Presidente do BNDES é investigado pelo MPF por desvios no Postalis

Publicado em Economia

POR ANTONIO TEMÓTEO

 

Além de ser conduzido coercitivamente para prestar depoimento à Polícia Federal, o juiz  Vallisney de Souza Oliveira, titular 10ª vara federal em Brasília (DF), determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro.

 

Rabello De Castro é investigado porque a empresa da qual é sócio, a SR Ranting, elaborou relatórios favoráveis a aquisição de Cédulas de Crédito Imobiliário (CCI), no valor de R$ 109,8 milhões, da empresa Mudar Master II. Conforme o MPF, as cédulas não tinham garantias reais e foram lastradas em debêntures emitidas por empresas do mesmo grupo que apresentavam diversas irregularidades.

 

Entre as irregularidades estava o fato de a Mudar Empreendimentos Imobiliários não estar registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) à época da emissão de dênbtures e da Mudar Master não ter desembolsado qualquer valor para a aquisição das denbêntures.

 

Além disso, segundo o auto de infração da Previc, a Mudar Master II se tornou inadimplente logo a partir de setembro de 2011 e, mesmo após o calote, o Postalis adquiriu mais R$ 25 milhões de CCI da empresa, indicando falha ou má-fé dos envolvidos. Procurado, o BNDES ainda não se manifestou sobre o envolvimento do presidente no caso.

 

Explicações

 

Em nota, a SR Rating informou que o comitê de classificação de risco da agência aprovou, entre 2009  e 2010, operações de crédito realizadas para o Grupo Mudar.  Por norma, as agências de classificação de risco não têm acesso a informação sobre os futuros compradores, entre eles o Postalis.

 

Conforme a empresa, o Rabello de Castro é um dos sócios da SR Rating e após  após ter conhecimento da operação de busca e apreensão em sua residência, no Rio Janeiro, se dirigiu voluntariamente para prestar esclarecimentos à Polícia Federal em Brasília.

 

A agência de classificação de riscos destacou que mantém a qualidade técnica e a independência das operações classificadas pelo seu comitê. “Com 25 anos de atuação no mercado, a SR Rating reafirma seu compromisso com o rigor e a excelência técnica das suas análises e está à disposição das autoridades”

  • Pedro Galhardo

    Roubaram pouco só 6 bilhões. O que se faz com 6 bi.? ReSpondo: eNCHERAM O BOLSO E ESTÃO CURTINDO A VIDA (POR CONTA DOS TROUXAS DOS TRABALHADORES DOS CORREIOS)