Econômica Federal”, observa. “O perigo está nas questões de atendimento e de técnicas de vendas. Elas são recentes e possuem maior peso na média final. O segredo é ficar de olho na Lei nº 8.078/1990 (Código de Proteção e Defesa do Consumidor). Para se sair bem nas questões de atendimento, é precisa ter noções de marketing, etiqueta empresarial, além de conhecer a resolução nº 3.849/2010, que dispõe sobre a instituição de ouvidoria em órgãos vinculados ao Banco Central”, alerta. “Para a prova de conhecimentos bancários, é necessário conhecer bem tanto a estrutura do sistema financeiro nacional, que envolve o Conselho Monetário Nacional e o Comitê de Política Monetária (Copom), quanto as legislações do Banco Central”, complementa Vicente Camilo, professor de conhecimentos bancários da Estratégia Concursos.

O que diz o edital

Seleção externa regional para formação de cadastro de reserva para o Banco do Brasil

Inscrições: de 22 de dezembro a 19 de janeiro pelo site www.cesgranrio.org.br

Taxa: R$ 40

Salário: R$ 2.227,26

Vagas: cadastro de reserva

Provas: 15 de março de 2015, em 87 cidades, incluindo as capitais dos estados para onde as vagas se destinam

Passe bem / Conhecimentos bancários

Em termos teóricos, podem ser conferidas ao Banco Central diversas atribuições, destacando-se, dentre elas, a de ser o Banco dos Bancos, o Único Banco Emissor ou o Banqueiro do Governo. Sob o enfoque de Banqueiro do Governo, o Banco Central deve ser o

(A) financiador das obras de infraestrutura da União

(B) emprestador de dinheiro para as obras de fomento

(C) centralizador do caixa do governo

(D) detentor do monopólio de órgão arrecadador da União

(E) detentor do monopólio da distribuição do dinheiro

Comentário:

Itens A e B estão errados: o Banco Central operará exclusivamente com instituições financeiras públicas e privadas, vedadas operações bancárias de qualquer natureza com outras pessoas de direito público ou privado, salvo as expressamente autorizadas por lei. O item D está incorreto, pois essa é a atribuição da Receita Federal. A opção E não está correta porque o Banco do Brasil também tem essa atribuição. Por fim, a letra C está correta, já que o Banco Central do Brasil tem como função constitucional receber, em depósito, as disponibilidades de caixa da União. Essa função é executada por meio da guarda de recursos do Governo. Ou seja, o Bacen funciona como centralizador do caixa do Governo.

Gabarito: letra C.

Questão retirada de prova da Fundação Carlos Chagas para o Banco do Brasil (2013), comentada pelo professor Vicente Camilo

Conselho de Química vai lançar concurso com vagas para Brasília neste mês

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Do CorreioWeb   Os próximos dias são de expectativa para os concurseiros do Distrito Federal. O Conselho Regional de Química da 12ª Região vai lançar novo concurso público, com chances para Brasília e Goiânia/GO. A expectativa é de que o edital seja publicado ainda em janeiro. A seleção vai oferecer chances para níveis médio e superior e será organizada pelo Instituto Quadrix.   Para graduados, as oportunidades serão para agente fiscal de área química e auxiliar administrativo, com salários de R$ 4.069,59 e R$ 2.055,42, respectivamente. Já para nível médio, as chances serão para auxiliar administrativo, auxiliar administrativo mensageiro e auxiliar. Neste caso a remuneração é de R$ 1.324,93.

Após sete anos sem concurso, DER/DF estuda abertura de nova seleção

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

 

(Foto: Pedro Ladeira/Esp. CB/D.A Press)

Do CorreioWeb   O Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) confirmou ao CorreioWeb que há um levantamento em andamento que pode indicar a necessidade de um novo concurso para o órgão. Ainda não há data para que o estudo seja concluído e, assim, definidas as vagas e áreas a serem contempladas.   A expectativa aumenta pelo longo período do departamento sem concursos – o último foi realizado em 2008. Na ocasião, foram oferecidas 221 vagas para níveis médio e superior, além de cadastro reserva. Os salários variavam de R$ 2.231,09 a R$ 2.891,27.

Vaga aberta por aposentadoria não dá direito a posse de concursado

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

  Do CorreioWeb   Mesmo com a recente aposentadoria de uma servidora, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) negou a posse de uma candidata no concurso da Secretaria de Educação do estado (SEE/MS). Ela foi aprovada em 4º lugar, mas o certame ofereceu apenas três vagas para o cargo de professora de língua portuguesa, ou seja, ela estava fora do número de vagas imediatas.   Ao entrar na Justiça para requerer a nomeação, alegou que a expectativa de direito foi convertida em direito líquido e certo, por saber que havia uma vaga precisando ser preenchida em decorrência da vacância.   Mas, o governo do estado e a Secretaria de Administração e Educação estadual alegaram que não possuir orçamento para nomeações, além de ressaltar que o Poder Judiciário não pode determinar posses, pois isso violaria o princípio de separação dos poderes.   Para os desembargadores do tribunal, a candidata não apresentou provas de que a aposentadoria era referente à vaga que ela foi aprovada para assumir. Os magistrados ressaltaram ainda que a Administração pode esperar o melhor momento para a nomeação, inclusive em razão de questões orçamentárias.