novo duster 2020 Renault Duster é o SUV compacto com maior porta-malas vendido no Brasil

Novo Renault Duster está mais refinado

Publicado em Lançamento

Uma recauchutada no visual faz um bem danado, né? Às vezes, até mesmo um corte de cabelo atrelado a um penteado moderno, é suficiente para levantar a autoestima. Quem, recentemente, ganhou essa injeção de ânimo foi o Renault Duster.

Em relação ao design, na dianteira, o destaque fica por conta das luzes diurnas em LED em formato “C”. Já o para-choque ganhou um desenho mais moderno e luzes de neblina. Nas laterais, além dos vincos, o carro está com paralamas mais marcantes. As rodas podem ser de 16” de aço ou 17” de liga leve, sendo as maiores apenas na versão topo de linha. A lanterna traseira lembra bastante a do Jeep Renegade, em formato de cruz.

No interior, até que enfim, várias mudanças. Pelo toque dos materiais usados, já é fácil perceber o avanço na qualidade. E isso é só o começo. A lista inclui volante multifuncional revestido em couro, ar condicionado automático digital e nova central multimídia EasyLink de 8 polegadas com conexões ao Apple CarPlay e Android Auto. 

Na parte baixo do painel, teclas estilo piano, que lembram às do Peugeot 3008, são utilizadas para algumas funções – como ativar o modo econômico do motor, o pisca alerta e a câmera de marcha à ré. 

Apesar de todas essas mudanças, não estamos diante de um Duster de “nova geração”, afinal ele segue com a mesma plataforma (B0+). Com isso, a dinâmica de direção é muito parecida com os modelos de geração anterior que você possivelmente já dirigiu. 

Como anda o SUV? 

O Duster surpreende pelo conforto da inédita direção elétrica e da suspensão. Os bons ângulos de entrada (30°) e de saída (34,5°), garantem segurança em trechos off-road. 

Falando em motorização, em poucas aceleradas, deu pra sentir a falta fôlego nas arrancadas mais fortes e retomadas. Afinal de contas, só existe a opção do 1.6 SCe aspirado de 120 cavalos de potência e 16,2 kgfm de torque (o mesmo propulsor do Sandero, Logan e Captur).

Na versão de entrada, a Zen, o câmbio é manual de 5 marchas. Caso você compre a configuração Intense ou Iconic, aí sim, poderá desfrutar do conforto da transmissão automática  CVT com simulação de seis velocidades. 

No quesito consumo de combustível, o Novo Duster, segundo o Inmetro, mantém médias de 7,2 km/litro, na cidade, e 7,8 km/litro, na estrada, quando abastecido com etanol. Se o combustível escolhido for a gasolina, 10,7 km/litro, na cidade,  e 11,1 km/litro, fora dela. 

Para todos os gostos e para alguns bolsos 

Com o objetivo de agradar o máximo de clientes possíveis, a Renault criou quatro versões. A Life, voltada para o público PCD, custando R$ 64.990, a Zen, tabelada em R$ 71.790 (com câmbio manual) e R$ 77.790 (com câmbio CVT). A versão Intense, disponível apenas com câmbio CVT,  custa R$ 83.490. Quer tudo e mais um pouco? Então, vá de Duster Iconic. Assim, o SUV compacto passa a contar, além de tudo que mostramos no começo desse texto, com câmera 360°, chave estilo cartão, além de bancos em couro. Preço? R$ 87.490. 

Resumo da história

Como todo tapa no visual, uma hora, só o barbeiro ou cabeleireiro pode não adiantar. Para ganhar fôlego, ir à academia é um caminho inevitável. Por isso, o Duster merece um motor mais potente. Quem sabe o 1.3 turbo, já usado pela Renault em outros países? De resto, deu gosto de ver o Duster retomar a vaidade e a disposição para boas brigas no segmento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*