regis santana engenheiro

PERFIL EMPREENDEDOR: Régis Rocha (@regissrocha) #entrevinsta

Publicado em Entrevistas

Sou Régis Rocha. Eu tenho 22 anos, nasci em Damianópolis/GO, faço Engenharia Mecânica na #UnB. Já trabalhei no #BsbFabLab, fui pesquisador de “materiais inteligentes” na UnB. Capitão da equipe na @apuamaracing, equipe de Fórmula SAE da UnB. Atualmente, faço estágio em uma empresa de arquitetura e decoração, mas sonho é ter a minha própria empresa.


 

1. Quando começou seu interesse pela engenharia?
Meu interesse por engenharia começou no ensino médio. Comecei a gostar muito de exatas e pensava inicialmente em fazer Física, mas depois vi que queria algo mais prático. Conheci a #engenhariamecanica e cá estou.

2. Por que essas competições podem ser interessantes para quem não é piloto e pra quem está assistindo?
São 20 pessoas inscritas de cada equipe, que trabalham a competição inteira para conseguir um bom desempenho. Nós temos 6 pilotos, e mais 14 pessoas que apresentam as provas estáticas, dando suporte para os pilotos e para o carro. Se o carro quebra ou não passa na inspeção por algum motivo, todos trabalham juntos para resolver o problema. Para quem não está participando, a competição é uma ótima oportunidade para fazer networking, procurar talentos para trabalhar na sua empresa ou assistir uma pessoa da sua família competindo.

3. Se você tivesse 300 milhões de euros para montar uma equipe de fórmula 1, como ela seria?
Eu investiria em infraestrutura, capacitação para os os colaboradores e buscaria pilotos habilidosos em categorias menores. Faria o “Arroz com feijão” bem feito para evoluir e conseguir patrocinadores. As prioridades seriam: piloto, carro e capacitação dos colaboradores, nessa ordem.

4. E se você tivesse 3 bilhões para criar uma montadora de automóveis, como seriam esses carros?
Eu investiria no automobilismo elétrico, pois o carro à combustão irá morrer, mas o automobilismo pode crescer muito ainda. Eu venho trabalhando em um projeto pessoal que é uma montadora de karts elétricos. Além de poluirem muito menos, eles aceleram mais e são de fácil manutenção.
.
.